• Ricardo Bonacorci

Livros: Outlander, A Viajante do Tempo - O início da saga de Diana Gabaldon


Ufa! Terminei o livro "Outlander - A Viajante do Tempo" (Saída de Emergência). Ganhei essa obra no Natal e desde então passei a lê-la. Trata-se de um calhamaço com 800 páginas. Para quem gosta de longas aventuras (como eu), esse é o livro certo. Eu não conhecia sua escritora, a norte-americana Diana Gabaldon, nem a sua editora, a portuguesa Saída de Emergência. Foi uma grata surpresa conhecê-las. Não é preciso dizer que este foi o melhor presente de Natal deste ano (desculpe-me quem me presenteou com outras coisas).

"Outlander" descreve a história de Claire Randall, uma enfermeira inglesa que trabalhou na Segunda Guerra Mundial. Após o término do conflito bélico, a jovem volta para casa e para os braços do marido, um historiador escocês. Para comemorar a retomada do matrimônio, o casal decide viajar para Inverness, em Highlands, nas Ilhas Britânicas, como uma segunda lua de Mel. Durante um passeio da enfermeira pelo antigo círculo de pedras da região montanhosa, ela acaba sendo tragada por uma fenda temporal e acaba voltando quase duzentos anos no tempo. Sozinha e indefesa em uma Escócia de 1743, Claire precisa sobreviver as ameaças que insistem em aparecer em seu caminho. As coisas só pioram quando ela conhece Jamie, um jovem guerreiro escocês, com quem se sente atraída. A paixão avassaladora pelo rapaz pode transformá-la em uma mulher infiel e destruir seu casamento anterior. Será que ela irá interromper a busca pelo caminho de volta para o futuro para ficar com Jamie?

São três os principais méritos na narrativa de Diana Gabaldon. O primeiro foi colocar uma mulher como personagem principal de uma aventura histórica. Normalmente são os homens quem recebem o papel de protagonistas neste tipo de enredo. A inovação da escritora norte-americana rende ótimos momentos e clímaces diferentes. O segundo foi conseguir retratar a Escócia do século XVIII como um ambiente de extrema violência e intensos conflitos políticos. O leitor se sente como se estivesse realmente vivenciando uma história escrita ou passada há duzentos anos. E, por fim, o terceiro ponto interessante é a qualidade da trama. A narrativa é cheia de surpresas, revelações, reviravoltas e momentos de apreensão. Há desde julgamento por bruxaria, conflitos entre guerreiros, tentativas de estupros, intrigas entre clãs, assassinatos encomendados, paixões proibidas, cenas de tortura, fuga de prisões medievais, entre outros lances cinematográficos.

O livro "Outlander" é muito bom. Não é à toa que vendeu mais de 20 milhões de cópias no mundo todo. Ele recebeu o prêmio RITA de melhor romance. A história criada por Diana Gabaldon foi adaptada para a TV norte-americana no ano passado. O primeiro programa da série foi ao ar no mesmo mês do lançamento do livro no Brasil (em Agosto).

Além de "Outlander - A Viajante do Tempo", a Saída de Emergência tem os direitos autorais da continuação da história de Claire Randall. O segundo livro da novela escocesa se chama "Outlander - A Libélula no Âmbar" e foi lançado no ano passado aqui no Brasil. É outro calhamaço com quase mil páginas. Veja a lista de todos os livros (são no total 16, dos quais 12 já foram traduzidos para o português) da coleção: "A Viajante do tempo", "A Libélula no âmbar", "O Resgate no mar - Parte 1", "O Resgate no mar - Parte 2", "Os Tambores do Outono - Parte 1", "Os Tambores do Outono - Parte 2", "A Cruz de Fogo - Parte 1", "A Cruz de Fogo - Parte 2", "Um Sopro de Neve e Cinzas - Parte 1", "Um Sopro de Neve e Cinzas - Parte 2", "Ecos do Futuro - Parte 1", "Ecos do Futuro - Parte 2", "An Echo in the Bone", "The Space Between" , "Written in My Own Heart's Blood" e "A Leaf on the Wind of All Hallows". Eles variam de 450 a 1.000 páginas.

Vamos torcer para que a Saída de Emergência lance a série completa de Diana Gabaldon aqui no Brasil. Quem gostar da novela precisará de muito fôlego para chegar ao final da história de Claire Randall. Admito: ficarei só no primeiro livro mesmo. Boa viagem para os aventureiros!

Gostou deste post e do conteúdo do Blog Bonas Histórias? Se você é fã de literatura, deixe seu comentário aqui. Para acessar as demais críticas, clique em Livros. E aproveite para curtir a página do Bonas Histórias no Facebook.

#DianaGabaldon #Romance #RomanceHistórico #Livros #LiteraturaNorteAmericana #LiteraturaContemporânea

A Editora Pomelo é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Dança & Expressão é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Eduardo Villela é Eduardo Villela é book advisor e parceiro do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
BonaBelle Design & Organização é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Epifania Conteúdo Inteligente é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Keli Quitutes

Bonas Histórias

O Bonas Histórias é o blog de literatura, cultura e entretenimento desenvolvido por Ricardo Bonacorci desde 2014. Com um conteúdo multicultural (literatura, cinema, música, teatro, exposição e gastronomia), o Blog Bonas Histórias analisa as boas histórias contadas no Brasil e no mundo.

bonashistorias.com.br

Ricardo Bonacorci

Nascido na cidade de São Paulo, Ricardo Bonacorci tem 39 anos e trabalha como publicitário, produtor de conteúdo, crítico literário e cultural, editor, escritor e pesquisador acadêmico. Ricardo é especialista em Administração de Empresas, pós-graduado em Gestão da Inovação, bacharel em Comunicação Social, licenciando em Letras-Português e pós-graduando em Formação de Escritores.  

Bonas Histórias | blog de literatura, cultura e entretenimento | bonashistorias.com.br

Blog de literatura, cultura e entretenimento