top of page

Bonas Histórias

O Bonas Histórias é o blog de literatura, cultura, arte e entretenimento criado por Ricardo Bonacorci em 2014. Com um conteúdo multicultural (literatura, cinema, música, dança, teatro, exposição, pintura e gastronomia), o Blog Bonas Histórias analisa as boas histórias contadas no Brasil e no mundo.

bonashistorias.com.br

Ricardo Bonacorci

Nascido na cidade de São Paulo, Ricardo Bonacorci tem 43 anos, mora em Buenos Aires e trabalha como publicitário, produtor de conteúdo, crítico literário e cultural, editor, escritor e pesquisador acadêmico. Ricardo é especialista em Administração de Empresas, pós-graduado em Gestão da Inovação, bacharel em Comunicação Social, licenciando em Letras-Português e pós-graduando em Formação de Escritores.  

  • Foto do escritorRicardo Bonacorci

Crônicas: O Ano que Esperávamos Há Anos - Novembro de 2012

Com a aproximação do Mundial de Clubes, jogadores e torcedores do Corinthians só pensam nos preparativos para a viagem ao Japão em dezembro.

O Ano que Esperávamos Há Anos - Contos & Crônicas - Bonas Histórias - Ricardo Bonacorci - Novembro de 2012

1º de novembro de 2012 - quinta-feira


Nos últimos meses, o ambiente no Corinthians tem se caracterizado pela total harmonia entre jogadores, comissão técnica, diretores, conselheiros e torcedores. Todos estão radiantes como jamais estiveram. Vivemos algo raríssimo no Parque São Jorge: tempos de paz! Ninguém briga com ninguém. As discussões acaloradas, as picuinhas e as intrigas nos bastidores parecem fazer parte do passado. O novo Corinthians é assustadoramente diferente daquele antigo Corinthians. Ainda bem!


Com as conquistas recentes do Campeonato Brasileiro (do ano passado) e da Copa Libertadores (deste ano), com a demissão de Adriano (em maio), o único atleta com a capacidade para tumultuar o clima no vestiário, e com a liderança exemplar de Tite (desde outubro de 2010 como técnico do Timão), juro que não me recordo da última grande polêmica que explodiu no clube.


Neste contexto de completa paz, as declarações de Burrito Martínez (agora estou começando a entender seu apelido!) na coletiva de imprensa de hoje destoaram tanto e repercutiram tão mal. Ao ser questionado pelos jornalistas sobre sua situação no Corinthians, o argentino se saiu com essa: "Se eu ficar na reserva no início do ano que vem, eu peço para ir embora. Para ser convocado (para a Seleção da Argentina) preciso jogar no meu time. Estou pensando numa possibilidade muito importante de jogar a Copa do Mundo. Eu vou fazer tudo por isso”. E completou: “Eu quero o melhor para o Corinthians, mas o melhor para mim também. Eu não tenho problema em ficar na reserva, mas neste momento, próximo de uma Copa, quando estou sendo chamado (para a Seleção) não dá (para ficar no banco). Em outro momento, aceitaria. Agora, não”. As palavras de Martínez espantaram os repórteres na sala de entrevistas.


Sinceramente, não me lembro do último atleta alvinegro que veio a público cobrar a titularidade na equipe de Tite. Talvez tenha sido o lunático do Adriano no início do ano? Pode ser. O importante é que essa não é a postura dos jogadores corintianos. Na Era Tite, apenas os melhores são alçados ao campo de jogo. E essa situação é definida nos treinos e nas partidas. Não adianta os boleiros reclamarem, espernearem e/ou chiarem nos bastidores ou nos microfones. É o desempenho efetivo de cada um nas quatro linhas que o fará ser aproveitado ou não pelo treinador.


É verdade que Martínez já merece ser titular do Coringão. Ele é muito talentoso, sempre joga bem e sabe fazer gols (Romarinho, por exemplo, tem sérias dificuldades nesse último quesito). Porém, o argentino perdeu toda a razão quando reclamou publicamente da reserva. Obviamente, ele está pensando unicamente em si e não no coletivo quando tem tal atitude. Talvez Martínez não tenha entendido como funciona o novo Corinthians. Por ser novato no Timão, ele pode ter achado que se ganha a vaga no grito, como é feito normalmente em outras equipes no Brasil e na Argentina. Foi, portanto, infeliz nas declarações.


A questão é saber se a polêmica entrevista do camisa 7 irá desestabilizar o grupo e azedar sua relação com o técnico. Veremos a repercussão. Veremos...


2 de novembro de 2012 - sexta-feira


A sexta-feira corintiana foi marcada pelas respostas da comissão técnica e da diretoria às declarações de ontem de Martínez. Pelas palavras dos comandantes do Parque São Jorge, o clima de tranquilidade não será desfeito tão cedo. O técnico Tite e o diretor Duílio Monteiro Alves encararam com naturalidade as cobranças do argentino e não quiseram polemizar.


O treinador do Timão disse achar normal um jogador ter a ambição de ser titular. Para o gaúcho, se seus atletas não tivessem esse desejo, aí sim ele teria um problemão. Entretanto, na visão do técnico, os boleiros precisam compreender que as 11 vagas de titular são conquistadas em campo, jogando bola, e não no grito.


“Ambição de ser titular todos têm. É normal que tenham. E todos vão buscar dessa forma. Eu falo para ele (Martínez) o que vale para todos. A bola fala e o campo fala. É lá dentro que se fala, que se consegue a vaga. É no campo que se mostra (a competência). Todos querem ser titulares”, afirmou hoje o técnico campeão da América para os jornalistas presentes no CT Joaquim Grava.


Em um futuro próximo, tenho certeza de que iremos enxergar Tite como um treinador talentosíssimo e ao mesmo tempo extremamente folclórico. Suas declarações são sensacionais! "A bola fala e o campo fala" é uma de suas principais tiradas, que já entrou para o repertório cultural do futebol brasileiro. Inclusive, já ouvi outros treinadores e jogadores repetindo esse mantra do Seu Adenor. Incrível!


Ainda mais diplomático, Duílio Monteiro Alves, diretor adjunto de futebol do Corinthians, garantiu que a reclamação púbica de Martínez não foi uma surpresa. Duílio disse já ter conversado com o jogador sobre essa situação e ter aconselhado o gringo a continuar trabalhando para mostrar seu valor. Além disso, o cartola ratificou as palavras do treinador:


"Insatisfação com a reserva é pré-requisito aqui no Corinthians. Eu não quero mesmo que ele fique falando que está feliz, que não quer brigar para ser titular. Mas aqui todo mundo sabe como funciona. O que posso falar é: 'Vai para o campo, treina e ganhe espaço lá', como o Tite sempre falou. O Tite é justo. Então ele vai escolher os melhores. Quase todos os titulares de hoje já ficaram no banco também. Então não tem como querer ser titular sem ganhar a posição no campo".


Repare que a polêmica levantada na quinta-feira foi devidamente contornada já no dia seguinte. Além disso, para a felicidade de Martínez, ele deverá jogar na próxima rodada. Com as ausências de alguns atacantes, sobrará para o camisa 7 a tarefa de entrar em campo e mostrar que pode sim ser titular do Timão. Vamos ver se ele aproveitará a chance. Depois não poderá reclamar que ninguém ouviu o que o campo e a bola falaram, né? Porque você sabe: o campo e a bola falam muuuuuuuito!


3 de novembro de 2012 - sábado


A manhã desse sábado foi especial para dois jogadores corintianos. Primeiramente, Zizao recebeu a visita da mãe no Parque Ecológico do Tietê. Em viagem ao Brasil, a matriarca do chinesinho acompanhou as atividades nos campos do CT alvinegro e ficou muito orgulhosa de ver seu garoto vestindo a camisa do Timão. Como ela não sabe falar inglês (muito menos português), acabou não conversando com ninguém, além do filho. O próprio Zizao não conseguiu explicar para os jornalistas como se soletrava o nome da mãe. Se para os chineses é complicado, imagine para nós brasileiros como deve ser difícil para escrever ou pronunciar o nome da mulher, né? Nesse ambiente bem familiar, o camisa 200 deve ter ficado feliz por não ter sido relacionado para a partida de amanhã contra o Atlético Goianiense. Na certa, o gringo aproveitará a companhia da mãe durante todo o final de semana em São Paulo.


Outro atleta visivelmente contente era Jorge Henrique. Depois de vários meses frequentando o banco de reservas ou entregue ao departamento médico, o camisa 23 voltou a ser escalado na equipe principal do Corinthians. A escolha de Tite se deu muito em função das ausências de Guerrero (suspenso) e de Emerson e Danilo (machucados). De qualquer maneira, depois de quase três meses (a última vez como titular foi em 12 de agosto contra o Coritiba), Jorge retornará ao campo de jogo.


Para o técnico corintiano, a partida de domingo é o segundo teste do Timão para o Mundial. Depois da boa atuação contra o Vasco, Tite poderá testar um novo ataque. Amanhã, os atacantes do Timão serão Martínez, Romarinho e Jorge Henrique. É justamente neste setor em que o gaúcho tem mais dúvidas. As opções de frente no elenco do Coringão são variadas e de qualidade. Douglas, Danilo, Romarinho, Emerson, Paolo Guerrero, Martínez e Jorge Henrique são os postulantes às quatro vagas. Ou seja, sete jogadores brigam pela titularidade. Por isso, os três escalados para a próxima partida precisam mostrar serviço. A partir de agora, qualquer vacilo poderá representar a saída do time principal que jogará no Japão.


A defesa, o ponto alto da equipe do Parque São Jorge nos dois últimos anos, não deverá sofrer alteração até dezembro. Se ninguém se machucar, o setor defensivo da equipe corintiana que começará o jogo da semifinal do Mundial Interclubes será: Cássio; Alessandro, Chicão, Paulo André e Fábio Santos; Ralf e Paulinho. Pensando nisso, Tite escalou outra vez essa formação. A ideia é dar ainda mais ritmo de jogo e aperfeiçoar o entrosamento lá atrás.


À princípio a partida contra o Atlético-GO não vale nada para o Corinthians na competição nacional. Por outro lado, essa é uma ótima oportunidade de treino. A pouco mais de um mês da competição realmente importante, Tite precisa saber como estão seus comandados. Será pelo desempenho nos últimos cinco jogos do Brasileirão que ele irá definir a equipe titular no Mundial. Se no lado corintiano a partida é encarada como um simples treinamento, para o Atlético o jogo é de vida ou morte. Se os goianos perderem, estarão rebaixados. Para piorar, eles não poderão jogar em sua casa. Devido à punição da CBF, o confronto com o Timão será em Brasília.


4 de novembro de 2012 - domingo


O domingo foi de sol forte e muito calor em Brasília. A temperatura no Estádio Serejão indicava 35ºC nos instantes preliminares à partida entre Atlético Goianiense e Corinthians. Se Tite via o jogo de hoje como mais um preparativo para o Mundial em dezembro, evidentemente o clima não ajudava. Diferentemente do Japão, que deverá ter temperaturas negativas durante a competição da FIFA, no Planalto Central brasileiro o clima era de Verão.


Sem se preocupar com a questão climática, o Timão começou pressionando. O trio ofensivo formado por Martínez, Romarinho e Jorge Henrique se mostrava animado e entrosado. Ajudado pelas assistências de Douglas e pelos vários passes errados do adversário, o Corinthians foi dono absoluto do primeiro tempo. As chances para abrir o marcador foram variadas: Douglas em cobrança de falta e Martínez e Paulinho em chutes à queima roupa. Infelizmente, todos ficaram no quase.


A Fiel Torcida, que encheu o estádio e era maioria absoluta nas arquibancadas, só soltou o grito de gol no segundo tempo. Aos 8 minutos da etapa complementar, Paulinho, em outra atuação de gala, deu passe açucarado para Martínez. O camisa 7 só precisou dominar a bola na grande área e tocar no canto do goleiro. Goooooool! Corinthians 1 a 0. O argentino encrenqueiro mostrava em campo estar mesmo à altura de ser titular da equipe de Tite.


A vantagem no placar aumentou a tranquilidade do Timão. No lado goiano, a necessidade de vitória para fugir do rebaixamento deixava os jogadores ainda mais nervosos. Os erros do Atlético-GO se acumulavam. A equipe paulista passou a trocar passes e com facilidade chegava à área adversária. Romarinho e Paulinho perderam claras oportunidades na frente do goleiro. Douglas, em atuação espetacular, era o responsável por deixar os atacantes alvinegros na frente da meta rival.


O segundo gol só saiu no finalzinho. Guilherme, que entrara no lugar de Douglas, aproveitou bate-rebate na grande área e chutou forte. 2 a 0. Com o apito final, o segundo teste corintiano para o Mundial terminou com a segunda vitória consecutiva. É verdade que o adversário de hoje era a pior equipe do Brasileirão e não deu qualquer trabalho para o sistema defensivo do Coringão. Cássio assistiu ao jogo pacientemente embaixo da baliza. O aspecto positivo é que o Timão jogou mais uma vez bem e parece cada vez mais preparado para encarar o poderoso Chelsea.


Para completar a festa corintiana, o sistema de som do estádio candango informou: o Palmeiras empatou com o Botafogo em partida realizada simultaneamente. O nosso grande rival está cada vez mais perto da Série B em 2013! O rebaixamento do Palestra é algo cada vez mais provável. E a contagem regressiva da Fiel Torcida já começou. Saibam que na próxima rodada, poderemos comemorar matematicamente essa grande façanha do Palmeirinha. Uhu!


5 de novembro de 2012 - segunda-feira


O Campeonato Brasileiro de 2012 já está quase decidido. Com quatro rodadas de antecedência, já é possível prever com grande segurança quem será o campeão, quais equipes estarão classificadas para a Copa Libertadores do próximo ano e quais times serão rebaixados para a Série B de 2013.


Dificilmente o Fluminense (73 pontos) perderá o título desta temporada. O tricolor carioca tem nove pontos de vantagem em relação ao vice-líder, o Atlético Mineiro (64). Como faltam apenas quatro jogos (12 pontos em disputa), ninguém em sã consciência (nem o mais otimista torcedor atleticano!) acredita em uma virada do Galo. Para os matemáticos, o Flu tem 99% de chances de terminar a competição em primeiro. Ou seja, a quarta conquista da Série A da equipe das Laranjeiras é uma questão de dias.


A briga pela classificação para a próxima Libertadores também está quase sacramentada. As outras três equipes brasileiras que irão disputar o principal torneio do continente em 2013 (além do Fluminense, primeiro colocado no Brasileirão, do Corinthians, campeão da Liberta nesse ano, e do Palmeiras, campeão da Copa do Brasil) são: Atlético Mineiro, Grêmio (63 pontos) e São Paulo (59 pontos). É possível fazer essa afirmação pois os concorrentes para a vaga na competição sul-americana estão bem atrás na classificação. Internacional e Botafogo têm 51 pontos e Vasco da Gama tem 50. Enquanto o Flu e o Galo já estão matematicamente classificados para a próxima Libertadores, Grêmio e São Paulo têm 99% de chances de ir também.


Até mesmo a zona de rebaixamento já parece definida com grande antecipação. Com a derrota para o Timão no domingo, o Atlético Goianiense (23 pontos) é a primeira equipe matematicamente rebaixada no Brasileirão de 2012. O Figueirense (29 pontos) tem 99% e o Palmeiras (33 pontos) tem 97% de chances de cair. Ambas as equipes podem ser definitivamente degoladas já na próxima semana em caso de nova derrota. Que maravilha! O Verdão rebaixado com três rodadas de antecedência!!!


A quarta e última vaga para o descenso pode cair no colo de Sport (36 pontos – 80% de chance de cair) ou no de Bahia e Portuguesa (40 pontos e 10% de chance de cair cada um). Desse trio, dois se salvarão e um se juntará ao grupo composto por Atlético-GO, Figueirense e Palmeiras. Essa briga deverá ir até a última rodada.


O Brasileirão de 2012 vai se definindo com grande antecipação, o que tira a emoção da rodada final. Isso é algo atípico. Nos últimos três anos, a competição foi decidida na última rodada e nos instantes finais dos últimos jogos. Vale lembrar, por exemplo, que a Fiel Torcida só começou a cantar "É campeão!" em 2011 após os 90 minutos do último confronto. E Flamengo e Fluminense só conquistaram os títulos de 2009 e 2010, respectivamente, com gols nos momentos derradeiros da última rodada. Aquilo sim foi emoção! Se bem que é meio complicado, como corintiano, falar em "emoção" no Campeonato Brasileiro deste ano, né? Meu time praticamente não disputou o torneio desta temporada e, para mim, a competição não teve muita graça. Estou há praticamente quatro meses esperando o Mundial Interclubes chegar...


6 de novembro de 2012 - terça-feira


Trago uma ótima notícia para a Fiel Torcida. Emerson Sheik, o grande herói corintiano na final da Copa Libertadores, voltou aos treinamentos nesta semana. O camisa 11 do Timão estava no departamento médico por causa de um estiramento no ligamento do joelho. A contusão aconteceu na partida contra a Portuguesa, no Canindé, em 13 de outubro. Por isso, Sheik desfalcou o Corinthians por quase um mês (quatro partidas do Campeonato Brasileiro).


O atacante treinou normalmente ontem no CT corintiano para readquirir o melhor condicionamento físico. Ele fez trabalhos físicos tanto no campo quanto na academia. Se na segunda-feira Emerson Sheik só correu ao redor do gramado por alguns minutos, nessa terça ele já teve contato com a bola.


Apesar da volta do avante às atividades normais do dia a dia do clube, o departamento médico vetou a presença do camisa 11 na próxima partida do Campeonato Brasileiro. No sábado, o Timão pega o Coritiba no Pacaembu. Para a comissão técnica corintiana, Emerson precisa ainda evoluir fisicamente para voltar a atuar em alto rendimento. Assim, ele vai sendo preparado para retornar aos gramados nas partidas finais do Brasileirão. Esses últimos jogos do ano serão fundamentais para deixar o Sheik novamente em ponto de bala para o Mundial de Clubes.


A grande questão é saber como estará o jogador na segunda semana de dezembro, quando a competição no Japão iniciar. Emerson foi titular absoluto nas fases finais da Copa Libertadores e foi quem decidiu os últimos confrontos, contra Santos (semifinal) e Boca (decisão). Ele é muito importante para o Corinthians e se não estiver em campo fará uma falta danada.


Tite explicou que conta, à princípio, com o jogador para o Campeonato Mundial. Para Sheik chegar bem no Japão, o treinador imagina que ele deva fazer uma sequência de pelo menos três partidas antes da viagem: "Quero ter o Emerson o mais rápido possível, mas com segurança, passando pelo departamento físico, assim como foi com Wallace e Danilo, que já trabalham com bola. Vamos ver em que estágio (os jogadores do Timão) estarão para o jogo de sábado”.


A ideia de Tite é testar uma formação com Guerrero e Emerson no ataque. Infelizmente, os dois ainda não puderam jogar juntos e, como consequência, não possuem o entrosamento necessário. Se Sheik não estiver 100%, as opções do treinador para completar o setor ofensivo recaem em Martínez, Jorge Henrique e Romarinho. Os três são bons jogadores, mas Emerson é mais decisivo.


Precisando fazer uma escolha tão difícil (Escalar ou não escalar Emerson? Essa é a questão!), Tite respondeu aos jornalistas: “Tudo pesa a favor e tudo pesa contra. A verdade pesa. Pesa o jogador decisivo na Libertadores? Pesa. Pesa ficar machucado e parado um longo tempo? Pesa. Pesa o estágio que voltará? Pesa. Ser justo é uma coisa muito difícil”. Certamente, o treinador corintiano está intrigado sobre o que fazer.


7 de novembro de 2012 - quarta-feira


Corintiano que se preze só tem três pensamentos nos últimos meses: Mundial, Mundial e Mundial de Clubes da FIFA. Muitos torcedores (e põe muitos nessa conta) já estão de malas prontas, passagem nas mãos e visto regularizado para a viagem para o outro lado do mundo. Se eu tivesse bem de saúde e com dinheiro disponível, com certeza embarcaria para a Ásia com a turma alvinegra. Até mesmo para quem vai acompanhar os jogos exclusivamente pela televisão, a ansiedade é total.


Não só os jogadores do Timão e a Fiel Torcida estão focados na competição internacional. A diretoria corintiana faz planos logísticos para a viagem, desenvolve ações de marketing para serem implementadas no Japão e busca formas de angariar mais dinheiro. A camisa do Corinthians, por exemplo, segue sem um patrocinador máster fixo. Contudo, várias empresas têm cortejado recentemente os cartolas do Parque São Jorge. Por isso, há a possibilidade de se fechar um patrocínio pontual para dezembro ou mesmo um contrato anual com uma grande companhia.


Com o Mundial batendo à porta, é natural o aumento do interesse dos corintianos pelo Chelsea. Quem não quer saber como está nosso principal adversário no Japão, né? Hoje, os ingleses jogaram pela 4ª rodada da Copa dos Campeões da Europa. A partida foi transmitida no final da tarde pela TV Bandeirantes. É claro que eu assisti atentamente aos lances do jogo em Londres. O Chelsea ganhou do Shakhtar Donetsk da Ucrânia por 3 a 2. Com os três pontos, os ingleses empataram na liderança do grupo com os ucranianos (7 pontos para ambos). Logo atrás vem a Juventus com 6.


Minha avaliação da partida dessa quarta-feira foi que o Chelsea tem mesmo uma bela equipe. Com as contratações milionárias feitas no meio do ano, eles ficaram ainda mais fortes. O meio-campo é o ponto alto do clube londrino. O meia-armador brasileiro Oscar e o meio-campista espanhol Juan Mata são talentosíssimos. O volante Ramirez é o Paulinho deles, pois sabe marcar e sabe sair jogando maravilhosamente bem. Eles também têm um bom atacante, o belga Eden Hazard. Já o centroavante, o espanhol Fernando Torres, é um pouco limitado (minha frase contém eufemismo, tá?).


O ponto fraco do Chelsea parece ser a defesa. Se eles se fortaleceram do meio para frente, perderam força lá atrás. Os defensores batem cabeça às vezes e os laterais são fracos tecnicamente. Na partida de hoje, os ucranianos tiveram muita facilidade para chegar ao ataque e poderiam ter feito mais do que dois gols.


Assim, vou dormir mais tranquilo à noite. Nosso grande rival em dezembro se fortaleceu e está melhor nesta temporada. Contudo, é possível vencê-los sim! Se o Timão chegar bem física e tecnicamente ao Japão, fará um jogo de igual para igual com os europeus. Vale a pena dizer que isso já é um grande feito esportivo para o futebol sul-americano. Nos últimos anos, os campeões do Velho Continente têm humilhado os representantes da COMEMBOL. O Timão poderá quebrar a sequência de cinco anos de conquistas europeias no Mundial. Que Deus me ouça!!!


8 de novembro de 2012 - quinta-feira


Voltemos ao futebol nacional. Hoje gostaria de falar um pouco mais do Campeonato Brasileiro. A polêmica que tem agitado os torcedores é sobre a atuação dos times paulistas na temporada. A poucas semanas do término de 2012, a questão é: o desempenho dos clubes de São Paulo foi um fracasso como atestam os números do Brasileirão ou o ano pode ser visto como positivo para os quatro grandes de SP?


O único time com bom desempenho na principal competição brasileira é o São Paulo. A equipe do Morumbi está na 4ª colocação e deverá ganhar uma vaguinha na próxima Libertadores. As demais equipes foram meras figurantes. O Corinthians está em 8º, o Santos é 9º, a Ponte Preta está em 14º lugar e a Portuguesa é 15ª colocada. O Palmeiras é ainda pior com a antepenúltima posição (18º).


O mesmo quadro desolador se repete na Série B. Nenhuma equipe do Estado de São Paulo deverá subir para a primeira divisão em 2013. O melhor é o São Caetano na 5ª posição, mas distante em pontos dos primeiros colocados. O restante dos paulistas tem tido desempenho ridículo. O Guarani, vice-campeão estadual, é 15º. O Bragantino e o Guaratinguetá são, respectivamente, 16º e 17º e brigam para não cair. Quem já foi matematicamente para a Série C é o Grêmio Barueri, lanterna da segundona.


Analisando friamente os números do Brasileirão, a resposta parece clara: a temporada dos paulistas foi um grande fracasso. Há quem veja até um declínio daquele que foi até outro dia o melhor futebol do país. Pela primeira vez em muitos anos, um time de São Paulo não brigou pelo caneco da Série A.


Não concordo com essa visão pessimista. O fato de os paulistas estarem mal no Campeonato Brasileiro não quer dizer nada. O Corinthians foi campeão da América. Não havia troféu mais desejado para a Fiel Torcida do que esse. O Santos foi tricampeão paulista e campeão da Recopa Sul-Americana. Se não tivesse perdido os principais jogadores para a Seleção Brasileira por tanto tempo, poderia ter brigado por mais títulos. E não podemos nos esquecer que o Peixe foi semifinalista da Liberta, né?


Com a conquista da Copa do Brasil, o Palmeiras conseguiu ganhar um título nacional depois de uma década de jejum. É verdade que venceram na sorte e jogando mal e agora serão rebaixados no Brasileiro. Porém, foram campeões de alguma coisa. O único sem título em 2012 por enquanto é o São Paulo. Repare que eu disse "por enquanto". O tricolor está nas semifinais da Copa Sul-Americana e é o grande favorito para a conquista da competição. Além de levantarem uma taça depois de quatro temporadas, os são-paulinos poderão se orgulhar de um feito internacional. Nada mal!


Assim, acredito que o ano foi positivo para os grandes de SP. Eles só não disputaram o título do Brasileirão porque o calendário os prejudicou. Fluminense e Atlético Mineiro só estão na ponta da tabela por terem usado suas equipes principais ao longo da maioria das rodadas. Os cariocas foram eliminados precocemente da Liberta e o Galo caiu muito cedo na Copa do Brasil. Essa é a verdade nua e crua.


9 de novembro de 2012 - sexta-feira


Amanhã, o Corinthians pegará o Coritiba no Pacaembu. Depois da próxima rodada, só restarão para o Timão mais três confrontos pelo Campeonato Brasileiro: Internacional, Santos e São Paulo. Quando o Brasileirão finalmente terminar, aí sim será "Coringão rumo a Tóquio". Essa expressão quer dizer que vamos para o Japão. Afinal, o clube do Parque São Jorge não atuará na capital japonesa em nenhum momento. A semifinal será disputada em Toyota e a final ocorrerá em Yokohama.


Para o jogo de sábado, a maior surpresa foi a decisão de Tite de colocar Romarinho na reserva. Pela primeira vez desde a conquista da Copa Libertadores, quando o jovem atacante foi alçado à condição de titular, o Iluminado não estará entre os jogadores que iniciam a partida. Essa escolha do treinador mostra duas coisas: a concorrência pelas vagas no setor ofensivo tem se intensificado muito nas últimas semanas; e os gols perdidos pelo ex-jogador do Bragantino foram decisivos para sua saída do time.


“Já conversei com ele. Até pela circunstância (fase final de preparação para o Mundial de Clubes). A verdade é que nunca tivemos tantos jogadores (para o ataque). Justamente nesse aspecto de maturidade, esse equilíbrio será fundamental. Entrar para o jogo com nível (alto) de concentração. E ele não teve a mesma intensidade de outros jogos”, revelou Tite sobre a conversa tida com Romarinho. “Talvez a conclusão de Romarinho esteja saindo imprecisa. Foram duas chances claras contra o Atlético-GO. São necessárias algumas correções. Ele é bom menino, vai ouvir o pai e a mãe. E mesmo sem conhecer eles, já tenho muita admiração”, prosseguiu o treinador. "O momento é do Jorge e do Martínez (começarem como titulares)".


Com Danilo se recuperando de um corte no pé direito e, por isso, começando o confronto contra o Coxa no banco, o time corintiano foi escalado com um meia-armador e três atacantes. Lá atrás, a mesma base de sempre: Cássio; Alessandro, Paulo André, Chicão e Fábio Santos; Ralf e Paulinho. Na frente, o Coringão vai de: Douglas; Jorge Henrique, Martínez e Paolo Guerrero.


Apesar de Tite preferir o esquema com dois meias e dois atacantes, tática usada durante a fase final da Copa Libertadores, ele quer testar a formação com três atacantes. O principal ponto de observação da comissão técnica alvinegra é como a equipe se comportará com um centroavante fixo. Guerrero é atualmente o único jogador do elenco corintiano com essa característica e é fundamental perceber como os demais atletas irão se comportar ao estilo do peruano.


O Coritiba vem à São Paulo motivado. Depois de flertar com o rebaixamento por várias rodadas, a equipe curitibana engrenou uma série positiva (cinco vitórias, um empate e uma derrota) e afastou o perigo de descenso. O pensamento agora dos jogadores do Coxa Branca é vencer mais um jogo e se aproximar do grupo de times que se classificam para a Copa Sul-Americana em 2013. Vai ser uma boa partida para o Timão. Creio que, como teste para o Mundial, o próximo confronto será melhor do que o do final de semana passado. Vamos ver como o Coringão se comporta.


10 de novembro de 2012 - sábado


Um forte temporal castigou a cidade de São Paulo na tarde e noite deste sábado. Os torcedores que se deslocaram para o Estádio do Pacaembu para ver Corinthians e Coritiba tiveram muitas dificuldades para chegar no horário do jogo. O trânsito na região foi intenso, com várias árvores caídas nas ruas, locais com acúmulo de água e semáforos quebrados. A maioria dos corintianos só conseguiu se sentar nas arquibancadas depois que o juizão tinha apitado o início da partida.


Apesar dos incontáveis transtornos, quem se prontificou a assistir ao duelo da 35ª rodada do Brasileirão não deve ter se arrependido. Todos os sacrifícios impostos à Fiel Torcida pelo dilúvio valeram a pena. O Corinthians teve sua melhor atuação desde a final da Libertadores. O time de Tite deu um verdadeiro show em campo! O Coritiba, coitado, não viu a cor da bola. Foi um massacre!


No primeiro ataque, Guerrero foi derrubado na grande área. Pênalti! Chicão cobrou com categoria e fez 1 a 0. Aos 19 minutos, Fábio Santos arriscou chute de fora da área e a bola foi parar na gaveta do goleiro visitante. Golaço! No lance seguinte, a sorte ajudou Paulinho. O volante artilheiro do Timão cruzou, a bola desviou no defensor do Coxa e enganou o arqueiro. Gol do Corinthians. 3 a 0 em pouco mais de 20 minutos do primeiro tempo.


O Coritiba não conseguia tocar a bola nem avançar ao ataque. O meio-campo corintiano fazia uma barreira intransponível. Em lance isolado pela esquerda da defesa do time da casa, já no final da primeira etapa, os visitantes conseguiram um raro cruzamento. Aí o centroavante paranaense completou para o gol e diminuiu o placar. Foi o único momento de vacilo dos corintianos em todo o jogo.


O segundo tempo começou sem chuva. A ampla vantagem no marcador permitiu ao Timão cadenciar o jogo e trocar passes sem pressa. O futebol envolvente deixou os adversários perdidos. Os gols e os lances foram acontecendo naturalmente, sem a necessidade de os corintianos forçarem ou se desgastarem muito.


Após belíssima troca de passes que contou com a participação de metade do time alvinegro, Danilo (que acabara de entrar em campo) cruzou da direita e Guerrero cabeceou para as redes. 4 a 1. Alguns minutos depois, Paulinho, que dera muito trabalho ao goleiro do Coritiba em chutes de fora da área, aproveitou escanteio para cabecear com precisão: 5 a 1. Delírio nas arquibancadas.


Com a incrível goleada, o Corinthians chegou aos 53 pontos. Assim, ultrapassou momentaneamente o Internacional e o Vasco e atingiu a sexta posição na competição. Mais importante do que a conquista dos pontos e o avanço na classificação foi o excelente futebol apresentado. Se o Timão continuar jogando dessa maneira, ninguém conseguirá nos bater no Japão e seremos campeões do mundo. O entrosamento, a preparação física, a motivação e o aspecto técnico dos jogadores parecem estar chegando ao ápice no momento certo da temporada.


11 de novembro de 2012 - domingo


O domingo à tarde teve clima de final de campeonato. As partidas das 16 horas do Brasileirão trariam importantes definições para a competição deste ano. O jogo transmitido por todas as emissoras de televisão que cobrem o torneio foi Palmeiras e Fluminense. Não por acaso, o duelo realizado em Presidente Prudente, no interior paulista, podia representar o título da equipe carioca e concretizar o rebaixamento do alviverde. Para isso acontecer, havia a necessidade de vitória do Fu e a combinação de alguns resultados favoráveis ao tricolor do Rio e desfavoráveis para os palmeirenses.


O jogo foi nervoso. O Palmeiras, como já tinha feito nas últimas apresentações, jogou bem o primeiro tempo. O Palestra poderia ter saído com a vitória no intervalo se não tivesse errado as finalizações. No último minuto da etapa inicial, Fred, centroavante tricolor, artilheiro da competição e melhor jogador do campeonato, estufou as redes. 1 a 0 para o Flu. Já diz o velho ditado: quem não faz, toma.


No segundo tempo, o Fluminense voltou melhor e ampliou o placar. 2 a 0. Aí aconteceu o improvável. Quando todos no estádio choravam a situação dramática do Palmeiras, os jogadores de verde reagiram. O Palestra diminuiu e na sequência empatou a partida. Delírio dos palmeirenses. Ainda havia esperança...


As chances criadas pela equipe do Parque Antártica eram variadas. O goleiro do Fluminense operou alguns milagres. No fim, veio o castigo. Aos 45 minutos do segundo tempo, a bola sobrou para Fred na grande área. Ele disparou nova bomba. Gol do Fluminense. 3 a 2 para os cariocas. Esse foi o resultado da partida.


A vitória do Flu em Presidente Prudente e o empate do Atlético Mineiro no Rio de Janeiro contra o Vasco (1 a 1) deram o título para a equipe das Laranjeiras. Com três rodadas de antecipação, os tricolores da Cidade Maravilhosa conquistaram seu quarto caneco de Brasileiro. Trata-se de uma conquista merecida. Os jogadores comandados pelo técnico Abel Braga estiveram em ótima forma, principalmente no segundo turno.


A festa dos atletas do Fluminense no gramado tinha como contraste a tristeza dos palmeirenses no estádio. O Palestra só não caiu ainda porque a combinação dos outros jogos não o prejudicou ainda mais. Bahia e Portuguesa também perderam e o Sport Recife só empatou neste domingo.


Agora só um milagre salva a equipe do Parque Antártica da Série B em 2013. O Verdão precisa vencer as próximas três partidas e torcer para Sport, Bahia e Portuguesa perderem quase todos os pontos que vão disputar. Uma combinação um tanto difícil, né? Se o Palmeiras perder o próximo jogo, que será no Rio de Janeiro contra o Flamengo, aí sim o descenso estará matematicamente garantido.


Torcida corintiana, é questão de tempo para comemorarmos a nova façanha deste incrível ano de 2012. Quem poderia imaginar tantas alegrias em apenas 366 dias, hein?! Às vezes, começo a me questionar se isso é verdade. Alguém pode me beliscar!


12 de novembro de 2012 - segunda-feira


A repercussão da goleada de sábado não poderia ter sido mais favorável para os jogadores do Timão. Tite elogiou muito os atletas corintianos pela forma como a vitória foi obtida. O treinador afirmou que vê em seu elenco 15 jogadores em condições de iniciar o Mundial na titularidade: “Eu tenho hoje 15 titulares. O campo fala isso. Conte os 11 que começaram (o jogo contra o Coritiba), os três que entraram (durante a partida: Edenílson, Romarinho e Danilo). E um que poderia entrar (eventualmente: Guilherme)”.


É interessante perceber que, neste momento, Tite não vê Sheik como um dos protagonistas da equipe corintiana. “O Emerson não está nos 15 (citados). Falei aqueles que estão à disposição hoje”, complementou o treinador. Assim, é necessário o camisa 11 readquirir a melhor forma física e técnica para só depois brigar por uma vaga no time principal.


Tite também ficou muito satisfeito com o comprometimento e a intensidade demonstrados em campo. Em apenas 20 minutos, o Corinthians já ganhava por 3 a 0 do Coritiba. O futebol coletivo é o grande segredo do atual grupo alvinegro. O Timão de hoje alia segurança defensiva, maturidade tática, controle emocional e rapidez ofensiva, o que o torna uma equipe quase imbatível.


Paolo Guerrero foi o principal destaque individual do sábado. O centroavante chegou de maneira tímida ao Parque São Jorge e aos poucos vem mostrando bom futebol, o que o credencia a uma vaga entre os titulares. Contra o Coxa Branca, ele sofreu pênalti, fez gol e participou ativamente das jogadas ofensivas.


O peruano deixou o Pacaembu duplamente feliz. A alegria, em primeiro lugar, devia-se à sua atuação. “Um centroavante como eu precisa fazer gols. Hoje eu pude fazer. Fico muito contente", comentou o jogador. Depois, ele saiu impressionado com a forma como a equipe corintiana atuou: “O time jogou muito bem. O time jogou pra c... Agora é trabalhar para ficar 100% para o Japão”. O camisa 9 ficou tão empolgado com a possibilidade de disputar a primeira competição internacional com a camisa do Corinthians que acabou soltando um palavrão diante dos microfones.


Se continuar jogando assim, Guerrero deverá ser mesmo titular do Timão no Mundial. Gosto quando a equipe corintiana joga com um centroavante fixo. As melhores atuações da equipe de Tite nos últimos anos tiveram justamente essa formação. Infelizmente, todos os nossos centroavantes tiveram algum problema. Liedson tinha sérias limitações físicas que o impediam de se movimentar. Adriano não era uma pessoa confiável e estava sempre em crise existencial. Élton, o terceiro jogador da posição, era muito fraco tecnicamente.


Assim, o treinador corintiano pouco pôde fazer para colocar a formação ideal. A escolha mais óbvia foi escalar jogadores rápidos pelas pontas, sem um homem de referência na grande área adversária. Agora temos esse jogador. Guerrero é o cara!


13 de novembro de 2012 - terça-feira


Você deve se lembrar que no começo do ano estourou a notícia do envolvimento de Emerson Sheik com um esquema de lavagem de dinheiro e contrabando de carros. Na época, uma operação da Polícia Federal revelou que jogadores de futebol, cantores e empresários estavam envolvidos com a importação irregular de veículos de luxo. Basicamente, eles faziam compras subfaturadas e foram processados.


Pois bem, a ação judicial avançou e Emerson precisou ir nesta terça-feira ao Rio de Janeiro para depor. Como consequência, o camisa 11 não pôde participar do treinamento de hoje de manhã. O corintiano compareceu à audiência como réu. Pesa sobre ele a acusação de lavagem de dinheiro, contrabando e descaminho. "Ele (Emerson Sheik) adquiriu (o veículo) de boa fé. Comprou o carro em uma concessionária conhecida. Pode até ser considerado lesado como outros por ter comprado um carro que achava ser novo", explicou o advogado do atleta, Ricardo Cerqueira, antes da audiência.


Após três horas de depoimentos das testemunhas, o juiz marcou nova audiência para janeiro. Assim, liberou momentaneamente os envolvidos. Não há prazo para a conclusão dos trabalhos da Justiça e a ação será retomada apenas no início de 2013. "Não tive intenção de fazer nada de errado”, declarou o atleta na saída do tribunal.


Estou trazendo essa questão ao O Ano que Esperávamos Há Anos porque Emerson não corre o risco de perder o Mundial de Clubes. A diretoria corintiana estava preocupada com essa possibilidade. Afinal, a Justiça brasileira poderia impedir a saída do jogador do país. Contudo, tal hipótese foi descartada hoje. Emerson poderá viajar normalmente para o Japão em dezembro. Ufa!


Por falar em Sheik, ele deverá ir a campo no próximo final de semana. O Timão pegará o Internacional em Porto Alegre no domingo. E o camisa 11 deve formar a dupla de ataque com Guerrero. Pelo menos essa é a expectativa da Fiel Torcida. Porém, o treinador corintiano despistou: “Vamos deixar pra definir isso até sexta-feira, sábado. Vocês falam bastante. O importante é o Emerson estar de volta. Ele já treina de tarde. Vamos ver o desempenho (do jogador nos treinamentos)".


Tite estava irritado na entrevista coletiva. Tudo por causa da convocação de três jogadores corintianos para a Seleção. Enquanto Paulinho e Fábio Santos disputarão o amistoso de amanhã contra a Colômbia nos Estados Unidos, Ralf se juntará depois ao grupo brasileiro para o Superclássico das Américas, que enfim será disputado no final do mês. A partida contra a Argentina foi remarcada para o Estádio de La Bombonera.


"Não sei quantificar o prejuízo (por não ter o trio treinando). O que temos que saber é dosar o preparo desses atletas. A gente vai monitorar esses jogos. Tem que ver para não sobrecarregar os jogadores", explicou o treinador. "Fato é que é um momento de preparação muito importante. O Corinthians corre risco". A reclamação de Tite procede. A CBF está sim atrapalhando os treinos do Timão para o Mundial.


14 de novembro de 2012 - quarta-feira


Um dos grandes defeitos do Brasil é ter pessoas que se consideram muito espertas. A palavra esperta tem aqui o sentido pejorativo. A conotação é de quem tenta enganar os outros. Você já reparou como há casos de empresas e indivíduos explorando a boa vontade e o sonho alheio?! Normalmente as vítimas são gente mais humilde, ingênua e inocente, que acabam caindo nos golpes.


Estou falando sobre isso porque uma empresa chamada Apito Promocional lançou, após a Libertadores, um produto que encheu os olhos de muitos corintianos. A empresa vendia kits com adesivos e bonés do Corinthians ao preço de R$ 69,00. Até aí nada demais. O que teria de tão abominável na compra de alguns produtos do Timão? Aí vem o X da questão. O principal benefício para o comprador era ganhar cupons que davam direito a participar de uma promoção chamada "Viaje com o Timão". Os 130 sorteados ganhariam passagens para o Japão com tudo pago para ver o Coringão no Mundial. A empresa também prometia sortear carros e motos. Aí estava a graça da brincadeira. Por menos de R$ 70,00, o corintiano tinha a chance de viajar para a competição da FIFA. E se não conseguisse ganhar a tão sonhada viagem, podia se contentar com o recebimento de um automóvel ou de uma moto. Nada mal, né?


Para divulgar o produto, a Apito Promocional fez uma grande campanha de marketing. Ela contratou alguns jornalistas para a divulgação, comprou espaço publicitário em TVs, rádios, jornais e revistas e estampou a logomarca da empresa na camisa do Corinthians por alguns jogos. Rapidamente muita gente soube da ideia e, na esperança de ganhar o sorteio, comprou os kits.


Confesso que também pensei, no início, se deveria ou não comprar o produto da Apito Promocional. Não seria nada mal ganhar algo no sorteio... Contudo, preferi não arriscar. Tive dois motivos para a recusa. Em primeiro lugar, eu não gosto de participar de nada que envolva a sorte. É uma coisa minha. Não entro em promoções, sorteios nem loteria. A única exceção é participar da Mega Sena da Virada. Todo final de ano faço um joguinho (apenas um) só para ter a esperança de amanhecer milionário em 1º de janeiro. O segundo motivo era não confiar em uma empresa desconhecida. Quem é a Apito Promocional?


Agora surge a notícia estarrecedora. No site da companhia, eles declararam suspensa a promoção. Depois de angariar o dinheiro com a venda do produto e não pagar os fornecedores (espaço da mídia e o Corinthians), a Apito Promocional declarou a falência. Espertos, não?! Com isso, milhares de corintianos ficaram na mão. Conhecendo um pouco o país no qual nasci e moro, tenho certeza de que ninguém vai receber o dinheiro de volta.


Entre os lesados, o maior prejudicado é o Sport Club Corinthians Paulista. Além de não receber da empresa cerca de R$ 1 milhão pela venda do espaço na camisa, o clube pode ainda ser alvo da Justiça. Afinal, foi um parceiro comercial que deu calote nos consumidores. Ai, ai, ai. Pode uma coisa dessa, senhores e senhoras?!!!


15 de novembro de 2012 - quinta-feira


Esse é o ano de Tite. Nunca o treinador gaúcho, hoje comandando o Timão, esteve tão em evidência. Ele vive a melhor fase na carreira e é considerado por muitos como o melhor técnico brasileiro da atualidade. Sou um dos que compartilha dessa opinião. Por isso, muita gente o quer na Seleção Brasileira. Nesse aspecto, meu coração corintiano (e egoísta) protesta veementemente.


Tite vem sendo muito requisitado. Ele é chamado para participar de programas de televisão e de rádio, para dar entrevistas a jornais e revistas, para opinar sobre os mais variados assuntos (do esporte à política) e para participar de eventos de patrocinadores. Adenor Leonardo Bachi (sim, esse é o nome do nosso treinador) é agora uma figura pública e sua imagem vai além do campo esportivo. Seu rosto é conhecido pela maioria da população paulista e brasileira. Até mesmo aqueles que não acompanham regularmente o futebol e o Corinthians sabem quem é Tite.


Prova maior disso é que o técnico do Timão foi eleito o "Homem do Ano" pela revista Alfa. A publicação divulga tradicionalmente os 25 brasileiros mais importantes do ano na edição de novembro. E em 2012, Adenor Bacchi foi o campeão. Ele superou nomes como o ator Reynaldo Gianecchini, o ginasta e medalhista olímpico Arthur Zanetti e o personagem Tufão, interpretado por Murilo Benício na Avenida Brasil, última novela das nove da Rede Globo.


Leio mensalmente essa revista e foi uma grata surpresa encontrar o treinador corintiano na capa. A reportagem da Alfa narrando a trajetória profissional e a maneira de Tite trabalhar está deliciosa. Vai aqui o trecho inicial da excelente matéria sobre nosso grande comandante. Se você puder, leia-a na íntegra. Vale a pena.


"Irascível, arisco, inconformado. Dono de uma lista de inimigos. Não tão profissional quanto aparenta. O homem que personifica o fim do ostracismo internacional de um dos maiores clubes brasileiros rebate elogios com a mesma facilidade com que escala volantes. Falar dos próprios defeitos virou a arma de Tite desde que se tornou alvo (só) de elogios e homenagens. Pouco confortável como ídolo, o fato é que o treinador conseguiu, em pouco mais de dois anos, multiplicar em milhões seus admiradores – e seu patrimônio.


A receita? Merecimento com “titebilidade”, neologismo da arte do discurso pausado, recheado de advérbios de intensidade para descrever o futebol nem sempre bonito, mas de eficiência incontestável, que seduziu crítica, torcida e adversários. Em 2012, Tite construiu mais que o título mais importante de seus 22 anos de carreira como treinador. Aos 51 anos, consolidou-se no hall dos supertécnicos do mundo. Está na lista dos 25 mais bem pagos do planeta e acaba de renovar seu contrato, passando a receber 480 mil reais por mês. Este ano, deve embolsar pouco mais de 2 milhões de euros. No Brasil, fica atrás apenas do santista Muricy Ramalho. Um feito para um profissional que no ano passado deixou o Pacaembu vaiado e com o cargo ameaçado após a vexatória eliminação do Timão para o inexpressivo Tolima (...)".


16 de novembro de 2012 - sexta-feira


Como todo mundo já sabe, a situação do Palmeiras no Campeonato Brasileiro é delicadíssima. Para nós corintianos, a provável queda do alviverde é algo maravilhoso. A satisfação pelo iminente rebaixamento do nosso rival histórico é enorme. A Fiel Torcida está esperando a concretização desse sonho com muita expectativa.


Aproveitando-se do momento delicado do Palestra, alguns corintianos estão conseguindo um dinheiro extra no final do ano. É a união do útil e do agradável, né?! Conforme publicado em uma reportagem do jornalista Bruno Thadeu no UOL Esporte de ontem, uma estamparia da Zona Norte de São Paulo tem confeccionado centenas de faixas com a inscrição "Chora Porco". Os principais compradores são integrantes do Bando de Loucos que irão viajar para o Japão em dezembro para ver o Mundial.


As faixas gozando o rival viraram mania entre os torcedores do Timão há algumas semanas. Elas vêm se multiplicando pelas ruas e pelas arquibancadas do Pacaembu. A pequena estamparia paulistana produz cerca de 300 faixas semanais.


“Atualmente a ‘Chora Porco’ é a mais procurada pelos torcedores. A gente procura não fazer bandeiras ou faixas com provocação. Alguns ligam pedindo para a gente colocar coisas pesadas. Mas porco não é provocação, até porque a própria torcida do Palmeiras diz que é porco”, justifica Ari, corintiano e proprietário do estabelecimento. Ele garante só produzir e vender seus produtos para outros corintianos. Isso é que é ter clientes fiéis, né?


Outros itens com alta saída são as faixas com os nomes das regiões e dos bairros onde os torcedores do Timão moram. Quem frequenta o Pacaembu sabe que elas viraram mania na arquibancada e no alambrado. Nos jogos do Corinthians em casa, é possível ver as mensagens indicando de onde cada um veio. É muito legal isso.


Com apenas 33 pontos conquistados nesta edição do Brasileirão, o Palmeiras está a sete do Bahia e da Portuguesa, os primeiros times fora da zona de descenso. Como faltam apenas nove pontos em disputa (três rodadas), há a possibilidade de o rebaixamento verde já acontecer (matematicamente) no próximo domingo. Para tal, os palmeirenses não podem vencer o Flamengo no Rio de Janeiro e Bahia e Portuguesa precisam somar ao menos um pontinho em seus compromissos. Com essa combinação de resultados, o "Chora Porco" se concretizará.


Se isso acontecer, as vendas das faixas produzidas na estamparia do Ari deverão explodir. Como prezo pela iniciativa privada, pelo empreendedorismo do pequeno empresário e pelas ideias criativas do capitalismo brasileiro, estou torcendo pelo negócio da Zona Norte de São Paulo. É sempre bom ver um empreendimento comercial prosperando e uma companhia crescendo. Acredito que você compartilha dessa opinião comigo, né? Vamos todos torcer para tudo dar certo para o Ari, para seus funcionários e para seus clientes. Vamos esperar mais alguns dias para celebrar o sucesso da pequena empresa paulistana.


17 de novembro de 2012 - sábado


De manhã, o Corinthians realizou o último treinamento antes da partida contra o Internacional. O jogo será no Beira-Rio pela 36ª rodada do Brasileirão. A equipe mosqueteira viajou para Porto Alegre no sábado à tarde. O Timão é o sexto colocado do campeonato com 53 pontos e está logo à frente dos gaúchos. O Inter é o oitavo com 51 pontos. Para não ser ultrapassado pelo Colorado, é necessário pelo menos um empate no domingo.


Contudo, a maior preocupação da comissão técnica e dos jogadores corintianos não está nos pontos nem na classificação da competição nacional. O objetivo maior do Timão é fazer um bom jogo e se preparar adequadamente para o Mundial Interclubes. "Temos mais algumas semanas e vários dias de treinamento. Estamos no final da temporada, mas espero ter uma sequência agora para chegar 100% ao Mundial", declarou Danilo em entrevista no CT. O meio-campista volta ao time titular após ter começado no banco o jogo contra o Coritiba na semana passada.


Com o pensamento de entrosar cada vez mais o time principal, Tite escalou força máxima. O técnico não quis poupar nem os jogadores vindos da Seleção Brasileira, que atuaram no empate de 1 a 1 com a Colômbia na quarta-feira. A equipe corintiana que começará o jogo de amanhã é a seguinte: Cássio; Alessandro, Chicão, Paulo André e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Douglas e Danilo; Martínez e Guerrero.


Emerson ficará no banco de reservas. O treinador alvinegro ficou empolgado com as recuperações física e clínica do camisa 11. Porém, preferiu ser conservador e não antecipar a volta do atacante para esse final de semana. “Ele pode jogar por 70 minutos, está se recuperando bem. O campo mostrou que ele está bem para a volta. Mas começará na reserva”, decretou o treinador aos jornalistas. Emerson inclusive fez gol no treinamento de sexta-feira. No lance, ele dominou a bola com a coxa, virou com rapidez e acertou um chutaço no ângulo. Pelo visto, seu pé continua calibrado.


Se a expectativa corintiana é a melhor possível para a próxima partida, no lado adversário o desânimo é total. O Internacional montou um dos elencos mais caros do futebol brasileiro nesta temporada. O clube gaúcho tem uma série de jogadores de excelente nível técnico. Muitos jogam nas Seleções Brasileira, Argentina e Uruguaia. Essa qualidade toda, infelizmente, não se transformou em resultado. O Colorado não conseguiu vencer nenhuma competição importante em 2012 (conquistaram apenas o Campeonato Gaúcho). Nem para a Copa Libertadores do próximo ano eles conseguirão se classificar, já que estão distantes dos quatro primeiros colocados do Brasileirão.


A crise no Beira-Rio é séria. O treinador não tem tido boa relação com os comandados e a sua demissão é dada como certa pela imprensa do Sul. Apesar dos problemas, o Internacional é um bom adversário para quem precisa fazer testes para o Mundial. Vamos torcer para o Colorado jogar bem e dar bastante trabalho para nossos jogadores. Só assim poderemos ver se o Timão está mesmo afiado para os desafios que terá logo mais em terras japonesas.


18 de novembro de 2012 - domingo


O Estádio do Beira-Rio, em Porto Alegre, passa por reformas para ficar em condições de sediar a próxima Copa do Mundo. Mesmo assim, ele vem recebendo os jogos do Internacional. Por isso, o cenário da partida de hoje do Corinthians foi curiosíssimo. Os times entraram para jogar em um campo no meio de um canteiro de obras. O ambiente ali não parecia em nada um estádio de futebol. A paisagem era mais condizente com uma cidade bombardeada ou um condomínio de prédios em construção. Ao lado do gramado, havia areia, pedra, guindastes e tratores.


Talvez influenciados pelo cenário pouco inspirador, os jogadores de Internacional e Corinthians começaram o confronto errando muitos passes. O time da casa mostrava vontade em atacar, mas parava na sólida defesa paulista. As jogadas áreas dos mandantes não conseguiam furar a retaguarda corintiana. Cássio demonstrava ser muito bom nas saídas de bola pelo alto.


Com mais domínio territorial, o Timão trocava passes no meio de campo e tentava chegar à frente. Danilo e Douglas, os dois melhores em campo, armavam as jogadas, mas as finalizações não aconteciam. O ritmo era muito lento e a partida dava sono. Confesso que foi difícil me manter acordado na primeira etapa.


Só aconteceram dois bons lances antes do intervalo, ambos dos visitantes. Aos 5 minutos, Danilo recebeu passe de Douglas e cruzou para Guerrero na pequena área. Antes do peruano concluir, o goleiro colorado salvou ao desviar a bola para linha de fundo. Nos instantes finais do primeiro tempo, Martínez acertou belo chute na trave. No rebote, Douglas cruzou e Guerrero cabeceou para as redes. Gol. Corinthians 1 a 0.


No segundo tempo, o Timão voltou melhor e merecia ter ampliado o marcador. Douglas avançou pela esquerda e cruzou. Antes de chegar ao centroavante corintiano, a bola desviou no zagueiro e quase entrou. Uhhhhhhhh. Aos 17 minutos, Emerson Sheik entrou no lugar de Martínez e o time alvinegro melhorou lá na frente. Romarinho e Edenílson também substituíram Douglas e Guerrero. Perdido em campo, o Internacional não fez mais nada de produtivo.


O segundo gol prometia sair a qualquer momento. Alessandro, Paulinho e Romarinho tiveram oportunidades de anotar, mas a bola simplesmente não queria entrar na meta colorada. No último minuto, Edenílson recebeu cruzamento de Romarinho. De sem-pulo, ele mandou para o gol. Golaço do volante! Timão 2 a 0. Aí não deu tempo para mais nada: o juiz encerrou a peleja.


A apresentação de hoje não foi tão espetacular como a do último final de semana. Mesmo assim, o time corintiano jogou bem, principalmente no segundo tempo, e saiu com a vitória. O novo triunfo rendeu a 5ª posição no campeonato (57 pontos). O Inter perdeu a terceira partida seguida e segue despencando na tabela. Os poucos torcedores presentes no estádio-canteiro-de-obras vaiaram muito sua equipe no final da partida. Pelo visto, os colorados precisarão reformar muita coisa no ano que vem.


19 de novembro de 2012 - segunda-feira


Esta é a melhor segunda-feira do ano. Diria que hoje é o dia dos rivais do Palmeiras. Enfim, depois de tanto se esmerar, a equipe do Palestra Itália finalmente garantiu matematicamente a presença na Séria B do próximo ano. O novo descenso, o segundo em dez anos, veio com o empate de domingo à tarde no Rio de Janeiro. Depois de estar vencendo o Flamengo em boa parte da partida por 1 a 0, quando inclusive jogava bem, o time do Parque Antártica sofreu um gol nos instantes finais. Aí explodiu o grito nas torcidas rivais: SEGUNDA DIVISÃO!!!


Não se fala de outra coisa hoje na cidade de São Paulo. A notícia do rebaixamento verde monopoliza as capas de jornais, os programas de televisão, sejam eles esportivos ou não, e as páginas de Internet. A imprensa foca no drama dos torcedores comuns, que choram e se desesperam com a decadência do Palmeirinha.


Na Folha de São Paulo, a manchete é a seguinte: "De novo: dez anos depois do seu primeiro rebaixamento, Palmeiras só empata com Flamengo e volta à Série B". A foto estampada em primeiro plano no jornal é de um torcedor com boné verde desolado na arquibancada. No O Estado de São Paulo, o título da principal notícia foi sucinto: "Caiu". Novamente a imagem é de torcedores com bonés verdes cabisbaixos.


Como não podia perder a oportunidade, resolvi gozar um palmeirense. Quem poderia ser? Depois de analisar um pouco, resolvi chatear o mais fanático palmeirense que eu conheço: o Jorge! Ele é amigo de infância de meu pai, é vendedor, tem cerca de 55 anos, mora em Perdizes (bairro palmeirense) e é engraçadíssimo (quando o Palmeiras está bem, claro). Seu único defeito é o fanatismo extremo pelo Palestra.


Para se ter uma ideia de como Jorge é maluco pelo Verdão, quando o seu time derrotou o Timão nas semifinais da Libertadores em 2000 (não gosto de lembrar desse dia), ele ficou algum tempo desnorteado. Não trabalhou nos dois dias seguintes, pois precisava comemorar e chatear todos os corintianos que ele conhecia. Chegou até a invadir minha casa, com o uniforme do Palmeiras, com bandeiras e faixas à tiracolo para demonstrar a felicidade com a vitória da véspera. A cena foi hilária e não será esquecida por ninguém da minha família nas próximas três gerações.


Agora é a hora da vingança! Eu e meu pai passamos o dia inteiro tentando falar com Jorge. Faz um bom tempo que não conversamos com ele e não sei se ele mudou o número do celular ou simplesmente desligou o aparelho para não ser encontrado nessa segunda. Imagino o quanto seus amigos alvinegros devem estar requisitando-o hoje.


Se a tentativa de ligação telefônica falhou, nada melhor do que uma visita à casa de um velho amigo, né? Novamente, ficamos frustrados. Jorge não estava lá à noite. Onde ele estaria? Teria sumido, desaparecido do mundo? Jorge, apareça! Estamos morrendo de saudades de você. Precisamos marcar de comer uma pizza e colocar a conversa em dia. Se você não quiser falar de futebol, tudo bem. Respeitaremos suas dores. Deixe que nós mesmos falemos do Palmeiras!!!! Ahahahahah. Abração.


20 de novembro de 2012 - terça-feira


O Coringão fez mais um gol de placa fora dos gramados. Hoje, a diretoria do Timão reuniu a imprensa no auditório do Museu do Futebol para anunciar o novo patrocinador máster do clube. Pelos próximos dois anos, a Caixa Econômica Federal terá sua marca estampada no peito e nas costas da camisa da equipe do Parque São Jorge. Para ter tal privilégio, o banco estatal irá desembolsar R$ 30 milhões anuais. O valor total do contrato é de R$ 61 milhões: R$ 1 milhão referente aos jogos finais da temporada de 2012, mais R$ 30 milhões para 2013 e outros R$ 30 milhões de 2014.


Esse valor de patrocínio é o mais alto do futebol brasileiro na atualidade. O São Paulo e o Palmeiras, que fizeram acordos parecidos no meio do ano, recebem R$ 24 milhões e R$ 25 milhões anuais, respectivamente. Entretanto, a nova quantia a ser recebida pelo Corinthians é inferior ao antigo contrato do clube assinado com a Hypermarcas que durou até o começo de 2012. O Timão recebia anteriormente cerca de R$ 40 milhões por temporada. A diferença se deve à mudança do cenário econômico brasileiro. Infelizmente, os valores pagos pelos anunciantes foram reduzidos sensivelmente de um ano para outro.


Para os diretores da Caixa, a escolha do clube paulista se deu pela grandeza do parceiro, pelos altos índices de audiência da equipe e pela possibilidade de internacionalização da marca do banco. "Pesou sim (a participação do Corinthians no Mundial deste ano). A Caixa fez sua primeira incursão no exterior. Temos um projeto de internacionalizar a marca", explicou José Henrique Marques da Cruz, vice-presidente de Atendimento, Distribuição e Negócio da Caixa Econômica Federal.


O novo patrocínio é uma grande conquista da administração de Mário Gobbi. O presidente corintiano e o departamento de Marketing estavam sendo muito criticados por não conseguir um parceiro de peso no momento de maior visibilidade da história do Timão. Por isso, Gobbi, o vice-presidente Luiz Paulo Rosenberg e todos os profissionais de Marketing foram ao evento no Museu do Futebol. Eles estavam visivelmente alegres e aliviados.


Além do novo patrocínio, o Timão tem vários outros parceiros para a próxima temporada. A Nike pagará, em 2013, cerca de R$ 17 milhões para continuar sendo a fornecedora do material esportivo da equipe. A Fisk e Tim pagam R$ 9 milhões e R$ 2 milhões, respectivamente, para também estampar suas logomarcas no uniforme preto e branco (a Fisk na barra da camisa e a Tim nos números). No ano que vem, há ainda a possibilidade de reajustes desses valores. Dessa forma, o faturamento na próxima temporada com os patrocínios da camisa deve superar o patamar de R$ 60 milhões.


O uniforme do Timão é considerado atualmente um dos mais valorizados do mundo. Pelo visto, a equipe do Parque São Jorge continuará forte e rica pelos próximos anos. Vamos torcer por isso e esperar que o dinheiro que entre nos cofres seja bem usado. Queremos boas contratações e a continuidade da modernização do patrimônio do clube. Já estou imaginando o bicampeonato da Libertadores em 2013!


21 de novembro de 2012 - quarta-feira


O clima no vestiário do nosso provável adversário na final do Mundial Interclubes esquentou de vez. A derrota de ontem para a Juventus da Itália deixou o Chelsea em situação complicadíssima na Copa dos Campeões da Europa. Faltando uma rodada para o término da fase de grupos, os ingleses estão em terceiro lugar e podem ficar de fora das oitavas de finais. Com a desclassificação precoce, o presidente do clube londrino, Roman Abramovich, demitiu hoje o treinador, o italiano Roberto Di Matteo. A crise no nosso oponente era maior do que poderíamos supor!


Na nota oficial divulgada em seu site, o Chelsea deu a seguinte explicação: "Os resultados e as atuações recentes do time não têm sido bons e uma mudança no comando foi considerada necessária”. Vale a pena destacar que, nos últimos oito jogos, os Blues perderam quatro (Shakhtar Donetsk 2 x 1 Chelsea, Manchester United 3 x 2 Chelsea, West Bromwich 2 x 1 Chelsea e Juventus 3 x 0 Chelsea), empataram dois (Swansea 1 x 1 Chelsea e Chelsea 1 x 1 Liverpool) e venceram apenas duas partidas (Chelsea 5 x 4 Manchester United e Chelsea 3 x 2 Shakhtar Donetsk). Como consequência, a equipe de Abramovich caiu para o terceiro lugar tanto no Campeonato Inglês (os ponteiros são as equipes de Manchester) quanto no torneio continental (as duas vagas do grupo deverão ficar com Juventus e Shakhtar).


No comunicado, o Chelsea agradeceu a Di Matteo pelos serviços prestados e pela conquista da Copa dos Campeões da Europa na temporada passada, o título mais importante da história do clube: “Nunca esqueceremos a grande contribuição que teve para a história do Chelsea e ele sempre será bem-vindo em Stanford Bridge (estádio do clube)". O italiano era o treinador dos Blues desde o início do ano, quando o português André Villas Boas foi demitido. Dessa maneira, Di Matteo, que era auxiliar de Villas Boas, foi alçado ao posto de treinador interino. Os bons resultados e os títulos conquistados (ganhou também a Copa da Inglaterra) o fizeram virar técnico efetivo em julho. As más apresentações de seu time no último mês e os péssimos resultados recentes acabaram com o sonho de Roberto de prosseguir no cargo.


A alguns dias do início do Mundial, o Timão está tranquilo e se preparando para as partidas de dezembro. Ontem, chegaram as bolas que serão usadas no torneio organizado pela FIFA. Os jogadores corintianos já podem usá-las nos treinamentos para se adaptar totalmente às condições de jogo. O clima é de serenidade e de otimismo no CT Joaquim Grava. Todos estão confiantes na conquista do título mundial e não há qualquer briga ou desentendimento no grupo.


No outro lado do Atlântico, o mesmo não pode ser dito. O Chelsea passa por mudanças profundas. Não sabemos quem será o treinador da equipe no final do ano e se essa alteração no comando técnico será positiva ou negativa para a equipe inglesa. O que podemos dizer, neste momento, é que enquanto o Timão venceu todos os últimos jogos, os ingleses não conseguem obter bons resultados e aparentam fragilidade. Como chegarão ao Japão daqui a três semanas? E como jogarão a partir de agora? É esperar para ver, senhoras e senhores.


22 de novembro de 2012 - quinta-feira


Em menos de 24 horas, o Chelsea já definiu o novo treinador. O comandante da equipe londrina é o experiente Rafa Benítez. O técnico espanhol, com passagens por Liverpool e Internazionale de Milão, estava distante das quatro linhas há um ano e meio. Ele vinha trabalhando apenas como comentarista esportivo. A escolha por Rafa Benítez se deu por três motivos: pelo seu ótimo currículo profissional, pela experiência já acumulada no futebol inglês e, principalmente, pela vivência no Mundial Interclubes da FIFA. Roman Abramovich quer mesmo conquistar o título máximo do futebol no final do ano.


Benítez já participou por duas vezes da competição no Japão. Na primeira em 2005, quando dirigia o Liverpool, perdeu para o São Paulo de Danilo por 1 a 0 e ficou com o vice-campeonato. Em 2010, como treinador da Internazionale, ele conquistou o título em cima do Mazembe. Sua equipe derrotou os angolanos por um fácil 3 a 0 na decisão. Os africanos haviam derrotado surpreendentemente os brasileiros do Internacional de Porto Alegre na semifinal.


O novo treinador sabe como disputar a competição da FIFA. Essa é a principal preocupação dos corintianos. Paulo André, em entrevista coletiva, externou o temor. Para o zagueiro alvinegro, Benítez pode injetar novo ânimo no grupo londrino e os resultados positivos podem voltar para Stanford Bridge.


A mudança de treinador pode ser positiva para o Chelsea se os jogadores assimilarem rapidamente as novas diretrizes táticas. Estamos cansados de ver equipes que mudaram da água para o vinho com a chegada do novo comandante. Se isso realmente acontecer, o Timão terá sérias dificuldades na decisão do Mundial.


Por outro lado, há casos de times que demoram para engrenar com o novo técnico. Até ele conhecer as características e as preferências de todos os atletas e conseguir transmitir sua filosofia futebolística ao grupo, pode demorar algum tempo. Assim, o prazo de 20 dias entre o início do trabalho de Benítez e a estreia do Mundial pode ser um tempo extremamente curto. Já há quem passe, neste momento, o favoritismo da semifinal para o lado dos mexicanos do Monterrey. Aí já acho um exagero, para não dizer um completo absurdo!


Exageros e absurdos à parte, considero precipitada a subvalorização dos campeões europeus. Porém, não posso negar o péssimo momento vivido por eles dentro e fora de campo. Também não concordo com aqueles que acham que o Chelsea é franco favorito para a conquista do título mundial. A meu ver, o Corinthians não é inferior tecnicamente ao adversário do Velho Continente. Se nosso grande rival fosse o Barcelona ou o Real Madrid, aí sim admitiria a nossa possível fragilidade. Todavia, o nosso provável oponente é uma equipe que não vence a cinco partidas no Campeonato Inglês e que deve cair na primeira fase da copa continental... Temos chances, muitas chances de gritar "É campeão!" em poucos dias. Vai Curintia!


23 de novembro de 2012 - sexta-feira


Pode parecer um pouco óbvio o que vou falar agora. Afinal, depois de mais de 300 páginas de O Ano que Esperávamos Há Anos, acho que você já entendeu a dinâmica da minha série narrativa, né? Mesmo assim lá vai: esse relato é essencialmente sobre o Corinthians e o ano maravilhoso vivenciado pelos corintianos. Às vezes, no meio dessa coletânea de crônicas, eu preciso tratar de temas que aparentemente não se relacionam tão diretamente com o Timão, mas que de alguma forma mexem com o clube, os jogadores, a comissão técnica e os torcedores. É o caso do texto de hoje.


Na tarde desta sexta-feira, Mano Menezes foi demitido do cargo de técnico da Seleção Brasileira pelo presidente da CBF, José Maria Marin. O treinador gaúcho, escolhido no meio de 2010, já estava há dois anos e meio na função e não agradou ao principal dirigente do futebol nacional. Os resultados foram péssimos. Quem comunicou as mudanças na comissão técnica nacional foi o diretor de seleções, Andrés Sanchez, em entrevista coletiva para a imprensa.


Alguns minutos depois do anúncio, o boato sobre os candidatos mais fortes para assumir a Seleção já corria pela mídia. Os três favoritos são: Luiz Felipe Scolari, Muricy Ramalho e Tite. Sim, o treinador corintiano é considerado um nome fortíssimo para ficar com a vaga. O problema é que ele acabou de renovar com o Timão para 2013 e sem ele o Corinthians se enfraquece muito.


Ao ser questionado sobre tal hipótese, o treinador alvinegro só falou uma frase para os jornalistas: "Que o papai do céu me ilumine". Parece evidente a vontade do nosso técnico de ser o comandante da Seleção na Copa. Para não criar uma saia-justa, Tite, que concede semanalmente entrevista coletiva às sextas-feiras no CT Joaquim Grava, cancelou o bate-papo com a imprensa. Ele foi substituído por Roberto de Andrade, diretor de futebol. O cartola foi duro em suas palavras: "Tite tem contrato até dezembro de 2013 e vai cumprir o seu contrato. Se o convite surgir ali na frente, talvez a gente converse, mas a posição do clube já está aqui: o Corinthians não libera. No contrato dele não existe cláusula de saída, porém ele vai cumprir o contrato".


Nesse ambiente de incertezas, o jogo de amanhã entre Corinthians e Santos no Pacaembu ganha contornos peculiares. Dois dos três treinadores favoritos para ocupar o cargo de técnico da Seleção Brasileira estarão na beira do campo. No lado santista, Muricy não contará com Neymar. O craque recebeu o terceiro cartão amarelo na última partida. No lado do Timão, Tite optou por não escalar os quatro atletas que jogaram no meio de semana pelas seleções (Ralf, Paulinho, Fábio Santos e Martínez). Além deles, Chicão e Douglas, suspensos, não podem entrar no gramado.


O Corinthians está escalado com: Cássio; Alessandro, Paulo André, Wallace e Guilherme Andrade; Anderson Polga (vai jogar de primeiro volante), Edenílson e Danilo; Romarinho, Emerson e Paolo Guerrero. Esse é o último jogo do Timão como mandante em 2012. Será, portanto, uma ótima oportunidade da torcida se despedir dos jogadores. Mesmo a partida não valendo nada, o Pacaembu deverá estar lotado.


24 de novembro de 2012 - sábado


O Pacaembu recebeu mais de 35 mil pessoas neste sábado à noite. O clássico entre Corinthians e Santos marcava a despedida da torcida corintiana de seu estádio na temporada de 2012. É verdade que o Timão ainda jogará na próxima semana mais uma partida pelo Brasileirão no Paulo Machado de Carvalho. Porém, como o mando de campo será do São Paulo (o Morumbi será usado para show musical), haverá poucos corintianos nas arquibancadas. Daí a despedida deste ano da Fiel Torcida do meu, do seu, do nosso Pacaembuuuu.


O jogo começou com festa dos corintianos. Os torcedores se vestiram com roupas típicas do Japão para desejar boa viagem aos jogadores. Ao lado do campo, uma banda tipicamente oriental dava o ritmo. Bandeiras com símbolos do país asiático também eram estendidas nas arquibancadas. Até os nomes dos jogadores nas camisas do Timão estavam escritos em japonês. E por falar em camisa, o patrocinador desta noite já era a Caixa Econômica Federal.


Mesmo com os vários desfalques, o Corinthians começou com tudo o clássico. Edenílson, o melhor em campo pelo lado do Parque São Jorge, roubou a bola na defesa, percorreu metade do campo e passou para Guerrero. O centroavante, na cara do gol, chutou para fora. Uhhhhhhhhhh. Depois foi Romarinho quem perdeu boa chance. Guerrero enfiou a bola para o Iluminado e o goleiro santista fez bela defesa.


O Corinthians foi melhor no primeiro tempo. Infelizmente, nos minutos finais da etapa inicial, o Santos conseguiu um contra-ataque pela direita de seu campo e o atacante praiano ficou cara a cara com Cássio. Aliando sorte e competência, o avante do time visitante estufou as redes. 1 a 0 para o Peixe.


Precisando atacar mais, Tite fez duas mudanças no segundo tempo. Ele tirou Guilherme Andrade e colocou Jorge Henrique. Depois tirou o improvisado Anderson Polga e colocou o volante Guilherme no meio de campo. As alterações deram resultado e a pressão no segundo tempo aumentou.


Emerson perdeu um gol cara a cara com o goleiro adversário. Alguns minutos depois, o goleirão do Santos salvou chute de Guerrero. Na sequência, a defesa santista afastou o rebote do forte chute de Danilo. O gol corintiano amadurecia. As melhores chances para marcar vinham dos cruzamentos de Jorge Henrique. O atacante improvisado de lateral incomodava a defesa do rival. E foi em cobrança de falta de Jorge pela direita que Wallace subiu e deu cabeçada certeira. Gol de empate!!! Primeiro gol de Wallace com a camisa do Timão. 1 a 1.


O jogo terminou mesmo empatado. Se o resultado não foi o melhor para a Fiel, pelo menos a festa e as comemorações de despedida da torcida de seu estádio nesse ano valeram a pena. Agora é só esperar a divulgação da lista com os nomes dos jogadores corintianos que disputarão o Mundial, fazer um treino de luxo no próximo domingo com o São Paulo e seguir rumo ao Japão para o bicampeonato mundial.


25 de novembro de 2012 - domingo


Este domingo não teve cara de futebol. Com o Campeonato Brasileiro de 2012 já decidido e sem o Timão em campo, minhas atenções se voltaram exclusivamente para a Fórmula 1. Vale destacar que o clima em São Paulo durante todo o final de semana foi de automobilismo. Eu, como amante desse esporte e empolgado com os eventos que minha cidade sedia, fui influenciado pelo espírito das quatro rodas. Não fui a Interlagos, mas fiquei assistindo aos treinos e à corrida pela televisão.


É incrível perceber como a capital paulista para quando o circo da F1 chega. Nos dias de GP Brasil, é um caos transitar pelas ruas, visitar restaurantes e se hospedar nos hotéis da cidade. Os visitantes simplesmente dominam todos os pontos de São Paulo. Não à toa, a corrida é o principal evento turístico do município, tanto em número de visitantes quanto em receita gerada para os estabelecimentos comerciais.


Como a decisão da temporada ficou para essa última etapa, a movimentação foi maior do que o habitual em Interlagos. A cidade foi invadida por milhares de turistas e centenas de jornalistas do mundo inteiro. Todos queriam acompanhar de perto a decisão do campeonato da Fórmula 1. O título ficaria entre Sebastian Vettel, alemão da Red Bull, e Fernando Alonso, espanhol da Ferrari. Quem vencesse a corrida em SP entraria para a história como o tricampeão mais jovem da F1.


Depois de uma corrida recheada de surpresas (chuva, batidas, pista seca, mais chuva, novas batidas e várias paradas nos boxes), o título acabou ficando com o alemão pela terceira vez consecutiva. A vitória no GP Brasil ficou com Jenson Button, inglês da McLaren, que dominou toda a corrida. Sebastian Vettel, o campeão, fez uma prova de recuperação. Depois de cair para o último lugar na largada, ele terminou em sexto, posição suficiente para erguer o caneco. Afinal, Fernando Alonso só terminou em segundo (se vencesse a prova, seria o campeão). O melhor brasileiro na corrida foi Felipe Massa, em terceiro lugar.


Com o término do GP, não tive paciência para acompanhar os jogos do Brasileirão. Não me preocupei em ver os resultados da 37ª rodada à noite. Se o campeonato já está decidido mesmo, para que me preocupar com isso, né? Além do mais, a corrida foi sensacional. Quando ela terminou, não tive cabeça de ver mais televisão por hoje.


Se você está estranhando eu ter falado de Fórmula 1 no O Ano que Esperávamos Há Anos, saiba que eu gosto muito de automobilismo. Não acompanhei com tanta atenção a temporada de 2012, mas eu curto muito as corridas. Talvez esse seja o segundo esporte de minha preferência. Por isso, me dei a liberdade de reservar um dia de meu relato futebolístico para os comentários sobre a F1. Se você não gosta de automobilismo, tudo bem. Pule essas linhas e avance para o próximo dia. Com certeza, você não encontrará mais nenhuma referência a essa modalidade nessas páginas.


É isso aí então. Amanhã voltaremos a falar do principal assunto de 2012: o Coringão. Obrigado pela compreensão e até segunda-feira!


26 de novembro de 2012 - segunda-feira


A segundona começou com clima diferente no Parque Ecológico do Tietê. Desde as primeiras horas da manhã, um batalhão de jornalistas se aglomerava nas dependências do clube paulista em busca da informação mais preciosa da semana: a lista de jogadores do Timão que vão disputar o Mundial de Clubes.


De manhãzinha, liguei o rádio enquanto tomava café e o repórter da Jovem Pan AM disse mais ou menos assim: "Logo mais sairá a relação dos atletas corintianos. Quando os nomes forem anunciados, eu entro ao vivo para comunicar vocês". Obviamente fiquei de prontidão.


Na hora do almoço, liguei a televisão para ver se a lista já havia sido apresentada. Ainda nada! Segundo o repórter da Band do programa Jogo Aberto que era encarregado da cobertura no Corinthians, a comissão técnica alvinegra estava muito preocupada com o lateral Fábio Santos. O jogador tinha voltado lesionado da Seleção na quinta-feira passada e o grau da lesão ainda era analisado pelos médicos. Segundo alguns boatos, havia a possibilidade de Fábio não poder jogar em dezembro. Se a contusão fosse mesmo séria, ele poderia até ser excluído da lista de Tite.


A notícia caiu como uma bomba na Fiel. O lateral-esquerdo reserva do Timão era Ramon, emprestado para o Flamengo depois da Libertadores. Em seu lugar ficou o garoto Denner, no momento gravemente machucado. Nós não temos outro lateral para o lado esquerdo, além de Fábio Santos!!! No último jogo, Guilherme Andrade, que atua pela direita, foi improvisado pelo outro lado e foi muito mal. No segundo tempo, Tite passou Alessandro para a esquerda e colocou Jorge Henrique no lugar original do nosso capitão. Se Alessandro já é fraco na direita, imagine na esquerda!


À noite, depois de não achar nenhuma notícia na Internet sobre a lista, liguei a televisão no programa Gazeta Esportiva. Os jornalistas da emissora paulistana disseram que o comunicado com os atletas do Timão sairia bem mais tarde, horário limite para ser enviado para a FIFA. Para eles, Fábio Santos seria convocado sim. A contusão do camisa 6 não parecia ser tão séria.


Fui dormir um pouco mais tranquilo. Tranquilo com meu time, é claro, mas não com o meu corpo. Meu estado de saúde piora a cada dia e eu não posso nem mais andar direito. Estou travado na cama há alguns dias e só me levanto para ir (me arrastando!) ao banheiro, comer e ver um pouco de TV na sala. No restante das horas, fico esticado. Não sei o que está acontecendo comigo. Meus pés e minhas pernas estão muito inchados, completamente deformados. Muito estranho!


Preciso de um médico!!! O problema é que quando visito algum hospital ou posto de saúde, os doutores me olham e dizem: "Seu estado não é tão grave. Volte para casa". E aí me mandam embora. Não sei mais como proceder. Eu preciso estar 100% para acompanhar o Mundial de Clubes. Faltam apenas algumas semanas para o torneio da FIFA e quero estar apto para ver os jogos pela televisão. Não é pedir demais, é?


27 de novembro de 2012 - terça-feira


Saiu a lista com os 23 jogadores corintianos que vão para o Mundial Interclubes da FIFA. Não há nenhuma grande novidade nas escolhas do técnico Tite. Aí vão os guerreiros mosqueteiros que terão a responsabilidade de trazer novamente para o Brasil o título máximo do futebol internacional:


Goleiros: Cássio, Júlio César e Danilo Fernandes.


Laterais: Alessandro, Fábio Santos e Guilherme Andrade.


Zagueiros: Chicão, Paulo André, Wallace, Anderson Polga e Felipe.


Volantes: Ralf, Paulinho, Edenílson e Guilherme (ou William Arão).


Meias: Douglas, Danilo e Giovanni.


Atacantes: Emerson Sheik, Paolo Guerrero, Martínez, Romarinho e Jorge Henrique.


Mesmo com a lista enviada para Zurique, na Suíça, na noite de ontem, há ainda uma pendência. A única indefinição é se Guilherme, o volante contratado da Portuguesa, poderá atuar ou não na competição do Japão. Como ele foi comprado pelo Timão depois da janela de transferência da FIFA no meio do ano, há a possibilidade de a Federação Internacional vetar sua convocação. Se isso acontecer, William Arão será seu substituto, sendo o 23º integrante da lista de Tite.


Os ausentes do grupo que viajará para o outro lado do mundo já eram esperados. O peruano Cachito Ramirez há muito tempo não entra em campo com a camisa do Timão e deverá ser negociado no ano que vem com um time de seu país natal. Como não ficará no clube do Parque São Jorge para a próxima temporada, não há por que estar na lista, né? Em seu lugar foi colocado o jovem meia-atacante Giovanni, vindo das categorias de base. Ele tem agradado o treinador nos últimos meses.


Outro preterido foi Zizao. O chinês perdeu a concorrência para os atletas mais experientes do grupo. Apesar de ter desagradado o Departamento de Marketing que sonhava com várias ações de publicidade na Ásia, a decisão de Tite foi a melhor do ponto de vista técnico.


Esse é o grupo de 23 jogadores do Timão. Acredito que temos um time bem forte e com condições de conquistar o caneco. Além disso, a equipe do Parque São Jorge está voltando a atuar em grande forma, como no meio do ano. Como corintiano, estou tranquilo e otimista. O trabalho de Tite é excelente. Minha única preocupação é com possíveis contusões nos momentos finais da preparação. Fábio Santos, por exemplo, voltou na quinta-feira passada machucado da Seleção Brasileira. Trata-se do único jogador sem um reserva imediato. Vamos torcer para que todos os atletas do Coringão estejam 100% durante as próximas semanas.


28 de novembro de 2012 - quarta-feira


Os jogadores corintianos tiveram uma atividade bem diferente nesta quarta-feira. Após o treinamento da manhã, eles experimentaram as roupas e os acessórios que serão usados na viagem ao Japão. Como o país sede do Mundial de Clubes estará na estação mais fria do ano durante a realização do torneio, com temperaturas abaixo de 0ºC, foi preciso a confecção de uma vestimenta apropriada para agasalhar os atletas.


Nos deslocamentos ao e pelo Japão, os corintianos usarão cardigans nas cores azul escuro e cinza e cachecóis cinza. Para os jogos, a programação é utilizar camisas de manga curta e por baixo roupas especiais para suportar as baixas temperaturas.


Do elenco atual do Timão, alguns já vivenciaram a experiência de jogar no frio extremo. Cássio, Paulo André, Paolo Guerrero e Anderson Polga jogaram por várias temporadas na Europa, tendo encarado as baixas temperaturas e até a neve. Paulinho viveu dois anos no Leste europeu no início da carreira profissional. Também sabe como é jogar com a bola vermelha. Por ser argentino, Martínez também está acostumado ao frio.


Há dois jogadores do grupo do Corinthians que, além de saberem como é jogar no Inverno rigoroso, conhecem muito bem as características da cultura, do povo e do clima do Japão. Estou falando de Danilo e Emerson Sheik. Ambos os atletas atuaram por vários anos na Terra do Sol Nascente e se tornaram ídolos das torcidas do Kashima Antlers e do Urawa Reds, respectivamente.


Danilo jogou a J-League, o campeonato japonês, por três temporadas. Foi campeão nas três oportunidades, além de ter erguido uma taça da Copa do Imperador. O meia-armador não cansa de declarar que adorou o período vivido por lá. "Eu já até tinha me acostumado com os terremotos. Quase todo dia tinha. Uns mais fracos e outros mais fortes. Mas a cultura deles é fantástica. Eles têm respeito enorme pelo outro, diferente daqui”, disse o camisa 20. Sempre que disputou algo no Japão, Danilo se sagrou campeão. Em 2005, em outra disputa naquele país, quando atuava pelo São Paulo no Mundial de Clubes, ele derrotou o Liverpool na decisão. Esse cara tem estrela!


Emerson também é adorado na nação dos samurais. Ele chegou desconhecido ao Japão e começou jogando em um time da segunda divisão. Ficou cinco temporadas lá. Ganhou fama de ser pé quente em decisões por sempre marcar gols decisivos (algo que nos acostumamos por aqui também). Ele balançou as redes na final do Nabisco Cup de 2003, quando seu time se sagrou campeão. Naquele ano, Sheik marcou 18 gols em 25 jogos pela J-League, sendo coroado o atleta mais valioso da competição. No ano seguinte, fez 27 gols e novamente terminou como artilheiro.


Para o Mundial de Clubes da FIFA, o Timão precisará contar com as estrelas de Emerson e Danilo e com as experiências dos nossos jogadores mais tarimbados no frio para levantar o caneco. Vai Curintia!


29 de novembro de 2012 - quinta-feira


Agora é oficial. Guilherme não poderá disputar o Mundial. Seu registro foi negado pela entidade máxima do futebol. A FIFA alegou que o jogador foi contratado após a janela de transferência internacional. O Corinthians até tentou argumentar, sem sucesso, dizendo tratar-se de uma negociação de cunho doméstico. Dessa forma, o volante reserva de Ralf que viajará para o Japão será o jovem William Arão. Vindo das categorias de base do Timão, Arão tem apenas 20 anos e 10 jogos como profissional no currículo.


A notícia é um tanto preocupante. Se acontecer algo com o Ralf, o time corintiano perderá muito em força de marcação. Guilherme é um jogador muito talentoso e deverá nos próximos anos ganhar mais espaço no elenco do Parque São Jorge. Na maioria das vezes em que entrou em campo substituindo Ralf ou mesmo Paulinho, ele se saiu muitíssimo bem. Mesmo tendo apenas 21 anos, Guilherme, com quase 50 jogos como profissional, é mais experiente se comparado a William Arão.


Guilherme foi contratado da Portuguesa em setembro. Formado na categoria de base da Lusa, o jogador foi promovido ao time profissional do Canindé em 2009. Rapidamente, ele se tornou titular e virou um dos destaques da equipe. Por lá, o meio-campista foi campeão da Série B em 2011 e tornou-se ídolo da torcida. Seu futebol aliava força na marcação e habilidade para sair jogando.


No início de 2012, o interesse corintiano pelo jogador desagradou a fanática e intempestiva torcida da Portuguesa. Os torcedores viram a contusão do jogador no começo da temporada e a queda de seu rendimento em campo como indícios da vontade do volante em se transferir para o Parque São Jorge. Guilherme passou a ser hostilizado no Canindé e há quem diga que fora agredido por alguns torcedores.

A situação se tornou crítica com o rebaixamento da Lusa no Campeonato Paulista.


As negociações se arrastaram por meses e meses e só foi concretizada depois de muitas reuniões entre os dirigentes dos dois clubes. Aliviado com o final feliz, Guilherme chegou empolgadíssimo ao novo clube, onde pôde demonstrar outra vez bom futebol. Com a divulgação prévia de seu nome na lista de atletas convocados por Tite para o Mundial, o volante não se aguentou de emoção. Em uma rede social, ele confessou, na terça-feira, ser corintiano desde pequenininho. Inclusive divulgou uma foto de criança vestindo a camisa preta e branca. No texto, o jovem talentoso dizia: “Sonho realizado (disputar o Mundial pelo Timão)! Obrigado, Senhor”.


Agora veio a frustração. O jogador não poderá atuar no Japão. Ficará em São Paulo e verá as partidas apenas pela televisão. Deve ser muito difícil viver uma situação como essa, né? Desejo boa sorte ao Guilherme e espero que a tristeza momentânea seja recompensada com a participação dele nos próximos Mundiais. Quem sabe, nas próximas vezes, ele não viaje para a principal competição interclubes do planeta como titular da delegação corintiana. É só dar tempo ao tempo para vermos o que o destino reserva para ele e para sua promissora carreira.


30 de novembro de 2012 - sexta-feira


A paixão da Fiel Torcida pelo Timão tem se aflorado nas últimas semanas. É incrível como têm aparecido reportagens sobre as maluquices dos integrantes do Bando de Loucos. Todos querem ir ao Japão para acompanhar in loco os jogos do Corinthians no Mundial. Na mídia, há várias matérias jornalísticas contando como os torcedores corintianos farão para ir ao outro lado do mundo.


Para se ter uma ideia do que está acontecendo, tem gente que largou o emprego para conseguir os benefícios trabalhistas, como o valor do 13º, das férias vencidas e do FGTS. É o caso do serralheiro João Paulo Ribeiro. Aos 33 anos e sendo pai de três meninas pequenas, ele pediu demissão e cancelou o Natal da família em 2012. Ninguém receberá presente, pois não haverá dinheiro suficiente. A quantia recebida pela rescisão trabalhista foi integralmente para a compra da passagem de avião. João Paulo também não sabe onde trabalhará quando voltar da Ásia.


Outros venderam carros, propriedades e até a casa para conseguir recursos. Onde irão morar e como se deslocarão depois do Mundial, ninguém sabe. Os exemplos mais emblemáticos são do Jorjão, segurança de uma casa de baile funk, e de Tiago Maldonado, integrante da Pavilhão Nove de Franca. Jorjão vendeu a moto Honda 750cc Hollywood, conhecida como “Sete Galo” e sua grande paixão, para adquirir as passagens e os ingressos para a competição internacional. Por sua vez, Tiago deixará de comprar a casa própria, pois a quantia foi direcionada para a excursão japonesa.


Há quem tenha pegado o dinheiro da poupança da família, economizado por anos e anos, só para ver o Timão no Mundial. Nessa hora, o torcedor pensa apenas em si. Alguns corintianos arrumaram um segundo emprego, assim que a Copa Libertadores acabou, apenas para conseguir grana para a viagem. Há o caso de um torcedor alvinegro, Roberto de Freitas, morador de Sydney, na Austrália, que contou com a sorte. Na véspera da final da Libertadores, ele foi até uma casa de aposta e apostou US$ 500 que o Corinthians seria campeão e que o placar seria 2 a 0. Com o acerto, ele ganhou US$ 2.200. Esse dinheiro será usado agora para Roberto ir ao Japão.


Para terminar os casos malucos de corintianos fanáticos, o programa CQC da Rede Bandeirantes fez uma promoção chamada “Um Louco no Japão”. Quem enviasse o vídeo com a demonstração mais impactante de amor pelo time do Parque São Jorge ganharia uma viagem para o Mundial. Choveu gravações na emissora paulista. Para a final do concurso, foi selecionado um trio de vídeos: o corintiano que dava um beijo de língua em uma vaca, o que andava em pé em cima de uma bicicleta no meio da estrada e outro que comeu as fezes de um neném. Muita loucura desses caras, né?


Perto desses casos, me sinto pouco corintiano. Será que me conformei facilmente em não conseguir ir ao Japão? Poderia ter feito alguma loucura também para angariar dinheiro e ver do estádio meu time do coração enfrentando o Chelsea, hein? Começo a me considerar um torcedor pouco criativo e bastante desmotivado...


-----------


Oitava série narrativa da coluna Contos & Crônicas, “O Ano que Esperávamos Há Anos” é o testemunho dos doze meses de 2012. Este relato é uma espécie de diário feito no calor das emoções por um fanático torcedor corintiano. Ele previu as conquistas de seu time do coração naquela temporada que se tornaria mágica. Nessa coletânea de crônicas é possível acompanhar os jogos do Corinthians, relembrar as decisões do técnico, entrar nos bastidores do Parque São Jorge e conhecer a vida dos principais jogadores alvinegros. O leitor também sofrerá com as angústias dos torcedores do Timão, poderá acompanhar o desenrolar dos campeonatos e, principalmente, irá se emocionar com as maiores conquistas futebolísticas desse clube centenário.


Gostou deste post e do conteúdo do Bonas Histórias? Compartilhe sua opinião conosco. Para acessar outras narrativas do blog, clique em Contos & Crônicas. E não deixe de nos acompanhar nas redes sociais – Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn.

Comments


A Epifania Comunicação Integrada é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Dança & Expressão é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Mandarina é a livraria diferenciada que está localizada em Pinheiros, na cidade de São Paulo
Eduardo Villela é Eduardo Villela é book advisor e parceiro do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
bottom of page