• Ricardo Bonacorci

Gastronomia: Coxinharia Prime Taste – Delícias no Paraíso


É indiscutível que a gastronomia de São Paulo é bem variada. É até difícil dizer qual é o prato típico da cidade. Seria o pastel? O pão na chapa? A pizza? A coxinha? O sanduíche de pernil? O sanduíche de mortadela? Ou o onipresente Bauru? Há quem aponte o tradicional Virado à Paulista como a receita típica da capital bandeirante. Independentemente da escolha, uma coisa é certa: sempre há um lugar determinado para provar esses quitutes.


Por exemplo, pastel tem que ser o da feira livre (o da Praça Charles Miller é espetacular). Pão na chapa tem que ser na padoca. Pizza, obviamente, é na pizzaria. Os melhores sanduíches de pernil e de mortadela são encontrados, respectivamente, no Bar do Estadão e no Mercadão Municipal, ambos no Centro. Já o Bauru mais famoso da cidade é o do Ponto Chic, enquanto o Virado à Paulista tem que ser o do Sujinho. Não há polêmica até aqui.


O problema surge quando falamos das coxinhas. Afinal, onde podemos comer uma coxinha gostosa? Alguém aí pode se lembrar do Bar do Veloso, na Vila Mariana, ou do Frangó, na Freguesia do Ó. Contudo, esses estabelecimentos são bares. O lugar da coxinha é no bar, então?! Muita gente poderá discordar. Não, dirão exaltados, coxinha boa é a da padaria. Será?!


Para encerrar de uma vez por todas com essa polêmica paulistana, surgiu há dois anos um estabelecimento único no bairro do Paraíso. Trata-se da coxinharia. Sim, um local onde se vende apenas coxinha. Incrível, né? Como ninguém teve uma ideia assim antes? A Coxinharia Prime Taste foi inaugurada em 2017 com uma proposta extremamente inovadora – oferecer coxinhas gourmets de todos os tipos e sabores. Conheci esse lugar incrível nesta semana, no intervalo de um evento em que participei no Google Campus (que fica ali do lado). E achei fantástica a oportunidade de visitar uma coxinharia!

Localizada em um sobrado simpático quase que na esquina da Rua Dr. Rafael de Barros com a Rua Coronel Oscar Porto, a Coxinharia Prime Taste é uma agradável experiência sinestésica. O primeiro sentido que o cliente tem aflorado é o visual. Com uma decoração interna impecável, aliando um estilo rústico a um ambiente elegante e colorido, somos acolhidos pela ambientação bem agradável. Na sequência, é a nossa audição que é aguçada. Repare no ótimo som ambiente do estabelecimento, com uma trilha sonora moderna e de gosto refinado.


As surpresas não param por aí. Com um atendimento cortês e jovial, nos sentimos à vontade na casa. Todos os atendentes são simpáticos, bonitos e comunicativos. É difícil dizer qual é a melhor parte da coxinharia: o piso superior ou o piso térreo. Tive a impressão que o primeiro andar é mais calmo, ideal para quem quer aproveitar sua refeição de forma introspectiva. Já o andar de cima é para quem deseja conversar animadamente.


Aberto do meio-dia às 21h30 durante a semana e das 13h às 22h aos sábados (no domingo a casa fica fechada), a Coxinharia Prime Taste tem um movimento mais forte no final da tarde e no começo da noite. Tive a impressão que pouca gente opta por almoçar por lá (algo que fiz e que não me arrependi). A boa carta de bebidas alcoólicas (principalmente cervejas artesanais e drinks) e de bebidas quentes (café premium, cappucino, chá, chocolate quente...) transformam o estabelecimento em uma ótima opção para quem deseja uma parada diferente no meio do dia ou para quem procura um point descolado para um happy hour.


Se você já gostou da Coxinharia Prime Taste só pelas descrições iniciais, espere até provar seus pratos principais. As coxinhas de lá são realmente deliciosas. Com uma massa fininha e crocante e com muito recheio, elas desmancham na boca. Se você reclama da gordura de algumas coxinhas de padaria por aí, saiba que na coxinharia esse problema não acontece. Os quitutes são sequinhos, sem que isso prejudique seu sabor. Na minha visita dessa semana, fui literalmente no tradicional: a Clássica (coxinha com Catupiry). Uma delícia! O tamanho dela é igual ao que encontramos normalmente nas padocas. Se o tamanho é igual, o sabor é totalmente diferente (muito mais gostosa).

O cardápio da Prime Taste é bem variado. Você encontra coxinha de todo tipo. Além da Clássica, há a Callabrês (calabresa, queijo gouda e Catupiry), Shimeji (Shimeji, molho Shoyo e cebolinha), Mineirinha (costela bovina, barbacue e provolone), Maiale (frango, bacon, cheddar, empanada no queijo parmesão), Paulistana (pernil, pimentões, azeitonas, cebola e torresmo), Mexicana (carne desfiada, pimenta, pimentões e coentro), Gormignon (filet mignon ao creme de gorgonzola), Serenada (carne seca e Catupiry) e Camuça (carne moída, muçarela, ovo cozido ralado e azeitona). Os preços variam de R$ 7 a R$ 9 a unidade. Todo dia uma coxinha é escolhida para a promoção (R$ 5,50).


Quem gosta de coxinhas menores, tipo aperitivo, saiba que há opções de mini coxinhas: Clássica (coxinha tradicional), Party Taste (combinação de pepperonis, serenadas, gaúchas e caipiras) e CoxiCroc (frango e provolone empanado no macarrão cabelo de anjo temperado). Elas vêm, respectivamente, com 12, 16 e 6 unidades. Molhos acompanham todos os pedidos. Para quem sentir falta de uma batatinha frita como acompanhamento, há também esse item no cardápio.


O inusitado é a variedade de coxinhas doces. Coxinhas doces?! Se essa foi sua surpresa, saiba que também tive essa reação de pânico ao analisar o cardápio do Prime Taste. As opções doces são: Sensação (chocolate e morango), Ovomaltine (brigadeiro Ovomaltine com recheio de Ovomaltine cremoso), Ninho Nut (brigadeiro de leite ninho com recheio de Nutella) e Dois Amores (chocolate meio amargo e beijinho de coco). Todos esses vêm no tamanho grande. Se você preferir, há também mini coxinhas doces. Aí as opções são: Coxurros (coxinhas de churros com recheio de doce de leite), Tropical (banana com recheio de mel), Coxilove (goiabada com queijo), Coxicafé (coxinha de café com recheio de doce de leite), Chocoxinha (chocolate com recheio de chocolate cremoso e uma bola de sorvete de creme). Confesso que não provei nenhuma coxinha doce. É muita modernidade para o meu paladar tão tradicional – ou careta, se você preferir.

Admito que gostei muito desse estabelecimento (sugestão do Marcos, meu amigo de longa data que está em uma empreitada por terras italianas com sua esposa – abraço, Marquito!). Nota-se o cuidado com cada item do cardápio e, principalmente, com a produção das coxinhas. Elas são feitas na hora e fritas para irem diretamente à mesa (esqueça as massas congeladas ou os produtos guardados nas estufas). Por isso, não espere a rapidez das padarias (que tiram o produto da estufa e colocam em um pratinho para você comer). Em um dia bem calmo na Coxinharia Prime Taste, seu pedido não chega à mesa em menos de quinze minutos.


Fiquei com vontade de voltar lá para provar os outros itens (salgados) do cardápio. Próximo da Avenida Paulista, não há desculpa para não dar uma passadinha na Coxinharia Prime Taste. Quem sabe daqui há alguns anos, esse tipo de casa não seja tão comum quanto as pizzarias, as pastelarias e os bares, hein? Tomara. Como fã de coxinhas, estou torcendo por isso. Agora, dizer que a coxinha da Coxinharia Prime Taste é melhor do que a do Veloso e do Frangó me parece uma avaliação um tanto exagerada. Vamos com calma, por favor.


Que tal este post e o conteúdo do Bonas Histórias? Compartilhe sua opinião conosco. Para conhecer as demais críticas gastronômicas do blog, clique na coluna Gastronomia. E não se esqueça de curtir a página do blog no Facebook.

A Editora Pomelo é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Dança & Expressão é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Eduardo Villela é Eduardo Villela é book advisor e parceiro do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
BonaBelle Design & Organização é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Epifania Conteúdo Inteligente é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Keli Quitutes

Bonas Histórias

O Bonas Histórias é o blog de literatura, cultura e entretenimento desenvolvido por Ricardo Bonacorci desde 2014. Com um conteúdo multicultural (literatura, cinema, música, teatro, exposição e gastronomia), o Blog Bonas Histórias analisa as boas histórias contadas no Brasil e no mundo.

bonashistorias.com.br

Ricardo Bonacorci

Nascido na cidade de São Paulo, Ricardo Bonacorci tem 39 anos e trabalha como publicitário, produtor de conteúdo, crítico literário e cultural, editor, escritor e pesquisador acadêmico. Ricardo é especialista em Administração de Empresas, pós-graduado em Gestão da Inovação, bacharel em Comunicação Social, licenciando em Letras-Português e pós-graduando em Formação de Escritores.  

Bonas Histórias | blog de literatura, cultura e entretenimento | bonashistorias.com.br

Blog de literatura, cultura e entretenimento