• Ricardo Bonacorci

Filmes: Monster Trucks - Despretensioso, mas divertido


Há dias em que a única coisa que quero é entrar na sala de cinema e assistir a um filme leve e divertido. A ideia é não pensar muito, apenas passar algumas horinhas conferindo um entretenimento bobo. Você já se sentiu assim? Vira e mexe, eu tenho esta necessidade. Nestes momentos, abro mão das produções mais elaboradas e inteligentes. Um longa-metragem simples e engraçadinho é tudo o que preciso.

Estou falando sobre isso agora porque estava me sentindo desta maneira na última sexta-feira. Depois de uma maratona que durou algumas semanas vendo os principais candidatos ao Oscar (afinal, precisava estar inteirado do que estava acontecendo em Hollywood), queria ver algo despretensioso. Por isso, abri um sorriso enorme quando me deparei com o pôster eletrônico de "Monster Trucks" (2017) no painel da bilheteria do Cinemark do Shopping Tietê Plaza. Aí, pensei: "É este! Enfim, vou assistir a um filme só pelo divertimento de vê-lo". Como é gostoso ir a um fast food depois de ter se alimentado de maneira saudável por dois meses seguidos! Como é prazeroso ver um filme de qualidade discutível depois de ter visto apenas produções gabaritadas por semanas!

"Monster Trucks" estreou há duas semanas no circuito comercial brasileiro sem muito alarde. Este é daquele tipo de longa-metragem que atrai principalmente famílias com crianças, adolescentes e expectadores menos exigentes. Se você quer agradar a namorada com pouco QI ou o namorado fútil, esta parece ser a opção certeira. Foi o que pensei ao entrar na sessão. Desculpem-me pelos meus preconceitos e pela minha visão pejorativa, mas foi exatamente este o meu pensamento ao adentrar o cinema.

A direção de "Monster Trucks" ficou a cargo de Chris Wedge, experiente ator que se especializou nos últimos anos em dirigir animações. É dele, por exemplo, a direção de "A Era do Gelo" (Ice Age: 2002), "Robôs" (Robots: 2005) e "Reino Escondido" (Epic: 2013). Esta é a primeira investida de Wedge como diretor de filmes convencionais. Os protagonistas deste longa-metragem são os jovens Lucas Till, do seriado "MacGyver" (2016), e Jane Levy, de "O Homem nas Trevas" (Don't Breathe: 2016) e "A Morte do Demônio" (Evil Dead: 2013).

O enredo deste filme é, aparentemente, esdrúxulo. Tripp (interpretado por Lucas Till) é um rapaz tímido e pobre que trabalha em um ferro velho. Seu sonho é conseguir comprar uma caminhonete possante para dar umas voltas pela sua cidade. Contudo, o que ele possui no momento é uma velha bicicleta, que o leva diariamente para a escola. Nas aulas, ele recebe a ajuda de uma colega, Meredith (Jane Levy), para ter suas notas melhoradas. A moça inteligente e rica esforça-se para ensinar algo ao amigo por quem é apaixonada.

A vida entediante de Tripp sofre uma reviravolta em uma noite. Após um acidente ocorrer no subsolo da cidade, provocado por uma empresa de prospecção de petróleo, monstros subterrâneos emergem para a superfície. Um deles acaba se instalando no ferro velho onde o protagonista trabalha. Ao invés de ser uma criatura cruel e sanguinolenta, o misterioso visitante mostra-se bonzinho e brincalhão. Rapidamente, o rapaz e o monstro se tornam amigos inseparáveis.

Para esconder a criatura recém-chegada dos funcionários da empresa de petróleo que passam a procurá-la, Tripp adapta a carcaça de uma velha caminhonete para ela servir de esconderijo ao amigo. Assim, ele coloca o monstrinho embaixo da carroceria. Surpreendentemente, o bicho acaba tomando conta das engrenagens do veículo e passa a movê-lo. De repente, o sonho do rapaz de ter um veículo possante se torna realidade.

Uma vez motorizado, Tripp se junta a Meredith. A dupla passa a fugir da polícia e dos profissionais da companhia petroleira. Todos querem se apossar da figura subterrânea. Aí começa a aventura. O grupo de jovens investiga o que precipitou o aparecimento da criatura, enquanto foge pelas ruas e pelas estradas daqueles que os perseguem.

Se o enredo parece um tanto esdrúxulo em um primeiro momento, esta sensação logo desaparece. O roteiro foi muito bem escrito. A história é bem amarrada e caminha muito bem até seu desfecho. Não faltam cenas de ação e de humor. Há também boas doses de emoção, romantismo e sentimentalismo. Em menos de meia hora de sessão, o expectador já está se divertindo, completamente absorvido pela peculiar trama.

"Monster Trucks" tem efeitos visuais razoáveis, porém a graça e o maior mérito do filme não estão neste elemento. O que torna esta produção cativante é o apelo da sua história. É impossível não se derreter pelos monstrinhos simpáticos que aparecem na tela e na relação de amizade entre eles e os jovens protagonistas.

De certa forma, este longa-metragem é uma mistura do filme "E.T. - O Extraterrestre" (E.T. The Extra-Terrestrial: 1982) com os brinquedos do Hot Wheels. Ou seria a combinação de "Se Meu Fusca Falasse" (The Love Bug: 1968) com "Alien, O Oitavo Passageiro" (Alien: 1979)? Curiosamente, muitos dos recursos cinematográficos usados em "Monster Trucks" lembram estes clássicos.

Sai da sala de cinema muito satisfeito. "Monster Trucks" consegue emocionar e divertir o público de maneira honesta. Como é bom ver de vez em quando um bom filme pueril! Dos longas-metragens bobos atualmente em cartaz, diria que este é o melhor a nossa disposição. Trata-se de uma ótima pedida para uma sessão no final de semana à tarde ou na noite de sexta-feira.

Veja o trailer:

O que você achou deste post e do conteúdo do Blog Bonas Histórias? Não se esqueça de deixar seu comentário. Se você é fã de filmes novos ou antigos e deseja saber mais notícias da sétima arte, clique em Cinema. E aproveite também para curtir a página do Bonas Histórias no Facebook.

#ChrisWedge

A Editora Pomelo é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Dança & Expressão é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Eduardo Villela é Eduardo Villela é book advisor e parceiro do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
BonaBelle Design & Organização é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Epifania Conteúdo Inteligente é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Keli Quitutes

Bonas Histórias

O Bonas Histórias é o blog de literatura, cultura e entretenimento desenvolvido por Ricardo Bonacorci desde 2014. Com um conteúdo multicultural (literatura, cinema, música, teatro, exposição e gastronomia), o Blog Bonas Histórias analisa as boas histórias contadas no Brasil e no mundo.

bonashistorias.com.br

Ricardo Bonacorci

Nascido na cidade de São Paulo, Ricardo Bonacorci tem 39 anos e trabalha como publicitário, produtor de conteúdo, crítico literário e cultural, editor, escritor e pesquisador acadêmico. Ricardo é especialista em Administração de Empresas, pós-graduado em Gestão da Inovação, bacharel em Comunicação Social, licenciando em Letras-Português e pós-graduando em Formação de Escritores.  

Bonas Histórias | blog de literatura, cultura e entretenimento | bonashistorias.com.br

Blog de literatura, cultura e entretenimento