• Ricardo Bonacorci

Filmes: Se Deus Vier que Venha Armado - A frustração do novíssimo cinema nacional


Assisti, na semana passada, ao filme "Se Deus Vier que Venha Armado" (2013). O longa-metragem representou a estreia de Luís Dantas na direção. Produzido há três anos, o filme chegou ao circuito comercial apenas no final do ano passado. Foram várias as premiações: prêmio de melhor diretor, fotografia e ator no Festival Iberoamericano, prêmio de melhor filme, diretor e fotografia no FestAruanda e prêmio de desenvolvimento de roteiro da Secretaria Municipal de São Paulo. A crítica especializada rasgou elogios ao longa-metragem. Há quem o tenha classificado como um exemplar do Novíssimo Cinema Nacional. Com uma expectativa altíssima, fui ver o filme.

Em "Se Deus Vier que Venha Armado", conhecemos a história de dois jovens: Damião (interpretado por Vinicius de Oliveira) e Joilson (André Franco). Damião é presidiário e recebeu o indulto do Dia da Mãe. Passará o final de semana fora da penitenciária. Por ser integrante do PCC, facção criminosa que domina as prisões paulistas, ele recebe a missão de cometer um crime. Enquanto prepara a ação criminosa, Damião viaja com o amigo de infância, o adolescente Palito (Ariclenes Barroso), e a professora do garoto (Sara Antunes) para Santos. Joilson, por sua vez, é um cabo de polícia novato. O jovem policial precisará encarar um grave levante de presidiários que aterroriza a cidade de São Paulo. Assim, a vida dos dois jovens irá se cruzar tragicamente.

Quem é fã da literatura de João Guimarães Rosa e, mais especificamente, de "Grande Sertão: Veredas" (Nova Fronteira) se lembrará que o título do longa-metragem é uma frase de Riobaldo. No mais famoso romance rosiano, o narrador e protagonista dizia que o Sertão era uma terra tão perigosa que se Deus quisesse aparecer, que viesse armado (para não correr risco de passar apuros). Maravilhosa referência intertextual!

Sinceramente, não achei nada de mais neste filme. Contar a história do levante do PCC não é algo novo. "Salve Geral" (2009), por exemplo, fez a mesma coisa com muito mais mérito. Retratar a vida na favela também não é algo inovador, assim como não é surpresa o antagonismo entre policiais e bandidos. Há inúmeras produções com mais êxito nesses sentidos. "Se Deus Vier que Venha Armado" também não traz nenhum recurso cinematográfico que mereça qualquer elogio. A fotografia, muito elogiada nos concursos nacionais, não apresenta, em minha opinião, nada acima da média. A atuação dos atores varia de mediana a ruim. A trilha sonora é apenas regular.

Qual é o grande legado desse filme, então? Juro que não enxerguei. Considerá-lo como um legítimo integrante do chamado Novíssimo Cinema Nacional é um absurdo. Não é possível um longa-metragem com um enredo e uma execução meramente mediana receber tantos elogios e destaques. Ou nosso cinema está caminhando em um patamar baixo de qualidade ou meus olhos estão ficando destreinados para apreciar bons filmes.

Veja o trailer de "Se Deus Vier que Venha Armado":

O que você achou deste post e do conteúdo do Blog Bonas Histórias? Não se esqueça de deixar seu comentário. Se você é fã de filmes novos ou antigos e deseja saber mais notícias da sétima arte, clique em Cinema. E aproveite também para curtir a página do Bonas Histórias no Facebook.

#LuísDantas

A Editora Pomelo é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Dança & Expressão é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Eduardo Villela é Eduardo Villela é book advisor e parceiro do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
BonaBelle Design & Organização é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Epifania Conteúdo Inteligente é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Keli Quitutes

Bonas Histórias

O Bonas Histórias é o blog de literatura, cultura e entretenimento desenvolvido por Ricardo Bonacorci desde 2014. Com um conteúdo multicultural (literatura, cinema, música, teatro, exposição e gastronomia), o Blog Bonas Histórias analisa as boas histórias contadas no Brasil e no mundo.

bonashistorias.com.br

Ricardo Bonacorci

Nascido na cidade de São Paulo, Ricardo Bonacorci tem 39 anos e trabalha como publicitário, produtor de conteúdo, crítico literário e cultural, editor, escritor e pesquisador acadêmico. Ricardo é especialista em Administração de Empresas, pós-graduado em Gestão da Inovação, bacharel em Comunicação Social, licenciando em Letras-Português e pós-graduando em Formação de Escritores.  

Bonas Histórias | blog de literatura, cultura e entretenimento | bonashistorias.com.br

Blog de literatura, cultura e entretenimento