• Ricardo Bonacorci

Filmes: Quando Meus Pais Não Estão em Casa - A mãe terceirizada


Neste meio de semana, assisti ao filme “Quando Meus Pais Não Estão em Casa(Ilo Ilo: 2013) no Caixa Belas Artes. Candidato oficial de Singapura na disputa do Oscar do ano passado de Melhor Filme Estrangeiro, esta produção estreou recentemente no circuito comercial aqui do Brasil. Esse filme é uma crônica social e econômica da cidade estado de Singapura durante a metade da década de 1990, período no qual a história se passa.

O longa-metragem retrata a vida da família Lim depois da chegada de Terry, empregada doméstica vinda das Filipinas para trabalhar e morar na casa com os novos patrões. A família é composta pelo pai, pela mãe que está grávida pela segunda vez e por um filho de dez anos. Como muitas mulheres do seu país, Terry sonha em conseguir dinheiro e em melhorar de vida, desejando retornar em breve para a sua terra natal em melhores condições. Na vontade de fazer tudo direito e bem feito no novo emprego, a empregada doméstica, sem querer, começa a causar uma sensível piora no relacionamento da família. A mãe fica enciumada com a atenção e o cuidado da moça para com seu filho. Terry cria um forte vínculo com garoto, torna-se praticamente a grande responsável pela sua criação e sua educação.

“Quando Meus Pais Não Estão em Casa” é um drama sensível e comovente. O filme aborda principalmente a importância da babá ou da empregada doméstica na formação da criança, um tema muitas vezes renegado. A verdadeira mãe, muitas vezes presa nas suas obrigações profissionais e em sua puxada rotina diária, acaba terceirizando o cuidado da sua cria. Esse processo, quando mal feito, gera meninos e meninas mimados, revoltados, mal educados, sem limites e com potencial para causar muitas confusões. Quando bem feito, a babá consegue transmitir valores e uma educação sólida para as crianças, ajudando na formação dos pequenos.

O filme do diretor Anthony Chen é bom. Acho que essa foi a primeira produção que assisti de Singapura (para falar a verdade, minha familiaridade com esse país asiático é tão baixa que nem sei gravar corretamente seu nome – até hoje não sei se o correto é Singapura ou Cingapura). Quem gosta de um drama psicológico provavelmente gostará de “Quando Meus Pais Não Estão em Casa”.

Veja o trailer de “Quando Meus Pais Não Estão em Casa” (Ilo Ilo: 2013):

O que você achou deste post e do conteúdo do Blog Bonas Histórias? Não se esqueça de deixar seu comentário. Se você é fã de filmes novos ou antigos e deseja saber mais notícias da sétima arte, clique em Cinema. E aproveite também para curtir a página do Bonas Histórias no Facebook.

#AnthonyChen #CinemaSingapuriano #CinemaAsiático

A Editora Pomelo é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Dança & Expressão é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Eduardo Villela é Eduardo Villela é book advisor e parceiro do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
BonaBelle Design & Organização é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Epifania Conteúdo Inteligente é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Keli Quitutes

Bonas Histórias

O Bonas Histórias é o blog de literatura, cultura e entretenimento desenvolvido por Ricardo Bonacorci desde 2014. Com um conteúdo multicultural (literatura, cinema, música, teatro, exposição e gastronomia), o Blog Bonas Histórias analisa as boas histórias contadas no Brasil e no mundo.

bonashistorias.com.br

Ricardo Bonacorci

Nascido na cidade de São Paulo, Ricardo Bonacorci tem 39 anos e trabalha como publicitário, produtor de conteúdo, crítico literário e cultural, editor, escritor e pesquisador acadêmico. Ricardo é especialista em Administração de Empresas, pós-graduado em Gestão da Inovação, bacharel em Comunicação Social, licenciando em Letras-Português e pós-graduando em Formação de Escritores.  

Bonas Histórias | blog de literatura, cultura e entretenimento | bonashistorias.com.br

Blog de literatura, cultura e entretenimento