• Ricardo Bonacorci

Filmes: O Guia do Mochileiro das Galáxias - Adaptação do clássico de Douglas Adans


Um amigo meu, há mais de dez anos, sabendo como sou fã de Douglas Adams e da série de ficção científica "O Guia do Mochileiro das Galáxias", me disse: "Para o seu bem, não assista à adaptação ao cinema do primeiro livro do Guia. O longa-metragem é tão ruim, mas tão ruim, que você corre o risco de começar a odiar Adams". Achei aquele comentário um tanto exagerado, apesar de não ter assistido ao filme no cinema na época do seu lançamento. Aquela história era tão boa, pensava eu, que era impossível transformá-la em um filme ruim.

Somente agora consegui conferir o longa-metragem. Eu o assisti no final do mês passado, aqui em casa, com minha irmã. E, por incrível que parece, meu amigo não exagerou na ruindade da produção cinematográfica. De certa forma, ele foi até bonzinho ao dizer que se tratava de um filme ruim. "O Guia do Mochileiro das Galáxias" (The Hitchhiker's Guide to the Galaxy: 2005) é um dos piores filmes que vi nos últimos anos. Ele é horrível!!!

Aí alguém pode comentar: "É óbvio que você ia falar mal do filme. Você é fã dos livros de Douglas Adams e iria, na certa, ver com maus olhos qualquer adaptação ao cinema da sua história favorita". Concordo com este ponto de vista. Porém, neste caso, eu poderia dizer simplesmente que o filme é inferior ao livro, que o longa-metragem é ruim ou que a produção cinematográfica ficou aquém das expectativas. O que estou dizendo é que fizeram algo que faria o escritor britânico se revirar no túmulo. O filme é péssimo!

Para se ter uma ideia do nível de ruindade desta produção, minha irmã, que assistia ao filme comigo, com quinze minutos já queria quebrar a televisão (e olha que ela é boazinha). Com meia hora, ela me disse com muito ódio em seu rosto: "Você escolhe: ou eu cometo um suicídio aqui e agora na sua frente ou você me deixa ir embora. Não aguento mais assistir a esse lixo". Ela não é fã e nunca ouviu falar desta ficção científica (ou seja, não é implicância apenas dos fãs dos livros). Minha irmã não só saiu correndo de casa como ficou algumas semanas sem aparecer, como se temesse que eu a forçasse a ver o restante do filme até o final. Coitadinha!

A adaptação ao cinema desse clássico da literatura britânica havia sido tentada antes em duas oportunidades, ambas sem sucesso: em 1982 e 2001. Em 2005, enfim, o britânico Garth Jennings dirigiu "O Guia do Mochileiro das Galáxias". O longa-metragem teve até um bom orçamento, de aproximadamente US$ 50 milhões. Os papéis principais ficaram com Martin Freeman, Yasiin Bey e Zooey Deschanel.

Essa história começa com Arthur Dent (interpretado por Martin Freeman) brigando com os funcionários da prefeitura que queriam derrubar sua casa para construir uma rodovia no lugar. Durante o desespero do morador, um amigo de Arthur, Ford Perfect (Yasiin Bey), aparece e o acalma. Arthur não precisava se preocupar com sua casa, dizia o amigo. O planeta estava para ser destruído em algumas horas e aquela casa seria demolida de qualquer forma.

Para fugir da destruição da Terra, a dupla pega carona em uma nave espacial que estava passando pelo planeta. Assim, Arthur e Ford começam a viajar pelas galáxias. Para sobreviverem nesse novo ambiente, eles usam o Guia do Mochileiro das Galáxias, um tipo de enciclopédia que continha todos os conhecimentos do universo.

O maior problema do filme de Garth Jennings está no fato dele não conseguir retratar o humor sarcástico e debochado da literatura de Adams. O livro é engraçadíssimo enquanto o longa-metragem é cansativo. As piadinhas e a ironia fina do autor não são possíveis de serem passadas para a tela. Até mesmo quem conhece os pontos mais divertidos da trama tem dificuldade para achá-los no decorrer do longa-metragem.

Outra coisa que incomoda é a falta de um roteiro claro. O expectador até consegue entender o que está acontecendo, mas não acha graça nenhuma em uma viagem interplanetária sem sentido. Assim, o filme vai se arrastando, arrastando e arrastando sem fim. Além disso, a péssima composição visual dos monstros, das aeronaves e dos cenários interplanetários confere um aspecto trash para a produção. Os extraterrestres são tão insossos e repugnantes que não cativam o expectador a acompanhar a trama.

Por isso, para não entrar em pânico, não assista a este filme. Você ganhará muito mais lendo os cinco livros da série. Agora, se você quiser se arriscar a ver o longa-metragem, vá fundo. Só não convide ninguém para acompanhá-lo(a). Essa pessoa pode cometer um suicídio ou não voltar mais a vê-lo(a). Vai por mim!

Veja o trailer de "O Guia do Mochileiro das Galáxias":

O que você achou deste post e do conteúdo do Blog Bonas Histórias? Não se esqueça de deixar seu comentário. Se você é fã de filmes novos ou antigos e deseja saber mais notícias da sétima arte, clique em Cinema. E aproveite também para curtir a página do Bonas Histórias no Facebook.

#DouglasAdams #GarthJennings

A Editora Pomelo é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Dança & Expressão é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Eduardo Villela é Eduardo Villela é book advisor e parceiro do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
BonaBelle Design & Organização é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Epifania Conteúdo Inteligente é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Keli Quitutes

Bonas Histórias

O Bonas Histórias é o blog de literatura, cultura e entretenimento desenvolvido por Ricardo Bonacorci desde 2014. Com um conteúdo multicultural (literatura, cinema, música, teatro, exposição e gastronomia), o Blog Bonas Histórias analisa as boas histórias contadas no Brasil e no mundo.

bonashistorias.com.br

Ricardo Bonacorci

Nascido na cidade de São Paulo, Ricardo Bonacorci tem 39 anos e trabalha como publicitário, produtor de conteúdo, crítico literário e cultural, editor, escritor e pesquisador acadêmico. Ricardo é especialista em Administração de Empresas, pós-graduado em Gestão da Inovação, bacharel em Comunicação Social, licenciando em Letras-Português e pós-graduando em Formação de Escritores.  

Bonas Histórias | blog de literatura, cultura e entretenimento | bonashistorias.com.br

Blog de literatura, cultura e entretenimento