• Ricardo Bonacorci

Filmes: Uma Linda Mulher - O mais romântico dos últimos 25 anos


Aqui vai uma dica para os marmanjos neste inverno. Sabe aquele dia (ou noite) frio e chuvoso em que você tem uma bela companhia feminina em casa e quer assistir a um filme romântico com ela embaixo do coberto. Aí você olha para suas opções de filmes e não sabe o que sugerir para agradá-la. Quem nunca passou por isso? Minha sugestão para esta hora é um clássico das comédias românticas: "Uma Linda Mulher" (Pretty Woman: 1990). Este longa-metragem agrada dez entre dez mulheres. Ele é atemporal e possui um efeito romântico avassalador no público feminino. Não conheço uma mulher que não se derreta com esta produção que completou recentemente 25 anos. Até mesmo as mais duronas e as (aparentemente) pouco sensíveis acabam se emocionando com esta trama.

"Uma Linda Mulher" foi dirigido por Garry Marshall, experiente cineasta especializado em comédias românticas. É dele "O Diário de Uma Princesa" (The Princess Diaries: 2002), "O Diário de Uma Princesa 2" (The Princess Diaries 2 - Royal Engagement: 2004), "Idas e Vindas do Amor" (Valentine's Day: 2010) e "Noite de Ano Novo" (New Year's Eve: 2011). O longa-metragem de 1990 foi protagonizado por Julia Roberts, em início de carreira, e Richard Gere, um ator já consagrado - fez "Cinzas no Paraíso" (Days of Heaven: 1978), "Gigolô Americano" (American Gigolo: 1980) e "A Força do Destino" (An Officer and a Gentleman: 1982). O entrosamento entre diretor e o casal de atores foi tão grande que eles voltariam a se encontrar em "Noiva em Fuga" (Runaway Bride: 1999). Marshall e Roberts também trabalharam juntos em "Idas e Vindas do Amor" (Valentine's Day: 2010).

O enredo do filme junta por acaso o milionário empresário Edward Lewis (interpretado por Richard Gere) e a prostituta Vivian Ward (Julia Roberts). Em uma viagem a negócios por Los Angeles, o magnata contrata a garota de programa que conheceu na rua para guiá-lo pela cidade. A ideia dele não é fazer (apenas) sexo com ela. Ele quer principalmente uma companhia por alguns dias. Ele vive sozinho e precisa de alguém para conversar. Vivian, por sua vez, precisa de dinheiro e se empolga com o valor oferecido pelo cliente rico. Com a comissão recebida, ela conseguirá pagar os aluguéis atrasados do apartamento onde mora.

Estabelecido o contrato de trabalho, os dois começam a se conhecer. Edward fica encantado com a espontaneidade e a alegria da moça. Ela fica maravilhada com a vida de luxo e a elegância dele. Rapidamente, os dois se apaixonam e a relação patrão/empregado desaparece. Contudo, o casal precisará lutar contra os preconceitos da sociedade (afinal, Vivian é uma prostituta) e contra seus próprios temores.

Com orçamento de US$ 14 milhões, "Uma Linda Mulher" foi um sucesso de público e de crítica. Julia Roberts concorreu ao Oscar de Melhor Atriz no ano seguinte e ganhou o Globo de Ouro como Melhor Atriz de Comédia pelo papel de Vivian. Não é errado afirmar que o sucesso do filme catapultou a carreira da jovem ao estrelato. Nas duas décadas seguintes, Julia Roberts seria umas das atrizes mais bem pagas de Hollywood e uma das principais protagonistas das comédias românticas dos Estados Unidos.

Apesar de já ser, na época, um nome consagrado de Hollywood, Richard Gere também foi muito beneficiado pelo sucesso de "Uma Linda Mulher". Depois de papéis relevantes interpretados entre o final da década de 1970 e o início dos anos 1980, ele ficou vários anos acumulando péssimas escolhas profissionais. Com o longa-metragem dirigido por Garry Marshall, Gere retomou a fase ascendente, voltando a figurar entre os grandes atores do cinema norte-americano, posto que carrega até hoje.

O que mexe com as emoções das mulheres que assistem ao filme é o fato de "Uma Linda Mulher" ser um conto de fadas moderno. O milionário solitário e bonitão faz o papel do príncipe encantado que tem a função de salvar a mocinha. A prostituta pobre e desprezada pela sociedade é a princesa ainda não relevada/descoberta. Por isso, as fortes paixões que esta produção despertam nos coraçõezinhos das expectadoras do sexo feminino. Todas alimentam, no fundo da alma, a esperança de serem salvas (de suas rotinas estafantes) por um Richard Gere e serem levadas para um palácio encantado. A personagem Vivian afirma este desejo no desfecho do filme. E o casal de protagonistas só irá conseguir ficar junto quando Edward compreende este sonho da sua parceira. Repare na cena final. Ela é uma ótima alegoria do conto de fadas contemporâneo (a chegada do príncipe encantado com o cavalo branco).

Dois pontos merecem destaque neste filme: a química do casal principal e a excelente trilha sonora. Richard Gere e Julia Roberts vivem talvez seus personagens mais marcantes no cinema. Ambos estão sensacionais em seus papéis. Suas atuações e seus carismas junto ao público ajudam a minimizar aspectos delicados do roteiro. Não podemos esquecer que Edward Lewis é um homem de negócios arrogante, interesseiro e, por que não, mau caráter. Vivian Ward, apesar ser uma boa moça, trabalha na profissão mais descriminada socialmente da história (ela é uma meretriz). O carisma e a química do casal de protagonistas ajudaram o expectador a relevar estes elementos sensíveis da trama.

As músicas também são ótimas. O público normalmente se recorda apenas de "Oh, Pretty Woman" na versão de Roy Orbison. Contudo, o longa-metragem tem outras canções contagiantes como "It Must Have Been Love" e "Wild Women Do". Este é aquele filme para se ver e se ouvir.

O que mais me marcou neste filme foi o conjunto interminável de ótimas cenas. Além do bom roteiro, algumas sequências são por si só magníficas e possuem um conteúdo próprio. Não é à toa que quando trabalhava com treinamentos empresariais, gostava de mostrar várias cenas deste filme para discutir aspectos da relação humana. Vivian sendo maltratada na loja de roupa, ela sendo ajudada no momento de comer ostras no restaurante chique e a transformação visual que ela sofre durante o longa-metragem são cenas inesquecíveis.

Outro aspecto legal é a composição das personagens. Os protagonistas são essencialmente esféricos. Ou seja, suas características vão sofrendo mutações durante a trama. Os vários defeitos de comportamento e de caráter que possuem são corrigidos pelo parceiro amoroso. O casal se redime dos pecados do passado através do amor que sentem um pelo outro. É difícil dizer quem é mais importante para quem.

Se você, marmanjão pouco afeito às comédias românticas, não ficou convencido das qualidades de "Uma Linda Mulher", preciso ser mais direto. Este talvez seja o longa-metragem dos últimos 25 anos que consiga emocionar mais o coraçãozinho da sua companhia feminina. Por isso, assista ao filme ao lado dela neste inverno. Rapidamente, você perceberá o quão romântica sua casa ficará ao termino dele.

Veja o trailer de "Uma Linda Mulher":

O que você achou deste post e do conteúdo do Blog Bonas Histórias? Não se esqueça de deixar seu comentário. Se você é fã de filmes novos ou antigos e deseja saber mais notícias da sétima arte, clique em Cinema. E aproveite também para curtir a página do Bonas Histórias no Facebook.

#GarryMarshall #RichardGere #JuliaRoberts

A Editora Pomelo é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Dança & Expressão é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Eduardo Villela é Eduardo Villela é book advisor e parceiro do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
BonaBelle Design & Organização é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Epifania Conteúdo Inteligente é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Keli Quitutes

Bonas Histórias

O Bonas Histórias é o blog de literatura, cultura e entretenimento desenvolvido por Ricardo Bonacorci desde 2014. Com um conteúdo multicultural (literatura, cinema, música, teatro, exposição e gastronomia), o Blog Bonas Histórias analisa as boas histórias contadas no Brasil e no mundo.

bonashistorias.com.br

Ricardo Bonacorci

Nascido na cidade de São Paulo, Ricardo Bonacorci tem 39 anos e trabalha como publicitário, produtor de conteúdo, crítico literário e cultural, editor, escritor e pesquisador acadêmico. Ricardo é especialista em Administração de Empresas, pós-graduado em Gestão da Inovação, bacharel em Comunicação Social, licenciando em Letras-Português e pós-graduando em Formação de Escritores.  

Bonas Histórias | blog de literatura, cultura e entretenimento | bonashistorias.com.br

Blog de literatura, cultura e entretenimento