• Ricardo Bonacorci

Músicas: Último Desejo - A obra-prima de Noel Rosa completa 80 anos


Noel Rosa

Noel Rosa foi um sambista, ao mesmo tempo, de muito talento e extremamente polêmico. Ele morreu precocemente aos 26 anos deixando uma infinidade de ótimas canções e algumas brigas e confusões pelo caminho. Sua música mais famosa é "Com que Roupa?", de 1930. A canção foi criada porque a mãe do compositor, cansada da vida boêmia do filho, havia escondido as roupas dele para que ele não saísse de casa em determinada noite. Após o lançamento, "Com que Roupa?" adquiriu um caráter de crítica social bem-humorada (o país vivia a Crise do Café). Esse foi o primeiro sucesso do Poeta da Vila, como o rapaz era chamado.

Depois desse vieram outros sucessos. "Feitio de Oração" (1933), "Feitiço da Vila" (1934) e "Pastorinhas" (1935), esta última feita em parceria com João de Barro, foram produções que se perpetuaram com vigor até os dias de hoje. Impossível apontar qual delas é a melhor. Contudo, os críticos musicais consideram outra música como sendo a melhor produção de Noel Rosa. Das 230 composições feitas pelo rapaz de queixo torto, "Último Desejo" seria sua obra-prima.

"Último Desejo" foi criado em dezembro de 1936, alguns meses antes da morte de Noel Rosa por tuberculose. A canção foi gravada em 1937, meses após o falecimento do compositor. A primeira e mais famosa intérprete da música foi Aracy de Almeida, mas Marília Batista também gravaria a canção depois, tendo grande êxito comercial.

Noel Rosa

A canção retrata o último pedido feito pelo sambista à Juraci Correia de Araújo, a Ceci, dançarina de cabaré que era a sua grande paixão. Noel se casou, em 1934, com Lindaura, porém nunca se esqueceu da dançarina que conhecera na boêmia Lapa carioca. Para desgosto do sambista, Ceci o trocou pelo compositor Mário Lago (da música "Ai que Saudades da Amélia"). "Último Desejo" conta um pouco do romance entre Noel e Ceci, sob o ponto de vista dele. Os primeiros versos da composição retratam o primeiro encontro, para depois contar a triste separação deles.

Veja a letra da canção:

"Último Desejo"(Noel Rosa - 1936):

Nosso amor que eu não esqueço

E que teve o seu começo

Numa festa de São João

Morre hoje sem foguete

Sem retrato e sem bilhete

Sem luar, sem violão

Perto de você me calo

Tudo penso e nada falo

Tenho medo de chorar

Nunca mais quero o seu beijo

Mas meu último desejo

Você não pode negar

Se alguma pessoa amiga

Pedir que você lhe diga

Se você me quer ou não

Diga que você me adora

Que você lamenta e chora

A nossa separação

Às pessoas que eu detesto

Diga sempre que eu não presto

Que meu lar é o botequim

Que eu arruinei sua vida

Que eu não mereço a comida

Que você pagou pra mim

"Último Desejo" é, como não poderia ser diferente de uma música composta para descrever o rompimento definitivo de um romance, muito triste. É possível notar que o sambista estava ciente da sua iminente morte. Na época desta composição, Noel Rosa já estava preso à cama, muito debilitado pela tuberculose.

Diz a história que Ceci foi a primeira pessoa a ver a letra da música. Noel pediu para seu amigo Vadico, que fez o arranjo de piano da canção, levar o poema para a dançarina ver. Vadico fez isso em uma noite antes da moça começar seu expediente no cabaré.

Ouça a música na interpretação original de Aracy de Almeida, de 1937. Esta incrível composição da música nacional está completando 80 anos agora em 2017. É a obra-prima de Noel Rosa, composta meses antes da sua morte e que retrata a despedida fúnebre do seu grande amor. Incrível!

Que tal este post e o conteúdo do Blog Bonas Histórias? Seja o(a) primeiro(a) a deixar um comentário aqui. Para acessar os demais posts sobre o universo musical, clique em Músicas. E aproveite para curtir a página do Bonas Histórias no Facebook.

#NoelRosa

A Editora Pomelo é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Dança & Expressão é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Eduardo Villela é Eduardo Villela é book advisor e parceiro do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento

Bonas Histórias

O Bonas Histórias é o blog de literatura, cultura e entretenimento desenvolvido por Ricardo Bonacorci desde 2014. Com um conteúdo multicultural (literatura, cinema, música, teatro, exposição e gastronomia), o Blog Bonas Histórias analisa as boas histórias contadas no Brasil e no mundo.

bonashistorias.com.br

Ricardo Bonacorci

Nascido na cidade de São Paulo, Ricardo Bonacorci tem 39 anos e trabalha como publicitário, produtor de conteúdo, crítico literário e cultural, editor, escritor e pesquisador acadêmico. Ricardo é especialista em Administração de Empresas, pós-graduado em Gestão da Inovação, bacharel em Comunicação Social, licenciando em Letras-Português e pós-graduando em Formação de Escritores.  

Mandarina é a livraria diferenciada que está localizada em Pinheiros, na cidade de São Paulo
BonaBelle Design & Organização é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Epifania Comunicação Integrada é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento