• Ricardo Bonacorci

Livros: Muito Trabalho, Pouco Stress - As dicas de André Caldeira


Na semana passada, o meu amigo Eduardo me emprestou o livro "Muito Trabalho, Pouco Stress" (Évora) de André Caldeira. A ideia era que esta obra me ajudasse na preparação de um treinamento sobre "Mudança de Carreira" que estou desenvolvendo para a The Open Mind School, escola de cursos livres com uma pegada mais voltada para a qualidade de vida e o bem-estar das pessoas. Com essa demanda em minhas mãos, li o livro com atenção e cuidado. E fiquei parcialmente satisfeito com o seu conteúdo.

O livro é interessante em uma parte (na primeira metade) e meio repetitivo e cansativo em outra (na segunda metade). Ele demonstra bem as dificuldades e os problemas dos profissionais modernos (principalmente os executivos bem sucedidos) para fugir da vida estressante e desgastante na qual estão inseridos. Chega a ser triste constatar a quantidade absurda de pessoas consideradas workaholics nos dias de hoje. Interessante perceber a cultura da valorização do excesso de trabalho em muitos lugares. Nesse contexto, ficar dezesseis ou dezessete horas por dia no escritório, não ver a família, não cuidar da saúde, não ter hobbies, estar estressado, dormir mal, exagerar na comida, na bebida e nos remédios, não ter vida pessoal, estar em constante conflito com a esposa ou com o marido e com os filhos e não ter tempo para nada é algo louvável e admirado. Quanta loucura!

"Muito trabalho, pouco stress" é dividido basicamente em três partes. Na primeira, a melhor parte disparada, é o relato da vida de um personagem fictício chamado Joe Labor (o antigo alter ego do autor). O cara é um workaholic típico. Não tem tempo para nada, pois só trabalha. Ele abre mão da qualidade de vida e da sua vida pessoal para se dedicar a sua profissão. Apesar de conhecermos pessoas assim e, às vezes, já termos incorporado esse personagem em nossas vidas (falo com propriedade porque minha vida era assim até quatro anos atrás), quando lemos o relato detalhado do cotidiano e das angústias de uma pessoa assim, ficamos chocados.

E esse é o grande lance do livro. Chocar! Através da encenação da rotina de um workaholic, percebemos o quanto as coisas na vida desse sujeito estão erradas e precisam ser mudadas. Temos dificuldades de fazer essa análise quando tentamos olhar para o nosso próprio cotidiano. Assim, a historinha contada de Joe Labor é uma excelente ferramenta de conscientização para as pessoas que possuem esse problema tão sério.

A segunda parte do livro, bem pequena, analisa de maneira objetiva os problemas da vida de Joe Labor. O autor explica as técnicas e as maneiras para se fugir do stress no dia a dia e para conseguir uma vida equilibrada (sonho de consumo de muita, muita gente). O conteúdo dessa parte é adequado. André Caldeira não fala nenhuma novidade e nem passa nenhum grande segredo. Aí o livro começa a perder força.

Na terceira e última parte, que ocupa mais da metade da obra, "Muito trabalho, pouco stress" se torna chato e repetitivo. Essa seção é dedicada à exposição de vários posts originados do blog do autor, cujo nome é o mesmo do livro. Aqui, Caldeira conta fatos e analisa as situações de stress já descritas anteriormente. Como tudo já foi falado, os textos vão se repetindo sem parar. Se eu quisesse ler estes posts, eu teria acessado o blog do Caldeira, não teria pego um livro para ler...

Apesar de ter achado um desperdício ter metade de um livro com posts de um blog, a primeira parte de "Muito trabalho, pouco stress" vale a leitura. Quem já foi, é ou corre o risco de se tornar um workaholic precisa conhecer a história de Joe Labor. Ela pode inspirar um processo de mudança e a busca pela qualidade de vida. Sucesso e tranquilidade para todos!

Gostou deste post e do conteúdo do Blog Bonas Histórias? Se você é fã de literatura, deixe seu comentário aqui. Para acessar as demais críticas, clique em Livros. E aproveite para curtir a página do Bonas Histórias no Facebook.

#AndréCaldeira #LiteraturaBrasileira #LiteraturaContemporânea #Livros #Negócios

A Editora Pomelo é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Dança & Expressão é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Eduardo Villela é Eduardo Villela é book advisor e parceiro do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
BonaBelle Design & Organização é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Epifania Conteúdo Inteligente é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Keli Quitutes

Bonas Histórias

O Bonas Histórias é o blog de literatura, cultura e entretenimento desenvolvido por Ricardo Bonacorci desde 2014. Com um conteúdo multicultural (literatura, cinema, música, teatro, exposição e gastronomia), o Blog Bonas Histórias analisa as boas histórias contadas no Brasil e no mundo.

bonashistorias.com.br

Ricardo Bonacorci

Nascido na cidade de São Paulo, Ricardo Bonacorci tem 39 anos e trabalha como publicitário, produtor de conteúdo, crítico literário e cultural, editor, escritor e pesquisador acadêmico. Ricardo é especialista em Administração de Empresas, pós-graduado em Gestão da Inovação, bacharel em Comunicação Social, licenciando em Letras-Português e pós-graduando em Formação de Escritores.  

Bonas Histórias | blog de literatura, cultura e entretenimento | bonashistorias.com.br

Blog de literatura, cultura e entretenimento