• Ricardo Bonacorci

Celebrações: Por que não se deve comemorar o Dia Nacional do Surdo-Mudo?


O dia 23 de fevereiro foi instituído como sendo a data nacional da pessoa surda-muda no Brasil. Contudo, duvido que alguém tenha visto a menção a esta data no dia de ontem. A falta de celebração é, curiosamente, encabeçada pela própria comunidade surda do país. Ela não reconhece este dia como sendo uma homenagem aos seus integrantes. Prefere-se comemorá-lo no dia 26 de setembro, o Dia Nacional dos Surdos. A culpa é da utilização de um termo que se tornou politicamente incorreto. Não se deve falar "surdo-mudo" para designar as pessoas com deficiência auditiva. Para compreender o motivo disso, é necessário fazermos uma rápida recapitulação sobre este tema.

Surdez é um distúrbio físico caracterizado pela perda parcial ou total da capacidade auditiva. Há vários graus de surdez e há também várias causas possíveis para este problema. Segundo o censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) realizado em 2010, há no Brasil cerca de 9,7 milhões de pessoas com deficiência auditiva. Deste contingente, que representa mais de 5% da população, aproximadamente 2 milhões de pessoas possuem surdez severa ou profunda.

Assim, o termo correto para quem tem deficiência auditiva é surdo e não surdo-mudo. Antigamente, era comum o uso da expressão "surdo-mudo". Contudo, este termo caiu em desuso e tornou-se politicamente incorreto nos dias de hoje. Afinal, quem não ouve não é necessariamente mudo. A pessoa com deficiência auditiva simplesmente não fala porque não ouve. Ao não ouvir, ela nunca adquiriu a capacidade de se comunicar oralmente. Mesmo não falando, isso não quer dizer que ela seja muda. Mudo é quem tem incapacidade total ou parcial de produzir fala.

Para permitir que as pessoas surdas possam se comunicar, foi criado a Língua de Sinais (LS), um código linguístico no qual a comunicação é feita com gestos e não com palavras. Cada país possui o seu idioma próprio. Este tipo de comunicação remonta os primórdios da humanidade, sendo encontrada, por exemplo, na Grécia antiga e na Idade Média.

Libras (Língua Brasileira de Sinais) é uma das línguas oficiais do nosso país. Ela é usada pela comunidade surda brasileira. Libras é considera uma língua e não uma linguagem, pois possui regras e estruturas gramaticais próprias (a linguagem não tem esta propriedade). Conhecer e disseminar o uso da Língua Brasileira de Sinais é, portanto, uma forma de permitir a integração e a socialização de um contingente amplo da população de nosso país.

Ao abraçar a diversidade, cuidado para não cometer gafes. Não há nada de errado de chamar alguém que não ouve de surdo. Porém, não use o termo surdo-mudo. Além de demonstrar desconhecimento, você está sendo indelicado. É por isso que não faz muito sentido comemorar o Dia Nacional do Surdo-Mudo. 23 de fevereiro é uma data para ser esquecida.

Que tal este post e o conteúdo do Blog Bonas Histórias? Seja o(a) primeiro(a) a deixar um comentário aqui. Para acessar os demais posts desta coluna, clique em Premiações e Celebrações. E aproveite para curtir a página do blog no Facebook.

#celebração #DataEspecial

A Editora Pomelo é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Dança & Expressão é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Eduardo Villela é Eduardo Villela é book advisor e parceiro do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
BonaBelle Design & Organização é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Epifania Conteúdo Inteligente é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Keli Quitutes

Bonas Histórias

O Bonas Histórias é o blog de literatura, cultura e entretenimento desenvolvido por Ricardo Bonacorci desde 2014. Com um conteúdo multicultural (literatura, cinema, música, teatro, exposição e gastronomia), o Blog Bonas Histórias analisa as boas histórias contadas no Brasil e no mundo.

bonashistorias.com.br

Ricardo Bonacorci

Nascido na cidade de São Paulo, Ricardo Bonacorci tem 39 anos e trabalha como publicitário, produtor de conteúdo, crítico literário e cultural, editor, escritor e pesquisador acadêmico. Ricardo é especialista em Administração de Empresas, pós-graduado em Gestão da Inovação, bacharel em Comunicação Social, licenciando em Letras-Português e pós-graduando em Formação de Escritores.  

Bonas Histórias | blog de literatura, cultura e entretenimento | bonashistorias.com.br

Blog de literatura, cultura e entretenimento