• Ricardo Bonacorci

Músicas: Casa de Bamba - 50 anos do primeiro sucesso de Martinho da Vila


Em novembro de 1968, Martinho José Ferreira, então com trinta anos, era ainda um músico desconhecido do grande público. Carregando desde aquele momento o nome artístico de Martinho da Vila (Vila é uma referência à Escola de Samba de Vila Isabel, onde ele compunha sambas-enredos), o sambista fluminense havia estreado a pouco no cenário nacional. Em 1967, Martinho participou timidamente do III Festival de Música Popular Brasileira da TV Record. Sua composição "Menina Moça" não despertou muita atenção do público nem dos jurados. Porém, a sua segunda composição, inscrita no festival do ano seguinte, teve uma trajetória e uma receptividade totalmente distintas.


"Casa de Bamba" é um samba leve e animado, que retrata com saudosismo e certa beleza poética um ambiente familiar de origem humilde. As rimas simples, a repetição da estrutura textual, a interpolação de vozes e a melodia intuitiva deixam a canção gostosa de ser ouvida. Na primeira audição já é possível repeti-la sem grande complicação. Estão aí justamente os méritos de um compositor com uma pegada popular e ligado à essência do samba-canção.


No festival de 1968, Martinho da Vila foi acompanhado pelos Originais do Samba (Mais famosos do que o sambista de Vila Isabel naquele momento). A música participou da terceira eliminatória e foi desclassificada, não avançando às fases seguintes. Há quem questione até hoje a pouca sorte que "Casa de Bamba" teve na competição musical. Muita gente considera que ela merecia ao menos ter chegado à fase final.

Veja, abaixo, a letra desta canção:


"Casa de Bamba" (1968) – Martinho da Vila


Na minha casa

Todo mundo é bamba

Todo mundo bebe

Todo mundo samba...


Na minha casa

Não tem bola prá vizinha

Não se fala do alheio

Nem se liga prá candinha...


Na minha casa

Todo mundo é bamba

Todo mundo bebe

Todo mundo samba...


Na minha casa

Ninguém liga prá intriga

Todo mundo xinga

Todo mundo briga...


Macumba lá na minha casa

Tem galinha preta

Azeite de dendê

Mas ladainha lá na minha casa

Tem reza bonitinha

E canjiquinha prá comer


Se tem alguém aflito

Todo mundo chora

Todo mundo sofre

Mas logo se reza

Prá São Benedito

Prá Nossa Senhora

E prá Santo Onofre...


Mas se tem alguém cantando

Todo mundo canta

Todo mundo dança

Todo mundo samba

E ninguém se cansa

Pois minha casa

É casa de bamba

Pois minha casa

É casa de bamba...


Macumba lá na minha casa

Tem galinha preta

Azeite de dendê


Mas ladainha lá na minha casa

Tem reza bonitinha

E canjiquinha prá comer


Se tem alguém aflito

Todo mundo chora

Todo mundo sofre

Mas logo se reza

Prá São Benedito

Prá Nossa Senhora

E prá Santo Onofre...


Mas se tem alguém cantando

Todo mundo canta

Todo mundo dança

Todo mundo samba

E ninguém se cansa


Pois minha casa

É casa de bamba...


Confira, a seguir, a interpretação de Martinho da Vila. Ela é original de 1968, gravada durante a apresentação do sambista no Festival de Música Popular Brasileira daquele ano.

Se "Casa de Bamba" não venceu o IV Festival de Música da TV Record ao menos ela representou o primeiro grande sucesso de Martinho. A repercussão positiva da música perante o público possibilitou que o sambista assinasse seu primeiro contrato com uma gravadora, a RCA Victor. Em 1969, Martinho lançou seu primeiro álbum. Obviamente, a primeira faixa do LP de estreia era a inesquecível "Casa de Bamba". Nada mais justo.


Esse importante samba completa agora 50 anos. É legal conhecer sua história e a sua relevância para a carreira de um dos grandes sambistas da atualidade. Sou fã de Martinho da Vila (considero-o um dos maiores músicos de nosso país).


Que tal este post e o conteúdo do Blog Bonas Histórias? Seja o(a) primeiro(a) a deixar um comentário aqui. Para acessar os demais posts sobre o universo musical, clique em Músicas. E aproveite para curtir a página do Bonas Histórias no Facebook.

A Editora Pomelo é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Dança & Expressão é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Eduardo Villela é Eduardo Villela é book advisor e parceiro do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
BonaBelle Design & Organização é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Epifania Conteúdo Inteligente é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Keli Quitutes

Bonas Histórias

O Bonas Histórias é o blog de literatura, cultura e entretenimento desenvolvido por Ricardo Bonacorci desde 2014. Com um conteúdo multicultural (literatura, cinema, música, teatro, exposição e gastronomia), o Blog Bonas Histórias analisa as boas histórias contadas no Brasil e no mundo.

bonashistorias.com.br

Ricardo Bonacorci

Nascido na cidade de São Paulo, Ricardo Bonacorci tem 39 anos e trabalha como publicitário, produtor de conteúdo, crítico literário e cultural, editor, escritor e pesquisador acadêmico. Ricardo é especialista em Administração de Empresas, pós-graduado em Gestão da Inovação, bacharel em Comunicação Social, licenciando em Letras-Português e pós-graduando em Formação de Escritores.  

Bonas Histórias | blog de literatura, cultura e entretenimento | bonashistorias.com.br

Blog de literatura, cultura e entretenimento