• Ricardo Bonacorci

Desafio Literário de julho/2016: Pablo Neruda


Chegou a vez de Pablo Neruda no Desafio Literário do Blog Bonas Histórias. Depois de dois romancistas (Graciliano Ramos, em maio, e Agatha Christie, em junho), vamos abordar, agora em julho, as obras e a carreira de um poeta. O chileno ganhou o prêmio Nobel de Literatura em 1971, consolidando-se como um dos principais poetas de língua espanhola do século XX.

Pablo Neruda nasceu, em 1904, na interiorana cidade de Parral. Seu nome de batismo era Neftalí Ricardo Reyes Basoalto. Sua mãe morreu quando ele tinha apenas um mês de vida. O menino foi criado pelo pai, maquinista de trem, e pela mãe adotiva, com quem o pai se casou quando o filho tinha dois anos de idade. A família viveu na cidade de Temuco, capital da região de Araucania e da província de Cautín.

Desde a adolescência, o rapaz sempre gostou de escrever e iniciou aí sua trajetória como poeta. Já prevendo sua futura profissão, adotou o pseudônimo de Pablo Neruda em homenagem ao escritor checo Jan Neruda. Após alguns destaques em concursos literários locais, o Neruda chileno se mudou aos dezessete anos para Santiago do Chile, onde estudou pedagogia e francês na Universidade do Chile.

Após algumas premiações na capital do país e com as publicações de alguns poemas nas principais revistas de prestígio nacional, o jovem poeta é reconhecido por seus pares como um dos principais escritores chilenos. Pablo Neruda tem, assim, publicado o seu primeiro livro em 1924: "Vinte Poemas de Amor e Uma Canção Desesperada". Apesar de ter escrito essa obra com apenas vinte anos, aqui estão alguns dos seus mais conhecidos poemas. Misturando o erotismo dos corpos femininos com a descrição apurada da natureza, o poeta conseguiu produzir belas e celebradas composições poéticas.

Dois anos mais tarde é iniciada a carreira diplomática. A nomeação como cônsul na Birmânia abre caminho para que o poeta viaje pelo mundo e conheça grandes escritores do seu tempo. Mais tarde se tornaria cônsul na Espanha e no México. A carreira literária segue em paralelo à vida diplomática.

Durante a década de 1930, lançou alguns livros de poesia que alcançaram prestígio internacional. O principal deles é "Residência na Terra", de 1935. Escrito na Birmânia, os poemas possuem um tom pessimista e um clima surreal. Amargurado pela distância da sua terra natal, o poeta cogitou até o suicídio nessa época. Por sua temática diferenciada do portfólio do chileno, mais propenso à exaltação dos amores, esse livro é um marco na carreira de Neruda.

Sempre identificado com a ideologia comunista, Pablo Neruda precisou voltar para o Chile quando estourou a Guerra Civil na Espanha, para onde partiu depois da Birmânia. Novamente em seu país, foi eleito, em 1945, senador da República. Nessa época, o poeta já era internacionalmente conhecido, tendo viajado para o exterior com grande frequência para apresentar seu trabalho literário.

A partir dos anos de 1950, as publicações do artista tornam-se mais constantes. Essa fase, que duraria até o início da década de 1970, é disparada a mais produtiva do chileno, com aproximadamente um lançamento por ano. O Nobel de Literatura de 1971 veio coroar esse trabalho. Segundo sul-americano eleito com o prêmio máximo da literatura mundial (a primeiro foi a também poeta chilena Gabriela Mistral, em 1945), Pablo Neruda colocaria para sempre seu nome entre os maiores escritores da história.

Suas principais obras dessa fase dourada da carreira são: "Canto Geral", publicado no México, em 1950, e "Cem Sonetos de Amor", lançado no México, em 1959. "Cem Sonetos de Amor" possivelmente é a obra do chileno que se disseminou com mais intensidade na cultura contemporânea. Seus poemas foram citados no filme "Patch Adams - O Amor é Contagioso" (Patch Adams: 1998) e foram transformados em canção por Peter Lieberson.

No final da vida, Neruda lançou "Ainda", coleção de poemas que narram o período da sua infância e adolescência. Viajando com pai maquinista de trem, o jovem Neruda pode conhecer a natureza e a gente chilena, fundamentais para sua formação como homem.

Um câncer na próstata tirou a vida de Pablo Neruda em setembro de 1973. Antes, porém, o poeta escreveu um livro de memórias no qual pode autobiografar sua vida. "Confesso que Vivi" chegou às livrarias um ano após o falecimento do seu autor. Na Espanha, essa obra foi a segunda mais vendida no país no ano de 1975.

Pablo Neruda se tornou um ícone cultural a ponto de se transformar em um personagem cinematográfico. Em 1994, o filme "O Carteiro e o Poeta" (Il Postino: 1994) narra uma história ficcional em que o poeta chileno, em exílio na Itália por razões políticas, ensina um carteiro analfabeto a escrever seus versos poéticos.

Esse é o personagem do Desafio Literário de julho. Vou ler suas obras mais ou menos respeitando o estágio de vida do autor e não o ano de suas publicações. Assim, começarei com "Ainda", com poemas que tratam da infância e adolescência do chileno. Depois mergulharei em "Vinte Poemas de Amor e Uma Canção Desesperada", sobre os primeiros amores de Neruda. Na sequência, me atentarei para “Cem Sonetos de Amor” e "Canto Geral", obras da fase mais madura do poeta. E terminarei lendo seu livro de memórias "Confesso que Vivi". Esta é a programação do Blog Bonas Histórias para os próximos 30 dias.

É ou não é um bom cardápio para o gélido mês de Julho que se avizinha? Quem tiver interesse em conhecer mais profundamente a literatura de Pablo Neruda, aconselho a ler também essas obras e acompanhar as minhas análises críticas ao longo das quatro próximas semanas. Venha comigo e boa leitura a todos!

Gostou da seleção de autores e de obras do Desafio Literário? Que tal o Blog Bonas Histórias? Seja o(a) primeiro(a) a deixar um comentário aqui. Para saber mais sobre as Análises Literárias do blog, clique em Desafio Literário. E não deixe de curtir a página do Bonas Histórias no Facebook.

#PabloNeruda #Poesia

A Editora Pomelo é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Dança & Expressão é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Eduardo Villela é Eduardo Villela é book advisor e parceiro do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
BonaBelle Design & Organização é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Epifania Conteúdo Inteligente é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Keli Quitutes

Bonas Histórias

O Bonas Histórias é o blog de literatura, cultura e entretenimento desenvolvido por Ricardo Bonacorci desde 2014. Com um conteúdo multicultural (literatura, cinema, música, teatro, exposição e gastronomia), o Blog Bonas Histórias analisa as boas histórias contadas no Brasil e no mundo.

bonashistorias.com.br

Ricardo Bonacorci

Nascido na cidade de São Paulo, Ricardo Bonacorci tem 39 anos e trabalha como publicitário, produtor de conteúdo, crítico literário e cultural, editor, escritor e pesquisador acadêmico. Ricardo é especialista em Administração de Empresas, pós-graduado em Gestão da Inovação, bacharel em Comunicação Social, licenciando em Letras-Português e pós-graduando em Formação de Escritores.  

Bonas Histórias | blog de literatura, cultura e entretenimento | bonashistorias.com.br

Blog de literatura, cultura e entretenimento