• Ricardo Bonacorci

Livros: Como Melhorar Um Texto Literário – As dicas de Sabarich e Dintel aos jovens escritores


No ano passado, perambulando por uma livraria “Leitura” em Belo Horizonte, encontrei por acaso um exemplar do livro “Como Melhorar Um Texto Literário” (Gutenberg). A obra estava jogada em uma estante no fundo do estabelecimento e quase que não a vi. Como viajava a trabalho naquela ocasião e não tinha muita coisa para ler nos momentos de folga, resolvi comprar o livro para ver se era interessante. Admito agora que esta foi uma das melhores compras que fiz nos últimos meses.

Gostei tanto desta publicação que a utilizo, desde então, nos trabalhos de consultoria editorial que realizo com jovens escritores aqui em São Paulo. Os ensinamentos contidos nas páginas de “Como Melhorar Um Texto Literário” são didáticos e certeiros. Por isso, não podia iniciar as análises críticas dos livros do Blog Bonas Histórias deste mês com outra obra.

“Como Melhorar Um Texto Literário” tem como autores os espanhóis Lola Sabarich e Felipe Dintel. A dupla trabalha ministrando aulas em cursos de formação de escritores em Barcelona. Lola Sabarich é o pseudônimo de Maria Dolors Millat Llusà, ficcionista, poeta e fundadora da Escola de Escrita do Ateneu Barcelonês, o primeiro curso voltada para a capacitação de escritores da Catalunha. Já Felipe Dintel é tradutor, editor, escritor e pesquisador acadêmico, além de professor de oficinas de escrita criativa.

“Como Melhorar Um Texto Literário” faz parte da “Série Guias do Escritor” lançada no Brasil pela editora Gutenberg. Ao todo a coletânea reúne sete livros de autores espanhóis. O objetivo da série é oferece manuais práticos sobre diferentes aspectos da arte da escrita. Além deste livro que estamos tratando no post de hoje, a coleção apresenta “Como Encontrar Seu Estilo de Escrever”, de Francisco de Castro, “Como Escrever Textos Técnicos e Profissionais”, de Felipe Dintel, “Como Escrever Diálogos”, “Como Narrar Uma História”, “Escrever para Crianças” e “Os Segredos da Criatividade”, os quatro últimos de Silvia Adela Kohan.

Se você é escritor ou deseja seguir nessa profissão, minha sugestão não é apenas ler “Como Melhorar Um Texto Literário”, mas sim devorar a “Série Guias do Escritor” inteirinha. Uma obra é melhor do que a outra!

Neste livro de Lola Sabarich e Felipe Dintel, publicado em 2001 na Espanha e em 2014 por aqui, temos cinco capítulos: “Dizer e Mostrar”, “Resumo e Encenação”, “Informação no Relato”, “Tempo Narrativo” e “A Caracterização dos Personagens”. Na introdução, os autores explicam: “Ninguém pode dar talento a ninguém, mas é possível explicar as técnicas, decifrar os segredos ou – no melhor sentido da palavra – os truques que os escritores usam quando precisam elaborar um texto literário”. Impossível não concordar com os professores catalães.

No primeiro capítulo, Sabarich e Dintel abordam as diferenças de um texto que diz e outro que mostra. “Quando um escritor diz, a ideia que quer transmitir aparece no texto de modo direto. Quando um escritor mostra, a ideia que quer transmitir é sugerida por ele no texto (...). Os textos literários em que prevalece a estratégia de mostrar obtêm resultados mais estimulantes para o leitor, que terá de exercitar a imaginação e sua capacidade dedutiva, à medida que vai reconstruindo o mundo que o autor lhe apresenta”. Para esse efeito ganhar ainda mais força é importante evitar a redundância (dizer e mostrar ao mesmo tempo – um erro comum), não omitir informações relevantes, evitar as divagações dos narradores e mostrar sentimentos.

“Resumo e Encenação”, o segundo capítulo, trabalha com o desafio do autor de passar por cima de uma série de fatos de menor relevância e de detalhar alguns momentos importantes em sua narrativa. Afinal de contas, quando devemos resumir algo e quando devemos construir cenas? Essa é uma pergunta que muitos escritores se fazem o tempo inteiro. “Alternando resumos e encenações, evitamos que um relato se torno monótono”, dizem os autores de “Como Melhorar Um Texto Literário”. Para eles, a boa construção de uma cena passa obrigatoriamente por três passos: Escolha correta entre resumir e encenar; Construir cenas completas (com moldura, atmosfera e ação); e Combinar adequadamente os três elementos da cena (moldura, atmosfera e ação) para cada situação da trama.

Em “A Informação no Relato” refere-se a como as informações devem ser passadas pelo narrador aos leitores durante a história a fim de criar e, principalmente, atender as expectativas. Devem-se evitar as informações redundantes e as irrelevantes. Também devem-se evitar informações inverossímeis dos narradores e a naturalidade do monólogo interior. Para finalizar o capítulo, Lola Sabarich e Felipe Dintel explicam como estimular a criatividade do leitor (criação de expectativas) e como responder às perguntas levantadas (atendimento das expectativas). O segredo está na construção dos nós ocultos e no encadeamento das ideias. “Utilizando o recurso dos nós ocultos, o escritor pode encadear cenas e rever tramas e subtramas”, dizem os autores desta obra. O encadeamento de ideias se faz com o apoio em objetos, nos saltos temporais e na naturalidade da sequência de assuntos expostos.

O quarto capítulo é dedicado ao tempo narrativo. Nessa seção, temos a classificação do tempo na ficção (real e psicológico) e as possibilidades dos seus usos. Também há a explicação do que é ritmo narrativo e de como utilizá-lo adequadamente.

“A Caracterização dos Personagens” é o capítulo final de “Como Melhorar Um Texto Literário”. Nele, os autores falam: “Uma das tarefas mais complexas e ao mesmo tempo uma das mais apaixonantes para o escritor é dar vida a seus personagens. Que eles não pareçam seres artificiais mas sejam verossímeis requer, em primeiro lugar, atribuir-lhes características humanas – maneira de ser, temperamento, valores, emoções, paixões. (...) É necessário também que o autor os conheça a fundo, para além do que deles nos conte em seu relato. Deve conhecer sua biografia completa e todas as suas intimidades, inclusive aquelas de que os próprios personagens não têm consciência. Somente assim, conhecendo profundamente seus personagens, conseguirá o autor fazer com que atuem com naturalidade e coerência”.

Na conclusão temos: “A elaboração de um relato requer o conhecimento e a prática de certos recursos técnicos que permitam traduzir a história que um autor tem em mente num texto literário consistente e de qualidade. (...) É necessário que o escritor tenha consciência da diferença entre falar de um mundo e mostrar um mundo, que saiba em que momentos deve resumir ou criar cenas, que conheça a maneira correta de introduzir a informação com naturalidade ou de criar expectativas, que defina a melhor ordem temporal para a história que deseja contar, que saiba adequar o ritmo do texto ao seu conteúdo, que disponha de métodos para caracterizar seus personagens, etc.”

"Como Melhorar Um Texto Literário” é um livro curto. Ele tem menos de 100 páginas. O mais interessante é que ele é muito didático. Os autores apresentam vários exemplos práticos e reais para mostrar o que estão dizendo. Impossível não gostar do jeito direto e simples de suas abordagens.

A obra de Lola Sabarich e Felipe Dintel é útil para escritores em todas as fases da carreira, mas é inegável que ela seja mais reveladora para aqueles que estejam na fase inicial de sua jornada profissional. Se esse é o seu caso, recomendo esta leitura. Trata-se de um livro incrível, pois consegue sintetizar os elementos básicos de como produzir textos literários de alta qualidade.

Gostou deste post e do conteúdo do Blog Bonas Histórias? Se você é fã de literatura, deixe seu comentário aqui. Para acessar as demais críticas, clique em Livros. E aproveite para curtir a página do Bonas Histórias no Facebook.

#ProduçãoLiterária #LolaSabarich #FelipeDintel #LiteraturaEspanhola #FazerLiterário #EscritaCriativa

A Editora Pomelo é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Dança & Expressão é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Eduardo Villela é Eduardo Villela é book advisor e parceiro do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
BonaBelle Design & Organização é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Epifania Conteúdo Inteligente é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Keli Quitutes

Bonas Histórias

O Bonas Histórias é o blog de literatura, cultura e entretenimento desenvolvido por Ricardo Bonacorci desde 2014. Com um conteúdo multicultural (literatura, cinema, música, teatro, exposição e gastronomia), o Blog Bonas Histórias analisa as boas histórias contadas no Brasil e no mundo.

bonashistorias.com.br

Ricardo Bonacorci

Nascido na cidade de São Paulo, Ricardo Bonacorci tem 39 anos e trabalha como publicitário, produtor de conteúdo, crítico literário e cultural, editor, escritor e pesquisador acadêmico. Ricardo é especialista em Administração de Empresas, pós-graduado em Gestão da Inovação, bacharel em Comunicação Social, licenciando em Letras-Português e pós-graduando em Formação de Escritores.  

Bonas Histórias | blog de literatura, cultura e entretenimento | bonashistorias.com.br

Blog de literatura, cultura e entretenimento