• Ricardo Bonacorci

Melhores Músicas Ruins: Premiação de 2019


É inegável que 2019 foi um período farto de músicas ruins em nosso país. Não é preciso ser um ouvinte muito exigente para reconhecer esse fato. Porém, ao invés de reclamar, vamos celebrar a abundância. Pela perspectiva das Melhores Músicas Ruins, premiação anual do Bonas Histórias que chega agora à sua quinta edição, essa é uma excelente notícia. Foram tantas as opções de canções que pela primeira vez na história do prêmio selecionamos 20 faixas para entrar no ranking das melhores do ano (até então a tradição mandava escolhermos apenas 10).


A grande vencedora de 2019 foi Marília Mendonça. A cantora goiana não apenas emplacou a melhor música do ano passado, o incrível “Todo Mundo Vai Sofrer”, como colocou outros dois hits na lista: “Supera”, 6ª posição, e “Some que Ele Vem Atrás”, 9ª colocação. O sucesso é merecido. Marília Mendonça sempre foi figurinha carimbada no Melhores Músicas Ruins. Nas últimas edições, ela sempre esteve entre as indicadas. “Meu Cupido é Gari” foi além e ficou no Top 5 de 2016. Portanto, não é nenhuma surpresa o desabrochar dela.


Também foram destaques da última temporada musical os jovens Vitor Kley (revelação do ano), com o pop de “O Sol”, 2ª posição, e Gustavo Mioto, com o sertanejo “Solteiro Não Trai”, 4ª posição. Entre os experientes, 2019 foi das duplas Paula Fernandes e Luan Santana, do impagável “Juntos”, 3ª colocação, e Anitta e Kevinho, do estrondoso “Terremoto”, 5º lugar. Afinal, música boa precisa ser compartilhada por um bom parceiro, não é?


Das 20 músicas da edição de 2019 do Prêmio Melhores Músicas Ruins, 13 são canções sertanejas. Realmente este é o gênero mais popular no Brasil nos últimos anos e que fornece os maiores sucessos nacionais. Porém, uma olhada atenta ao ranking dos melhores do ano passado, mostrará que não é só de Sertanejo que vive nosso país. Entre os melhores há um pouco de tudo: Pop Romântico, Funk, Gospel, MPB, R&B Contemporâneo e Rap. Só senti falta do Pagode na lista, um dos meus gêneros musicais favoritos (reconheço que 2019 não foi positivo para os grupos de Pagode).

O campeão da última edição das Melhores Músicas Ruins, Tiago Brava, até tentou, mas não conseguiu repetir o êxito de “Dona Maria”. Seu novo hit “Dá Preferência Pra Mim”, parceria com Gusttavo Lima, até apareceu entre as finalistas. Porém, não chegou entre os 20 primeiros colocados. Uma pena! 2019 parece ter sido mesmo um período complicado para nossos antigos campeões. MC Livinho, vencedor da edição de 2017 do prêmio com “Fazer Falta”, e Edson & Hudson, campeões da edição de 2015 das Melhores Músicas Ruins com “Meu Amor é Dez”, nem foram indicados desta vez. A exceção foi a onipresente Anitta, vencedora do Prêmio de 2016 com “Essa Mina é Louca”. Depois disso, a carioca sempre esteve no nosso Top 5. Em 2017, ela emplacou “Você Partiu Meu Coração”, parceria com Nego do Borel, e “Vai Malandra”. No ano retrasado, foi a vez de “Romance com Safadeza”, sucesso com Wesley Safadão. Em 2019, o que pegou no repertório de Anitta foi “Terremoto”, parceria com Kevinho.


Chega, então, de papo furado. Vamos logo à revelação de todos os vencedores. A seguir, vai o ranking das 20 Melhores Músicas Ruins de 2019 em ordem decrescente. O Bonas Histórias agradece a contribuição de quem enviou, ao longo dos últimos doze meses, sugestões de canções que poderiam figurar na lista. Saibam que muitas delas estão agora entre as campeãs. Também precisamos reconhecer o trabalho da comissão julgadora do prêmio, que precisou perder um percentual da sanidade mental e dos tímpanos para chegar ao seleto grupo das melhores. Obrigado a todos vocês.


Pronto: aí vão as músicas que botaram para quebrar no ano passado.


20a posição: “Casal Raiz” - Xand Avião (Sertanejo)


19a posição: “Tijolão” - Jorge & Matheus (Sertanejo)


18a posição: “Aham” - Lucas Lucco (Sertanejo)


17a posição: “Nem Tchum” - Maiara & Maraisa (Sertanejo)


16a posição: “Surto de Amor” - Bruno & Marrone (Sertanejo)


15a posição: “Não Pare” - Midiam Lima (Gospel)


14a posição: “Quando a Bad Bater” - Luan Santana (Pop Romântico)


13a posição: “Largado às Traças” - Zé Neto & Cristiano (Sertanejo)


12a posição: “Brisa” - Iza (R&B Contemporâneo)


11a posição: “Espaçosa Demais” - Felipe Araújo (Sertanejo)


10a posição: “Gelo” - Melim (Pop/MPB)


9a posição: “Some que Ele Vem Atrás” - Marília Mendonça e Anitta (Sertanejo)


8a posição: “Café” - Vitão (Funk/Rap)


7a posição: “Você Humilha” - Lauana Prado (Sertanejo)


6a posição: “Supera” - Marília Mendonça (Sertanejo)


5a posição: “Terremoto” - Anitta e Kevinho (Funk)


4a posição: “Solteiro Não Trai” - Gustavo Mioto (Sertanejo)


3a posição: “Juntos” - Paula Fernandes e Luan Santana (Sertanejo)


2a posição: “O Sol” - Vitor Kley (Pop)


1a posição: “Todo Mundo Vai Sofrer” - Marília Mendonça (Sertanejo)


Parabéns aos vencedores! Esperamos ver todos vocês novamente na premiação de 2020. Que o próximo ano seja um período de fartura e excelência musical. Até lá!


Gostou deste post e do conteúdo do Blog Bonas Histórias? Se você é fã de canções boas de verdade, acesse a coluna Músicas. Para ver as demais edições deste prêmio, clique em Melhores Músicas Ruins. E não se esqueça de curtir a página do Bonas Histórias no Facebook.

A Editora Pomelo é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Dança & Expressão é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Eduardo Villela é Eduardo Villela é book advisor e parceiro do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
BonaBelle Design & Organização é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Epifania Conteúdo Inteligente é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Keli Quitutes

Bonas Histórias

O Bonas Histórias é o blog de literatura, cultura e entretenimento desenvolvido por Ricardo Bonacorci desde 2014. Com um conteúdo multicultural (literatura, cinema, música, teatro, exposição e gastronomia), o Blog Bonas Histórias analisa as boas histórias contadas no Brasil e no mundo.

bonashistorias.com.br

Ricardo Bonacorci

Nascido na cidade de São Paulo, Ricardo Bonacorci tem 39 anos e trabalha como publicitário, produtor de conteúdo, crítico literário e cultural, editor, escritor e pesquisador acadêmico. Ricardo é especialista em Administração de Empresas, pós-graduado em Gestão da Inovação, bacharel em Comunicação Social, licenciando em Letras-Português e pós-graduando em Formação de Escritores.  

Bonas Histórias | blog de literatura, cultura e entretenimento | bonashistorias.com.br

Blog de literatura, cultura e entretenimento