• Ricardo Bonacorci

Filmes: Jogada de Mestre - Sequestro holandês


Aproveitando que fui à Livraria Cultura do Conjunto Nacional para comprar alguns livros de Ignácio de Loyola Brandão, o autor que será analisado neste mês no Desafio Literário, dei uma passada no Cine Livraria Cultura, ali ao lado, para assisti a um novo filme. O escolhido foi "Jogada de Mestre" (Kidnapping Mr. Heineken: 2015), uma produção anglo-holandesa dirigida pelo sueco Daniel Alfredson, responsável pela filmagem da trilogia "Millennium" de Stieg Larsson ("Os Homens que Odeiam as Mulheres", "A Menina que Brincava com Fogo", e "A Rainha do Castelo de Ar").

O novo filme de Alfredson foi baseado na história real do sequestro do proprietário da cervejaria Heineken. Na época, este foi o maior sequestro do mundo em relação aos valores pagos pelo resgate. Os sequestradores pediram a bagatela de US$ 35 milhões. O caso gerou grande repercussão, pois se tratava de um dos homens mais ricos da Europa.

"Jogada de Mestre" se passa na Holanda, no ano de 1982. Neste período, o país europeu passava por uma grave crise econômica. Por isso, os amigos Cor (Jim Sturgess), Willem (Sam Worthington), Cat (Ryan Kwanten), Spikes (Mark van Eeuwen) e Brakes (Thomas Cocquerel) não tinham muitas alternativas para ganhar dinheiro. A empresa dos rapazes estava falida e o prédio no qual eram proprietários tinha sido invadido por um bando de sem-teto. A coisa estava feia em Amsterdam no princípio da década de 1980. Sem conseguir pegar recursos emprestados dos bancos da cidade para dar prosseguimento aos seus negócios, o grupo de amigos decide, durante o Réveillon, sequestrar o homem mais rico do país: Freddy Heineken (Anthony Hopkins), dono da maior cervejaria da Holanda. A Heineken é como se fosse a Ambev dos holandeses. A ideia era pedir um resgate milionário. Com esse dinheiro, o grupo, que era amador no mundo do crime, nunca mais iria se preocupar com a parte financeira. Na cabeça deles, todos os seus problemas seriam resolvidos quando pegassem a bufunfa.

Com essa ideia em mente, Cor, Willem, Cat, Spikes e Brakes colocam o plano em prática. Aí começam os problemas deles. Sequestrar Heineken chega até ser fácil. O difícil será conseguir pegar o resgate sem que a polícia desconfie de nada e sem que ela descubra a verdadeira identidade dos criminosos. A tensão e os perigos da empreitada colocam o grupo em cheque. A amizade dos sequestradores e o próprio golpe ficam comprometidos à medida que os perigos aumentam. Assim, as relações do grupo vão se deteriorando.

"Jogada de Mestre" é um filme razoável. Ele tem suspense e ação nas medidas certas. O roteiro é bem amarrado e atuação dos atores é adequada (sempre é bom ver Hopkins em ação!). Entretanto, ele não sai disso: de uma apresentação razoável.

A história não é muito original. Afinal, quantos filmes de sequestro existem por aí? Vários. Além disso, não é nada inovador mostrar as trapalhadas e as intrigas dentro de um grupo de criminosos. Neste caso, criminosos amadores, porque nenhum dos participantes do sequestro, pelo que o filme retrata, havia cometido um crime desta envergadura.

E aí está a grande incongruência do longa-metragem. Por se tratar de uma históia baseada em fatos reais, no final do filme nós ficamos sabendo (através da legenda) o que aconteceu com cada um dos personagens após o sequestro. E os dois principais sequestradores (Cor e Willem) se transformaram em grandes criminosos na Holanda. Como assim?! Como eles podem ter feito esta evolução em tão pouco tempo e em condições tão limitantes? Ficaram essas dúvidas na minha cabeça. Ou eles já eram grandes criminosos antes (coisa que o longa-metragem não mostrou) ou tiveram uma evolução digna de ser narrada em um filme (com um roteiro até mais interessante do que a do sequestro em si).

O filme também não demonstra como a polícia fez para chegar às conclusões que levaram a prisão do grupo (sim, o sequestro falhou!). Talvez tão interessante quanto abordar o relacionamento entre os integrantes do golpe durante todo o processo (o filme foca neste aspecto), fosse descobrir como a polícia fez para identificar os bandidos. E isso o filme não mostra absolutamente nada. É uma pena.

Dessa forma, "Jogada de Mestre" não passa de um filme meramente razoável.

Veja o trailer deste longa-metragem:

O que você achou deste post e do conteúdo do Blog Bonas Histórias? Não se esqueça de deixar seu comentário. Se você é fã de filmes novos ou antigos e deseja saber mais notícias da sétima arte, clique em Cinema. E aproveite também para curtir a página do Bonas Histórias no Facebook.

#DanielAlfredson

A Editora Pomelo é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Dança & Expressão é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Eduardo Villela é Eduardo Villela é book advisor e parceiro do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
BonaBelle Design & Organização é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Epifania Conteúdo Inteligente é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Keli Quitutes

Bonas Histórias

O Bonas Histórias é o blog de literatura, cultura e entretenimento desenvolvido por Ricardo Bonacorci desde 2014. Com um conteúdo multicultural (literatura, cinema, música, teatro, exposição e gastronomia), o Blog Bonas Histórias analisa as boas histórias contadas no Brasil e no mundo.

bonashistorias.com.br

Ricardo Bonacorci

Nascido na cidade de São Paulo, Ricardo Bonacorci tem 39 anos e trabalha como publicitário, produtor de conteúdo, crítico literário e cultural, editor, escritor e pesquisador acadêmico. Ricardo é especialista em Administração de Empresas, pós-graduado em Gestão da Inovação, bacharel em Comunicação Social, licenciando em Letras-Português e pós-graduando em Formação de Escritores.  

Bonas Histórias | blog de literatura, cultura e entretenimento | bonashistorias.com.br

Blog de literatura, cultura e entretenimento