• Ricardo Bonacorci

Livros: A Metamorfose - A mais popular novela de Franz Kafka


Reli, neste comecinho de ano, o livro "Metamorfose" (Companhia das Letras). Esta é a mais famosa novela de Franz Kafka, um dos autores mais influentes do século XX. Escritor cultuado por gigantes como Jorge Luis Borges, Gabriel García Marquéz, Jean-Paul Sartre e José Saramago, Kafka conseguiu imprimir um estilo próprio à sua literatura. Suas obras são reconhecidas até hoje como uma das mais originais e marcantes da história ficcional. O sucesso de "Metamorfose", uma das poucas narrativas publicas pelo tcheco em vida, marcou o auge de sua carreira literária enquanto ele esteve vivo. A fama maior de Kafka viria após sua morte, quando algumas das suas principais obras foram publicadas na Europa e, depois, no mundo inteiro.

Franz Kafka escreveu "Metamorfose" em menos de um mês. Entre 17 de novembro e 7 de dezembro de 1912, o escritor, então com 29 anos de idade e trabalhando como advogado em uma companhia de seguros em Praga, produziu sua novela mais longa e célebre. Este livro é importante, pois consolidou o estilo literário do autor, iniciado com o conto "O Veredicto", escrito dois meses antes. Curiosamente, hoje em dia, muita gente pode não ter lido nada do escritor tcheco, mas conhece o termo kafkaniano referente às peculiaridades do seu texto. A escrita de Kafka é marcada pela apresentação de cenas banais do cotidiano de maneira surreal, por tramas com fortes elementos de alienação, pela brutalidade, pela tensão psicológica, por intrigas familiares, pelo misticismo e pela burocracia interminável dos órgãos públicos.

Produzido em 1912, "Metamorfose" demorou quase três anos para ser publicado. Apenas em 1915, a obra seria disponibilizada aos leitores. Noivo de Felice Bauer, uma jovem alemã que o escritor conheceu pouco antes iniciar a escrita desta novela, Franz Kafka queria se mudar para a Alemanha e trabalhar como jornalista. Seu objetivo era viver ao lado da amada. Por isso, esforçou-se para lançar esta obra no país natal da noiva. As dificuldades encontradas foram várias, principalmente por causa do tamanho da sua história (muito grande para uma revista literária inserir em suas páginas) e do conservadorismo da época (uma trama tão polêmica não entusiasmava os editores). Por isso, o grande período de espera.

Quem apostou na publicação de "Metamorfose" foi o escritor René Schickele, que comandava naquele momento a revista "Die Weissen Bläter". Assim, a novela de Kafka foi impressa na revista de Schickele em outubro de 1915. A recepção dos leitores alemães e a avaliação da crítica literária foram as melhores possíveis. A obra conquistou o Prêmio Fontane de Literatura, uma importante honraria da época, o que fez abrir as portas das editoras para o trabalho de Kafka. "Metamorfose" foi, então, publicada em livro e já em 1918 recebia a sua segunda edição, um feito notável para um escritor não tão famoso no cenário alemão.

Não é errado afirmar que o período logo após a publicação de "Metamorfose" foi o momento de maior sucesso da carreira literária de Kafka em vida. Falecido em 1924, Franz Kafka teve a maioria das suas obras publicadas postumamente. Apesar de o tcheco ter deixado claro para a família e para os amigos o desejo de ter todos os seus manuscritos destruídos quando morresse boa parte deles chegou intacto até nós (apesar de alguns estarem, infelizmente, inacabados). Nesta lista de sucessos póstumos que deveriam ter sido destruídos temos, por exemplo, os romances "O Processo" (Companhia das Letras) e "O Castelo" (Companhia das Letras). Essas duas publicações, que estão ao lado de "Metamorfose" como as principais obras de Kafka, foram lançadas em 1925 e 1926, respectivamente.

"Metamorfose" narra em terceira pessoa o drama de Gregor Samsa, um caixeiro viajante que acorda em certa manhã inexplicavelmente transformado em um inseto gigante e asqueroso. Apesar do autor não citar abertamente o nome do inseto, é inegável a referência à barata, um dos bichos considerados mais nojentos pela maioria das pessoas. O desespero do rapaz inicia-se com a dificuldade de sair da cama. Deitado com a barriga para cima em seu quarto, ele, agora com patas muito fininhas e com o casco duro, tem sérios problemas para se erguer. Depois de muito esforço, ele, enfim, consegue levantar-se da cama e ficar em pé no aposento.

Aí, começa o verdadeiro drama do protagonista. Atrasado para ir ao trabalho, Gregor deixa toda a família desesperada. Ele mora com os pais e uma irmã adolescente, chama Grete. Sendo a única fonte de renda da casa, Gregor precisa ir ao emprego de qualquer jeito, pois teme ser demitido. Se isso acontecer, a família que já vive próxima da pobreza poderá ficar diante de problemas financeiros mais graves. Por isso, todos se postam na porta do quarto do rapaz, que está trancada, e batem para ele sair.

Gregor é um trabalhador exemplar e nunca foi de se atrasar. Ao menos é o que sempre alegou. O que estaria acontecendo com ele? O pensamento dos familiares é que o rapaz talvez estivesse doente. Agora transformado em um inseto dentro do quarto, o caixeiro viajante não pode abrir a porta e explicar o que aconteceu naquela manhã. Ele também está assustado e não sabe explicar os motivos daquela tragédia. Não querendo aterrorizar os pais e a irmã, ele fica dentro do cômodo pensando no que fazer.

Em meio a esse angustiante despertar, os Samsa ouvem a campainha de sua casa tocar. É o gerente da companhia onde Gregor trabalha vindo saber os motivos do atraso do seu funcionário. Para o chefe, Gregor precisa aparecer independentemente da sua aparência física. Nesse instante, a barata gigante, usando a boca e toda a força do corpo, gira a chave da fechadura e abre a porta do quarto.

Quando veem o estado do protagonista, todos na casa se assustam. O gerente, o mais aterrorizado, foge correndo para rua sem dizer uma única palavra. A família entra em pânico. O que eles vão fazer com Gregor que se metamorfoseou em um inseto repulsivo?! Os pais não têm coragem sequer de encarar o filho monstruoso. Grete, a irmã, passa a visitar o quarto de Gregor para alimentá-lo com sobras de comida. Está criado o conflito surreal na residência dos Samsa. É ou não é uma história interessantíssima, hein?

"Metamorfose" é um livro curtinho. Ele tem pouco mais de 100 páginas. Apesar de ser uma novela maior do que Kafka estava habituado a produzir, ela ainda é pequena (as novelas são um gênero narrativo menor do que os romances). Assim, é possível ler essa obra de uma vez só. Foi o que eu fiz no último sábado à tarde. Em menos de duas horas já tinha concluído essa leitura. Além de ter uma linguagem simples e muito acessível, o suspense da trama prende o leitor nas páginas até o final. Quando você reparar, "Metamorfose" já terminou.

Com um enredo surreal, é inegável o bom humor do texto de Kafka. Em uma história com um apelo aparentemente esdrúxulo e com cenas bem engraçadas, o autor tcheco aborda de forma profunda os dramas familiares, as questões existencialistas e as inquietações de ordem econômica da sociedade moderna. E ele faz isso de maneira impactante e genial. A força desta narrativa está tanto em seu texto principal (o que efetivamente lemos) quanto em seu subtexto (aquilo que está oculto, em baixo da leitura aparente). Falar através de metáforas ou fábulas é uma das grandes virtudes da literatura de Franz Kafka.

"Metamorfose" é um excelente exemplar do realismo fantástico. Após um episódio bizarro, a transformação de um homem em barata, já no primeiro parágrafo do livro (elemento fantástico), a história segue realista até o final. A mistura do que é verossímil e inverossímil torna este drama ao mesmo tempo engraçado e trágico. O humor e o grotesco caminham lado a lado em um conflito que questiona vários aspectos das relações humanas.

Nesse sentido, é curioso notar que a maior aflição de Gregor Samsa quando se vê metamorfoseado em inseto é saber como fará para ir ao trabalho daquele jeito. Do ponto de vista do protagonista, a questão econômica parece sobrepor-se às demais. Já para a família, a maior preocupação é a aparência social. Os pais e a irmã pensam principalmente na imagem que vão passar para aqueles que estão a sua volta. Afinal, o que os conhecidos, os amigos, os vizinhos e os demais familiares vão pensar deles quando descobrirem a nova condição de Gregor? Esse é o grande temor da família Samsa, além de como obter uma nova fonte de renda agora que Gregor está improdutivo.

A grandeza de "Metamorfose" está justamente em tratar de forma indireta a aridez de conflitos humanos extremamente delicados. Com a leveza da combinação de humor e fantasia, Franz Kafka criou uma história inteligente e saborosa. Sem sombra de dúvida, esse é um clássico da nossa literatura que merece ser lido e discutido. Não havia melhor leitura para eu começar esse ano com o pé direito.

Gostou deste post e do conteúdo do Blog Bonas Histórias? Se você é fã de literatura, deixe seu comentário aqui. Para acessar as demais críticas, clique em Livros. E aproveite para curtir a página do Bonas Histórias no Facebook.

#FranzKafka #Novela #Drama #Existencialismo #LiteraturaTcheca

A Editora Pomelo é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Dança & Expressão é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Eduardo Villela é Eduardo Villela é book advisor e parceiro do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
BonaBelle Design & Organização é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Epifania Conteúdo Inteligente é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Keli Quitutes

Bonas Histórias

O Bonas Histórias é o blog de literatura, cultura e entretenimento desenvolvido por Ricardo Bonacorci desde 2014. Com um conteúdo multicultural (literatura, cinema, música, teatro, exposição e gastronomia), o Blog Bonas Histórias analisa as boas histórias contadas no Brasil e no mundo.

bonashistorias.com.br

Ricardo Bonacorci

Nascido na cidade de São Paulo, Ricardo Bonacorci tem 39 anos e trabalha como publicitário, produtor de conteúdo, crítico literário e cultural, editor, escritor e pesquisador acadêmico. Ricardo é especialista em Administração de Empresas, pós-graduado em Gestão da Inovação, bacharel em Comunicação Social, licenciando em Letras-Português e pós-graduando em Formação de Escritores.  

Bonas Histórias | blog de literatura, cultura e entretenimento | bonashistorias.com.br

Blog de literatura, cultura e entretenimento