Bonas Histórias

O Bonas Histórias é o blog de literatura, cultura e entretenimento desenvolvido por Ricardo Bonacorci desde 2014. Com um conteúdo multicultural (literatura, cinema, música, teatro, exposição e gastronomia), o Blog Bonas Histórias analisa as boas histórias contadas no Brasil e no mundo.

bonashistorias.com.br

Ricardo Bonacorci

Nascido na cidade de São Paulo, Ricardo Bonacorci tem 40 anos e trabalha como publicitário, produtor de conteúdo, crítico literário e cultural, editor, escritor e pesquisador acadêmico. Ricardo é especialista em Administração de Empresas, pós-graduado em Gestão da Inovação, bacharel em Comunicação Social, licenciando em Letras-Português e pós-graduando em Formação de Escritores.  

  • Ricardo Bonacorci

Crônicas: O Ano que Esperávamos Há Anos - Janeiro de 2012

O primeiro mês do ano é marcado pela retomada do futebol no Brasil. E é também o início do relato do torcedor corintiano que sonha com a conquista da Copa Libertadores pela primeira vez.

O Ano que Esperávamos Há Anos - Contos & Crônicas - Bonas Histórias - Ricardo Bonacorci - Janeiro de 2012

1° de janeiro de 2012 – domingo


Estamos no primeiro dia de um novo ano. Esse período do calendário é marcado por festas, simpatias e planos para os próximos 366 dias (é ano bissexto!). Comigo não é diferente. Planejei basicamente três coisas para 2012: (1) ver o Sport Club Corinthians Paulista conquistar a Copa Libertadores pela primeira vez; (2) me tornar escritor; e (3) emagrecer 12 quilos. Pensando bem, são metas perfeitamente realizáveis, apesar de cada uma exigir certos sacrifícios. Estou disposto a realizá-las e vou me empenhar ao máximo para no próximo 31 de dezembro olhar para trás e falar: "Consegui! Viram como valeu a pena tanto empenho!".


Aí alguém pode me questionar: "Ver o seu time campeão não depende de você, um simples torcedor. Depende dos jogadores, do treinador, da comissão técnica e dos dirigentes do clube". Quem faz tal observação está, à princípio, correto na análise. Porém, essa pessoa não está considerando algo fundamental: minha situação econômica. Sou um milionário em potencial. E estou disposto a investir parte da minha fortuna no Coringão, assim como os mafiosos russos fazem com os times ingleses.


Deixe-me explicar o termo “milionário em potencial”. Há dez dias, fiz um jogo na Mega Sena da Virada. Um só porque não estava com o bolso cheio. E essa aposta foi feita em conjunto (ou seria sociedade?!) com Angela, minha amiga da adolescência. Sabe como é: estava sem grana para fazer um jogo inteiro e ela aceitou contribuir com a metade do valor que faltava. O importante é dizer que o prêmio total da loteria gira em torno de R$ 180 milhões. Nada mal, hein?


Sabendo da necessidade do Timão em fazer contratações, passei o Natal esclarecendo para a minha família o destino que irei dar ao dinheiro depois de acertar os números do sorteio. Vou usar o prêmio para comprar o passe do Montillo, jogador argentino do Cruzeiro. E o cederei gratuitamente ao Corinthians. Como a equipe mineira está pedindo R$ 20 milhões pelo meio-campista, a minha parte na bolada será suficiente. Afinal, a Angela é são-paulina e anticorintiana, não sendo possível contar com sua boa vontade nessa empreitada. Meus parentes não acreditaram em como vou usar a fortuna que ganharei. Contudo, falei a verdade. Eles não têm ideia do que um corintiano fanático é capaz de fazer para ver seu time conquistar a América!


Dessa maneira, minha maior preocupação no primeiro dia do ano foi conferir o resultado da Mega Sena. Às cinco horas da manhã, pulei da cama e corri para o computador. E as manchetes dos portais de notícias eram exatamente sobre o sorteio da noite anterior. Cinco apostadores acertaram os seis números e embolsaram, cada um, R$ 35.523.497,52. Infelizmente, eu não estava nesse grupinho.


Liguei imediatamente para a Angela para avisar sobre nossa falta de sorte. Não sei se ela ficou brava por eu tê-la acordado tão cedo no domingo ou se ficou realmente frustrada com a perda do prêmio. O que sei é que ela me atendeu muito mal-humorada. Paciência! Sem minha fortuna, não poderei mais ajudar meu time como gostaria. O Timão terá que arranjar outra maneira para contratar o craque argentino.


2 de janeiro de 2012 - segunda-feira


As férias de Verão dos jogadores de futebol estão terminando no Brasil. Alguns clubes já começam a receber seus atletas para o período de pré-temporada e outros estão próximos de retomar os trabalhos. No Corinthians, a apresentação do elenco para os treinamentos será nessa quarta-feira. O Campeonato Paulista irá começar no dia 21. Antes disso, haverá alguns amistosos preparatórios.


Por enquanto, essa é a melhor notícia do ano. Não aguento mais ficar sem partidas de futebol. Um mês e meio de recesso é muita coisa. Sinto estar sofrendo de abstinência pela falta desse tipo de diversão. A virada do ano é possivelmente o período mais crítico para os brasileiros apaixonados pelo esporte mais popular do mundo. Chega um momento entre dezembro e janeiro que dá uma vontade danada de acompanhar o time do coração em novos duelos, mas não há jogos programados. Felizmente, esse problema está para acabar. Em algumas semanas, a bola rolará pelos campos do país novamente, para a alegria dos fanáticos torcedores.


Como consolo, no primeiro mês do ano temos a Copa São Paulo de Juniores. O campeonato é amador e é disputado por jogadores de até 18 anos dos principais times nacionais. Talvez esse seja o grande segredo da Copinha. Os torcedores estão tão sedentos por novos jogos que assistem aos duelos entre as jovens promessas do nosso futebol com o mesmo entusiasmo dos torneios disputados pelos profissionais.


O único aspecto positivo da ausência de jogos é a movimentação dos dirigentes atrás de reforços. Praticamente todo dia há uma notícia envolvendo uma contratação bombástica, a sondagem por algum craque que atua no exterior ou o interesse por alguma revelação do clube rival. Entretanto, muitas notícias são meramente boatos, principalmente aquelas envolvendo a chegada de grandes nomes para os maiores times brasileiros. Flamengo, Corinthians e Atlético Mineiro são campeões nacionais em especulação. Até hoje, há quem diga que Maradona, Pelé e Garrincha serão contratados nas próximas semanas por essas agremiações. Mesmo sabendo da grande quantidade de besteira divulgada, adoro comprar os jornais só para ler tais notícias.


Dessa vez, as especulações começaram mais cedo no Parque São Jorge. Logo depois do término do Brasileirão, no início de dezembro, o presidente corintiano Andrés Sanchez mostrou novo interesse em contratar o atacante Carlitos Tevez. A intenção é trazê-lo por empréstimo. No meio do ano passado, o dirigente havia oferecido cerca de US$ 40 milhões para o Manchester City pelo passe do argentino, oferta recusada pelos ingleses. Outros craques cortejados recentemente pelo Coringão foram Montillo do Cruzeiro, Wagner Love do CSKA, Douglas do Grêmio, Guilherme da Portuguesa e William, ex-jogador corintiano que atua agora na Ucrânia.


Mesmo sabendo da inviabilidade da maioria desses negócios, gosto de acreditar nas possibilidades. Só a esperança de ter esses jogadores em meu time já me deixa feliz.


3 de janeiro de 2012 - terça-feira


O principal assunto de dezembro no Parque São Jorge, depois da conquista do Campeonato Brasileiro de 2011 pelo Timão, foi a possibilidade da contratação de Montillo. O argentino do Cruzeiro foi considerado o melhor meio-campista nos dois últimos torneios nacionais e é um craque. Se ele vier para o Corinthians, cairá como uma luva no time armado por Tite. O jogador argentino deverá pegar tranquilamente a vaga de titular de Danilo ou de Alex, pois o cruzeirense é muito melhor em quase todos os fundamentos. Com certeza, o Timão se tornará uma equipe muito mais forte para a disputa da Copa Libertadores de 2012 se fechar esse negócio.


O único problema na negociação é a intransigência do Cruzeiro em ceder o atleta. Após exigir € 8 milhões no início do mês passado, o clube mineiro aumentou a pedida para € 10 milhões na metade de dezembro. Agora já se fala em € 15 milhões. A posição da diretoria corintiana tem sido negociar com o empresário do jogador ao invés de tratar diretamente com os cruzeirenses. Parece que Montillo ficou empolgado com a possibilidade de atuar com a camisa do Timão e está fascinado com a proposta salarial recebida. Ele tem feito de tudo para ser vendido, porém os cartolas do time mineiro seguem recusando a liberação de seu principal atleta.


As notícias sobre esse assunto já começam a encher a paciência. Estamos há um mês no vai, não vai. Ora o Cruzeiro parece concordar, ora volta atrás e mela o negócio. Já estou ficando irritado! Apesar do mal-estar, ainda prefiro a contratação de Montillo à volta de Tevez. O cruzeirense é mais profissional, confiável e talentoso, além de ser mais barato também. Vale a pena o esforço financeiro para trazê-lo. Estou torcendo para a diretoria corintiana fazer esse golaço fora dos gramados.


Enquanto a grande contratação de 2012 não chega, alguns reforços de menor expressão são anunciados no Parque São Jorge. Eles vêm para compor elenco. Cinco nomes já estão confirmados. O melhor é Vitor Júnior, destaque do Atlético Goianiense, que chega para a reserva de Danilo e Alex na armação das jogadas. Outra boa aquisição foi a do centroavante Élton, vindo do Vasco da Gama. Como Liedson demonstrou alguns problemas físicos no final da última temporada e Adriano ainda não entrou em forma, os cartolas corintianos acharam melhor ter uma terceira opção para o setor. Os outros reforços são desconhecidos: o goleiro Cássio, vindo do futebol holandês; Felipe, zagueiro revelado pelo Bragantino; e Gilsinho, atacante oriundo do futebol japonês. O trio deve brigar para, no máximo, figurar no banco de reservas.


Outro com chances de pintar por esses lados é o chinês Chen Zhi Zhao. O atacante é a arma do departamento de Marketing para promover o clube alvinegro no país mais populoso do mundo. Segundo Edu Gaspar, gerente de futebol, Chen Zhi Zhao é rápido e talentoso: “Eu o vi jogar. É um jogador velocista que atua pelas bandas, estilo Jorge Henrique ou Willian, com mais habilidade do que a média chinesa”. Viu como funciona o futebol? Começam falando em Tevez, Wagner Love e William, para terminar contratando alguém "com mais habilidade do que a média chinesa". Ai ai ai!


4 de janeiro de 2012 - quarta-feira


Os jogadores do Timão regressaram aos treinamentos nessa quarta-feira à tarde. Depois de um mês de férias, eles se apresentaram no Centro de Treinamento (CT) Joaquim Grava, no Parque Ecológico do Tietê. Logo de cara, realizaram uma bateria de exames médicos e físicos. Ao todo, o elenco corintiano conta com 32 atletas, sendo 27 remanescentes do ano passado e os cinco reforços para a temporada de 2012.


Apesar das contratações terem ficado abaixo da expectativa da torcida, o grande mérito da diretoria do Corinthians foi ter mantido integralmente o grupo campeão brasileiro de 2011. Nenhum jogador saiu do time, nem titulares nem os principais reservas. Ou seja, o Timão começa a nova temporada com uma base sólida e entrosada. Essa parece ser a grande notícia até aqui. Eu nunca tinha visto algo parecido acontecer no Parque São Jorge. Normalmente, há sempre uma grande reformulação do elenco entre dezembro e janeiro, quando não mudam também o treinador e a comissão técnica inteira. Quando o time vencia, aproveitava-se para vender os atletas mais valorizados. Quando o time perdia, a opção era por descartar os jogadores. Aparentemente, os cartolas alvinegros parecem ter aprendido com os erros do passado e estão empenhados em fazer tudo certo agora.


A maior atração do primeiro dia de atividades, para variar, foi Adriano, Imperador. O atacante carioca foi o mais assediado pelos fotógrafos e pelos repórteres que acompanhavam a reapresentação dos atletas. O interesse pelo jogador se devia às suas tumultuadas férias no Rio de Janeiro. Na véspera de Natal, uma mulher foi baleada dentro de seu carro. A moça acusou o centroavante de estar portando a arma na hora do disparo. O caso virou questão de polícia e novamente colocou Adriano nas manchetes dos jornais. Para sorte dele, a investigação provou que a mulher ferida era quem portava o revólver. Além desse problema, o Imperador foi flagrado bebendo, fumando e comendo excessivamente na praia, com uma barriga bem protuberante. As fotos do jogador sem camisa na areia correram o mundo e assustaram os torcedores.


Assim, todos queriam registrar a silhueta do atleta em sua volta ao trabalho. Obviamente, as imagens da região abdominal do atacante eram de assombrar. Enquanto Liedson e o zagueiro Wallace foram os melhores nos testes de resistência, Adriano foi o pior, mostrando muita distração e sendo o primeiro a desistir das atividades. Ou seja, o ano começou sem mudanças para o camisa 10: com muita confusão, pouca dedicação e muita preguiça. Não sei por que ainda não mandaram esse cara embora! Ele é uma laranja podre no meio de um laranjal excelente.


Outra novidade na volta às atividades será a utilização do CT corintiano como local da pré-temporada. Com a inauguração, em dezembro, de um hotel dentro do Centro de Treinamento, os jogadores poderão ficar alojados ali durante toda a fase de preparação. Assim, o clube economizará com viagem, estadia e locação de campos, além de proporcionar mais conforto aos atletas. Dizem que o Centro de Treinamento Joaquim Grava, em Guarulhos, é atualmente um dos mais modernos do mundo, sendo referência para equipes nacionais e internacionais. Pelo visto, falta de estrutura não é mais justificativa para possíveis fracassos da nossa equipe.


5 de janeiro de 2012 - quinta-feira


Hoje, eu fiquei o dia todo em treinamento. Normalmente, a primeira semana do ano é dedicada a esse tipo de atividade na empresa onde trabalho. O curso foi ministrado para alguns funcionários e foi bem descontraído. Durante o almoço e os intervalos, o assunto discutido com meus colegas foi um só: futebol! Afinal, a temporada está começando e as movimentações de compra e venda de atletas atingem seu auge. A expectativa pelo início das competições também era alta.


Os mais animados no debate eram Daniel, um flamenguista fanático, e Marcelo, um santista divertidíssimo. Daniel estava otimista com o rubro-negro e com a possível repatriação de Wagner Love. Segundo o carioca, esse ano o Mengão vencerá todos os campeonatos. Achei um exagero, mas preferi não discordar. Já Marcelo estava um tanto cabisbaixo. A derrota no final de 2011 para o Barcelona no Mundial de Clubes da FIFA não estava nos planos. O que parece ter incomodado mais os santistas foi a maneira como foram derrotados – tomaram um chocolate dos catalães. Neymar, Ganso e Cia não viram a cor da bola no vergonhoso 4 a 0.


Como corintiano, só tenho um desejo para essa temporada: ver meu time ganhar a Copa Libertadores pela primeira vez. Tenho tanta confiança na concretização desse sonho que até comecei a escrever uma coletânea de crônicas sobre essa conquista. Bastou eu expressar meu otimismo nesse sentido (claro que omiti o início da produção dos textos) para virar alvo das ironias e das brincadeiras da dupla de colegas. Por um longo tempo, eles caçoaram dos fracassos do Coringão nas competições internacionais.


Fiquei um tanto envergonhado, mas achei engraçada a reação deles. Se quiser ver um torcedor adversário se animar, basta falar que você, um corintiano otimista, tem certeza de que, dessa vez, seu time conquistará a América. Nesse momento, o repertório de gozações dos rivais é extenso. A cada hora se inventam novas piadinhas (que não tem a menor graça). As novidades do dia foram: "Perder uma Libertadores é humano, perder todas é corintiano"; e "Por que corintiano não se forma no ensino fundamental? Porque sempre roda nas oitavas".


Eu não desanimei. Eu tenho confiança no meu time e creio na possibilidade da conquista inédita. A esperança aumentou quando, após o término do curso e antes de ir embora para casa, voltei ao meu computador e acessei as notícias do dia. Em uma reportagem do UOL, um jornalista comentava as previsões que um tarólogo fez no programa Gazeta Esportiva de ontem. Segundo a matéria, o vidente David Lenk fez a seguinte previsão para o técnico Tite: “Eu só vejo cartas positivas para ele, então a probabilidade de ele, digamos, conquistar esse sonho (a Libertadores) é de 90%”. Segundo o tarólogo, o treinador irá sofrer com a pressão da torcida, da imprensa, de alguns jogadores e dos cartolas alvinegros, mas será bem-sucedido na empreitada.


Obviamente, chamei Marcelo e Daniel, que se preparavam também para ir embora, para verem a notícia bombástica. Esperava aplacar um pouco de suas ironias. As palavras do vidente não tinham como falhar. Comecei a acreditar nesse tipo de revelação naquele instante mesmo. Para mim, as indicações do Tarot já não eram mais simples projeções, mas sim fatos a serem consumados em poucos meses. Infelizmente, não fui vitorioso em convencer meus colegas da sabedoria do oráculo encontrado pela reportagem. Tive que sair do trabalho ouvindo mais gracinhas e novas piadas. Inferno!


6 de janeiro de 2012 - sexta-feira


A obsessão dos torcedores do Corinthians pela conquista da Copa Libertadores da América parece ter contaminado os jornalistas esportivos e os jogadores do Timão já nos primeiros dias de 2012. A Fiel Torcida ficou muito feliz com o título do Brasileirão do ano passado. Agora, ela só pensa em uma coisa: vencer o torneio sul-americano pela primeira vez. Não há nada mais desejado do que esse título. Para os corintianos não adianta nada vencer o campeonato nacional e depois perder a Libertadores do ano seguinte, como vem acontecendo sucessivamente desde a nossa fundação.


E pelo clima na sala de imprensa do CT corintiano, os repórteres e os atletas estão perfeitamente alinhados com a pretensão vinda das arquibancadas. Logo na primeira entrevista coletiva da temporada, na primeira pergunta feita, a questão que atormenta a todos veio logo à tona: "O grande objetivo do ano é a Libertadores?". Leandro Castán era o jogador encarregado de solucionar a dúvida. "O pensamento realmente é esse. Sabemos da importância dessa competição para o clube e estamos muito confiantes, porque estamos vindo de um Brasileiro muito difícil que conseguimos vencer. A ansiedade pela Libertadores é muito grande pela possibilidade de fazer história no Corinthians”, disse o camisa 4 alvinegro.


À medida que outros jogadores iam surgindo na sala de imprensa, ao longo da semana, a pergunta era repetida insistentemente. Ou seja, a pressão pela conquista inédita já pairava no ar. O problema da obsessão chamada Libertadores é que ela normalmente atrapalha o Coringão na hora do vamos ver, nas decisões. Há muitos anos, disputar o torneio sul-americano virou o grande fantasma na vida dos corintianos. Em 2011, por exemplo, a equipe alvinegra foi humilhada ainda na fase preliminar da competição, sendo eliminada pelo (até então) desconhecido Tolima da Colômbia. Uma vergonha!


Outro atleta questionado sobre as chances de o Timão acabar com o maior de seus traumas foi Alex. Os jornalistas queriam saber se era possível ganhar a competição com um elenco limitado como esse do Corinthians, sem nenhuma estrela e sem nenhum destaque individual. Alex se saiu bem na resposta: “Sim, é possível. Times como o Once Caldas, que venceu também (em 2004), que teve méritos, mas que não era o melhor da competição”. O meio-campista ainda completou: “(Esse elenco) não tem só jogadores bons. Se tivesse, teríamos ganho (o Brasileiro de 2011) com 20 pontos na frente. O elenco esteve consciente (de suas limitações) e isso ajudou. Sabíamos que não éramos tão melhores que os outros. A gente sempre soube que teríamos de brigar muito para ganhar”.


Alex e Danilo são os únicos jogadores do time corintiano de 2012 já campeões da Copa Libertadores. Enquanto Alex venceu em 2006 com o Internacional de Porto Alegre, Danilo conquistou a taça um ano antes com o São Paulo. Vamos precisar muito da experiência dos dois meio-campistas para levar o troféu desse ano para o Parque São Jorge. Nossos adversários da primeira fase são: Deportivo Táchira da Venezuela, Cruz Azul do México e Nacional do Paraguai. Não são adversários difíceis, mas isso não quer dizer nada. Afinal, o Tolima também não era uma ameaça tão feia...


7 de janeiro de 2012 - sábado


Hoje, enfim, tive o prazer de ver novamente uma partida de futebol do meu time do coração. Se bem que não era exatamente a equipe profissional do Corinthians que estava em campo e sim a garotada dos juniores. Não me importei com esse detalhe. Afinal, já fazia mais de um mês desde o último jogo que tinha assistido – o 0 a 0 contra o Palmeiras, no Pacaembu, na última rodada do Brasileirão de 2011. Aquele empate teve sabor de vitória para os corintianos. O ponto conquistado em cima dos rivais garantiu a taça do campeonato.


A equipe sub-18 do Timão fez seu segundo jogo na Copa São Paulo nessa tarde. Na estreia, os jogadores do Corinthians golearam o Santos da Paraíba por 9 a 0 na cidade de Jaguariúna, a sede do grupo M. Como a partida inicial do torneio foi realizada às 15 horas da última quarta-feira, não pude vê-la, pois estava trabalhando.


Hoje, um sabadão, as coisas foram diferentes. Pude acompanhar o jogo da garotada pela TV. Trabalhei até às 14 horas (sim, trabalho na maioria dos sábados!) e voltei para casa correndo para, às 16 horas, sintonizar no Sportv. Nada como um sábado à tarde para acompanhar um joguinho de futebol, né? A partida era contra a Desportiva do Espírito Santo. Minha ideia era descobrir se a equipe jovem do Timão era boa mesmo ou se a goleada na estreia era fruto da fragilidade do adversário.


A dúvida era válida, pois é comum termos placares elásticos na primeira fase da Copinha. Como a competição tem muitos times (sendo vários deles muito fracos), equipes sem muito talento conseguem grandes vitórias. Para se ter uma ideia, na primeira rodada, o Mirassol ganhou de 6 a 0 do América-SP, o Grêmio enfiou 5 no Oratório e o São Paulo aplicou uma goleada espetacular de 10 a 0 no Palmas.


O jogo dessa tarde começou com tudo. O Corinthians dominou as ações iniciais e teve várias chances para marcar. O primeiro gol veio logo aos 7 minutos. O lateral-esquerdo Denner, o grande destaque dessa equipe, cruzou e o meio-campista Jean Teodoro completou para as redes. Aí não sei o que aconteceu com os corintianos. Eles simplesmente pararam de correr. A facilidade da partida talvez tenha feito os jogadores do Timãozinho se pouparem. Mesmo com um ritmo mais lento, o segundo gol veio aos 37 minutos com o atacante Leandro. A Desportiva se mostrava um time muito limitado e não assustava nossos garotos.


O segundo tempo foi muito chato. Os meninos do Parque São Jorge diminuíram ainda mais o ritmo e se limitaram a tocar a bola de um lado para outro. As chances de gol foram raras. O meio-campista Matheuzinho, a grata surpresa alvinegra na primeira rodada, teve atuação apagada dessa vez.


Apesar da vitória de 2 a 0, o Corinthians caiu para o segundo lugar no grupo e precisará vencer o terceiro jogo para se classificar para a segunda fase da Copinha. Isso porque o Juventus aplicou sua segunda goleada no torneio. Depois de ter vencido a Desportiva por 6 a 0 na primeira rodada, o Moleque Travesso superou, nesse sábado à tarde, o Santos da Paraíba por 6 a 1. Assim, só os três pontos interessam ao Timãozinho contra o rival da Mooca na próxima terça-feira. Infelizmente, o jogo decisivo do grupo M acontecerá à tarde em um dia de semana. E nesse horário, para variar, estarei trabalhando e não poderei assistir ao duelo paulistano. Paciência!


8 de janeiro de 2012 - domingo


Hoje, uma notícia preocupante abalou a torcida corintiana. O técnico Tite foi submetido a uma cirurgia no sábado à noite e ficará em recuperação por 10 dias. Assim, ele não estará no banco de reservas no primeiro jogo amistoso do ano, contra o Flamengo na próxima semana. O treinador precisou operar a hérnia e, por isso, teve de mudar os planos da comissão técnica para o final de semana. A programação inicial do gaúcho era assistir ao jogo de ontem do Corinthians pela Copa São Paulo e no domingo ao duelo do Flamengo de Guarulhos, também válido pela competição juvenil. Entretanto, todos os compromissos foram cancelados e o técnico foi levado ao Hospital São Luís depois do treinamento de ontem de manhã.


"Provavelmente, ele terá alta amanhã (hoje - domingo) à tarde, e a partir de segunda já poderá ir ao CT. Ele permanecerá andando devagar, temos carrinho lá para auxiliá-lo no primeiro momento. Mas trabalho de esforço, ele terá só daqui a uns 10 dias", falou o Doutor Joaquim Grava, responsável pelo departamento médico corintiano ao jornal O Estado de São Paulo. Na internet, li o boletim médico. De acordo com a nota, o treinador passa bem e já se encontra no quarto. A cirurgia de hérnia foi considerada um sucesso. A opção pela intervenção cirúrgica se deu pelas desgastantes viagens que o time e o comandante corintiano farão nos próximos meses pela Libertadores, com deslocamentos para o México e para a Venezuela. Com o problema de hérnia, as horas passadas dentro do avião seriam um martírio para o treinador.


Vamos torcer para Tite se recuperar bem da cirurgia e para voltar o mais rápido possível ao trabalho. Se com ele o sonho da conquista da América já é difícil, sem o gaúcho o título se torna impossível. Atualmente, Tite é alma do Corinthians. Seu trabalho sério, competente e justo é a base dessa equipe. Se há alguém responsável diretamente pelo título brasileiro do ano passado e pelo sucesso recente do clube, essa pessoa, sem sombra de dúvida, é o Adenor Leonardo Bacchi, o Tite.


O treinador chegou ao Parque São Jorge no final do ano de 2010 para trabalhar nas últimas rodadas daquele Brasileirão. O Timão terminou em quarto lugar. No ano seguinte, dois fracassos no primeiro semestre quase custaram a cabeça do técnico. A eliminação para o Tolima em janeiro e a perda da final do Campeonato Paulista em maio fizeram a torcida e os conselheiros do clube pedirem a demissão do comandante. O presidente Andrés Sanchez não cedeu à pressão e o manteve no cargo. Tendo mais tempo para armar sua equipe e implementar seu esquema tático, Tite conseguiu transformar um elenco mediano em campeão nacional. A defesa foi a menos vazada do torneio em 2011 e é considerada intransponível. O esquema tático é seguido religiosamente pelos jogadores e por essa razão é difícil vencer o Corinthians em qualquer campo.


A recuperação do treinador deverá ser realizada no próprio Centro de Treinamento corintiano. Além de ficar próximo dos médicos, o técnico poderá dar uma espiada naquilo que acontecer no gramado. De certa forma, não ficará tão afastado dos acontecimentos do clube e do desempenho dos atletas, né? Boa recuperação, comandante!


9 de janeiro de 2012 - segunda-feira


Aproveitando o calor do Verão paulistano, fui ontem de manhã ao Parque Villa-Lobos para correr. E após ter me exercitado, comecei a procurar um lugar para comprar água. Enquanto caminhava, descobri que aconteceria ali a final do Aberto de São Paulo de Tênis. A partida começaria às 11 horas em uma arena montada especificamente para a competição. A disputa era entre o brasileiro Thiago Alves e o português Gastão Elias. Eu nunca tinha ouvido falar neles, mas decidi ficar para ver o jogo. Jamais assistira a uma partida desse esporte ao vivo e fiquei interessado em vê-la. Depois de comprar duas garrafinhas de água, fui para a arquibancada.


Aí surgiu a primeira curiosidade. Diferentemente de um estádio de futebol, o melhor lugar para se assistir à partida de tênis é atrás da quadra. Assim, a pessoa não precisa ficar virando para lá e para cá seu pescoço o tempo todo. Falando assim, parece um tanto óbvio, mas quando eu percebi isso, a arquibancada já estava lotada e eu não podia mais mudar de lugar. Eu havia sentado bem no meio da quadra!


A segunda particularidade é: nos jogos de tênis, o público não pode conversar. Não sei o motivo exato da proibição. Parece que os jogadores se desconcentram. Quanta frescura! O difícil foi explicar para Thalita, minha amiga que me acompanhou ao passeio no parque, aquela regrinha. Ela ficou um tanto chocada quando a alertei sobre os olhares raivosos que vinham em nossa direção. Infelizmente, os demais torcedores não estavam aprovando o alto tom de voz dela nem a iniciativa da moça de conversar comigo. Com alguma diplomacia, pedi para ela não falar mais (pedir algo assim para uma mulher é correr risco de morte!).


A terceira diferença é que o público não pode sair do lugar durante a disputa das jogadas. É preciso esperar o término dos games ou do set para se entrar ou sair da arena. As portas ficam literalmente trancadas. Eu descobri essa particularidade dos jogos de tênis da pior maneira possível. Depois de ter tomado quase um litro de água, minha bexiga estava quase transbordando quando os jogadores resolveram disputar um equilibradíssimo game. Enquanto o público delirava, eu me contorcia na arquibancada para segurar os líquidos dentro de mim. A Thalita disse que a disputa demorou quinze minutos. Para mim, pareceu ter demorado muito, muito mais!


E para terminar, a quarta curiosidade: uma partida de tênis não tem hora para terminar. Ela pode durar uma hora ou cinco horas, depende do desenrolar dos acontecimentos em quadra. E quando a disputa é realizada sob o sol do meio-dia, em um dia de Verão de uma cidade tropical, é bom a plateia ter passado protetor solar e estar usando boné. Infelizmente, nem eu nem a Thalita havíamos pensado em tais medidas. Até tiramos um sarro de uma garota na nossa frente que estava de boné, de camisa de manga comprida e de calça esportiva. Comentamos no quanto ela deveria ser louca por estar vestida assim. Só quando fomos embora, completamente torrados, entendemos o motivo de tanta proteção.


Para resumir, nunca mais quero pisar outra vez em uma quadra de tênis. Gustavo Kuerten e Fernando Meligeni que me desculpem, mas esse esporte é horrível! Quero mesmo é frequentar os estádios de futebol e vibrar com um jogo realmente emocionante. Tênis só é bom quando calçado nos pés, essa é a verdade.


10 de janeiro de 2012 - terça-feira


Os treinos do Timão seguem a todo vapor no Parque Ecológico do Tietê, em Guarulhos. Foram várias as novidades do sétimo dia de atividades no CT Joaquim Grava.


O técnico Tite, devidamente alojado em uma cadeira de rodas ao lado do campo, promoveu o primeiro exercício tático do ano. O comandante alvinegro manteve exatamente a equipe campeã brasileira de 2011 no grupo titular. Os jogadores de linha da equipe principal foram: Alessandro, Paulo André, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho e Alex; Willian (Danilo), Liedson e Emerson Sheik. O grupo de suplentes foi formado por: Welder, Wallace, André Vinicius e Ramon; Edenílson, Ramirez e Danilo (William); Jorge Henrique, Adriano e Gilsinho. Danilo e William se revezaram entre os dois times. Os goleiros fizeram trabalhos à parte em um campo lateral.


Para Tite, o entrosamento dos titulares será fundamental para o bom início da temporada. O gaúcho pretende colocar aos poucos os recém-chegados: “A ideia é ter um grupo em torno de 30 atletas. Teremos jogos a cada três dias e existe esta necessidade. Tenho certeza (de) que vamos usar uma série de jogadores em pouco tempo. Eu sempre falo para que fiquem preparados. Depois, não vem dizer para mim que não se preparou. Eu avisei. Não tem desculpa”, observou o treinador em entrevista.


Agora as más notícias. Adriano segue muito mal tanto no aspecto físico quanto no técnico. Ele voltou mais gordo das férias e tem problemas para acompanhar os colegas nos exercícios. Mesmo recebendo um tratamento especial da comissão técnica, o Imperador foi o primeiro a sair do treino tático. Deixou a equipe reserva e deu lugar ao Élton. O recém-contratado, vindo do Vasco da Gama, entrou bem. Ele deu um belo passe de calcanhar para o gol de Jorge Henrique. Assim, Adriano deverá demorar mais algum tempo até conseguir entrar em forma. Por ora, não deverá ficar nem mesmo no time suplente. Em poucos dias, a reserva de Liedson foi conquistada por Élton.


Outra péssima informação foi o acidente com o lateral Welder ocorrido no coletivo de hoje. O jogador quebrou o nariz em um choque casual com o atacante Emerson Sheik. Assim, ele é o primeiro atleta a visitar o departamento médico em 2012. Fará companhia ao treinador. A recuperação do lateral reserva deverá demorar alguns dias e Welder ficará fora das próximas atividades com bola.


As contratações seguem complicadas. As negociações com o volante Guilherme, da Portuguesa, foram interrompidas. Os diretores da Lusa exigem muito dinheiro para a liberação do atleta e o negócio tende a não dar certo. O mesmo ocorre com o cruzeirense Montillo. A diretoria do clube mineiro parece não se entender com os cartolas corintianos e o impasse continua. Para Tite, a necessidade de um volante para compor o grupo é maior do que a vinda de um armador. Ralf, o titular do setor, não possui um bom reserva imediato. Segundo nosso comandante, o desejo é pelo ex-corintiano Cristian, hoje no Fenerbahçe da Turquia. As conversas com os turcos ainda não foram iniciadas, mas a confiança do treinador pela chegada de Cristian é grande.


11 de janeiro de 2012 - quarta-feira


Ao ler o jornal esportivo O Lance!, soube da vitória de ontem da equipe sub-18 do Corinthians. O resultado classificou os garotos do Parque São Jorge para a próxima fase da Copa São Paulo. O Timãozinho derrotou o Juventus por 3 a 0 em Jaguariúna. Os gols foram de Denner, Anderson e Douglas. A vitória alvinegra foi muito fácil, com o placar sendo construído nos 15 primeiros minutos. O adversário na segunda fase será o Goiás, primeiro colocado do grupo N. O confronto será no sábado, às 16 horas, em Jaguariúna. Com certeza, estarei na frente da TV para conferir os lances da partida.


Ainda falando em Copinha, as surpresas ficaram com as eliminações precoces de São Paulo e Flamengo, equipes tradicionais e com categorias de base fortíssimas. O tricolor, campeão em três oportunidades e sempre favorito ao título, não conseguiu passar da primeira fase. Depois de estrear com uma goleada espetacular de 10 a 0 sobre o Palmas-TO, os garotos do Morumbi empataram com o Sergipe e perderam para o Barueri. O Flamengo também decepcionou. Os cariocas chegaram como os grandes favoritos. Atual campeão do torneio, o rubro-negro tinha vários jogadores já aproveitados pelo técnico da equipe profissional. Praticamente era um Dream Team. Foram embora sem conseguir uma vitória sequer, tendo empatado os três jogos.


Os demais favoritos se classificaram. Além do Timão, as equipes com mais chances de levantar o caneco, pelo futebol desempenhado na primeira fase, são Santos, Palmeiras, Atlético Paranaense, Cruzeiro, Fluminense e Grêmio. Ao olharmos o histórico de títulos da Copa São Paulo, vemos o Corinthians como o grande campeão, com sete conquistas. Logo atrás, vêm o Fluminense com cinco e o Internacional com quatro. Com três troféus, aparecem São Paulo e Atlético Mineiro. Vale lembrar que mais importante do que vencer a competição é revelar bons atletas. Entre erguer a taça e descobrir um jovem craque, fico sempre com a segunda opção.


Vários grandes jogadores brasileiros participaram da Copinha. Para provar tal afirmação, selecionei exemplos das últimas décadas. O atacante Lucas, melhor atleta do São Paulo atualmente e possível convocado para a próxima Copa do Mundo, jogou pelo juvenil do tricolor em 2010. Eleito pela FIFA o melhor do mundo em 1999 e campeão da Copa do Mundo de 2002, Rivaldo destacou-se na Copa São Paulo de 1992 pelo Santa Cruz. O lateral-direito Cafu, o único a ter jogado três finais consecutivas de Copa do Mundo, disputou a Copinha em 1988. Walter Casagrande Júnior despontou no Corinthians no torneio juvenil de 1980. E Paulo Roberto Falcão, eterno craque da Seleção Brasileira, foi eleito o melhor jogador da Copa São Paulo de 1971. Por essas e outras, eu assisto aos jogos desse torneio procurando os craques do amanhã.


12 de janeiro de 2012 - quinta-feira


Andrés Sanchez assumiu, nessa semana, o cargo de diretor de Seleções da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O cartola corintiano será o responsável pela administração do time principal, da equipe olímpica e das categorias de base do Brasil. O diretor de Seleções deverá montar o cronograma de convocações, estipular as datas para os treinos, fazer a programação de amistosos e selecionar os técnicos. Sua missão será levar equipes fortes para as próximas Olimpíadas e Copa do Mundo.


Para assumir o novo posto na CBF, Andrés teve que se licenciar do cargo de presidente do Corinthians. Desde o final do ano passado, a presidência do clube vem sendo ocupada pelo vice, Roberto de Andrade. Ele ficará no comando até o mês que vem, quando novas eleições indicarão a nova autoridade máxima do Parque São Jorge.


Em minha opinião, Andrés Sanchez rivaliza com o folclórico Vicente Matheus como os melhores presidentes da história corintiana. A vantagem do velho Vicente era a sua paixão cega pelo Curinthia. Reza a lenda, ele tirava dinheiro do próprio bolso para fazer contratações e administrava o clube melhor do que suas empresas. Infelizmente, seu trabalho ao longo de oito mandatos resultou em poucos títulos. Já Andrés foi o responsável por modernizar o Corinthians e colocá-lo em outro patamar dentro do futebol brasileiro. A estrutura administrativa e os títulos deixados o credenciam para superar Matheus no posto de melhor mandatário alvinegro de todos os tempos.


Sanchez ganhou as eleições de 2007, pouco antes do trágico rebaixamento para a Série B do Nacional. Com Andrés na presidência, o clube se profissionalizou dentro e fora das quatro linhas e passou a ter renomados profissionais nos principais postos da administração. Com Mano Menezes como técnico, o Timão foi campeão da Série B de 2008 e voltou no ano seguinte para a divisão de elite. No final de 2008, o departamento de Marketing contratou Ronaldo Fenômeno. O sucesso foi retumbante. Em campo, o Timão foi campeão paulista e da Copa do Brasil de 2009. Fora dele, o Corinthians aumentou substancialmente as receitas advindas dos patrocínios e da bilheteria. Não à toa, tem atualmente o maior faturamento do futebol sul-americano.


Outros importantes feitos do agora ex-presidente foram a entrega do Centro de Treinamento, a construção do estádio próprio e a aprovação do novo estatuto do clube. Andrés ergueu em Guarulhos um CT extremamente moderno. Agora jogadores e comissão técnica podem trabalhar com mais conforto e segurança. Ele é também o principal responsável pela viabilização do estádio próprio em Itaquera, antigo sonho da nação corintiana. As obras já começaram e devem ser concluídas em dezembro de 2013. Antes de deixar o clube, Sanchez ainda fez um estatuto proibindo a reeleição do presidente. Dessa maneira, evita-se a perpetuação no poder. Para fechar com chave de ouro, o Corinthians ainda conquistou o Campeonato Brasileiro do ano passado. Foi ou não foi um excelente trabalho para um mandato de quatro anos, hein?!


13 de janeiro de 2012 - sexta-feira


O técnico Tite já fez quatro treinos táticos nessa pré-temporada. A partir daí, já temos indícios mais ou menos claros da equipe titular de 2012. Júlio César é o dono absoluto da camisa 1. O reserva imediato é o jovem Danilo Fernandes, vindo das categorias de base do Timão. Cássio, o desconhecido novato, é apenas uma opção para compor o grupo de atletas e dificilmente terá chances de jogar.


Na defesa, Chicão deve começar o Campeonato Paulista na reserva, exatamente como terminou 2011. Os titulares do setor são Paulo André e Leandro Castán. O treinador corintiano falou sobre a situação do camisa 3, antigo capitão do Timão: "(Chicão) terminou o ano passado assim (na reserva). Ele e o Wallace vão continuar botando pressão no Paulo André e no Castán. Mas são todos atletas de qualidade”. A questão é ver como Chicão se comportará sentado no banco. Wallace permanece como o segundo suplente da zaga.


Na lateral, nenhuma novidade. Alessandro e Fábio Santos são os donos absolutos na direita e na esquerda, respectivamente. Os reservas, Welder e Ramon, são bons jogadores, mas ainda não têm tanta experiência para ganhar o posto principal.


A dupla de volantes continua sendo Ralf e Paulinho. Os dois começaram o ano com o reconhecimento da mídia e dos torcedores. Eles são atualmente os principais meio-campistas do Brasil. Depois da intensa especulação no final de 2011 sobre a saída de ambos para a Europa, Ralf e Paulinho vão ficar no Parque São Jorge. O único problema desse setor é a falta de um reserva para o primeiro volante. Edenílson é o bom suplente de Paulinho e o peruano Ramirez pode exercer razoavelmente bem o papel de segundo volante, além de atuar como meia-armador. Já Ralf não tem um substituto imediato.


A principal surpresa do início de ano foi a manutenção de Alex na armação das jogadas. Reforço mais caro de 2011, ele não demonstrou grande futebol na temporada passada. Sofreu com problemas musculares e não se adaptou ao esquema tático. Mesmo com o rendimento sofrível, Tite o deixou no time principal. Assim, Danilo foi para a reserva e às vezes entra na equipe titular mais a frente, como um ponta-esquerda, posição de William. Há ainda Vitor Júnior como opção na criação.


A briga maior por uma vaga entre os titulares está no ataque. O trio ofensivo escolhido por Tite é Emerson Sheik, William e Liedson. Jorge Henrique parece ter perdido a posição, ficando como opção no banco. Élton e Adriano disputam a preferência do treinador para ser o suplente imediato de Liedson. Gilsinho, vindo do futebol japonês, normalmente compõe o trio de ataque reserva nos coletivos.


Esse é o resumo, por ora, dos primeiros treinos com bola no Centro de Treinamento alvinegro. Aos poucos, a equipe vai sendo moldada para a estreia do Paulistão. Antes disso, haverá dois amistosos: um contra o Flamengo, nesse final de semana, e outro contra a Portuguesa, na próxima quarta-feira.


14 de janeiro de 2012 - sábado


Sábado foi o dia mais tranquilo no Centro de Treinamento do Parque Ecológico do Tietê desde o início da pré-temporada. O motivo? A maioria dos jogadores e da comissão técnica corintiana não estiveram presentes no local. Depois de um confinamento de dez dias, quase todos viajaram para Londrina. Será na cidade paranaense que o Corinthians disputará seu primeiro amistoso do ano. A partida contra o Flamengo está sendo organizada pela Rede Globo, interessada em transmitir o duelo entre as agremiações mais populares do país.


As duas únicas baixas no lado alvinegro são Welder, lateral-direito suplente machucado, e o treinador Tite, em fase de recuperação de cirurgia. Por isso, quem comandará a equipe no Paraná será o auxiliar-técnico Cleber Xavier. Também não viajaram os atletas recém-contratados: Cássio, Felipe, Vitor Júnior, Élton e Gilsinho. Eles ficaram treinando para ganhar condicionamento físico.


A curiosidade do amistoso de amanhã está na maneira encontrada pelos clubes para não desgastar muito seus jogadores, ainda em busca da melhor forma física após as férias. A ideia é que cada agremiação utilize duas equipes diferentes, uma para o primeiro tempo e outra para o segundo. Assim, na primeira etapa, os titulares de Flamengo e Corinthians se enfrentarão. Depois do intervalo, serão os reservas de ambos que irão a campo. A escalação do time principal do Parque São Jorge é a seguinte: Júlio César; Alessandro, Paulo André, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Danilo e Alex; Emerson Sheik e Liedson. O segundo time está definido com: Danilo Fernandes; Nenê Bonilha, Chicão, Wallace e Ramon; Willian Arão, Edenílson, Ramirez e Jorge Henrique; Willian e Adriano.


Enquanto a nação corintiana aguarda a estreia dos profissionais, o restante do sábado foi usado para acompanhar os passos da nova geração. Os jovens atletas do Corinthians enfrentaram o Goiás pela segunda fase da Copa São Paulo. E o Timãozinho venceu outra e manteve o aproveitamento de 100%. A vitória dessa vez foi pelo placar mínimo. O gol foi feito pelo meia-armador Matheuzinho aos 31 minutos da segunda etapa.


A partida foi totalmente dominada pelos garotos do Parque São Jorge. Enquanto os goianos se limitavam a defender, os alvinegros partiram para cima em busca do gol. Várias chances foram criadas e o principal destaque foi o goleiro esmeraldino Leanderson (sim, esse é o nome do arqueiro adversário), autor de grandes defesas. No lado corintiano, o melhor foi o meio-campista Giovanni.


Com a vitória, o Timãozinho avançou para as oitavas de finais do torneio. O próximo adversário será o Primeira Camisa, equipe do interior de São Paulo. Com quatro vitórias consecutivas, os garotos corintianos têm feito bom papel nessa temporada. Nosso treinador é Narciso, ex-jogador do Santos e técnico vice-campeão da edição de 2010 com a equipe do litoral paulista.


15 de janeiro de 2012 - domingo


Seis semanas após o último jogo oficial, os atletas profissionais do Sport Club Corinthians Paulista entravam em campo para disputar uma partida. Esse foi o pontapé inicial da temporada futebolística de 2012. Nosso adversário foi o Flamengo, do técnico Vanderlei Luxemburgo e do craque Ronaldinho Gaúcho. O local do amistoso era a cidade de Londrina, no norte do Paraná. Às quatro horas da tarde, me ajeitei no sofá da sala para acompanhar o Clássico das Multidões. Liguei a TV e coloquei na Rede Globo. Milton Leite era o narrador e começou informando sobre o forte calor que fazia no Estádio do Café. A temperatura superava os 30ºC.


O início da partida foi movimentado. As duas equipes partiram para cima do adversário sem medo. Ora um atacava, ora era a outra equipe quem reagia. A primeira grande chance foi flamenguista. Aos 2 minutos, Júlio César fez boa defesa em chute de fora da área. Em seguida, Emerson puxou um contragolpe e mandou a bola por cima da trave rubro-negra. O melhor momento do primeiro tempo para o lado dos cariocas aconteceu aos 12 minutos. Em cruzamento vindo da direita, o centroavante flamenguista, livre e na pequena área, cabeceou torto. Fora! Ufa.


À medida que o primeiro tempo avançava, a melhor qualidade do time corintiano começava a prevalecer. Emerson mostrava sua categoria e infernizava os defensores adversários. O Mengo se segurou até os 25 minutos. Aí, Liedson roubou a bola dos beques e tocou para Alex na entrada da área. O meia mandou uma paulada. Bola no ângulo. Golaço! Timão 1 a 0. Depois da abertura do placar, o Corinthians continuou apertando. O goleiro flamenguista salvou bons chutes de Emerson e Danilo. Aos 45 minutos, aconteceu o segundo gol corintiano. Fábio Santos cruzou da esquerda. Liedson dominou no peito, driblou o marcador e colocou no cantinho. Gooooool! 2 a 0 e primeiro tempo liquidado. Numerosa no Norte do Paraná, a Fiel Torcida aplaudiu seus jogadores na saída de campo. A felicidade pela vitória parcial era evidente entre os alvinegros.


Após o intervalo, conforme previsto, as duas equipes voltaram com os reservas. E aí o cenário mudou completamente. Quem passou a jogar melhor foi o Flamengo. Com um time quase todo formado por jovens atletas oriundos da base, os cariocas dominaram o segundo tempo e tiveram uma infinidade de chances para marcar. Era praticamente ataque contra defesa. E nessas condições, não foi surpresa nenhuma o empate rubro-negro. Aos 22 minutos, o meia-armador do Fla diminuiu, após ótima tabela feita com um companheiro. O empate veio aos 36, em chute cruzado do volante carioca, após receber um cruzamento da esquerda.


O destaque negativo do segundo tempo foi a atuação de Adriano, disparado o pior em campo. Bem acima do peso e sem conseguir correr, o atacante não viu a cor da bola. O Corinthians praticamente jogou com um homem a menos na etapa complementar. Não à toa, fomos tão mal depois do intervalo. O empate de 2 a 2 em Londrina mostrou duas coisas: os titulares tiveram ótimo desempenho e começaram o ano com tudo; os reservas do Timão decepcionaram e precisam mostrar mais futebol.


16 de janeiro de 2012 - segunda-feira


O empate na primeira partida rendeu elogios da imprensa e da comissão técnica aos titulares do Corinthians. Ao mesmo tempo, a preocupação pelo baixo desempenho dos reservas era evidente. O alvo das principais críticas dos jornalistas, como sempre, foi Adriano. Para minimizar as queixas sobre a atuação do centroavante, o médico Joaquim Grava concedeu entrevista para a Rádio Jovem Pan. Ele elogiou o comportamento do atleta e a dedicação aos treinamentos. Por outro lado, o doutor reconheceu que o Imperador precisa perder peso. Segundo Grava, o Imperador deve estar com 104 kg. "Ele é muito forte fisicamente, mas gordo não está, não”, declarou. Não, quem está gordo é o Papai Noel! O bom velhinho existe e é muito indisciplinado.


A grande surpresa do treinamento dessa tarde foi a forma inusitada encontrada por Emerson Sheik para chegar ao Parque Ecológico. O atacante passou o domingo à noite e a segunda-feira de manhã no Rio de Janeiro, sua cidade natal. Para não faltar ao trabalho, viajou para São Paulo de helicóptero. Não querendo se atrasar, o jogador preferiu seguir direto para o CT em Guarulhos com a aeronave. Após ligar para os diretores corintianos e explicar a situação, ele recebeu a autorização para pousar no gramado. Assim, enquanto os demais jogadores faziam o aquecimento, o helicóptero pousou em um outro campo do complexo.


A chegada cinematográfica não evitou o atraso de 30 minutos e aplicação de uma multa ao atleta. Porém, a maneira pitoresca de Emerson ir ao trabalho rendeu muitas piadas dos colegas e dos repórteres. Os programas esportivos da noite não se cansaram de mostrar as imagens da chegada do atacante ao treino. Não é todo dia em que se vê uma aeronave descendo em um campo de futebol, né?


Se a animação no campo foi grande, nos bastidores a coisa foi diferente. A contratação de Montillo segue enrolada. O Cruzeiro declarou agora que não tem mais interesse em vender sua principal estrela. Inclusive cogita-se, na Toca da Raposa, a ideia de se conceder aumento salarial ao argentino. Gilvan de Pinho Tavares, presidente cruzeirense, admitiu fazer qualquer sacrifício para manter o meio-campista em Belo Horizonte: "O Montillo nos procurou e quer salário próximo daquilo que lhe foi oferecido (pelo Corinthians). Dessa forma, vamos conseguir verbas semelhantes às que foram oferecidas ao Montillo". A proposta da Raposa é incluir nos vencimentos do atleta parte das receitas projetadas por meio de campanhas publicitárias e de Marketing.


Algumas informações vindas da capital mineira indicam exatamente o oposto. Segundo essas fontes alternativas, a pretensão de parte da cúpula do Cruzeiro é de vender sim o jogador. E a negociação com o Corinthians só estaria se arrastando como uma estratégia dos cruzeirenses para conseguir mais dinheiro. Não sei mais em quem acreditar nessa história. Vamos ver por mais quanto tempo a novela Montillo vai durar. Nesse sentido, o craque argentino e o Corinthians fazem o papel do casal apaixonado e o Cruzeiro atua como o grande vilão da trama. Esperamos pelo final feliz!


17 de janeiro de 2012 - terça-feira


O Sport Club Corinthians Paulista teve, hoje, o dia mais tumultuado do ano. Tudo por causa do Adriano. O Imperador faltou ao trabalho. Ele preferiu permanecer no Rio de Janeiro. Sabe qual foi o motivo da indisciplina? Era aniversário da mamãe dele. Acredite se quiser. A assessoria de imprensa do Timão, para amenizar, informou que Adriano viajou na segunda-feira à noite para a capital fluminense. Depois de comemorar a data com a mãe, ele não conseguiu retornar para São Paulo na terça.


Repare bem a diferença de postura entre um jogador comprometido e profissional e outro completamente desinteressado e pouco preocupado com as obrigações. Emerson Sheik teve o mesmo problema ontem. Para não perder as atividades no clube, ele arrumou um helicóptero (sabe-se lá onde e pagando quanto) e voou até o local de trabalho, pousando ali mesmo. Chegou alguns minutos atrasado, é verdade, mas não faltou. Nessa terça-feira, Adriano vivenciou algo parecido. E qual foi a solução? Ficar em casa, provavelmente dormindo, comendo muito e bebendo até cair.


Para agravar a situação, não é a primeira ausência do centroavante no Corinthians. Em menos de um ano como funcionário do clube, Adriano já perdeu uma série de compromissos, de sessões de fisioterapia a treinamentos. O caso de maior repercussão até então havia sido seu desaparecimento às vésperas da última rodada do Brasileirão do ano passado, quando disputávamos ponto a ponto o título com o Vasco.


O novo ato de indisciplina do camisa 10 provocou grande irritação na comissão técnica e na diretoria, além de representar uma multa para o jogador. O presidente interino, Roberto de Andrade, não poupou críticas ao centroavante por mais uma pisada na bola, cogitando até não renovar seu contrato na metade do ano. Tite também foi categórico em exigir maior dedicação do jogador. “O Adriano é um caso importante e estamos fazendo todo o possível para que ele possa se recuperar. O Corinthians está fazendo, eu estou fazendo, a comissão técnica está. Mas não adianta. Só uma vontade natural dele (ajudará). Tem que ser um pouco maior, ser grande”, disse o treinador na entrevista coletiva do final da tarde. O Imperador também foi cortado do grupo que fará amanhã o amistoso com a Portuguesa. Não sei como ninguém ainda não mandou esse cara embora! Ele não ajuda em nada o time e só causa problemas com escândalos e antiprofissionalismo. Ai, ai, ai.


A única boa notícia do dia foi a classificação do Timãozinho para as quartas de finais da Copa São Paulo. A garotada alvinegra goleou o Primeira Camisa por 5 a 1. Quem abriu o marcador foi o volante Gomes, em chute de fora da área. Na sequência, os atacantes Leonardo e Douglas marcaram dois gols cada um. No final da partida, o Primeira Camisa fez o de honra. Foi o primeiro gol sofrido pelo Timãozinho na competição, o que demonstra a força de seu setor defensivo. Agora os jogadores comandados por Narciso enfrentarão na quinta-feira o América Mineiro, que venceu o Red Bull Brasil por 3 a 1. Quem passar para a semifinal, enfrentará o vencedor de Palmeiras e Atlético Paranaense. É a Copinha chegando à sua reta final.


18 de janeiro de 2012 - quarta-feira


Corinthians e Portuguesa entraram no campo do Estádio do Pacaembu para o jogo da entrega das faixas: o Timão como atual campeão brasileiro da Série A e a Lusa como última campeã da Série B. Quem vencesse a partida ficaria com o Troféu Sócrates, homenagem ao antigo ídolo corintiano falecido em 4 de dezembro de 2011. Infelizmente, o forte temporal que caiu na cidade de São Paulo na tarde e na noite dessa quarta-feira afugentou o público da festa dos campeões. Nas arquibancadas, a presença de torcedores era quase nula.


Como ocorreu no amistoso de domingo, cada tempo da partida teve um elenco diferente. Na primeira etapa, os treinadores mandaram seus titulares ao gramado, deixando o segundo tempo para os reservas. No lado alvinegro, as novidades foram a estreia de Élton e o uso do esquema tático 4-3-3 pela primeira vez no ano. Dessa maneira, Alex saiu e deu lugar ao atacante William. O time titular do Corinthians, portanto, teve: Júlio César; Alessandro, Paulo André, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho e Danilo; Emerson Sheik, William e Élton.


O primeiro tempo teve domínio da Portuguesa. Após boas trocas de passes, os atacantes da Lusa ficaram cara a cara com Júlio César. Nas duas chances mais claras de gol para os adversários, nosso goleiro defendeu as perigosas finalizações. Se não fosse o arqueiro corintiano, os campeões da Série B teriam aberto o placar. No ataque, Emerson tentava alguma coisa, sem sucesso. William e Élton estavam pouco inspirados e em nada contribuíram para assustar os rivais. Fim da primeira etapa e 0 a 0 no placar.


Se antes do intervalo o Timão esteve irreconhecível, no segundo tempo as coisas pioraram consideravelmente. O Corinthians voltou a campo com: Danilo Fernandes; Welder, Chicão, Wallace e Ramon; Edenílson, Ramirez e Vitor Júnior; Gilsinho, Bill e Jorge Henrique. Com os reservas no gramado, a supremacia do adversário aumentou. Os suplentes da Portuguesa continuaram perdendo gols. A sorte corintiana acabou aos 30 minutos. O atacante rubro-verde aproveitou uma sobra na pequena área e com facilidade completou para dentro da meta de Danilo Fernandes. Gol da Lusa.


Em desvantagem, o Timão enfim resolveu atacar. E quem apareceu muito bem no setor ofensivo foi o meia-armador Vitor Júnior. O estreante fez bons passes para os companheiros e chutava com muito perigo ao gol adversário. Nos dois principais lances, o meia acertou a trave em tentativas de fora da área. Por muito pouco, ele não empatou a partida com um golaço.


No final do jogo, os poucos torcedores alvinegros presentes no estádio gritaram “Fora, Adriano”. Na entrevista coletiva, o técnico Tite preferiu contemporizar e dar moral ao camisa 10. Ele disse contar com a recuperação do Imperador. Em resumo, o Timão perdeu a primeira no ano, apesar do time titular continuar invicto e sem sofrer gol. Quem está atrapalhando são os reservas. E quem está tumultuando o bom ambiente corintiano é o sempre problemático Adriano.


19 de janeiro de 2012 - quinta-feira


Minha quinta-feira foi pautada para que eu conseguisse sair do trabalho no início da tarde. Meu objetivo era acompanhar, em casa, o jogo do Corinthians pela Copa São Paulo. O adversário era o América Mineiro. E para minha sorte, tudo saiu como eu havia planejado. Cheguei bem cedo ao escritório, fiz uma reunião de manhã e consegui entregar todas as minhas pendências no início da tarde. Às 14 horas, já estava livre para ir embora. Uhu!


Em casa, almocei um lanche rápido e, às 16 horas em ponto, liguei a televisão no Sportv. A escalação da equipe comandada por Narciso era anunciada. Tudo estava pronto para o início do confronto. Diferentemente de São Paulo, onde o tempo fechado e chuvoso prevalecia, em Jaguariúna, local do jogo, o tempo era bom e o céu estava azul. Com esse cenário, o juiz deu início à partida das quartas de finais da Copinha.


O Timãozinho mostrou sua força já no início. Em menos de um minuto, o forte centroavante Douglas marcou o seu. Infelizmente, o bandeirinha sinalizou impedimento. Aos três minutos, uma bola chutada pelo meia corintiano Giovanni passou muito próximo da meta adversária. E aos quatro minutos, o gol aconteceu. Aproveitando-se do belo cruzamento da esquerda e da furada de Douglas na grande área, o meia Matheuzinho mandou para dentro. 1 a 0 para o Corinthians.


A pressão da equipe do Parque São Jorge continuou. O lateral Denner e o zagueiro Marquinhos chegavam bem ao ataque, levando perigo ao gol mineiro. O América se limitava a assistir ao passeio corintiano. Matheus Caldeira, o arqueiro alvinegro, só precisou trabalhar no final do primeiro tempo, em dois bons chutes contra a sua meta.


No segundo tempo, o bom futebol corintiano continuou. Douglas e Marquinhos levaram perigo em cabeçadas. Os contra-ataques dos garotos do Parque São Jorge também preocupavam o adversário. E em um deles, aos 32 minutos, Matheuzinho deu um lindo passe para Leandro, que acabara de entrar. O centroavante apenas tirou do goleiro para marcar o segundo gol do jogo. Corinthians 2 a 0. E a vitória estava sacramentada. O desânimo dos jogadores do América era evidente. Sem forças para reagir, os mineiros aceitaram a derrota. O Corinthians está nas semifinais da Copinha!


Para saber quem seria o adversário na semifinal, combinei com meu pai de vermos juntos Palmeiras e Atlético Paranaense à noite pela televisão. Excepcionalmente, torcemos pelo time do Parque Antártica. Afinal, desejávamos ver Corinthians e Palmeiras. E saiba que não é nada fácil torcer para time com cor de planta. Em um jogo eletrizante, o Atlético venceu por 4 a 3. A partida foi recheada de belos gols, pênaltis, expulsões de ambos os lados e emoção. Apesar de ter jogado um pouco melhor, o Palmeiras caiu e foi eliminado. Assim, as semifinais da Copa São Paulo serão entre Corinthians e Atlético Paranaense no sábado e entre Fluminense e Coritiba no domingo. Os vencedores se enfrentarão na quarta-feira, dia 25, na finalíssima da edição de 2012, no Estádio do Pacaembu.


20 de janeiro de 2012 - sexta-feira


Como tem jogo do Corinthians em janeiro! Após a inatividade de dezembro, as partidas da Copa São Paulo, os amistosos da equipe profissional e os compromissos pelo Campeonato Paulista se sucedem ininterruptamente. Ainda bem que a vida do torcedor corintiano está bem movimentada agora. Praticamente todo dia tem algo para se ver do campeão brasileiro. Para quem gosta de futebol, não há nada melhor. E o ápice da overdose de Corinthians acontecerá amanhã, com dois jogos quase simultaneamente. Às 16 horas, a garotada decidirá uma vaga para a final da Copinha. O jogo é contra o Atlético Paranaense em Jaguariúna. Uma hora mais tarde, o Timão estreia no campeonato regional contra o Mirassol no Pacaembu, às 17 horas.


A pergunta é: qual jogo assistir? Eu optarei por ver a partida dos meninos, mesmo sabendo que a Copa São Paulo é um torneio amador e de menor expressão se comparado ao Paulistão. Minha justificativa é que o jogo vale uma vaga na final, diferentemente da partida dos marmanjos, válida pela primeira rodada das 19 da primeira fase do regional. Ou seja, tem muita coisa ainda para acontecer no Campeonato Paulista e perder um jogo não é nada demais.


Pensando diferentemente de mim e querendo os três pontos no sábado, o técnico Tite já definiu a equipe que irá a campo na estreia. Mantendo o esquema 4-3-3 usado contra a Portuguesa, o treinador fez apenas duas mudanças em relação ao último amistoso. Alex vai começar a partida como titular e Danilo ficará no banco. No ataque, Liedson volta e Élton segue para a reserva. Adriano não foi selecionado mais uma vez e deverá seguir em treinamento físico no CT. O Timão irá começar assim o jogo contra o Mirassol: Júlio César; Alessandro, Paulo André, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho e Alex; Willian, Liedson e Emerson Sheik.


O Corinthians entra como favorito na primeira rodada. A equipe do Mirassol foi montada neste ano para a disputa do Paulista e é completamente desconhecida, tanto da imprensa quanto dos torcedores da própria cidade. Assim, não será surpresa se ocorrer uma goleada no Pacaembu amanhã.


Já o cenário da Copa São Paulo é mais indefinido. O Timãozinho também é favorito, mas o Atlético tem se mostrado um adversário perigoso. Eles venceram inclusive um dos candidatos ao título, o Palmeiras. O problema dos paranaenses para o duelo de amanhã é a série de desfalques que seu treinador possui. Vários jogadores não poderão jogar por suspensão e contusão. A defesa será praticamente a reserva. Diferentemente do rival, o Timãozinho terá força máxima. A equipe será a mesma que vem sendo usada na competição: Matheus Caldeira; Cristiano, Antônio Carlos, Marquinhos e Denner; Anderson, Gomes, Giovanni e Matheuzinho; Leonardo e Douglas. Os destaques do elenco corintiano são o zagueiro Marquinhos, o lateral-esquerdo Denner e o meia Matheuzinho. O centroavante Douglas também impressionou no jogo das oitavas de finais pela força física e pelo porte avantajado. Eles poderão, no futuro próximo, se tornar profissionais e vestir a camisa do Todo Poderoso. É esperar para ver se um novo craque surgirá dessa geração.


21 de janeiro de 2012 - sábado


O supersábado corintiano começou com a semifinal da Copa São Paulo. Em Jaguariúna, o Timãozinho entrou em campo para pegar o Atlético Paranaense às 16 horas. O vencedor fará a final do torneio, como reza a tradição, no Estádio do Pacaembu no dia 25 de janeiro, feriado em São Paulo pelo aniversário da cidade.


O jogo equilibrado e difícil que todos imaginavam não aconteceu. Os desfalques do adversário do Corinthians realmente comprometeram a qualidade da equipe de Curitiba. Isto foi percebido já nos primeiros lances. Aos 3 minutos, Giovanne abriu o placar em um chute de fora da área. Aos 10, Douglas ampliou após boa tabela com Leonardo. Aos 21, Matheuzinho entrou na área adversária driblando os zagueiros e fez 3 a 0. Com meia hora de jogo, Douglas já tinha feito o quarto, após pegar a rebatida na trave. O primeiro tempo terminou com outro gol do centroavante Douglas, dessa vez com um chute forte de fora da área.


Com 5 a 0 no placar no intervalo, a fatura da Copinha já estava sacramentada. Aí foi fácil trocar de canal. Ao invés de ver o segundo tempo em Jaguariúna, decidi acompanhar, às 17 horas, o jogo do Corinthians pelo Paulistão.


Quem esperava um novo passeio da equipe preta e branca se enganou redondamente. O Mirassol dominou a primeira etapa e levou perigo por diversas vezes ao gol de Júlio César. O Timão teve algumas chances de abrir o marcador com William e Emerson, mas foram os visitantes que fizeram merecidamente 1 a 0. O centroavante da equipe do interior cabeceou na pequena área um cruzamento vindo da esquerda e não deu chances ao goleiro corintiano. Gol do Mirassol. O primeiro tempo terminou com o Corinthians jogando muito mal e em desvantagem no placar. Definitivamente, a equipe de Tite estava longe de apresentar em 2012 o futebol do final do ano passado.


No segundo tempo, o Timão resolveu pressionar o adversário. Depois de parar os atacantes do time da casa com muitas faltas, o Mirassol teve um jogador expulso. Com um a mais em campo, Tite tirou o lateral Alessandro, muito mal tecnicamente e vaiado pela torcida, e colocou Danilo. Depois, trocou o defensor Paulo André por mais um centroavante: Élton. E foi o novo atacante do Timão quem empatou com um gol de fora da área. A igualdade colocou fogo no jogo e a pressão alvinegra aumentou. No último minuto da partida, o zagueiro do Mirassol, em uma infelicidade, ao tentar tirar a bola dos pés de Élton, acabou jogando para dentro do seu próprio gol. Gooooooooool!!! O Corinthians virava no finalzinho para delírio da massa.


A vitória e os três pontos foram um alento para a torcida que enfrentou muita chuva no estádio e viu um futebol muito abaixo do esperado para uma equipe campeã brasileira. Outro aspecto positivo foi a boa atuação de Élton no ataque. Ah, e para quem ficou curioso, o Timãozinho ainda fez mais um gol no segundo tempo em Jaguariúna, com Giovanni. A goleada da meninada terminou em 6 a 0. O sábado terminou perfeito para a Fiel. Que venham a final da Copinha e o restante do Paulistão!


22 de janeiro de 2012 - domingo


A expectativa da torcida corintiana pelo início da Copa Libertadores da América é tanta que mais de 60 mil ingressos já foram comercializados para os três duelos em casa da primeira fase da competição. Por enquanto, a preferência pela compra é dada aos sócios do programa Fiel Torcedor.


Para quem não conhece, o Fiel Torcedor é o programa criado para atender com mais conforto os corintianos que gostam de assistir às partidas no estádio. Por meio de uma assinatura anual que varia de R$ 100,00 à R$ 1.200,00, dependendo do plano escolhido, o torcedor ganha um cartão (com formato similar a um cartão de crédito) que lhe dá acesso ao estádio. Para garantir a entrada nos jogos, basta acessar o site do programa e comprar as partidas de seu interesse. Assim, não é necessário ir até a bilheteria nem pegar fila para adquirir os ingressos. Além disso, o associado tem a preferência na aquisição, antes dos torcedores comuns. É comum em grandes clássicos e em finais de campeonato, os ingressos ficarem exclusivamente nas mãos dos associados. Para completar, o Fiel Torcedor também oferece descontos na compra das entradas. No dia do jogo, basta levar o cartão e passá-lo na catraca do estádio para ter o acesso liberado. Tudo muito fácil e rápido.


Criado há quase quatro anos, o programa corintiano possui atualmente cerca de 70 mil associados. Eu obviamente sou um deles. Ou melhor, era. Minha anuidade venceu na metade do ano passado e eu preferi não renovar. Por que agi assim? Estou pensando, há algum tempo, em mudar de profissão e me tornar escritor. Por isso, estou economizando o máximo possível para os tempos de vacas magras que me esperam. Com meu plano do Fiel Torcedor vencido, precisei voltar às bilheterias e pegar as filas durante as partidas do Brasileirão de 2011. O pior mesmo foi perder o desconto e não conseguir comprar as entradas para os jogos decisivos do campeonato.


Como vem sendo praxe nos últimos anos, os valores dos ingressos para as partidas da Libertadores variam de R$ 50,00 a R$ 500,00. O setor onde eu normalmente fico, a cadeira laranja, o custo é de R$ 200,00. Sem o desconto do Fiel Torcedor, eu já tirei da minha mente a possibilidade de acompanhar os confrontos da competição sul-americana no estádio. Ficarei confortavelmente sentado no sofá de casa em frente a televisão vendo as transmissões pela Rede Globo ou pela Fox Sport.


E por falar em transmissão, a Fox Sport, a detentora dos direitos para a TV a cabo dos jogos das competições promovidas pela Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol), decidiu pela primeira vez não os repassar para o Sportv, o canal de esporte por assinatura mais popular do país. A Fox trará ao Brasil seu próprio canal esportivo e deverá lançá-lo nos próximos dias. A Libertadores é o principal chamariz para a conquista dos primeiros assinantes. À princípio, os corintianos (e flamenguistas) não devem se preocupar, pois deverão ter todos os duelos da sua equipe transmitidos pela TV aberta. Santistas, colorados, tricolores das Laranjeiras e vascaínos, por outro lado, poderão ter partidas transmitidas com exclusividade pela nova emissora. Se não assinarem a Fox Sport, ficarão sem ver alguns jogos pela televisão.


23 de janeiro de 2012 - segunda-feira


O Paulistão de 2012 começou com vitórias do Trio de Ferro. Além dos três pontos do Coringão, São Paulo e Palmeiras também foram bem-sucedidos na primeira jornada. O tricolor paulistano goleou, no domingo, o Botafogo de Ribeirão Preto por 4 a 0 no Morumbi com muita facilidade. Apesar da torcida são-paulina ter se empolgado com a boa estreia, o resultado da partida foi mais em função da extrema fragilidade do adversário do que da grande força da equipe da casa. O Palmeiras sofreu para superar o bom time do Bragantino, em Bragança Paulista. A vitória verde foi conquistada graças às jogadas de bola parada de Marcos Assunção. Ou seja, o Palmeiras começou a nova temporada exatamente como terminou a anterior: dependendo das cobranças de falta e de escanteio do veterano volante.


Se analisarmos o desempenho técnico, a pior performance das grandes equipes da capital foi a do Timão. Não é errado afirmar que o Corinthians só ganhou do Mirassol no sábado porque a equipe do interior se desesperou. Os jogadores do Parque São Jorge não jogaram o suficiente para sair do gramado com os três pontos. A expulsão do atleta do interior e o gol contra do Mirassol, no finalzinho, foram decisivos para decretar a vitória corintiana no primeiro jogo do estadual.


O técnico Tite, ainda no Pacaembu, preferiu minimizar a atuação de seus comandados, dizendo ser necessário pelo menos cinco jogos para a equipe apresentar o seu melhor futebol. Além disso, o gaúcho defendeu o capitão Alessandro das vaias da torcida. O lateral foi péssimo, tanto defensiva quanto ofensivamente. “O Alessandro está readquirindo o ritmo, tal qual a equipe. Alguns jogadores são mais leves e não sentem tanto pelo biorritmo. Outros, dentro deles o Alessandro, demoram um pouco mais para ter o ritmo normal de competição”, comentou Tite na entrevista coletiva.


O Santos, por sua vez, começou o campeonato com um empate em Piracicaba contra o XV. O resultado foi positivo, afinal os santistas colocaram o time reserva em campo. E assim será nas próximas rodadas. Os titulares ainda estão de férias, pois disputaram o Mundial de Clubes da FIFA em dezembro. Até eles voltarem a treinar e ficarem bem fisicamente, demorará cerca de duas ou três semanas.


A decepção da primeira rodada foi a Portuguesa. Depois da brilhante campanha na série B do Brasileiro do ano passado, a Lusa começou 2012 sendo apontada por muitos como uma das favoritas ao título estadual. Contudo, a equipe do Canindé perdeu em casa por 2 a 0 para o Paulista de Jundiaí na estreia.


Agora, pode-se dizer que a temporada do futebol brasileiro está oficialmente aberta. O Corinthians, para se ter uma ideia, jogará ininterruptamente por 3 meses, com partidas no meio de semana e aos finais de semana. A primeira folga na tabela só acontecerá em abril. Até lá, o Campeonato Paulista já estará em suas fases decisivas e a Copa Libertadores estará na reta final da primeira fase. Quem estava com saudades de futebol, pode ficar tranquilo. Os jogos voltaram e não irão parar por um bom tempo. Será emoção atrás de emoção. Bom 2012 para todos nós, corintianos.


24 de janeiro de 2012 - terça-feira


Empolgado com a campanha do time sub-18 do Corinthians, decidi assistir à partida final da Copa São Paulo no Pacaembu. Aproveitando que não trabalhei nessa terça, fui durante a hora do almoço ao estádio para comprar meu ingresso. E como eu, milhares de pessoas tiveram a mesma ideia. Resultado: fiquei em uma fila gigantesca por mais de três horas até conseguir ser atendido na bilheteria. Saí de lá com algumas constatações. Primeiro: o Paulo Machado de Carvalho estará lotado amanhã. Segundo: precisarei levar um boné, pois meu rosto não aguentará tomar tanto sol como hoje. Estou completamente queimado. E terceiro: o pastel da feirinha da Praça Charles Miller é realmente incrível. Na certa, é o melhor pastel de São Paulo!


No trajeto de volta para casa, fui lendo o jornal O Lance! O adversário do Timãozinho será o Fluminense. Em outras palavras, os dois maiores campeões da história da competição vão se enfrentar. O tricolor carioca possui um ótimo time e conta com Marcos Júnior, o melhor jogador dessa edição da Copinha. O meia-atacante de apenas 1,67 metro foi autor de dois dos quatro gols da equipe das Laranjeiras na semifinal contra o Coritiba. Ele é o maior perigo do lado adversário. Segundo a crítica esportiva, o Flu tem um time melhor do que o Corinthians, mas não é possível apontá-lo como favorito, pois os paulistas jogam em casa e contam com o apoio da Fiel.


Pelo lado do Timão, a novidade de hoje foi a realização de um treino duplo no CT Joaquim Grava. A diretoria alvinegra convidou o treinador da base, Narciso, e seus comandados para usar o Centro de Treinamentos, no Parque Ecológico, e fazer ali os últimos preparativos antes da partida contra o Flu. Assim, o elenco da base pôde treinar ao lado do elenco profissional. Será a primeira vez no ano em que a garotada corintiana jogará na capital do estado. Todos os jogos anteriores do Corinthians na Copinha foram realizados no interior.


A equipe escalada por Narciso para a finalíssima, amanhã, não terá nenhuma surpresa. O time será o mesmo dos últimos jogos: Matheus Caldeira; Cristiano, Antônio Carlos, Marquinhos e Denner; Anderson, Gomes, Giovanni e Matheuzinho; Leonardo e Douglas. Desses jogadores, alguns já poderão fazer parte do elenco do técnico Tite nos próximos dias. Como está difícil a contratação de um volante para a reserva de Ralf, Gomes e Anderson podem ser integrados ao time de cima. O mesmo pode acontecer com Marquinhos e Denner.


Falando um pouco dos profissionais, Tite também já armou sua equipe para a segunda rodada do Paulista, amanhã à noite em Guaratinguetá contra a equipe local. A novidade é a substituição de Paulo André na zaga por Chicão. O beque titular precisa melhorar o condicionamento físico e foi vetado pela comissão técnica. Danilo também voltará à equipe e William ficará no banco, em um revezamento corriqueiro feito pelo treinador desde o início dos treinos com bola. Assim, o Timão irá à campo no feriado com: Júlio César; Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Danilo e Alex; Emerson e Liedson. O esquema tático volta ao 4-4-2.


25 de janeiro de 2012 - quarta-feira


O feriado de 25 de janeiro teve um dia lindo, com muito calor e sol na cidade de São Paulo. A maior metrópole do continente completou 458 anos. Não havia melhor lugar para se estar naquela manhã do que no Estádio do Pacaembu. Cerca de 38 mil pessoas compareceram às arquibancadas para ver quem seria o primeiro campeão de 2012 no futebol brasileiro: Corinthians ou Fluminense?


Às 10 horas, o juiz deu início à partida final da Copa São Paulo. O primeiro tempo foi bem movimentado, à altura da grande decisão. Os dois times ignoraram o calor, jogaram com velocidade e tiveram boas oportunidades. O Flu esteve mais bem organizado em campo e, por isso, foi mais perigoso. Marcos Júnior mostrava seu talento com a camisa tricolor e era disparado o melhor em campo. O 0 a 0 da primeira etapa não representou o futebol desempenhado pela garotada.


No segundo tempo, logo no início, Marcos Júnior cruzou da direita e o goleiro corintiano Matheus Caldeira vacilou. A bola escorregou até os pés de um dos atacantes do time carioca. Aí o jogador do Flu não teve dificuldade para mandar para as redes. Fluminense 1 a 0. Os minutos seguintes foram de desespero para os corintianos. O tricolor das Laranjeiras pressionou e quase ampliou o placar em várias oportunidades. O goleiro do Corinthians compensou a falha no gol com três defesas incríveis. De tanto pular, acabou se machucando e foi substituído.


Na metade da segunda etapa, quando sinceramente não via como o resultado poderia ser alterado, aconteceu o improvável. Em cobrança de escanteio, o capitão corintiano Antônio Carlos subiu e cabeceou para empatar. Gol do Corinthians e alegria nas arquibancadas. Após sofrer o empate, o Fluminense continuou atacando e perdendo gols. E nos instantes finais da partida, após nova cobrança de escanteio, o zagueiro Antônio Carlos cabeceou outra vez para o fundo das redes. Gol do Timãozinho e virada no Pacaembu. Delírio dos alvinegros presentes no estádio. O Corinthians conquistava seu primeiro título da temporada. Os garotos conseguiram com muita raça e dedicação superar o talentoso time do Fluminense. Nada mais justo do que Antônio Carlos erguer o oitavo troféu corintiano da Copinha.


A alegria foi completada à noite. Vi pela televisão os profissionais do Timão enfrentando o Guaratinguetá. Confesso que foi difícil ficar acordado até às 22 horas. Eu tinha levantado bem cedo naquele dia para chegar ao Pacaembu antes das 9 horas da manhã. A luta contra o sono valeu a pena. O Corinthians venceu fácil o Guará por 2 a 0. Os autores dos gols foram Chicão e Alessandro, curiosamente os dois jogadores que eram alvos da desconfiança da torcida. O zagueiro pelo episódio no ano passado, quando se recusou a ficar no banco de reservas contra o São Paulo, após ser barrado do time titular pelo Tite. E o lateral-direito pela péssima atuação na última partida.


A verdade é que não sei se o Corinthians venceu porque voltou a jogar bem ou se o adversário era muito ruim. Ou se foram as duas coisas. De qualquer forma, o importante são os 3 pontos e a segunda vitória no Paulistão. Eita feriado perfeito!


26 de janeiro de 2012 - quinta-feira


O dia seguinte à conquista da Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2012 pelo Corinthians poderia ter vários personagens como destaque. Poderíamos falar, por exemplo, da competência do técnico Narciso em montar um belo time e vencer na final a talentosíssima equipe do Fluminense. O treinador chegou ao clube no final do ano passado e rapidamente conseguiu revolucionar o sub-18 corintiano. Vale lembrar que nos últimos anos, as categorias de base do Corinthians ficaram abandonadas. Os garotos não tinham sequer lugar próprio para treinar. A conquista de ontem foi mérito exclusivamente do técnico e dos jogadores. Infelizmente, a diretoria corintiana não ajudou em nada o departamento amador nessa empreitada.


Também poderíamos contar a história do herói do título corintiano, o zagueiro Antônio Carlos. O garoto de 18 anos começou a jogar futebol justamente no Fluminense, onde foi dispensado no ano passado. Sem espaço nas categorias de base das Laranjeiras, o defensor veio tentar a sorte no Corinthians. E pelo novo clube fez os dois gols na final contra a equipe que o dispensou. Incrível!


Outros personagens interessantes do 25 de janeiro foram Alessandro e Chicão. Os dois experientes atletas profissionais foram decisivos na vitória contra o Guaratinguetá pela segunda rodada, cada um com um gol. Ambos jogaram bem e mereceram os elogios dos torcedores e da crítica esportiva ao final do jogo.


Entretanto, quem roubou (literalmente) a cena do feriado foi José Maria Marin. Quem? José Maria Marin! Ele é vice-presidente da CBF e foi flagrado pelas câmeras de televisão furtando uma medalha dos jogadores corintianos durante a premiação. Marin era o encarregado de colocar no pescoço dos jogadores vencedores as medalhas pela conquista. Em determinado momento, não se lembrando de que a cena estava sendo transmitida para o país inteiro pelas emissoras de televisão, o cartola colocou "disfarçadamente" uma das medalhas no bolso. Nem o fato de o goleiro Matheus ter ficado sem a premiação ao final da cerimônia fez Marin voltar atrás em seu ato ilícito. Ele simplesmente roubou a medalha do garoto.


O mais assustador de tudo foi saber que Marin já foi governador do Estado de São Paulo durante a Ditadura Militar. Se ele é capaz de roubar algo sem valor monetário na frente de um país inteiro em um estádio de futebol lotado, imagine só o que ele não fazia trancado no gabinete do Palácio dos Bandeirantes, hein?! Quem melhor explicitou o sentimento de revolta pela conduta do dirigente da Confederação Brasileira de Futebol foi o ex-jogador Neto. “Ainda bem que o troféu é grande e não cabe no bolso”, disse o comentarista da TV Bandeirantes, hoje, no programa esportivo Jogo Aberto.


Para minimizar o episódio vexatório, a Federação Paulista declarou ter ocorrido erro na contagem das medalhas enviadas para a premiação e prometeu providenciar uma nova para o goleiro corintiano. Erro na contagem? Para mim, isso tem outro nome. O futebol brasileiro está ou não está bem servido de dirigentes?!


27 de janeiro de 2012 - sexta-feira


Alessandro Mori Nunes, 33 anos, é natural de Assis Chateaubriand, pequena cidade do oeste do Paraná. Essa é a descrição sucinta do lateral-direito do Timão há quatro temporadas. O camisa 2 iniciou, em 2012, o quinto ano como titular absoluto do lado direito da equipe do Parque São Jorge. Para se ter uma ideia do feito, o último jogador a conseguir começar cinco temporadas com a camisa titular do Corinthians foi o atacante Gil, entre 2001 e 2005. Antes, o goleiro Ronaldo também alcançou tal façanha entre 1989 e 1998.


Alessandro não é um grande jogador se o analisarmos apenas tecnicamente. Ele não é rápido, até porque já passou dos trinta anos. Não faz bons cruzamentos. Defensivamente, deixa a desejar e ofensivamente é razoável. Também faz algumas bobagens de vez em quando, como a expulsão tola contra o Internacional nas últimas rodadas do Brasileirão do ano passado.


Então, o que o faz ser titular da equipe mais importante do país por tanto tempo?! A resposta é o espírito de liderança. O jogador possui uma grande ascendência sobre os demais jogadores e consegue orientar seus companheiros dentro e fora do campo. Não é à toa que ele seja o capitão do time desde a metade do ano passado, quando Chicão foi para a reserva. Quando Alessandro está em campo, ele consegue passar tranquilidade para os demais atletas, além de organizá-los segundo as instruções passadas pelo treinador. O lateral-direito é o técnico do time dentro das quatro linhas. Além disso, o camisa 2 é um profissional sério e dedicado, exigindo de todos no clube o comportamento mais correto possível em cada situação.


Do atual elenco corintiano, os mais veteranos são Alessandro e Chicão. Os dois chegaram ao clube no início da temporada de 2008, quando o Timão havia acabado de cair para a Série B. Aqueles eram tempos difíceis! Os dirigentes do Parque São Jorge eram acusados de formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. Os cofres do clube estavam vazios. A equipe não tinha local para treinar e a torcida estava revoltada com a humilhação sofrida no final da temporada anterior. Jogar no Corinthians era um inferno naquele período.


Com uma boa equipe montada por Mano Menezes, o Timão conseguiu conquistar a série B e voltar, no final de 2008, para a divisão de elite do nacional. No ano seguinte, já com Ronaldo, a equipe foi campeã da Copa do Brasil e do Paulistão. Dois anos depois veio o título do Campeonato Brasileiro. Alessandro e Chicão ergueram conjuntamente o troféu mais importante de suas carreiras em dezembro passado.


O contrato de Alessandro se encerra no final de 2013. O atleta vê o término de sua carreira chegando e já admite essa possibilidade abertamente. As constantes contusões que o jogador vem sofrendo nos últimos anos são consequências da passagem do tempo. Em 169 partidas pelo Coringão, o lateral fez 4 gols. Às vezes, eu fico um tanto nervoso com as lambanças feitas pelo nosso capitão em campo, mas é preciso admitir sua importância para o time e para o treinador.


28 de janeiro de 2012 - sábado


No domingo, o Corinthians enfrentará o Linense, no Pacaembu, pela terceira rodada do Paulistão. A equipe do interior estreou em 2011 na elite do estadual, após passar mais de 80 anos nas divisões de acesso. Nesse ano, o time de Lins faz boa campanha: vitória contra o Comercial e empate com o São Caetano.


Buscando manter o 100% de aproveitamento no campeonato, Tite fez no sábado de manhã o último treino antes da partida. No coletivo, o gaúcho manteve os titulares da vitória contra o Guaratinguetá. Assim, o Corinthians será escalado com dois meias-armadores e dois atacantes, no esquema 4-4-2.


A dúvida sobre a melhor formação tática perdura na cabeça do treinador desde o início do mês. Na primeira rodada do Paulistão, a opção foi por um meia e três atacantes. Como o time não foi bem, na segunda partida escolheu-se a formação com dois meias e dois atacantes. Com o melhor rendimento, o técnico corintiano preferiu manter essa forma de jogo. Alex e Danilo jogarão juntos no meio de campo e William volta para o banco. Assim, o Timão vai de: Júlio César; Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Danilo e Alex; Emerson e Liedson.


A grande novidade no Corinthians foi a promoção de sete juniores ao elenco profissional. O zagueiro Marquinhos, inclusive, já treinou com o time principal e será relacionado para o jogo de domingo. O garoto ficará no banco de reservas, pois Paulo André continua se condicionando fisicamente e Wallace se machucou, devendo voltar nos próximos dias. O volante Gomes e o lateral-esquerdo Denner começarão os trabalhos com Tite na próxima segunda-feira. Segundo Edu Gaspar, gerente de Futebol, os próximos a ser integrados ao profissional serão os meias Giovanni e Matheuzinho, o goleiro Matheus Caldeira e o atacante Paulinho. Paradoxalmente, o herói corintiano na final da Copinha, Antônio Carlos, não está na lista de promovidos.


Mesmo com o reforço dos jovens campeões da base, as conversas sobre novas contratações persistem no Parque São Jorge. Ainda surgem notícias quase que diariamente sobre Montillo. Pelas últimas informações, o Cruzeiro está com dificuldade para pagar o salário dos seus jogadores. E a grave crise financeira na Raposa pode influenciar na venda do meio-campista argentino aos corintianos. O diretor de Futebol do Timão, Duílio Monteiro Alves, negou essa possibilidade. “Não existe nada. A posição do Corinthians é a colocada pelo nosso presidente, de que retiramos a proposta (anteriormente feita). Depois disso, não aconteceu mais nada. Hoje surgiram especulações de que aumentaríamos a proposta, mas não é verdade”, disse o cartola. Nessa hora, lembrei-me das palavras da minha avozinha: "Onde há fumaça, sempre há fogo!".


Se a novela Montillo continua, a de Carlitos Tevez está oficialmente encerrada. O empresário do jogador revelou, nessa semana, que o atacante ficará mais uma temporada na Europa. Ele ainda não sabe exatamente em qual clube seu atleta jogará, mas tem certeza de que será no Velho Continente.


29 de janeiro de 2012 - domingo


Os torcedores que foram ao Estádio do Pacaembu puderam ver o confronto entre o quarto e o quinto colocados do Paulistão. O Corinthians, com seis pontos, precisava vencer para se juntar ao São Paulo com nove. O tricolor venceu, ontem, o São Caetano e permanece com 100% de aproveitamento. O Linense, com quatro pontos, queria manter a invencibilidade. Com essa pretensão, o técnico do interior escalou uma equipe bem recuada, com três defensores. O objetivo era, evidentemente, não perder.


A partida começou como os corintianos gostam, com o Timão indo para o ataque. Nos quinze primeiros minutos, o Corinthians já havia chutado diversas vezes ao gol adversário. A primeira grande oportunidade foi de Alex. O meia avançou até a grande área e, antes de chutar, foi travado pelo zagueiro do Linense. No rebote, Liedson mandou para fora. Depois, Alex cobrou falta e exigiu boa defesa do goleiro de Lins. Alex era o melhor em campo e deu ótimo passe para Emerson. O atacante ficou cara a cara com o goleiro e chutou para a defesa do arqueiro.


Com o passar do tempo, os jogadores corintianos perderam o ímpeto de atacar e a defesa do Linense passou a ter menos trabalho. Com mais tranquilidade no setor defensivo, os jogadores do interior partiram para frente. Aos 38 minutos, em cobrança de escanteio, o zagueirão do Linense, com mais de dois metros de altura, subiu e cabeceou. A bola bateu na trave e nas costas de Júlio César e entrou no gol. O susto só não foi maior porque o juiz anulou o lance. Ele alegou falta do zagueiro de Lins.


Empolgado com a chance de vencer o Corinthians no Pacaembu, o Linense voltou para o segundo tempo mais ofensivo. Aos 10 minutos, Júlio César salvou um forte chute do lateral-direito adversário. Precisando dos três pontos, o Timão resolveu atacar também. Liedson, Emerson e Alex desperdiçaram boas chances cada um. Douglas, goleiro do Linense, estava em uma tarde perfeita. Ele defendia até pensamento.


Depois de tanta insistência, o gol finalmente saiu. A 10 minutos do encerramento da partida, Emerson aproveitou a sobra no lado direito da área e mandou de primeira, de três dedos. Um golaço de Sheik! Aliviado com o gol, o atacante nem comemorou. Os companheiros seguiram seu comportamento. A alegria maior foi demonstrada nas arquibancadas com a festa dos torcedores com a nova vitória.


O Timão chegou aos nove pontos e subiu para a vice-liderança do Paulista. O São Paulo é o líder, pois tem melhor saldo de gols (seis contra quatro). Na volta ao vestiário, após o término do jogo, o técnico Tite reclamou muito da falta de emoção do seu time durante a partida. “Foi essa a cobrança. Tem que saber vibrar, ser intenso, ter a gana de vencer. Faltou isso à nossa equipe (hoje), essa vibração, vibrar pelo gol que fez. Fui incendiar o vestiário porque precisa ter esse sabor de vencer, valorizar a conquista. Só se chega às grandes conquistas quando se valoriza as pequenas”, disse o treinador na entrevista coletiva. Justo, muito justo, justíssimo!


30 de janeiro de 2012 - segunda-feira


A marca do Corinthians no início dessa temporada são as vitórias magras e no sufoco. Os três pontos vieram assim em duas oportunidades: contra o Mirassol na primeira rodada, com um gol no último minuto, e ontem contra o Linense, com o gol chorado de Emerson na parte final da partida. Apenas no jogo com o Guaratinguetá a vitória veio tranquilamente e com dois gols de diferença.


Se pensarmos bem, essa característica não é tão nova. Ela foi a tônica durante todo o Campeonato Brasileiro do ano passado. Dos 21 triunfos corintianos naquela competição, o Timão ganhou 17 vezes pela diferença mínima. Eu me recordo de várias partidas vencidas com alta dose de dramaticidade, tanto no Pacaembu quanto fora de casa. Impossível me esquecer da vitória de virada sobre o Atlético Mineiro por 2 a 1, com o gol salvador de Adriano no fim. Outra virada marcante, também em São Paulo, foi contra o Avaí, com gol de Emerson no final. E olha que o Timão jogou com um a menos durante todo o segundo tempo. Fora de casa, nas últimas rodadas, o sofrimento foi sentido nas vitórias contra Ceará e Figueirense no finalzinho do segundo tempo, ambas por magros 1 a 0, gols de Ramirez e Liedson, respectivamente.


Não sei o porquê de tanta angústia. Alguns torcedores alegam que dessa maneira é mais gostoso. Além disso, essa marca está em nossa essência. Historicamente, o Timão só vence com muito sacrifício e drama. Não me lembro, por exemplo, de nenhuma grande conquista sem altas doses de sofrimento. Tal panorama vem desde a década de 1950, se não for mais antiga. Tudo para esse clube parece ser mais difícil e complicado. Vencer é possível, desde que tenha requintes de crueldade para o coração dos corintianos. Sinceramente, gostaria de ver meu time vencendo com mais tranquilidade. Deve ser bom conseguir aplicar algumas goleadas de vez em quando e terminar os jogos com placares mais elásticos.


Por outro lado, é melhor passar sufoco durante os jogos, mas sair deles com a vitória. Pior seria se os triunfos não acontecessem, né? Esse tem sido o consolo da nação alvinegra do Parque São Jorge nos últimos anos. A equipe profissional não perde uma partida oficial há oito jogos. A última foi no início de novembro, na 33ª rodada do Brasileirão, para o América Mineiro em Uberlândia. De lá para cá, foram sete vitórias e apenas um empate. Até os garotos dos juniores terminaram invictos a participação na Copinha, com oito vitórias consecutivas.


De qualquer maneira, fica aqui minha recomendação aos corintianos: procurem bons cardiologistas e façam exames para verificar como estão os corações o mais rápido possível. Vale a pena medir e controlar a pressão também. O ano promete desde já fortes emoções e nós precisamos estar em ótimas condições para aguentá-las. O Paulistão logo mais vai chegar às fases finais e a Libertadores não tardará em começar. E o sofrimento corintiano só tende a aumentar em escala exponencial nas próximas semanas e meses com a chegada dos jogos decisivos. Consulte, amigo sofredor, o cardiologista mais perto de casa ou o profissional de sua confiança. Bons jogos e saúde para todos!


31 de janeiro de 2012 - terça-feira


A terça-feira foi recheada de más notícias no Sport Clube Corinthians Paulista. Para começar, vários atacantes do elenco estão com problemas físicos e deverão desfalcar a equipe na próxima partida contra o Ituano. Emerson e Liedson, os dois titulares, estão sentindo dores musculares e foram descartados pelo treinador. O reserva Jorge Henrique também está sofrendo com um incomodo muscular e também foi vetado pelo departamento médico. William, outra opção para o setor, segue tratando o músculo adutor da coxa e ficará mais uma semana longe dos gramados.


Adriano poderia ser escalado, mas segue apenas treinando, tentando readquirir a melhor forma física. É notório que o camisa 10 precisa emagrecer e não consegue aguentar os 90 minutos de uma partida. A pergunta é: quando será que ele estará em plenas condições para atuar? Há dez meses no Corinthians, Adriano colecionou alguns escândalos, vários atos de indisciplina e só jogou 75 minutos ao todo. Fez apenas um gol. É pouco para alguém que é considerado por muitos como um dos melhores centroavantes do planeta e para quem recebe o maior salário do elenco corintiano. Se em quase um ano ele ainda não está pronto, quando estará? Fábio Mahseredjian, um dos mais competentes preparadores físicos do país, já desistiu de dar um prazo para a volta aos gramados de seu jogador mais problemático. Após vários anúncios equivocados nesse sentido, o homem responsável pelo físico dos atletas do Corinthians não dá mais nenhuma data e parece um tanto decepcionado com o Imperador.


Além disso, Adriano precisa ganhar novamente a confiança do treinador. Tite tem dado várias entrevistas afirmando que não colocará ninguém na lista dos 25 jogadores que poderão atuar na Libertadores apenas pelo nome. O atleta precisa merecer sua inscrição. O recado é claro e dirigido ao gordinho preguiçoso da equipe.


Assim, as opções restantes para o ataque são Élton, Gilsinho e Bill. Os dois primeiros foram confirmados como titulares. Enquanto Élton já jogou alguns minutos contra o Mirassol na primeira rodada, tendo feito inclusive um gol, Gilsinho estreará com a camisa do Timão amanhã. Bill, jogador que retornou de empréstimo do Coritiba, ficará no banco a espera de uma chance no segundo tempo.


Outra nota desagradável foi o comunicado sobre a necessidade de cirurgia no zagueiro Paulo André. O titular da defesa do Timão fará amanhã uma artroscopia no joelho direito e ficará entre 30 e 40 dias afastado. Assim, Chicão deverá continuar como dupla de zaga de Leandro Castán. Com o longo tempo de recuperação, Paulo estará fora da estreia do Corinthians na Copa Libertadores, no dia 15 de fevereiro, contra o Deportivo Táchira. Ele também desfalcará, provavelmente, o time nos outros dois jogos da primeira fase da competição sul-americana.


Por tudo isso, Tite escalou a seguinte formação para a partida da quarta rodada do Paulistão: Júlio César; Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Danilo e Alex; Gilsinho e Élton.


-----------

Oitava série narrativa da coluna Contos & Crônicas, “O Ano que Esperávamos Há Anos” é o testemunho dos doze meses de 2012. Este relato é uma espécie de diário feito no calor das emoções por um fanático torcedor corintiano. Ele previu as conquistas de seu time do coração naquela temporada que se tornaria mágica. Nessa coletânea de crônicas é possível acompanhar os jogos do Corinthians, relembrar as decisões do técnico, entrar nos bastidores do Parque São Jorge e conhecer a vida dos principais jogadores alvinegros. O leitor também sofrerá com as angústias dos torcedores do Timão, poderá acompanhar o desenrolar dos campeonatos e, principalmente, irá se emocionar com as maiores conquistas futebolísticas desse clube centenário.


Gostou deste post e do conteúdo do Bonas Histórias? Compartilhe sua opinião conosco. Para acessar outras narrativas do blog, clique em Contos & Crônicas. E não deixe de nos acompanhar nas redes sociais – Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn.

A Epifania Comunicação Integrada é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Dança & Expressão é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Mandarina é a livraria diferenciada que está localizada em Pinheiros, na cidade de São Paulo
Eduardo Villela é Eduardo Villela é book advisor e parceiro do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento