• Ricardo Bonacorci

Livros: Várias Histórias - Os melhores contos de Machado


Vamos dar uma interrompida breve na leitura dos romances de Machado de Assis. A ideia agora é analisar uma obra de contos do escritor carioca. Desta maneira, o Desafio Literário ficará mais completo. "Várias Histórias" (Martin Claret) é a publicação mais famosa de Machado neste gênero literário. Lançado em 1896, o livro reúne pequenas histórias publicadas no jornal "Gazeta de Notícias", entre 1884 e 1891. Estão ali alguns dos principais contos da carreira de Machado de Assis.

Com pouco mais de 150 páginas, "Várias Histórias" possui 16 contos. São eles: "A Cartomante" (1884), "Entre Santos" (1886), "Uns Braços" (1885), "Um Homem Célebre" (1888), "A Desejada das Gentes" (1886), "A Causa Secreta" (1885), "Trio em Lá Menor" (1886), "Adão e Eva" (1885), "O Enfermeiro" (1884), "O Diplomático" (1884), "Mariana" (1891), "Um Apólogo" (1885), "D. Paula" (1884), "Viver" (1886) e "O Cônego ou Metafísica do Estilo" (1885).

Em "A Cartomante", o primeiro conto do livro, um triângulo amoroso é regido pelos conselhos de uma vidente. A mulher adúltera se consulta com uma cartomante para saber se o amante, o melhor amigo do seu marido, realmente a ama. "Entre Santos" é o conto em que um padre, certa noite, encontra alguns santos conversando em sua igreja. As estátuas do altar se materializaram e passaram a discutir casos dos fiéis daquela paróquia. O caso mais curioso é do homem avarento que pede pela cura da esposa, mas não consegue oferecer dinheiro em troca da salvação dela. A terceira história se chama "Uns Braços". Nela, um escravo de quinze anos se apaixona pela mulher do patrão. O que o garoto mais gosta na patroa é de seu par de braços. "Um Homem Célebre" narra o drama de um músico do final do século XIX que sonha em compor uma ópera clássica, porém só encontra sucesso nas polcas, gênero popular da época.

Em "A Desejada das Gentes", conhecemos a trajetória da moça mais bonita do Rio de Janeiro. Apesar de possuir vários pretendentes, ela teima em não se casar com ninguém. O sexto conto é "Causa Secreta". Nele, dois homens se tornam amigos. Enquanto um gosta de salvar a vida das pessoas, o outro parece obter prazer em provocar a dor em animais indefesos. Curiosamente, o primeiro acabará se apaixonando pela esposa do segundo. Em "Trio em Lá Menor", uma jovem séria e respeitada fica indecisa entre dois pretendentes a marido. Um é jovem, bondoso e entediante. O outro é mais velho, sagas e ligeiramente arrogante. Contudo, ela não consegue se decidir. Quando está com um, logo pensa no outro. E "Adão e Eva" é o conto em que, em um almoço entre amigos, um dos convidados se propõe a contar a verdadeira história da expulsão de Adão e Eva do Paraíso.

A segunda metade dos contos de "Várias Histórias" começa com "O Enfermeiro". Aqui, um rapaz passa a trabalhar como enfermeiro de um velho coronel. O patrão é sádico e mal-humorado, levando o jovem a reagir contra as maldades sofridas. Em "O Diplomático", um senhor solteiro sonha em se declarar para a filha de um amigo. Quando, enfim, escreve uma carta para a moça, é impedido pelo aparecimento de um rival. "Mariana" é a história de amor interrompida pela passagem dos anos e pela distância física dos apaixonados. "Conto de Escola" é bem atual. Um século antes da operação "Lava-Jato", o narrador, uma criança, aprende o sentido das palavras corrupção e delação.

Em "Um Apólogo", presenciamos o diálogo curioso entre uma agulha e um novelo de lã. Os dois debatem de quem é a principal autoria de uma costura feita na roupa de uma baronesa. "D. Paula" mostra o desafio de uma senhora em "salvar" o casamento de sua jovem sobrinha. A moça está apaixonada por um rapaz que acabou de chegar do exterior e está na iminência de praticar o adultério. Em "Viver", presenciamos os devaneios do último homem no planeta Terra. O idoso começa a conversar com Prometeu, um dos deuses gregos do Olimpo. E, por fim, temos o último conto, "O Cônego ou Metafísica do Estilo". Aqui, acompanhamos o processo criativo de construção de um sermão. O Cônego Matias é contratado para produzir um texto eclesiástico para uma data especial. Enquanto prepara o sermão, o narrador mergulha no subconsciente do religioso.

O que faz o livro "Várias Histórias" tão importante é que dele saíram alguns dos mais famosos contos de Machado de Assis. "A Cartomante", "A Causa Secreta", "Uns Abraços", "Um Apólogo", "D. Paula", "Trio em Lá Menor", "O Enfermeiro" e "Um Homem Célebre" são clássicos da literatura brasileira. Quem gosta de boas tramas, precisa conhecê-los.

Ao ler esta obra, verificamos que Machado de Assis não é apenas um excelente romancista, mas também um ótimo contista. Ele consegue hipnotizar o leitor em poucas palavras. Depois de algumas linhas lidas, já estamos envolvidos com as tramas narradas de uma maneira que não podemos mais largá-las. A maioria das histórias gira em torno do adultério feminino, um tema recorrente nas obras de Machado. Ele aborda os triângulos amorosos de todas as formas e perspectivas, conferindo desfechos variados e inusitados.

Em "Várias Histórias", é possível notar que Machado de Assis mantém-se fiel ao seu estilo literário mesmo quando escreve contos. Na narrativa destas histórias, o autor segue com a pegada pessimista, sua ironia velada, o diálogo aberto com o leitor, a crítica à sociedade burguesa e o descrédito em relação ao casamento. O niilismo e a polifonia também estão presentes na maioria dos contos. É Machado com a cara do melhor Machado de Assis. Ou seja, é impossível não reconhecer sua autoria nesta coleção de textos primorosos.

A impressão que tive ao terminar "Várias Histórias" é que muitas destas tramas poderiam ter sido transformadas em novelas ou romances. Afinal, elas possuem uma densidade dramática muito forte e personagens com elevado grau de complexidade e de contradições. D. Paula é um ótimo exemplo. Sua descrição e suas inquietações são dignas da construção de um romance próprio.

Além de "Várias Histórias", Machado de Assis publicou outros seis livros de contos: "Contos Fluminense" (1870), "Histórias de Meia-Noite" (1873), "Papéis Avulsos" (1882), "Historias Sem Data" (1884), "Páginas Recolhidas" (1899) e "Relíquias da Casa Velha" (1906). Depois de sua morte, as editoras passaram a publicar obras com a coletânea completa com estas histórias.

Se você não se convenceu da grandiosidade de Machado com as leituras de seus romances (algo que eu duvido), você precisa ver seus contos. "Várias Histórias" é uma ótima opção neste sentido. Afinal, ela reúne as melhores narrativas curtas de um dos melhores contistas de nossa história. Não é pouco coisa, né? Acredito que até mesmo quem não goste deste gênero literário, irá apreciar as histórias criadas por Machado. Mesmo correndo o risco de cair em um velho clichê, asseguro: estas são gigantescas pequenas histórias que todo mundo deveria conhecer.

Gostou da seleção de autores e de obras do Desafio Literário? Que tal o Blog Bonas Histórias? Seja o(a) primeiro(a) a deixar um comentário aqui. Para saber mais sobre as Análises Literárias do blog, clique em Desafio Literário. E não deixe de curtir a página do Bonas Histórias no Facebook.

#MachadodeAssis #ColetâneadeContos #LiteraturaBrasileira #LiteraturaClássica

A Editora Pomelo é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Dança & Expressão é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Eduardo Villela é Eduardo Villela é book advisor e parceiro do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
BonaBelle Design & Organização é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Epifania Conteúdo Inteligente é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Keli Quitutes

Bonas Histórias

O Bonas Histórias é o blog de literatura, cultura e entretenimento desenvolvido por Ricardo Bonacorci desde 2014. Com um conteúdo multicultural (literatura, cinema, música, teatro, exposição e gastronomia), o Blog Bonas Histórias analisa as boas histórias contadas no Brasil e no mundo.

bonashistorias.com.br

Ricardo Bonacorci

Nascido na cidade de São Paulo, Ricardo Bonacorci tem 39 anos e trabalha como publicitário, produtor de conteúdo, crítico literário e cultural, editor, escritor e pesquisador acadêmico. Ricardo é especialista em Administração de Empresas, pós-graduado em Gestão da Inovação, bacharel em Comunicação Social, licenciando em Letras-Português e pós-graduando em Formação de Escritores.  

Bonas Histórias | blog de literatura, cultura e entretenimento | bonashistorias.com.br

Blog de literatura, cultura e entretenimento