top of page

Bonas Histórias

O Bonas Histórias é o blog de literatura, cultura, arte e entretenimento criado por Ricardo Bonacorci em 2014. Com um conteúdo multicultural (literatura, cinema, música, dança, teatro, exposição, pintura e gastronomia), o Blog Bonas Histórias analisa as boas histórias contadas no Brasil e no mundo.

bonashistorias.com.br

Ricardo Bonacorci

Nascido na cidade de São Paulo, Ricardo Bonacorci tem 43 anos, mora em Buenos Aires e trabalha como publicitário, produtor de conteúdo, crítico literário e cultural, editor, escritor e pesquisador acadêmico. Ricardo é especialista em Administração de Empresas, pós-graduado em Gestão da Inovação, bacharel em Comunicação Social, licenciando em Letras-Português e pós-graduando em Formação de Escritores.  

  • Foto do escritorRicardo Bonacorci

Crônicas: O Ano que Esperávamos Há Anos - Outubro de 2012

Os corintianos só pensam no Mundial de Clubes em dezembro. Porém, o Timão precisa alcançar antes uma posição confortável no Campeonato Brasileiro.

O Ano que Esperávamos Há Anos - Contos & Crônicas - Bonas Histórias - Ricardo Bonacorci - Outubro de 2012

1º de outubro de 2012 – segunda-feira


Vou aproveitar o comecinho de outubro para olhar para trás. Falarei, hoje, dos profissionais que saíram do Corinthians ao longo da vitoriosa temporada de 2012. Contarei para vocês como eles estão e por onde andam. A maioria saiu pela porta da frente do Parque São Jorge e está muito bem em seus novos clubes.


Leandro Castán é titular da zaga da Roma. O brasileiro chegou muito bem na Itália, fez boas partidas e foi convocado recentemente pelo técnico Mano Menezes para os amistosos do Brasil. Outro jogador do clube da capital italiana é Marquinhos. O jovem defensor já treina com os companheiros e tem ficado no banco de reservas, mas ainda não estreou com a camisa grená. É questão de tempo para ele iniciar uma partida e mostrar seu valor.


Outro ex-titular da campanha vitoriosa do Timão na Libertadores que foi para o exterior é Alex. O antigo camisa 12 acertou com o Al Gharafa do Qatar e desde a sua transferência não tive mais notícias dele. Afinal, quem acompanha o futebol do Qatar, né? Alex deverá ficar escondido no Oriente até o final do contrato ou quando estiver envolvido em uma nova negociação para o futebol brasileiro.


Quem surpreendeu positivamente no novo clube foi Liedson. O Levezinho assinou há quase dois meses com o Flamengo. Ele tem jogado com frequência e tem feito gols com a camisa rubro-negra. O atacante luso-brasileiro parece estar se recuperando dos problemas físicos e tem empolgado os cariocas. Boa sorte, Liedson! Continue botando a bola nas redes, meu rapaz!


Por falar em Flamengo, o clube da Gávea assinou um contrato de risco com o Imperador Adriano há cerca de dois meses. O centroavante jogará pelo time do coração e só receberá salário se entrar em campo. Como o atleta (atleta?!) ainda não estreou, não há prejuízo financeiro para o Mengo. Mesmo sem jogar, as confusões causadas pelo problemático jogador têm sido constantes. Nesse final de semana, por exemplo, Adriano faltou pela terceira vez aos treinos e quase teve o contrato suspenso pela diretoria rubro-negra. Nessa segunda-feira, o Imperador até ameaçou encerrar definitivamente a carreira. Porém, voltou atrás algumas horas depois. Como é bom saber que não temos mais problemas desse tipo no CT Joaquim Grava.


A maioria dos profissionais que saiu do Timão tem tido passagens satisfatórias pelos novos clubes. Ramon é dono da lateral esquerda do Flamengo. Gilsinho sempre joga no ataque do Náutico, apesar de não ter se firmado na equipe titular. Élton foi para o Vitória da Bahia e é um dos artilheiros da Série B. Bill foi para o Santos e de vez em quando joga, sendo o único que ainda não decolou pra valer na nova casa. Assim como aconteceu com Alex, William foi para o Metalist da Ucrânia e, a partir de então, não tive mais notícias suas. Deve estar tudo bem com ele por lá, é o que eu espero.


Desejo muito sucesso e alegrias a todos os profissionais que ajudaram o Timão a viver, em 2012, o ano que esperávamos há anos.


2 de outubro de 2012 - terça-feira


Depois da vitória de domingo sobre o Sport Recife, os atletas corintianos ganharam folga na segunda-feira. Devidamente descansados, eles retornaram hoje aos trabalhos no CT Joaquim Grava. Curiosamente, os jogadores do Timão não foram os únicos a começar a semana com treinos no local. De manhã, a Seleção Brasileira, que jogará na quarta-feira na Argentina a segunda partida do Superclássico das Américas, usou os campos do Parque Ecológico do Tietê para a preparação. A comissão técnica da CBF preferiu usar o moderno centro de treinamento corintiano em Guarulhos para os últimos preparativos antes da partida, ao invés de realizar tais atividades no país vizinho.


Ralf, Paulinho, Cássio e Fábio Santos treinaram normalmente onde sempre trabalham, só que dessa vez usando o uniforme verde-amarelo. Deve ser uma sensação estranha estar com os companheiros do time nacional onde se costuma ficar com os companheiros de clube. Pelo menos, os quatro atletas do Timão já se sentem em casa no Parque Ecológico, né? Eles conhecem o caminho de ida e volta do CT e sabem onde fica cada setor no complexo.


À tarde, quando os atletas da Seleção foram para o hotel se preparar para a viagem para a Argentina, os jogadores corintianos foram a campo. Por causa das várias baixas, Tite tinha apenas 14 jogadores à disposição. Para realizar o coletivo, o gaúcho colocou membros da comissão técnica em um dos times que foi ao gramado.


Jorge Henrique era a única peça no departamento médico. Novamente, o camisa 23 sentiu dores musculares. Chicão e Denner, já recuperados, treinaram a parte física com o fisioterapeuta Bruno Mazziotti. Emerson Sheik também se dedicou apenas ao condicionamento físico. Os veteranos Alessandro e Paulo André foram preservados e fizeram apenas atividades leves na academia do clube. A lista de ausentes do treinador corintiano tem ainda Fábio Santos, Cássio, Paulinho e Ralf, que estão na Seleção Brasileira, e Martínez, que está na Argentina.


Para completar a coleção de baixas, três garotos promovidos da base ao profissional foram cedidos novamente para a equipe sub-20 do Timão que disputará a Copa do Brasil da categoria. O meia-atacante Giovanni, o zagueiro Antônio Carlos e o goleiro Matheus Caldeira reforçam o Timãozinho na competição de juniores. Dessa maneira, os três também não puderam treinar com os profissionais.


Aproveitando que estamos falando da categoria de base, o Corinthians anunciou a contratação de um superintendente técnico para o futebol amador. O cargo é novo e foi entregue a Marcelo Rospide, ex-treinador com passagem pelo Grêmio de Porto Alegre e pelo Grêmio Prudente. A mudança faz parte da reestruturação do departamento iniciada com a saída do técnico Narciso. Zé Augusto, experiente treinador com passagens pelo Timão e tendo disputado algumas edições da Copa São Paulo com a garotada do Parque São Jorge, voltou a dirigir o time de base do Corinthians. Vamos ver se as mudanças deixarão as equipes de jovens mais fortes.


3 de outubro de 2012 - quarta-feira


Eu reluto em falar da Seleção Brasileira. Não tenho interesse em ver os jogos do Brasil, principalmente amistosos ou competições sem relevância. Sempre tive uma visão crítica da CBF, mesmo na época das grandes conquistas nacionais. Imagine agora quando nós temos um time modesto, incapaz de vencer as melhores seleções! É óbvia, portanto, a minha falta de disposição para acompanhar os jogos da equipe canarinho. Se até os mais fanáticos torcedores brasileiros estão descrentes e ignoram o time verde-amarelo, imagine então como eu me sinto.


Não sei precisar bem a real razão do sentimento negativo em relação ao time nacional. Só sei que é assim. Em minha concepção, meu verdadeiro time é o Corinthians. E só ele! Como sou um rapaz fiel aos desígnios do coração, me sinto um traidor torcendo para uma segunda equipe, mesmo sendo a Seleção. Por isso, o Brasil sempre fica em segundo (talvez, terceiro, quarto, quinto...) plano nas minhas preocupações e sempre perde de goleada nos meus interesses esportivos.


Estou fazendo tal confidência para justificar a decisão de assistir pela televisão a partida entre Brasil e Argentina nesta noite. Antes de ser acusado indevidamente de contraditório, bipolar ou mentiroso, deixe-me explicar, por favor! Minha motivação e curiosidade em relação ao jogo da Seleção estava exclusivamente na legião de corintianos que foi a campo na cidade de Resistência, no país vizinho. O confronto era válido pela segunda partida do Superclássico das Américas. É ótimo ver o sucesso dos atletas alvinegros. Tanto Brasil quanto Argentina contavam com corintianos. No lado brasileiro, Fábio Santos, Ralf e Paulinho eram titulares. Cássio novamente começou na reserva. E Martínez foi escalado no ataque do time argentino. Com quatro atletas do Timão em campo e um no banco, era impossível desgrudar os olhos da telinha, né?


Eu só não esperava que não teríamos partida. Como assim não teve jogo?! Quando os hinos nacionais eram tocados no estádio da pequena cidade argentina, capital da província de Chaco e distante 1.000 quilômetros de Buenos Aires, a energia elétrica caiu e os refletores desligaram. Após quase uma hora de espera (sim, uma hora de espera!!!), o juiz não pode fazer outra coisa a não ser cancelar o confronto. O estádio argentino não tinha estrutura para abrigar um evento daquele porte e as autoridades locais não sabiam quando a luz voltaria. Ai, ai, ai.


Vejam só o absurdo! Os times brasileiros liberam seus jogadores para as seleções para um jogo sem importância. Os atletas ficam dias sem treinar no clube e encaram desgastantes viagens pelo continente. Aí a partida simplesmente não acontece. Inacreditável!!! A desorganização da CBF e da AFA (Associação de Futebol Argentino) é algo muito triste e envergonha os apaixonados pelo esporte. Em questão de minutos, o cancelamento do Superclássico virou notícia no mundo inteiro. A mídia internacional repercutiu negativamente a informação da falta de estrutura e de competência dos dirigentes da América do Sul. E imaginar que a próxima Copa do Mundo será por aqui. Infelizmente, o futebol da nossa região é uma grande várzea, isso sim.


4 de outubro de 2012 - quinta-feira


O bom desempenho de um time dentro de campo está intimamente ligado à sua boa organização fora das quatro linhas. O contrário também pode ser dito. A bagunça na partida de ontem (ou seria a "não partida", hein?) do Superclássico não é um fato isolado. Tanto a Confederação Brasileira de Futebol quanto a Associação de Futebol Argentino são antros de esculhambação. Elas se notabilizaram nas últimas décadas pela desorganização, pela corrupção e pelo antiprofissionalismo. A AFA é, acreditem se quiser, ainda pior do que a CBF quando o assunto é seriedade. Não à toa, nossos hermanos estão há 34 anos sem conquistar uma Copa do Mundo.


Aproveito esse tipo de analogia para mostrar que o sucesso recente nos gramados do Sport Club Corinthians Paulista é fruto de sua evolução estrutural e administrativa nos últimos anos. Há poucas semanas, um estudo da consultoria Pluri apontou o Timão como a agremiação mais transparente do futebol nacional. Entende-se como transparência a capacidade da instituição em demonstrar à sociedade e aos torcedores as ações tomadas pelos dirigentes do clube. Assim, ganha-se ponto quem disponibiliza os balanços financeiros no site, há quantos anos são transmitidas essas informações, qual a periodicidade dessa divulgação e a existência de dados sobre o estatuto, o organograma, o orçamento, o relatório anual e a política de governança.


Talvez o exemplo mais bem-acabado do sucesso administrativo do Corinthians esteja refletido no Programa Fiel Torcedor. O Timão possui aproximadamente 104 mil associados que pagam mensalmente para ter a preferência na compra de ingressos para as partidas em casa. Para se ter uma ideia da representatividade desse número, a agremiação com maior número de sócios no país ainda é o Internacional de Porto Alegre com 106 mil. Ou seja, o Coringão deverá ultrapassar, nos próximos meses, a marca do Inter e se tornará o clube com o maior programa de associados do Brasil.


A previsão do gerente de arrecadação do Corinthians, Lúcio Blanco, é que as receitas do Fiel Torcedor aumentem ainda mais nas próximas temporadas. O novo estádio, que está em construção, deverá atrair mais torcedores e patrocinadores. Várias ações de marketing estão sendo planejadas para quem for integrante do programa corintiano. Os principais benefícios em pauta são a possibilidade de votação para a presidência do Timão nas próximas eleições e o uso das instalações do Parque São Jorge como se o associado fosse um integrante do clube. Nada mal, hein?!


Nota-se a maior preocupação dos dirigentes alvinegros com o consumidor corintiano. No último final de semana, por exemplo, um turista escocês foi hostilizado no Pacaembu pelos torcedores do Timão. O motivo: ele estava vestindo a camisa do Celtic, formada por faixas horizontais verdes e brancas. Como todo corintiano sabe, não se pode usar nada verde (as cores do rival Palmeiras) em nossas arquibancadas. O gringo não sabia e precisou ser retirado do estádio para não apanhar. Chateados (e envergonhados) com o mal-entendido, os cartolas corintianos descobriram depois quem era o escocês envolvido na confusão e o convidaram a visitar o clube. Aí pediram desculpas. Um gesto simples, mas que mostra a grandiosidade do espírito deste clube.


5 de outubro de 2012 - sexta-feira


Excepcionalmente, a próxima rodada do Campeonato Brasileiro será realizada integralmente no sábado. Não haverá jogos no domingo, 7 de outubro, porque essa data foi reservada para o primeiro turno das eleições municipais. Em período de eleições no Brasil, a bola fica em segundo plano. Para não haver conflito de interesse, os torcedores poderão se divertir assistindo aos jogos amanhã e estarão livres para votar a prefeito e a vereador no domingo. Sem concorrência desleal com o futebol ou distrações esportivas, os eleitores não têm desculpas para não ir às urnas.


A 28ª rodada do Brasileirão promete ser emocionante. No topo da tabela, três times disputam o título: Fluminense (com 59 pontos), Atlético Mineiro (53) e Grêmio (50). O Flu tem clássico com o Botafogo no Rio de Janeiro. Se o sábado for totalmente positivo, o tricolor carioca poderá encerrar o final de semana com nove pontos de vantagem em relação ao segundo colocado. Aí ficará difícil tirar o título das Laranjeiras, né? Para evitar o fim precoce do campeonato, o Galo pega o vice-lanterna Figueirense em casa. E o Grêmio recebe o Cruzeiro em Porto Alegre. Ambos os postulantes ao título precisam vencer e torcer contra o líder da competição.


Para os paulistas, o grande jogo desta rodada é São Paulo e Palmeiras. A equipe do Morumbi precisa vencer para continuar com chances de terminar em quarto lugar e, assim, conseguir vaga para a Copa Libertadores de 2013. A briga pela 4ª posição do Brasileirão está entre Vasco da Gama (4º colocado com 47 pontos), São Paulo (5º com 43), Internacional (6º com 41) e Botafogo (7º lugar com 40 pontos). Do lado do Parque Antártica, a briga é para fugir do rebaixamento. Depois da contratação do novo treinador, Gilson Kleina, o Palmeiras venceu dois jogos consecutivos. A situação na tabela de classificação melhorou um pouco, mas ainda é preciso continuar somando pontos para ficar na Série A em 2013. O clássico paulista deverá ser emocionante.


O Coringão enfrentará o Náutico em Recife. A equipe pernambucana está em posição intermediária no Brasileirão (13º lugar) e é um adversário dificílimo quando atua em seu território. Jogando no Estádio dos Aflitos, o Náutico só perdeu duas partidas neste campeonato. A pressão lá é intensa para os visitantes.


Querendo somar logo os seis pontos necessários para ficar tranquilo no restante da competição, o técnico Tite irá colocar em campo força máxima na próxima partida. Só não jogarão em Recife Romarinho (três cartões amarelos), Emerson (ainda cumprindo suspensão), Jorge Henrique (contundido) e Chicão (em recuperação física). A equipe corintiana pegará o Náutico com: Cássio; Alessandro, Paulo André, Wallace e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Douglas e Danilo; Guerrero e Martínez.


Os gringos Martínez e Paolo Guerrero serão novamente os atacantes titulares do Timão. A única diferença é que, dessa vez, eles formarão uma dupla e não um trio. Contra o Botafogo, vale a pena lembrarmos, o camisa 7 e o camisa 9 tiveram a companhia de Romarinho no ataque. Será uma boa oportunidade para vermos como eles irão jogar com Douglas e Danilo na armação das jogadas. Vai Curintia!


6 de outubro de 2012 - sábado


Antes de Náutico e Corinthians, uma cena inusitada foi captada pelas câmeras de televisão. No alambrado do Estádio dos Aflitos, um senhor gritava insistentemente o nome de Paulinho. Ele parecia chamar o volante. Para surpresa geral, aquele homem era o pai biológico do jogador do Timão. Paulinho não o via há doze anos. Desde a separação dos pais, o filho perdera contato com o progenitor. Demonstrando muito carinho, o corintiano foi até o alambrado. Lá deu um beijo no patriarca e trocou algumas palavras. "Fazia um tempo que não o via. Ano passado meu irmão e meu primo vieram e o viram. Meu irmão fazia uns seis anos que não via ele também. Eu não guardo mágoas dele, cara. Hoje ele tem a vida dele, uma outra esposa... ", disse depois o camisa 8 aos jornalistas que presenciaram o encontro à beira do campo.


Foi nesse clima de fortes emoções que a partida iniciou. O Náutico começou melhor. O time da casa fazia todas as jogadas pelo lado esquerdo da defesa corintiana. Fábio Santos não conseguia marcar os adversários. E as bolas eram chutadas ao gol de Cássio com perigo. O arqueiro alvinegro, em ótima forma, fez várias boas defesas. Porém, aos 30 minutos, ele foi batido. O centroavante pernambucano recebeu lançamento, driblou Fábio Santos e chutou forte. Gol dos mandantes. Náutico 1 a 0.


Em desvantagem, o Timão resolveu jogar e foi para cima do oponente. Com o maior interesse dos corintianos pela partida, os lances de perigo começaram a surgir no nosso ataque. Após uma pequena pressão, os visitantes empataram. No último minuto da primeira etapa, Paulinho brigou pela bola na entrada da área adversária e ela sobrou para Guerrero. O centroavante peruano chutou de bico. 1 a 1. Peleja empatada em Recife.


O segundo tempo foi muito bom. Os dois times foram para o ataque e tiveram chances de marcar. Douglas, Guerrero, Paulinho e Martínez quase fizeram o segundo do Corinthians. Na defesa, Cássio e Ralf evitaram o novo gol adversário. Quando tudo caminhava para o empate, aconteceu a jogada decisiva. Aos 45 minutos da etapa complementar, mais uma vez nas costas de Fábio Santos, o pior em campo, o lateral-direito do Náutico cruzou. Na pequena área, Ralf tentou cabecear para fora e jogou sem querer contra o próprio patrimônio. Gol dos pernambucanos para delírio dos torcedores do Timbu que lotavam o Estádio dos Aflitos. Em um raríssimo gol contra de Ralf, o Náutico fez 2 a 1 e decretou a nova derrota do Timão no Brasileirão.


Com o apito final do juiz, Paulinho correu novamente para o alambrado. Agora ele queria se despedir do pai e lhe dar a camisa 8 do Coringão. "Obrigado por ter vindo. De verdade! Fico feliz. Vou demorar a voltar, tenho que fazer o antidoping. Mas obrigado por ter vindo. Eu ligo para o senhor", disse o corintiano. As palavras do filho emocionaram ainda mais o senhor pernambucano.


Conferindo os resultados da rodada, os cinco primeiros colocados no campeonato venceram. Destaque para a goleada do São Paulo sobre o Palmeiras: 3 a 0 no Morumbi. Ou seja, lá em cima da tabela, tudo permanece igual.


7 de outubro de 2012 - domingo


No domingo de eleições não teve futebol nos estádios do país. O esporte mais popular na terra de Machado de Assis se limitou às urnas. Sim, senhores e senhoras, as eleições e o futebol estão muito mais ligados do que a gente pode supor. Eu votei de manhãzinha, logo na abertura das seções eleitorais. Antes, abri o jornal para ver todos os candidatos ao pleito municipal. E para minha surpresa, havia vários corintianos disputando algum cargo público na cidade de São Paulo.


O alvinegro de maior destaque no pleito desse ano era Joaquim Grava, o médico da equipe do Parque São Jorge. O doutor concorria como vice na chapa que tinha Paulinho da Força, do PDT, como candidato a prefeito. O ex-líder sindical chamou o médico corintiano pensando em atrair o voto dos milhões de corintianos na capital paulista. Era uma estratégia inteligente, se formos pensar bem, né?


Os demais corintianos no pleito paulistano estavam disputando uma vaga na Câmara Municipal. De ex-jogadores do Timão, Marcelinho Carioca e Dinei foram os principais. Dinei fez uma campanha modesta: não apareceu muito e agiu aparentemente com honestidade. Diferentemente de Marcelinho, envolvido em escândalos e ações eticamente condenáveis. Quem se lembra do comportamento do Pé de Anjo na época de jogador não deve se surpreender com suas atitudes na política.


A campanha de Marcelinho Carioca teve mais destaque na mídia porque o técnico Tite e atletas do atual elenco corintiano acusaram o antigo meia-atacante de usar ilegalmente suas imagens na propaganda eleitoral. Segundo as alegações deles, o ex-jogador teria pedido para os profissionais do Timão darem declarações de apoio. Contudo, prometeu usar os vídeos apenas em ações sociais. Diferentemente do que combinara, o Pé de Anjo usou as imagens na campanha política, o que gerou grande repercussão frente ao eleitorado. Jogo sujo e desonesto, né, Marcelinho?!!


Outras figuras famosas ligadas ao Corinthians tentaram a sorte nessas eleições. Chico Lang, o jornalista mais corintiano do Brasil, se licenciou do cargo à frente da TV Gazeta para se aventurar pela primeira vez na política. Em sua campanha a vereador, ele lembrava que era alvinegro e pedia os votos do Bando de Loucos. Seu bordão era: "Não seja Zé Mané, coloque um cara de atitude na Câmara". Até uma personagem do Pânico, um programa humorístico de televisão, chamada de Vovó da Fiel concorreu. Ela prometeu defender a nação corintiana se eleita: "Ganhamos a Libertadores e vamos ganhar na Câmara".


Sou corintiano, mas não sou besta, tá? Não votei em nenhum desses candidatos que se aproveitaram da imagem do Timão. E fiquei muito feliz que eles não foram eleitos. Paulinho da Força e Joaquim Grava ficaram apenas em 7º lugar para prefeito. Receberam 0,63% dos votos válidos. Para o legislativo municipal, Marcelinho Carioca teve 19.729 votos (80ª posição), Dinei com 9.243 (119ª), Chico Lang com 12.340 (107ª) e a Vovó da Fiel com apenas 3.474 (193ª). Ainda bem! Pelo menos desses aventureiros a Câmara Municipal de São Paulo está livre.


8 de outubro de 2012 - segunda-feira


Hoje, falei com o meu amigo Paulo. Para quem não se lembra, Paulo Sousa também é escritor e sempre analisa previamente as obras que produzo. Eu gosto das opiniões dele e de seu senso crítico. Por isso, entreguei em agosto uma cópia dos capítulos iniciais de O Ano que Esperávamos Há Anos para ele ler. Nessa segunda-feira, combinamos de conversar a respeito. A ideia era pegar suas avaliações iniciais. Para mim foi ótimo. Afinal, tratava-se do primeiro feedback recebido destas páginas.


De um modo geral, Paulo gostou do livro, da concepção e da estrutura narrativa. Ele considerou a obra interessante e com chances de ser publicada. Adorei ouvir isso! Evidentemente, ser corintiano deve tê-lo ajudado na leitura e na ambientação da história. Tenho sorte que ele é torcedor fanático do Timão. Imagino como deve ser difícil para são-paulinos, palmeirenses e santistas (para os anticorintianos como um todo!!!) acompanharem O Ano que Esperávamos Há Anos. Acredito que eles não conseguirão chegar sequer à metade do primeiro capítulo. Não por acaso, esse é o desafio de meu outro crítico, o palmeirense Roberto S. Inagaki. Apesar de sua boa vontade em ler tudo o que escrevo e de opinar com sinceridade, acho que dessa vez Roberto não vá querer ver meus relatos sobre a temporada futebolística de 2012.


Voltando agora para as ideias do Paulo. Ele sentiu falta de imagens em O Ano que Esperávamos Há Anos. Para ele, eu deveria tirar fotos minhas de momentos importantes para ilustrar a publicação. Infelizmente, ele não sabe o quanto eu odeio tirar fotos e, por isso, não fiz nenhum registro deste tipo. Talvez a solução seja ilustrar com imagens gerais, captadas dos jogadores corintianos, dos jogos decisivos, das grandes contratações e dos principais acontecimentos do clube. Pode ficar legal, né? Ele também gostou dos relatos sobre os jogadores. Disse ter curtido conhecer um pouco mais dos atletas corintianos ao longo do ano, com cada um deles sendo citado no momento de maior destaque. Também achou válida a forma com a qual descrevi os jogos. Surpreendentemente, ele não considerou as descrições das partidas tão cansativas como eu temia. Ele deve ser muito fanático por futebol e pelo Timão para ter se empolgado com meu texto, né?


As principais críticas negativas foram em cima de algumas histórias pessoais meio sem graça: "Na vida, existem dias maravilhosos. E também há dias enfadonhos, nos quais nada acontece. Nesses casos, você poderia escrever alguma história mais interessante dos jogadores ao invés de insistir nos relatos do seu cotidiano". Boa dica, Paulinho! Meu amigo também considerou meus relatos como sendo na maior parte das vezes bem-humorados. O problema está em algumas piadas que contei. Muito sem graça e batidas na visão dele. "Você poderia explorar mais as tiradas cômicas sobre o futebol, inclusive contra os corintianos. As anedotas que você citou são um pouco batidas, por isso seria uma boa colocar piadas menos conhecidas e mais engraçadas". Infelizmente, eu não sei contar piadas, pessoal. Desculpem-me.


Obrigado pelas sugestões e pelo feedback, Paulo! Vou usar seus comentários para melhorar O Ano que Esperávamos Há Anos. Valeu pela contribuição mais uma vez!


9 de outubro de 2012 - terça-feira


Amanhã à noite, o Corinthians enfrentará o Flamengo no Pacaembu pela 29ª rodada do Brasileirão. Esse será o terceiro jogo entre as duas equipes em 2012. O primeiro duelo foi um amistoso em janeiro (empate de 2 a 2) e o segundo foi pelo primeiro turno do Campeonato Brasileiro (chocolate corintiano de 3 a 0 no Rio).


As equipes de maior torcida do Brasil vivem situações opostas na temporada. O Flamengo tenta fugir do rebaixamento. Está na 12ª colocação e tem 34 pontos (sete a mais do que o Sport Recife, o primeiro time no grupo de descenso). Os cariocas enfrentam crise financeira e o ambiente interno é muito conturbado. Os salários estão atrasados há alguns meses, o Imperador Adriano continua aprontando das suas e os dirigentes brigam entre si constantemente. A Gávea está uma balburdia.


Por sua vez, o Timão é um mar de tranquilidade. Depois da conquista mais esperada pela Fiel Torcida, os jogadores do Corinthians entram para os jogos sem a pressão pelo resultado positivo a qualquer custo. A motivação imediata dos atletas corintianos é vencer dois jogos do Brasileirão. Assim, poderão ganhar folga de alguns dias antes do início formal dos preparativos para o torneio mais importante do segundo semestre. "Corinthians e Flamengo têm o maior Ibope da TV. As duas equipes não disputam mais o título, mas nem por isso deixa de ser um duelo atraente. Queremos chegar (logo) aos 45 pontos para pensarmos na preparação para o Mundial de Clubes", disse o zagueiro Paulo André.


O Corinthians irá a campo com: Cássio; Alessandro, Paulo André, Wallace e Fábio Santos; Ralf, Guilherme, Edenílson e Douglas; Romarinho e Emerson Sheik. Emerson Sheik? Como assim?! Ele não tinha mais um jogo de suspensão? Tinha. Mas não tem mais. O Superior Tribunal de Justiça Desportiva alterou a pena do atacante de seis partidas de gancho para cinco. Como o camisa 11 já cumpriu esse número de partidas, poderá voltar. Essa é uma ótima notícia. Com Emerson Sheik entre os titulares, o ataque do Timão ganha muito mais força e as chances de gol aumentam.


A única notícia ruim da terça foi a contusão muscular de Danilo. O meio-campista sentiu fortes dores na coxa durante o treinamento de hoje e saiu carregado do campo. Não enfrentará o Flamengo nem a Portuguesa, no sábado. Pelas primeiras notícias que chegaram do CT, não se trata de uma lesão séria. Danilo sofreu um edema na coxa esquerda e precisará de alguns dias de tratamento para se reestabelecer.


Outra atração do jogo de amanhã será a presença de Liedson na equipe titular do Mengo. O Levezinho é a esperança de gols dos cariocas para o Clássico das Multidões. Será bom vê-lo novamente de perto. O problema atual do centroavante, ex-ídolo corintiano, não é mais muscular e sim financeiro. Liedson se disse recuperado dos problemas médicos que o atrapalharam no Timão no primeiro semestre. Suas dificuldades agora são para receber o salário em dia. Algo sempre muito difícil de ser feito no Flamengo há alguns anos.


10 de outubro de 2012 - quarta-feira


A noite fria da capital paulista se tornou quente no Pacaembu. A torcida corintiana foi ao delírio quando o sistema de autofalantes do estádio municipal anunciou a presença de Emerson Sheik entre os titulares do Timão. A alegria dos torcedores só não foi maior do que quando se comunicou a presença de Zizao entre os relacionados para o banco de reservas. As arquibancadas vieram à baixo com o anúncio do chinês. Há sete meses no clube, o gringo ainda não estreou e a expectativa da torcida só aumenta. Todos gostam dele e querem vê-lo jogando um pouco.


O Clássico das Multidões começou com total domínio corintiano. Bem-organizada, a equipe de Tite conseguia bloquear as ações ofensivas do Flamengo com facilidade e criava boas jogadas no setor ofensivo. Douglas, Paulo André e Guilherme, todos em cabeçadas, quase inauguraram o marcador. Apesar do Timão estar melhor, o primeiro gol do jogo foi do adversário. Em cobrança de falta para a grande área, três jogadores cariocas receberam livres e em impedimento. O juiz não marcou a posição irregular e um deles chutou para o gol. 1 a 0 para o Mengo. Revolta no estádio. Tite foi à loucura com a decisão do árbitro e, principalmente, do bandeirinha.


Mesmo em desvantagem no placar, o Corinthians continuou melhor e criava várias chances. Douglas, ainda no primeiro tempo, cobrou falta na trave. Quase!!! Nos primeiros minutos do segundo tempo, Edenílson fez ótima jogada pela direita e foi derrubado na área. Pênalti! Infelizmente o juizão não viu a infração. Ladrão!


A angústia corintiana acabou quando Fábio Santos roubou a bola na lateral esquerda e cruzou para a área. Edenílson se atirou em direção à bola e marcou seu primeiro gol com a camisa do Timão. 1 a 1. Com o empate, o massacre corintiano só aumentou. Fábio Santos, um dos melhores em campo ao lado de Edenílson, chutou e a bola lascou a trave. Uhhhhh. Na jogada seguinte, Paulo André cabeceou a cobrança de escanteio de Douglas e virou o placar. 2 a 1. Nos instantes finais do segundo tempo, Edenílson arrancou pela direita e encontrou Emerson na grande área. O atacante só teve o trabalho de colocar para dentro. Goooooool do Timão. 3 a 1.


Para a alegria da torcida corintiana ficar completa só faltava a estreia de Zizao. Os torcedores gritaram para Tite colocar o chinês em campo, mas não foram atendidos. Ainda deu tempo de o Flamengo diminuir. Liedson aproveitou cruzamento e fez aos 45 minutos. Placar final: Corinthians (cada vez mais tranquilo e próximo de começar a preparação para o Mundial) 3, Flamengo (cada vez mais em crise e afundado em dívidas e confusões) 2. O Timão só não goleou novamente os cariocas porque, dessa vez, o juiz não deixou. Do contrário, a vitória alvinegra teria sido mais dilatada.


Ao final do jogo, os repórteres correram na direção de Zizao. Todos queriam uma palavra do gringo em relação ao pedido da torcida. O chinês foi muito simpático. Ele agradeceu em português o apoio vindo das arquibancadas e prometeu logo mais estar em campo. O cara é muito gente boa e merece sim uma chance. Põe o Zizao, Tite! Só um pouquinho, por favor!!!


11 de outubro de 2012 - quinta-feira


No jogo de ontem, Tite alcançou mais um feito histórico no Corinthians. O treinador gaúcho completou 186 partidas na equipe do Parque São Jorge. Chegou, assim, ao posto de quinto técnico que mais dirigiu o Timão. Tal marca pertencia ao atual comandante da Seleção Brasileira, Mano Menezes, com 185 jogos. Mano ficou à frente do alvinegro paulistano entre dezembro de 2007 e julho de 2010.


Essa é a segunda passagem de Tite pelo Coringão. A primeira durou 272 dias e aconteceu entre maio de 2004 e fevereiro de 2005. O treinador corintiano foi demitido naquela oportunidade após discutir com o todo poderoso Kia Joorabchian, iraniano que presidia a MSI, grupo investidor que dava as cartas no Corinthians. Após uma derrota para o São Paulo no Morumbi, Kia invadiu os vestiários para questionar o treinador sobre suas decisões em campo. Tite não aceitou a postura do cartola e bateu boca. Obviamente, foi demitido. O tempo mostrou quem estava certo. Atualmente, Kia Joorabchian não pode entrar no Brasil, pois corre o risco de ser preso por lavagem de dinheiro e formação de quadrilha, processos em tramitação no Ministério Público.


A nova passagem de Adenor Leonardo Bacchi no Corinthians já dura 722 dias. Ela foi iniciada em 20 de outubro de 2010. Na próxima semana, o gaúcho completará a incrível marca de 1.000 dias no Timão, contando os dois períodos. Seu aproveitamento é de 61,47%. São 97 vitórias, 52 empates e 37 derrotas.


Dos quatro treinadores que mais dirigiram o Corinthians, Nelsinho Batista (com 192 partidas no currículo e na quarta colocação) deve ser ultrapassado pelo atual comandante alvinegro até o final deste ano. Nelsinho, para quem não se lembra, foi campeão brasileiro pelo Timão como técnico em 1990, a nossa primeira conquista nacional. Foi ele também o comandante do fatídico rebaixamento para a Série B em 2007. Tite fará mais 11 jogos até o fim da temporada (nove pelo Brasileirão e dois pelo Mundial) e chegará à marca de 197 jogos.


No ano que vem, se Tite tiver o contrato renovado, como todos esperam, deverá chegar ao posto de segundo treinador com mais partidas pelo Timão. Ultrapassará Almícar Barbuy (240 partidas em quatro passagens pelo Corinthians, tendo sido campeão paulista de 1916) e José Castelli, o Rato (256 partidas em cinco passagens, tendo conquistado o bicampeonato paulista de 1951 e 1952). Só não conseguirá, por enquanto, chegar perto de Oswaldo Brandão (441 jogos em cinco passagens pelo clube). Brandão é uma lenda no Parque São Jorge. Ele conquistou o Campeonato Paulista de 1954 pelo Corinthians. Depois disso, o treinador saiu para dirigir outras equipes do país e o Timão não ganhou mais nada. Sem o lendário treinador, ficamos 23 anos sem glórias. Foi preciso Oswaldo Brandão retornar ao clube em 1977 para a torcida alvinegra voltar a sentir o gosto de ser campeã paulista.


Para superar o recordista, Tite precisará ficar muitos anos no Timão. Pensando bem, até que não é uma má ideia, né? "Por mim, o Tite fica mais uns dez anos aqui no Corinthians", disse em fevereiro Edu Gaspar, gerente corintiano. Concordo com ele!


12 de outubro de 2012 - sexta-feira


Amanhã, o Corinthians enfrentará a Portuguesa no Canindé. O objetivo da comissão técnica do Timão é alcançar a pontuação que garanta a tranquilidade para o restante do Brasileirão. Inicialmente, Tite queria conquistar 45 pontos. Com esse patamar atingido, acreditava não correr mais riscos de rebaixamento se focasse nos preparativos para o Mundial Interclubes. Agora a conversa mudou um pouco. O comandante corintiano reviu os cálculos e disse que 43 pontos já são suficientes. Assim, só falta mais um pontinho para chegarmos à chamada zona de segurança. De acordo com esse ideal, um empate no sábado à noite é um bom resultado.


Para a próxima partida, Tite continua sem os quatro jogadores selecionáveis. Paulinho está na Seleção Brasileira, Ramirez e Guerreno na Peruana e Martínez na Argentina. Eles não puderam entrar em campo contra o Flamengo na quarta-feira por estarem em excursão no exterior. O quarteto só deverá ficar novamente à disposição do técnico corintiano no outro final de semana.


Os três jogadores do Timão vetados para a partida com a Lusa são: Danilo em tratamento na coxa; e Chicão e Jorge Henrique em recuperação física. Dessa maneira, a equipe corintiana que foi escalada para o clássico paulistano é idêntica ao da última rodada: Cássio; Alessandro, Paulo André, Wallace e Fábio Santos; Ralf, Guilherme, Edenílson e Douglas; Romarinho e Emerson. No banco, Zizao estará presente, assim como Chiquinho, o último contratado alvinegro vindo do Ipatinga-MG.


O grande destaque da partida de sábado será Guilherme. Após ter jogado a vida toda na Portuguesa, o volante alvinegro enfrentará pela primeira vez o ex-clube. A torcida da casa deverá recepcioná-lo com muitas vaias e xingamentos. Vamos ver se o jovem talento do Timão terá a cabeça fria para suportar a pressão. Ele tem substituído muito bem Paulinho quando o titular se ausenta.


Por falar em vaias e xingamentos, não existe torcida mais revoltada no Brasil do que a do Palmeiras. O Palestra perdeu ontem mais uma vez, agora para o Coritiba em casa por 1 a 0. Os verdinhos estão nove pontos atrás do primeiro time livre da zona de rebaixamento. E faltam nove rodadas para o término do Brasileirão. O gol do Coxa aconteceu aos 44 minutos do segundo tempo. Foi algo lindo!!! Eu ouvi o jogo pelo rádio e, confesso, vibrei bastante com o gol. Para piorar ainda mais as coisas para os lados do Parque Antártica, os próximos dois duelos do Palmeirinha serão fora de casa: em Recife contra o Náutico e em Salvador contra o Bahia. Se eles voltarem sem nenhum ponto para São Paulo, aí já estará na hora de preparar o caixão...


O ano que sonhávamos há anos está se materializando. O Timão campeão da Libertadores e do Mundial. O São Paulo mais um ano na fila. E o Palmeiras na Série B. Desculpem-me, mas não sei mais o que poderia pedir para o Papai do Céu. Ele tem sido tão bom e generoso com a Fiel Torcida em 2012. A única coisa a fazer é agradecer eternamente a sua ajuda. Obrigado, Meu Pai!!!


13 de outubro de 2012 - sábado


A temperatura se manteve fria na cidade de São Paulo durante toda a semana. Nesse sábado, a média foi de 15ºC durante à tarde, com declínio das temperaturas no cair da noite. Às 21 horas, horário do jogo entre Portuguesa e Corinthians, o Canindé estava gelado. Os fortes ventos davam uma sensação térmica de 8ºC. Todo mundo estava devidamente agasalhado nas arquibancadas. O estádio da região Norte de São Paulo tinha predomínio de corintianos. Mesmo jogando em seus domínios, a Lusa era minoria nas arquibancadas. Coisas de Corinthians. Coisas de Portuguesa!


No primeiro lance, logo aos 2 minutos, o zagueiro da Portuguesa entrou mais forte e dividiu a bola com Emerson de maneira viril. O atacante corintiano sentiu o joelho. Sheik até tentou voltar para o jogo, mas não conseguiu. Foi substituído minutos depois por Giovanni. Preocupação geral na República Popular do Corinthians.


Aos 12 minutos, a Portuguesa teve uma falta a seu favor no campo de ataque. Após cruzamento para a grande área, a defesa do Timão ficou assistindo ao jogador de vermelho tentar desviar. Ele não conseguiu tocar na bola, mas foi o suficiente para enganar Cássio. A bola entrou direto. Gol da Lusa e 1 a 0 para os mandantes.


Enquanto os portugueses comemoravam, Douglas dominou na intermediária ofensiva e disparou a bomba. A bola foi no ângulo da meta adversária. Um golaço para delírio da Fiel. O Maestro mostrava estar em excelente forma. Dida, o camisa 1 da Portuguesa, não deve ter visto o míssil passando. O clássico estava empatado novamente.


O restante do primeiro tempo foi de domínio corintiano. Romarinho, o melhor em campo, armava as principais oportunidades. Ele driblava, passava para os companheiros e chutava ao gol. Se futebol fosse um esporte justo, o placar no intervalo teria sido de 3 a 1 ou 4 a 1 para o Corinthians. Como não é, o marcador ficou mesmo no 1 a 1.


O segundo tempo foi mais equilibrado. O Timão teve chances com Giovanni e Douglas, mas a Lusa também fez belas jogadas ofensivas. Qualquer uma das equipes poderia ter saído com a vitória. Quem ficou mais perto dos três pontos foi a equipe da casa. O centroavante do time do Canindé aproveitou rebote de Cássio, em noite pouco inspirada, e completou para o fundo das redes. Gol da Portuguesa! Graças ao trio de arbitragem, que viu posição de impedimento do atacante rubro-verde, o lance foi anulado. Jogadores, comissão técnica e torcedores da Lusa reclamaram bastante, com razão. Porém a decisão do juizão já havia sido tomada e não poderia ser revertida. O empate de 1 a 1 persistiu até o final. Se a arbitragem atrapalhou o Coringão na última quarta-feira, pelo menos agora ela foi mais simpática com nossas cores. Ufa!


Com o empate sacramentado, o Corinthians atingiu os 43 pontos e manteve a 7ª posição no torneio. Nos vestiários do Canindé, Tite disse aos jogadores que ficou feliz com o ponto conquistado e que a margem de segurança almejada fora conquistada.


14 de outubro de 2012 - domingo


Meu domingo começou um tanto estranho. Acordei com o coração muito acelerado, com a pressão baixa e com os pés e pernas bastante inchados. Quando tentava fazer um esforço um pouco maior ou me mexia muito, faltava fôlego e o coração disparava de um jeito esquisito. Definitivamente, não estava bem de saúde!


Acho que tive um pequeno infarto, uma insuficiência cardíaca passageira ou um mal súbito. Sei lá! O importante mesmo é que (ainda) estou vivo. Por isso, não fui ao médico. Esperei por conta própria os sintomas estranhos passarem. Eles ainda não foram embora totalmente, mas não corro mais (imagino eu) qualquer risco de morrer.


A coisa mais chata dessa história foi perceber que algo poderia me impossibilitar de assistir ao Mundial de Clubes em dezembro. Eu já me conformei de não viajar para o Japão para ver os jogos no estádio, mas não assistir às partidas pela televisão seria demais! Sempre sonhei em presenciar meu time indo para o outro lado do mundo para disputar com as melhores equipes do planeta o título máximo do futebol mundial. E justamente agora quando tenho tal oportunidade, eu corro o risco de morrer. Ai, ai, ai. Como a vida pode ser injusta às vezes... Neste caso, a vida ou a morte, né?


Por isso, botei na cabeça uma coisa. Não vou morrer! Não vou mesmo. Pelo menos não agora. Preciso me esforçar para aguentar pelo menos até 17 de dezembro, o dia posterior à final do Mundial. Eu quero dormir com a sensação de ser campeão do mundo e acordar no dia seguinte com um sorriso na boca. Depois disso, a mulher com o capuz preto e o cajado nas mãos pode vir me buscar. Irei alegremente com ela.


Pensando melhor, talvez o ideal seja aguardar até o começo de janeiro de 2013. Só assim conseguirei terminar com calma o Ano que Esperávamos Há Anos. O que adianta ver o Timão campeão se eu não concluir o relato dessa linda história, hein? Eu não gosto de deixar nada inacabado, fiquem vocês sabendo. Olhando por esse lado, acho que precisarei, admito, do primeiro mês inteiro do próximo ano para revisar os textos. Se a personagem negra de capuz e foice quiser agendar uma data, marquemos então para o começo de fevereiro. Porém, em fevereiro terá Carnaval! Nosso encontro pode ficar para março? Prometo me comportar muito bem até lá. O ideal mesmo é deixarmos para o meio do ano. Eu precisarei de tempo para arrumar uma editora para publicar minha obra. Até o livro ser produzido, publicado, vendido... Deixemos, então, para dezembro de 2013. Tudo bem?


O certo mesmo é que por causa das minhas limitações físicas, passei o dia inteiro de cama, olhando para o teto. Admito ter ficado preocupado com a situação clínica. Porém, quando o relógio do quarto bateu 16 horas, era o momento de ir para frente da televisão. Me arrastei até a sala para ver a transmissão de Náutico e Palmeiras. O time pernambucano venceu por 1 a 0. O Palmeirinha perdeu a terceira partida seguida. A cada dia a certeza do rebaixamento do Palestra é mais concreta. Podem já começar a preparar um caixão para o Verdão! Na dúvida, arranjem dois. Sabe-se lá se não serei rebaixado também para as divisões inferiores dessa vida nos próximos dias, né?


15 de outubro de 2012 - segunda-feira


O Timão está fora do Campeonato Brasileiro. Pelo menos psicologicamente. Tite e a comissão técnica corintiana resolveram iniciar a preparação para o Mundial de Clubes da FIFA desde já. Por isso, os próximos dois jogos do Brasileirão, contra Cruzeiro e Bahia, serão sumariamente ignorados pelos profissionais do Parque São Jorge. Os reservas deverão ir a campo nessas oportunidades. Um ou outro titular só será escalado se precisar ganhar ritmo de jogo ou se precisar melhorar fisicamente.


Somente a partir de 27 de outubro, na partida contra o Vasco da Gama, o Timão deverá ter o retorno dos principais jogadores. Os duelos finais do Brasileirão serão utilizados como testes para o Campeonato Mundial. Do jogo do Vasco em diante, Tite quer ter todos os craques corintianos à disposição. A ideia é colocá-los em campo com alta intensidade, como se simulassem os confrontos pelo torneio internacional.


Nessa semana, a ordem é recuperar os contundidos, dar descanso aos atletas mais exigidos na temporada e treinar bem a equipe reserva. A programação dos próximos dias para as estrelas do Timão é aquela que todo boleiro gosta: água e sombra fresca. Afinal, eles merecem! Depois de tantos jogos, de tantas vitórias e da conquista da Libertadores, eles têm o direito a alguns dias mais calmos de lazer.


A folga já começou para os laterais Alessandro e Fábio Santos e para o volante Ralf, os atletas que mais atuaram em 2012. Eles foram dispensados após o jogo da Portuguesa no sábado e só devem voltar aos trabalhos no CT Joaquim Grava no próximo final de semana. Quando eles retornarem aos trabalhos, será a vez dos selecionáveis do grupo ganharem um período de descanso parecido. Paulinho, Ramirez, Paolo Guerrero e Martínez, todos defendendo as equipes nacionais até quinta-feira, receberão essa boa notícia quando chegarem à São Paulo.


Outro grupo que aproveitará o período mais tranquilo para se preparar melhor é o dos atletas que estão vindo de contusão. Chicão e Jorge Henrique deverão intensificar os treinos físicos para ganhar condicionamento. Devem retornar ao time titular no jogo contra o Coritiba, em 11 de novembro.


Para os reservas corintianos, as próximas semanas devem ser encaradas como oportunidades para jogar. Se forem bem, podem garantir vaga para a viagem ao Japão em dezembro. Na certa, o treinador corintiano estará de olho no desempenho de todos. Vamos ver quem aproveitará a chance. Para não decepcionar o comandante, precisarão treinar forte e entrar com vontade nas partidas.


Danilo (com problemas musculares) e Emerson (contundido no último jogo) estão fora de todas as próximas atividades e preocupam a comissão técnica. O meio-campista está sendo avaliado pelos médicos, enquanto o atacante passará por exames para verificar a gravidade da lesão. O ideal é que no período posterior ao descanso dos titulares, não haja mais ninguém no departamento médico. Para isso, vamos torcer para a recuperação do camisa 20 e do camisa 11. E rezar para ninguém se machucar.


16 de outubro de 2012 - terça-feira


A contusão de Emerson é séria. O departamento médico corintiano, contudo, descartou a necessidade de cirurgia, algo que alongaria o tempo de recuperação do atleta. Os exames recentes constataram estiramento no ligamento colateral medial do joelho direito de Sheik, fruto do impacto no lance inicial do jogo com a Lusa. O camisa 11 ficará um mês longe dos gramados. Só voltará a trabalhar fisicamente no período final de preparação para o Mundial. Isso é preocupante. Mesmo assim, a comissão técnica demonstrou confiar na recuperação do herói do Timão na Liberta. Vamos torcer para ele chegar bem em dezembro. Precisamos de Emerson inteiro e voando no Japão.


Se Sheik ficará parado, Danilo está ótimo. O meia-esquerda se recuperou do edema na coxa e já está treinando normalmente. Inclusive vai para o jogo contra o Cruzeiro, amanhã à noite em Varginha. O curioso é a posição na qual ele foi escalado: centroavante. A decisão de Tite foi tomada pela falta de um jogador nato na posição. O treinador alvinegro não poderá contar com 11 jogadores (Alessandro, Ralf, Fábio Santos, Paulinho, Guerrero, Ramirez, Martínez, Giovanni, Emerson, Chicão e Jorge Henrique) para a próxima partida. É praticamente um time inteiro de desfalques. O Coringão estará bem remendado em Varginha.


A grande expectativa da Fiel Torcida está na possível estreia de Zizao. Todo mundo quer ver o camisa 200 em campo. A torcida, os jogadores, a diretoria, a imprensa e até os nossos rivais anseiam por vê-lo atuando. Tite vem sendo cauteloso nesse sentido. Ele teme colocar o jogador antes da hora. O chinês ainda é muito franzino e se machuca muito nos contatos com os outros atletas nos treinamentos. Imagine só como seria nos jogos oficiais, onde o pau come, né? Se Emerson Sheik que é malandro saiu quebrado da última partida, imagine o chinesinho magrinho e ingênuo, hein?


“Primeiro ele já tem feito trabalho de ganho muscular. Mas ele é um atleta de complexidade física menor. Não é forte, não é grande" disse o preparador físico Fábio Mahseredjian, explicando o trabalho feito nesses meses para deixar o atacante estrangeiro em boas condições de jogo. Com tantas ausências no grupo corintiano, é bem possível que dessa vez Zizao entre mesmo no segundo tempo. Ele deverá começar o jogo no banco e segundo o técnico Tite poderá ter a oportunidade de jogar alguns minutos no final da partida. A torcida é que Zizao consiga, enfim, estrear com a camisa do Timão.


O Corinthians está escalado com: Cássio; Welder, Wallace, Paulo André e Guilherme Andrade; Guilherme, Willian Arão, Edenílson e Douglas; Romarinho e Danilo. É um time formado quase inteiramente por reservas. Teremos dificuldades amanhã! A partida entre Cruzeiro e Timão foi marcada para o interior de Minas Gerais, pois a Raposa foi punida pela CBF por confusões de seus torcedores. Assim, não poderá jogar em Belo Horizonte nas próximas rodadas. Os cruzeirenses vivem má fase no campeonato. Estão apenas na 11ª posição e precisam da vitória para afastar a crise. Será um duelo complicado!


17 de outubro de 2012 - quarta-feira


O estádio em Varginha recebeu bom público na noite de quarta-feira. A pequena cidade do Sul de Minas parou para ver Cruzeiro e Corinthians. A torcida corintiana empolgada com a possibilidade de ver Zizao pela primeira vez compareceu em ótimo número. A Fiel dividiu meio a meio as arquibancadas com os torcedores da equipe da casa. Pela televisão era possível notar os vários cartazes no meio do Bando de Loucos. Todos pediam para Tite colocar o chinês. Com essa expectativa, me ajeitei no sofá de casa e assisti à partida com curiosidade.


O Corinthians, surpreendentemente, começou melhor o jogo. Nem parecia estar com o time reserva. Romarinho tabelou com Douglas, recebeu de volta e chutou para o gol. Defesa do goleiro celeste. Logo depois foi a vez de Edenílson fazer bela jogada. À medida que o tempo foi passando, o Cruzeiro começou a equilibrar as ações e se tornava mais e mais perigoso. Com um bom toque de bola no meio de campo, as jogadas ofensivas dos mineiros passaram a assustar o goleiro Cássio. Em um dos vários lances pelo lado direito da defesa corintiana, saiu o gol da Raposa. O centroavante celeste aproveitou cruzamento e livre na pequena área só desviou para dentro das traves alvinegras. Gol do Cruzeiro! 1 a 0 em Varginha.


O gol não abalou o moral dos jogadores corintianos. O Timão continuou partindo para cima e teve algumas chances para marcar. A melhor oportunidade ocorreu aos 42 minutos. Danilo fez ótima jogada individual pela esquerda e cruzou para Edenílson. O volante, que atuava como meia, desviou de cabeça. A bola passou pertinho do gol. Uhhhhhhhh.


O segundo tempo foi caótico para o Corinthians. A equipe voltou do intervalo muito mal e não fez mais nada de relevante. Assim ficou fácil para o Cruzeiro. O time da casa cansou de perder gols. Depois de tanto insistir, o segundo tento aconteceu. A superioridade da Raposa se intensificou depois do 2 a 0.


O jogo aparentemente perdeu a graça. Isso até os 34 minutos, quando Tite, enfim, colocou Zizao. O chinês ia para o campo! Delírio dos corintianos no estádio e na frente da televisão. O camisa 200 mostrou muita vontade. Correu, bateu lateral, cobrou escanteio, roubou bola, pediu passe e arriscou jogadas individuais. Sabe que ele não é tão ruim quanto parecia. Gostei de vê-lo jogar. Em seu melhor lance, Zizao roubou a bola do adversário e partiu para cima da defesa cruzeirense. Driblou um marcador e quando só faltava um defensor até o gol, tentou novo drible, uma pedalada. E aí perdeu a bola. Apesar do insucesso, a jogada quase deu certo!!! Se passasse pelo segundo zagueiro, ficaria na frente do goleiro. Imagine se ele marcasse um gol estando apenas alguns minutos em campo, hein?! Infelizmente, ele não conseguiu...


A partida terminou 2 a 0 para o Cruzeiro. A Raposa afastou um pouco a crise dos últimos meses. E o Coringão voltou para São Paulo sem nenhum ponto. Pelo menos tivemos a chance de ver o chinês em campo, né? Valeu a pena acompanhar a partida até tão tarde da noite.


18 de outubro de 2012 - quinta-feira


Depois de ficar sete meses só treinando, finalmente Zizao estreou com a camisa do Timão. Ontem, ele jogou por aproximadamente 15 minutos contra o Cruzeiro. E saiba que ele foi razoavelmente bem. Não foi um primor, mas também não foi uma negação. Tentou, correu e arriscou jogadas. Ao todo, ele deu dois dribles, fez dois passes e recebeu duas bolas, além de tentar uma finalização ao gol.


Para ser sincero, fiquei surpreso positivamente com sua qualidade. Minha expectativa inicial em relação ao camisa 200 era baixíssima. Na minha visão, Zizao era um amador escolhido para figurar em um elenco profissional. Agora tenho outra ideia. Ele parece ser um jogador razoável. Tem capacidade para figurar como um dos vários reservas do grupo campeão continental. Nada mais do que isso, tá?


A repercussão do jogo de ontem foi uma só: o chinês jogou!!! Nos jornais, nos programas esportivos e nos portais de Internet, ninguém falava do resultado da partida. Apenas se comentava a entrada do atacante chinês e sua atuação. A maioria dos jornalistas disse que não deu para avaliá-lo bem, pelo pouco tempo em campo.


“Hoje me senti bem, rezei por esse jogo, mas não gostei do resultado. Espero que da próxima vez o Corinthians jogue melhor”, disse Zizao, em inglês, na entrevista à TV Globo após a partida. Obviamente, ele queria ter vencido o jogo.


A notícia da entrada em campo do jovem chinês rapidamente correu o mundo. Na China, a atuação do jogador foi descrita por alguns periódicos como maravilhosa. O jornal Dayoo escreveu: "Após ficar cinco vezes no banco sem entrar nos jogos, finalmente Zizao alcançou o momento histórico para sua carreira". Já o Sports Hangzhou deu destaque ao apelo da torcida corintiana, que insistentemente pedia a entrada do atleta. O jornal CNR exaltou a tentativa de pedalada do jogador, infelizmente frustrada pelo beque cruzeirense.


O sucesso maior de Zizao, no entanto, foi na Internet, mais especificamente nas redes sociais. A coincidência de sua estreia ter ocorrido na cidade de Varginha, conhecida nacionalmente como o local de aparição de extraterrestres, foi prato cheio para as piadas dos internautas. Até o rosto do chinesinho foi comparado ao dos seres de outros planetas. O bom humor dessa gente é algo contagiante.


De uma forma geral, parece que todo mundo ficou feliz com a entrada do camisa 200. Zizao ficou radiante com a possibilidade de atuar alguns minutos. Seus conterrâneos, a milhares de quilômetros de distância, ficaram orgulhosos. A torcida corintiana matou a curiosidade. Os jornalistas daqui tiveram mais assunto para comentar. Os demais atletas do Timão pareceram contentes por ver o colega feliz. Tite deve ter ficado aliviado, pois a pressão por colocar o garoto aumentava a cada jogo. E a diretoria do Parque São Jorge também deve ter ficado satisfeita com o sucesso da ação de Marketing e com o carisma do asiático.


19 de outubro de 2012 - sexta-feira


Essa sexta-feira foi especial para os brasileiros. Hoje tivemos o último capítulo da novela das nove da Rede Globo. O sucesso de Avenida Brasil foi retumbante. Muito provavelmente, tratou-se da novela de maior audiência da emissora carioca das últimas décadas. Quase todo mundo assistiu à história de Tufão, Carminha e Nina. Por consequência, houve uma gigantesca mobilização para acompanhar o final da trama. As ruas de São Paulo ficaram desertas na hora da novela, cena repetida em outras cidades do país à fora. Durante todo o dia, os comentários que monopolizavam as conversas eram exclusivamente sobre a novela: "quem matou Max?" e "como será o fim da Carminha (a vilã)?". Assim, às 21 horas em ponto, milhões de brasileiros ficaram na frente da televisão para saber como terminaria o folhetim.


Grande parte do sucesso da novela se deu pelo enredo diferenciado. A história se passou no subúrbio carioca, no fictício bairro do Divino. O foco da trama era o time de futebol chamado Divino Futebol Clube. O principal personagem, Tufão, era um ex-jogador de futebol famoso e muito rico. Em volta dele e de sua família, havia vários personagens do mundo do futebol: os jogadores em atividade, o presidente do clube, os conselheiros, os torcedores e, como não poderia faltar, as "marias-chuteiras".


A mistura de futebol e novela foi acertada. O último capítulo de Avenida Brasil atingiu 51 pontos de audiência, o que representou 72% dos televisores ligados na Grande São Paulo. Esses números bateram a partida decisiva da Copa Libertadores disputada entre Corinthians e Boca Juniors em 4 de julho. O jogão histórico do Timão havia marcado 48 pontos no Ibope. Agora a maior audiência no ano da televisão brasileira passou para as mãos da teledramaturgia. Esperemos que no Mundial Interclubes a corintianada possa dar o troco e voltar à liderança do Ibope.


Admito que acompanhei muito pouco a novela global. Por isso, estava um pouco desconfortável em ver o episódio final. Mesmo assim, liguei a TV no horário marcado para assisti-la. Ao mudar de canal para ver o que estava passando nas outras emissoras, descobri um ótimo programa. A Fox Sports iria passar novamente as finais entre Corinthians e Boca Juniors. Após os dois jogos, a emissora ainda exibiria uma entrevista inédita e exclusiva com Emerson Sheik contando os bastidores da inédita conquista alvinegra. Entre ver o capítulo final de uma novela que não havia assistido até então e rever os jogos mais emocionantes por mim presenciados, fiquei com a segunda opção. E não me arrependi. Os jogos foram mesmo incríveis e a entrevista do herói corintiano na decisão foi impagável!


Para terminar a noite, assisti aos últimos programas esportivos da TV a cabo já de madrugada. Neles, descobri a escalação do Timão para o jogo desse final de semana contra o Bahia, no Pacaembu. O Corinthians foi escalado com três atacantes, na formação 4-3-3: Cássio; Edenílson, Anderson Polga, Wallace e Denner; Guilherme, Guilherme Andrade e Douglas; Romarinho, Martínez e Paolo Guerrero. Ou seja, teremos mais uma vez um time bem remendado do meio de campo para trás.


20 de outubro de 2012 - sábado


Um sentimento um tanto contraditório toma conta dos corintianos. Para a partida desta rodada contra o Bahia, deveríamos torcer, como sempre fizemos, para o Timão ganhar. Ou será que poderíamos abrir uma exceção e almejar o triunfo do adversário, hein? Antes de ser acusado de maluco ou mesmo de bipolar por algum desavisado, sinto-me na obrigação de explicar melhor tal paradoxo.


O Bahia é atualmente o principal adversário do Palmeiras na luta contra o rebaixamento. A equipe de Salvador é a primeira fora do grupo dos quatro piores do Campeonato Brasileiro. O tricolor da Boa Terra está seis pontos à frente do alviverde da capital paulista. Como não estamos mais ligados na competição (chegamos à margem de segurança!), não seria nada mal perdermos e atrapalharmos o Palmerinha, né?! Esse é o pensamento de boa parte da torcida corintiana.


Para evitar uma polêmica de grandes proporções, já que atuará com os reservas, algo que só fez aumentar as críticas e as reclamações do lado palmeirense, o técnico Tite pediu empenho extra aos seus jogadores. Ele quer a vitória de qualquer jeito para espantar as insinuações maldosas sobre o interesse do clube em prejudicar o principal rival. “O Corinthians vai com a mesma dignidade. Olha a dignidade que o Mário (Gobbi, presidente) tem. O caráter que o Roberto de Andrade (diretor de futebol) tem. O caráter que o Duílio (diretor adjunto) tem. O caráter que o elenco e o técnico têm. São 51 anos (de idade do treinador). Olha lá para trás e veja a dignidade que ele (treinador) tem”, declarou Tite. Obviamente, o comandante usou a terceira pessoa do singular para descartar a ideia de entrar em um jogo pensando em perder.


Em alguns Brasileirões recentes, vale a menção, aconteceram casos de times que entraram em campo querendo perder para prejudicar os rivais. Em 2009, o próprio Corinthians não jogou com muita vontade contra o Flamengo, nas últimas rodadas daquela temporada. O Mengo disputava o título com o Palmeiras. No ano seguinte, o Verdão se vingou e atuou sem muita disposição em uma partida contra o Fluminense, que disputava o caneco com o Timão. Nas duas vezes, os cariocas foram campeões.


Para a partida de amanhã, Tite usará como base o mesmo time do duelo da última quarta-feira. As novidades são o acréscimo dos gringos, de volta das seleções, e a estreia de Anderson Polga na zaga corintiana. As laterais também ganham o reforço de Edenílson pela direita e do garoto Denner pela esquerda. Danilo torceu o tornozelo no último jogo e está fora mais uma vez. Que fase do camisa 20, hein?


O Timão subirá ao campo do Pacaembu com: Cássio; Edenílson, Wallace, Anderson Polga e Denner; Guilherme Andrade, Guilherme e Douglas; Romarinho, Martínez e Guerrero. Dessa vez Zizao não ficará no banco de reservas. Como há o limite máximo de três estrangeiros para serem relacionados, ele acabou preterido. Martínez e Guerrero começam o jogo e Ramirez será o terceiro gringo relacionado, ficando na suplência.


21 de outubro de 2012 - domingo


A expectativa no Estádio do Pacaembu, antes da bola rolar para Corinthians e Bahia, era para ver como a torcida da casa se comportaria. A Fiel torceria para o Timão vencer ou os corintianos torceriam para o Bahia ganhar, o que aumentaria o drama palmeirense? Nos momentos antecedentes ao jogo, o apoio ao time do Parque São Jorge pareceu incondicional. Os gritos, as músicas e a animação nas arquibancadas eram iguais aos dos demais jogos. Tudo parecia normal. E foi assim que os torcedores reagiram após o apito inicial do juiz. O apoio e a vibração eram pela vitória do Coringão. Não poderia ser diferente, né?


Ainda mais porque o time de Tite começou muito bem, jogando um belo futebol. O primeiro lance de perigo saiu dos pés de Welder, que substituiu o lateral-esquerdo Denner machucado nos minutos iniciais da partida. Welder chutou de fora da área e o goleiro adversário rebateu para longe. Logo depois, Guilherme entrou na área e foi derrubado pelo jogador do Bahia. Pênalti! Na cobrança, Douglas marcou 1 a 0. Festa da Fiel no Paulo Machado de Carvalho.


O Timão continuava melhor, criando boas jogadas. Aos 29 minutos, Douglas, o melhor em campo, lançou Guerrero. O peruano cruzou na cabeça de Martínez. O goleirão baiano fez excelente defesa. Quase o segundo! O Bahia só teve uma chance para marcar no primeiro tempo. E, infelizmente, eles marcaram. Após cobrança de falta da intermediária, a bola chegou na cabeça do atacante visitante. Na marca do pênalti, ele foi preciso e botou a redonda nas redes. O jogo estava novamente empatado. 1 a 1.


O Corinthians continuou muito melhor no segundo tempo. A pressão foi intensa durante os 45 minutos finais. As chances para o segundo gol do Timão se multiplicavam. Primeiro foi com Martínez. O argentino fez bela jogada na grande área e o goleiro do Bahia salvou. Depois foi a vez de Guilherme arriscar uma bomba de fora da área. No rebote do goleiro, Guerrero completou para o gol. Goool!!! Porém, o bandeirinha viu impedimento. Gol anulado corretamente.


Até Anderson Polga, em belíssima atuação, se arriscou ao ataque. O zagueiro mandou uma bomba de fora da área. A bola passou bem perto da meta baiana. Guerrero e Douglas, nos minutos finais, tiveram as oportunidades derradeiras para marcar. Nas duas, o goleiro adversário salvou. Primeiro em um chute do centroavante peruano na pequena área. Depois em uma cobrança de falta do meia alvinegro. Curiosamente, o último lance foi do Bahia. Na única chance tricolor no segundo tempo, em uma despretensiosa cobrança de escanteio, a bola passou raspando a trave de Cássio após cabeçada do jogador baiano. Seria uma grande injustiça se o gol deles saísse.


O placar terminou mesmo em 1 a 1. O Corinthians somou mais um ponto e chegou aos 44. O Bahia ganhou mais um pontinho na luta para fugir do rebaixamento e agora está com 36, quatro pontos à frente do Palmeiras, que venceu o Cruzeiro por 2 a 0.


22 de outubro de 2012 - segunda-feira


O empate e o bom futebol apresentado no Pacaembu no domingo contra o Bahia calaram aqueles que suspeitavam que o Corinthians poderia perder premeditadamente só para prejudicar o Palmeiras. Não vencemos, é verdade, mas isso é do jogo. O empenho dos jogadores e, principalmente, o comportamento dos torcedores foi exemplar. O técnico Tite foi o primeiro a reconhecer isso na entrevista após a partida: “Quando vi que tomamos o gol e vi o torcedor incentivar até o fim, me senti muito orgulhoso em ser técnico (desta equipe). Grandeza do clube e caráter das pessoas não se negociam”.


Se o treinador estava feliz com a postura dos corintianos dentro e fora do gramado, Jorge Henrique demonstrou ainda ter mágoas em relação ao comportamento dos palmeirenses no campeonato nacional de 2010. No final daquela temporada, os verdinhos entregaram um jogo para dificultar o título do Timão. "Com que cara você chega em casa para olhar para os seus filhos se você acaba entregando o jogo?! Em 2010 foi bem claro isso e nesse ano (os palmeirenses) estão pagando o preço de 2010", falou o camisa 23. Pelo visto, os jogadores do Timão também estão felizes com a presença do Palmerinha na zona de rebaixamento.


Superada, em parte, a polêmica, o momento agora é pensar no próximo objetivo. E qual seria a nova meta corintiana para este ano, hein? Nessa segunda-feira, Tite apresentou seus planos de maneira clara e sincera no CT Joaquim Grava: "Estava em casa no domingo e caiu a ficha. Tudo agora é Mundial. Se estivéssemos disputando o título brasileiro, seria dividido, o que não é o caso. Vamos valorizar os jogos do Brasileiro, mas não com a busca pelo título, e sim (pela busca) de ritmo (de jogo)”.


A proposta do comandante corintiano é usar os últimos seis jogos do Brasileirão (Vasco da Gama, Atlético Goianiense, Coritiba, Internacional, Santos e São Paulo) como pré-temporada, em que ele possa simular os embates do Mundial. Para tal, os principais jogadores deixarão de ser poupados e deverão atuar com vontade redobrada. Já contra o Vasco, os grandes nomes da companhia voltarão. O recado de Tite é claro: “Ah, vai correr risco de machucar? Ffffff... Azar! É o preço que tem de pagar, é o preço do trabalho intenso. Se não preparar bem, não vai bem depois”.


Esse é o maior problema. Jogar com intensidade, para usar a palavra predileta do gaúcho, pode aumentar os riscos de lesões. No jogo desse final de semana, em 12 minutos, dois jogadores do Timão saíram machucados. O garoto Denner, lateral-esquerdo, rompeu os ligamentos e ficará seis meses sem atuar. O zagueiro Wallace sentiu fisgada no músculo e teve que ser substituído. Ficará fora por 15 dias.


Os jogadores corintianos deverão chegar ao Japão, em dezembro, muito cansados. A temporada do futebol brasileiro é longa e desgastante. Para agravar, a média de idade da equipe do Parque São Jorge é alta. Ainda bem que temos uma equipe de preparação física excelente. Os melhores profissionais do país nessa área trabalham no Sport Club Corinthians Paulista. Essa é a nossa sorte!


23 de outubro de 2012 - terça-feira


O clima de Mundial Interclubes vai tomando conta das dependências do Parque São Jorge como nunca se viu. Todos os profissionais do clube passaram a falar abertamente sobre a competição internacional e a focar os esforços nas duas partidas de dezembro. Os médicos trabalham para recuperar rapidamente os jogadores machucados, os preparadores físicos visam o alcance da melhor condição atlética para a metade do próximo mês, o treinador quebra a cabeça para montar a equipe ideal para ser usada contra o Chelsea e os atletas correm no campo de treinamento para garantir uma vaga entre os 11 titulares que estarão no gramado do estádio japonês.


Até os profissionais da inteligência do Corinthians estão mais ativos, investigando com mais assiduidade os prováveis adversários no Mundial. Nesse final de semana, por exemplo, Geraldo Delamore, um dos auxiliares de Tite, viajou para a Inglaterra para assistir de perto o Chelsea. O clube londrino jogou no sábado e venceu bem, 4 a 2, o Tottenham. O funcionário corintiano ficará até a próxima semana na capital inglesa e verá mais algumas partidas do nosso principal rival em dezembro. A ideia é montar um dossiê sobre como o time de Roman Abramovich atua, suas variações táticas e as características de cada um dos jogadores dos Blues.


A função de análise dos adversários não é exclusiva de Delamore. Existe um departamento dentro do CT Joaquim Grava especializado na coleta dessas informações e na preparação de estudos técnicos e táticos dos oponentes. Mauro Silva, outro integrante da comissão técnica do Timão, também assiste aos jogos dos principais rivais e faz observações detalhadas para Tite. O coordenador do departamento de edição de vídeos do Corinthians é Fernando Lázaro, filho do ex-lateral Zé Maria, ídolo do Timão nos anos de 1970 e 1980. Ele separa trechos de jogos dos futuros adversários do Corinthians e entrega o material para a comissão técnica assistir.


Para completar o clima de Mundial, a terça-feira terminou com o envio da lista prévia dos jogadores corintianos que poderão disputar o Mundial. A FIFA exige que cada clube participante comunique previamente os nomes de 35 atletas aptos para atuar em dezembro. Dessa relação, o técnico Tite poderá escolher daqui algumas semanas 23 jogadores que irão de fato viajar para o Japão. Ou seja, da listagem enviada hoje, 12 nomes ainda serão excluídos.


Como o elenco corintiano tem aproximadamente 30 jogadores, o treinador convocou todo mundo, além de inserir alguns garotos da base. Apenas Denner, machucado e longe dos gramados até o meio do próximo ano, não foi relacionado. Veja, a seguir, a lista completa do elenco do Timão que tem chance de jogar o Mundial. Goleiros: Cássio, Júlio César, Danilo Fernandes e Matheus Caldeira; Laterais: Fábio Santos, Alessandro, Guilherme Andrade, Welder, Rodinei e Igor; Zagueiros: Chicão, Paulo André, Wallace, Anderson Polga, Antônio Carlos e Felipe; Volantes: Ralf, Paulinho, Guilherme, Edenílson, Willian Arão, Gomes e Anderson; Meias: Douglas, Danilo, Ramirez e Giovanni; Atacantes: Emerson, Jorge Henrique, Romarinho, Guerrero, Martínez, Zizao, Adilson e Chiquinho.


24 de outubro de 2012 - quarta-feira


A Fiel Torcida recebeu uma excelente notícia nesta quarta-feira. O técnico Tite renovou o contrato com o Corinthians por mais uma temporada. Uhu!!! Ele ficará no Parque São Jorge pelo menos até o final de 2013. O antigo acordo previa o término das atividades já no final deste ano. Vê se pode?!


É um alívio saber que nosso comandante continuará no leme da nau mosqueteira por mais algum tempo. Quando digo que a Fiel Torcida ficou feliz com essa informação, é porque todos os corintianos devem realmente ter vibrado com a notícia. Tite hoje é uma unanimidade no clube. Todo mundo gosta dele e está satisfeitíssimo com seu trabalho. Não me lembro de ter ouvido falar mal do nosso treinador nos últimos dez meses. Também não conheço ninguém (em sã consciência) que seja contra sua presença no banco de reserva corintiano.


A renovação do contrato do treinador alvinegro vem no momento de maior visibilidade de seu trabalho. O reconhecimento da competência de Tite agora começa a chamar a atenção do exterior. O gaúcho foi indicado nesta semana ao prêmio de melhor treinador do ano pela revista World Soccer. Ele concorrerá com feras como José Mourinho (Real Madrid), Roberto Di Matteo (Chelsea), Vicente Del Bosque (Seleção da Espanha), Diego Simeone (Atlético de Madri), Marcelo Bielsa (Athletic Bilbao), Rene Girard (Montpellier), Jürgen Klopp (Borussia Dortmund), Herve Renard (Zâmbia) e Luis Tena (Seleção do México).


A extensão do novo contrato com o Timão só não foi maior porque Tite não quis. Ele acalenta o sonho de dirigir uma seleção na próxima Copa do Mundo, a ser realizada no Brasil em 2014. Assim, após dezembro de 2013, ele estará livre para negociar com alguma confederação. Nos planos imediatos do técnico, o comando da seleção não precisa ser necessariamente a brasileira. O importante será participar diretamente da principal competição do futebol mundial daqui um ano e meio.


Em relação ao valor do salário, ainda não se divulgou a quantia. Roberto de Andrade, diretor de futebol do Timão, deixou claro que houve sim um aumento, mas não apontou o percentual. "Foi uma negociação tranquila. Entramos em acordo nas primeiras conversas. Ele teve uma valorização por tudo o que alcançou com o Corinthians", disse o cartola satisfeito com o desfecho do acordo.


Tite recebia R$ 350 mil mensais. Há boatos que o empresário do treinador, Gilmar Veloz, teria pedido o dobro para renovar. Não se sabe se o Corinthians aceitou pagar tanto ou definiu uma quantia intermediária entre esses dois valores.


Com a renovação contratual, encerram-se momentaneamente as especulações sobre uma possível ida do treinador corintiano para a Seleção Brasileira. Pelo novo vínculo, o Corinthians não tem a obrigação de liberar automaticamente o técnico em caso de interesse da CBF ou de outro time nacional. Ufa! Estamos seguros agora. Tite ficará mais um ano no Timão e nossas conquistas devem se multiplicar.


25 de outubro de 2012 - quinta-feira


Enfim, a FIFA resolveu evoluir um pouco e permitirá pela primeira vez o uso de tecnologia no auxílio à arbitragem. A entidade máxima do futebol irá testar nos jogos do Mundial Interclubes deste ano dois sistemas que identificam eletronicamente se as bolas (com chips) passaram ou não a linha do gol. A medida visa acabar com o erro humano. Nada mais triste para o esporte do que o juiz apontar equivocadamente gol quando a bola não entrou ou de anular um tento legítimo. O futebol ficará mais justo.


O caso mais flagrante desse tipo de equívoco aconteceu na última Copa do Mundo. No jogo entre Inglaterra e Alemanha em 2010, Lampard, meio-campista do Chelsea e que jogava pelo time da rainha, fez um gol regular. Porém, a arbitragem não viu. O lance polêmico manchou a competição e atrapalhou a Inglaterra, eliminada mais tarde do torneio.


Ao permitir o uso de tecnologia para auxiliar os árbitros, a FIFA tem o poder de promover uma grande inovação no futebol. Em minha opinião, esse é o início de um processo sem volta. Com o tempo, o esporte mais popular do mundo deverá recorrer cada vez mais aos recursos eletrônicos para evitar erros e falhas da juizada. No futuro próximo, creio eu, o esporte bretão será igual ao tênis ou ao vôlei, modalidades que já usam muito bem os aparatos tecnológicos.


Essa é também a avaliação do secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke. "É uma espécie de revolução", declarou o dirigente em Tóquio, após a reunião do Comitê Organizador do Mundial Interclubes. "Se você tem a chance de tocar a perfeição, por que você não vai tentar?", perguntou-se Valcke. "A tecnologia não mudará a velocidade, o valor ou o espírito do jogo. Não há razões para ser contra essa tecnologia", completou o cartola.


Se os testes derem certo, as tecnologias deverão ser usadas também na próxima Copa das Confederações e na Copa do Mundo do Brasil. Ou seja, será uma medida padrão das principais competições internacionais a partir de agora. Até aqui, a FIFA já anunciou ter gastado cerca de US$ 2 milhões (R$ 4,2 milhões) com a pesquisa do novo sistema. Para se ter uma ideia, cada bola com chip custa aproximadamente US$ 4 mil.


São dois tipos de tecnologia que serão usados no Mundial do Japão: o modelo Hawk-Eye, baseado em câmeras, e o modelo GoalRef, sistema que funciona a partir do campo magnético. No estádio da final, em Yokohama, o padrão será do Hawk-Eye. Através de imagens de câmeras instaladas dentro do gol e avaliadas por alguém externamente, o juiz saberá se a bola entrou ou não. No estádio da semifinal, em Toyota, o sistema será o da Hawk-Eye, um campo magnético acionará luzes dentro do gol quando a bola ultrapassar a linha. Assim, o juiz saberá na hora o que aconteceu.


Vamos esperar o Mundial chegar para verificar como serão utilizados esses aparelhos. Boa sorte aos juízes! Vamos torcer para que o melhor time vença merecidamente, sem erros ou falhas da arbitragem.


26 de outubro de 2012 - sexta-feira


Amanhã tem Corinthians e Vasco pelo Brasileirão. Esses times decidiram vários campeonatos nos últimos anos e têm sempre feito grandes duelos. Não dá para esquecermos o nacional de 2011, quando ambos brigaram ponto a ponto pelo título até a última rodada. O confronto direto, nas últimas rodadas em São Januário, foi emocionante. Podemos lembrar também do místico jogo das quartas de finais da Copa Libertadores desse ano no Pacaembu, quando o Timão conseguiu avançar com muito custo.


Para a partida deste sábado, em São Paulo, o Corinthians chega como franco favorito. Mesmo estando atrás na tabela (é oitavo colocado com 44 pontos, enquanto os cariocas estão na quinta posição com 50), a equipe corintiana vem completinha com os principais jogadores. Além disso, o fator campo é fundamental. Jogando no Pacaembu ao lado da Fiel Torcida, o Timão é quase imbatível!


O Vasco da Gama está em crise. Eles perderam as últimas quatro partidas e estão cada vez mais longe do quarto colocado (São Paulo). Vale lembrar que só os quatro primeiros do Brasileirão se classificam para a Libertadores de 2013. Curiosamente, a equipe de São Januário começou o campeonato brigando pelo título. Estava entre os primeiros até a virada do turno. Aí a crise financeira obrigou o presidente cruzmaltino a vender as principais estrelas e o caldo desandou. Agora não ganham de ninguém.


Tite quer a vitória por dois motivos. Para começo de conversa, ele considera esse jogo o primeiro dos seis testes que o Timão terá antes do Mundial. Para o técnico gaúcho, o Corinthians só chegará ao Japão em condições de brigar pelo título se terminar muito bem o Campeonato Brasileiro. O discurso é seguido pelos jogadores. "A nossa intenção é deixar o time preparado para o Mundial de Clubes. É a hora de testarmos as jogadas de bola aérea, lances que sofremos três gols nos últimos jogos", declarou o goleirão Cássio durante a semana.


Além disso, como o Vasco briga diretamente com o São Paulo por uma vaga na próxima competição continental, o treinador não quer ouvir novamente a história da semana passada de que iria perder para atrapalhar um rival paulistano. O Corinthians não pode entrar nas polêmicas da torcida e o pensamento deve ser sempre a vitória.


Os únicos desfalques para a próxima partida do lado paulista são Emerson Sheik, Danilo e Denner, todos machucados. Do lado adversário, a lista é maior, com pelo menos oito atletas fora. A escalação do time corintiano é a seguinte: Cássio; Alessandro, Chicão, Paulo André e Fabio Santos; Paulinho, Ralf e Douglas; Martínez, Romarinho e Guerrero.


A defesa e o meio campo do Timão não têm novidade. Não deve haver mudança nenhuma no meio para trás até o Mundial. A grande incógnita na equipe corintiana é o ataque. Por enquanto, Martínez, Romarinho e Paolo Guerrero saíram na frente por uma vaga no time titular. Vamos ver se eles aproveitam a chance.


27 de outubro de 2012 - sábado


Cerca de 25 mil corintianos pagaram ingresso para ver Corinthians e Vasco da Gama sábado à tarde no Pacaembu. A grande atração da partida era a volta das estrelas do Parque São Jorge. Após algumas rodadas de folga, os titulares estavam outra vez no campo! Pelo visto, a Fiel Torcida estava com saudades de seus craques.


O duelo não começou como a maioria dos presentes no estádio esperava. O Timão começou muito mal, sendo dominado pela equipe carioca. Os principais lances dos visitantes vinham em chutes de fora da área. Em uma cobrança de falta, a bola acertou a trave de Cássio. Quase o Vasco saiu na frente.


A superioridade vascaína só foi desfeita com meia hora de partida. Foi quando o jogo do Corinthians começou a fluir e as oportunidades de gol começaram a aparecer para os mandantes. Primeiro foi com Guerrero. O centroavante finalizou muito bem e obrigou o goleiro adversário a fazer uma defesa incrível. Não à toa, os dois, o goleiro vascaíno e o camisa 9 corintiano, foram os melhores em campo neste sábado.


Na sequência, o peruano foi derrubado na área. O juiz não marcou pênalti, para desespero da torcida. No finalzinho do primeiro tempo, Douglas recebeu livre. Cara a cara com o goleiro, ele desperdiçou a chance de abrir o marcador. O meia-armador chutou displicentemente para revolta da corintianada no estádio.


Depois do intervalo, a partida continuou como havia acabado a primeira metade: o Vasco imóvel em campo e o Timão perdendo muitos gols. Aos 2 minutos, Martínez cabeceou bem e o goleiro vascaíno fez novo milagre. Uhhhhh. Por muito pouco o argentino não fez. A sorte do nosso adversário acabou aos 15 minutos. Guerrero aproveitou bate-rebate na área e chutou cruzado para as redes. Goooooooooool do peruano. O primeiro dele no Pacaembu.


O placar poderia ter sido ampliado se os atacantes tivessem caprichado um pouco mais nas conclusões. Douglas, Martínez e Guerrero perderam boas chances cada um. O tempo foi passando e os 45 minutos complementares chegaram. O Vasco só assustava um pouquinho nas bolas paradas de Juninho Pernambucano.


Antes do apito final, a alegria dos torcedores foi conferir no placar eletrônico do Paulo Machado de Carvalho o resultado das partidas que se desenrolavam simultaneamente. O confronto entre Internacional e Palmeiras terminou 2 a 1 para os gaúchos. A nova derrota complicava ainda mais a situação do Palestra. Aí a Fiel não aguentou. Aos gritos de “Você vai cair, porcô! Você vai cair, porcô!”, o juiz encerrou os trabalhos.


A noite caiu no Pacaembu e o Corinthians somou nova vitória. O Vasco, por outro lado, perdeu a quinta seguida. Eu não queria estar no vestiário deles. O clima ali deve estar péssimo. Quem ficou feliz com o resultado foram os são-paulinos. A equipe do Morumbi está cada vez mais isolada na quarta posição na tabela de classificação.


28 de outubro de 2012 - domingo


A cidade de São Paulo tem novo prefeito. O escolhido pelas urnas neste domingo foi o petista Fernando Haddad. Ele venceu, no segundo turno, o ex-prefeito e ex-governador José Serra, candidato do PSDB. A maior metrópole do continente volta para as mãos do Partido dos Trabalhadores após 8 anos.


Em nota oficial, emitida hoje pelo presidente do clube, Mário Gobbi, o Corinthians parabenizou o político pela vitória eleitoral e expressou seus desejos com a nomeação de Haddad para o cargo máximo do executivo municipal:


"O Sport Club Corinthians Paulista parabeniza Fernando Haddad pela vitória na eleição em São Paulo e deseja boa sorte em seu mandato. A cidade estará no foco do mundo nos próximos anos. Para intensificar ainda mais a sua efervescente vida durante as 24 horas de todos os dias, o município, com a Arena Corinthians, será responsável por receber alguns dos principais chefes de estado do planeta, além de milhares de empresários, jornalistas e torcedores para a abertura da Copa do Mundo FIFA de 2014 e outros cinco jogos da competição.


A missão de ser uma das cidades protagonistas da Copa do Mundo é honrosa e coube a poucos municípios do mundo até hoje. Com tamanha responsabilidade extra que terá Fernando Haddad, além do tradicional árduo trabalho nos pilares da administração pública, reforço os votos de um mandato de muito sucesso e bons resultados para toda a população da cidade.


Mário Gobbi Filho - Presidente do Sport Club Corinthians Paulista".


No texto do comunicado fica clara a preocupação da diretoria corintiana em relação à construção do estádio próprio em Itaquera. Se a prefeitura não auxiliar o desenvolvimento da nova arena, o clube terá sérios problemas para seguir com as obras e se manter dentro do cronograma para a inauguração.


Felizmente, não deveremos ter nenhum problema neste sentido com o novo prefeito. Durante a campanha, Haddad contou com o apoio dos cartolas corintianos, principalmente de Andrés Sanchez, ex-presidente do clube. O novo prefeito deverá se esforçar para viabilizar a construção do moderno estádio na Zona Leste. Afinal, ele será o palco da abertura da próxima Copa do Mundo, né? Qual político seria louco de passar vergonha diante do resto do mundo, hein?


Além disso, daqui quatro anos, Fernando Haddad provavelmente tentará a reeleição. E se ele atrapalhar a construção da arena corintiana, certamente perderá milhões e milhões de votos. Ele não é burro para atirar no próprio pé. Haddad, parabéns pela vitória nas urnas e boa sorte em seu mandato! Olhe com carinho para os interesses e para as propriedades do Timão, por favor!!!


29 de outubro de 2012 - segunda-feira


O ano de 2012 tem sido um sucesso retumbante para o clube do Parque São Jorge. O êxito esportivo tem se misturado intimamente às conquistas nos campos financeiro e mercadológico. O Corinthians é a cada dia um dos times mais poderosos e ricos do mundo. A torcida corintiana tem demonstrado peso, tamanho e força, o que potencializa vários negócios da agremiação.


Algumas notícias veiculadas na mídia nos últimos dias comprovam tal fato. Segundo pesquisa realizada pela Pluri Consultoria, o Corinthians é um dos 100 times no mundo com mais público em casa em 2012. A equipe do Parque São Jorge ocupa a 65ª posição no ranking internacional com quase 30 mil torcedores de média nos jogos no Pacaembu. É o segundo time brasileiro na classificação. Em âmbito nacional, o Timão só perde para o Santa Cruz, que está na série C e, mesmo assim, tem levado neste ano 37 mil pessoas em média aos jogos (está na 39ª colocação na lista geral). O líder mundial é o Borussia Dortmund, com média de 80,6 mil pessoas por jogo em seu estádio e índice de 100% de ocupação. Incrível!


No Facebook, o alvinegro paulista é campeão de audiência. De acordo com o levantamento feito pela SocialBakers, são mais de 3 milhões de fãs corintianos conectados a mais popular das redes sociais. O Timão é o clube brasileiro com mais internautas vinculados no país e o 15º mais popular no mundo. Na América, o clube do Parque São Jorge só perde para o Boca Juniors (3,7 milhões). Os líderes gerais são Barcelona (36 milhões) e Real Madrid (32 milhões).


O site do clube também é um dos mais acessados. Esses números devem crescer ainda mais nos próximos meses. Tudo em função do trabalho específico do departamento de Marketing para aumentar a popularidade da marca Corinthians e ganhar novos torcedores no exterior. A ideia é criar uma versão em mandarim do site (já há opção de visualização em inglês e espanhol) para aproveitar o interesse dos chineses em relação ao atacante Zizao. O jogador estreou recentemente com a camisa do time e chamou a atenção de seus conterrâneos. A contratação de Guerrero também fez aumentar o número de visitantes nas páginas do Timão. O centroavante é o principal ídolo esportivo de seu país e, como consequência, o Coringão ganhou novos torcedores por lá. Atualmente, o Peru é o país, depois do Brasil, com mais visitas ao site do clube, seguido por Estados Unidos e Argentina.


Esses dados acabam resultando em mais faturamento. Nos oito primeiros meses deste ano, por exemplo, o Corinthians faturou mais com a venda de ingressos do que em toda a temporada de 2011. São R$ 28,1 milhões arrecadados até 31 de agosto, contra R$ 27,1 milhões do ano passado inteiro. O superávit nas contas gerais do clube em 2012 está em R$ 4,8 milhões (em 2011 foi de R$ 5,3 milhões). Com tanto dinheiro entrando, a ausência de um patrocinador principal na camisa corintiana não está sendo sentida. Assim, o departamento de Marketing pode procurar um bom parceiro sem a pressão de fechar desesperadamente um novo contrato.


30 de outubro de 2012 - terça-feira


A semana começou com ótimas notícias para alguns jogadores corintianos. O primeiro da lista é Chicão. O camisa 3 está de volta. O experiente zagueiro atuou bem nos 90 minutos contra o Vasco da Gama no último sábado e demonstrou estar recuperado da contusão e da cirurgia sofrida. Chicão não participava de uma partida desde 12 de setembro, quando se lesionou contra a Ponte Preta. Depois disso, o beque passou por uma cirurgia de hérnia e ficou em tratamento no departamento médico. Seu regresso ao time titular dá segurança maior à defesa.


Outra novidade no clube tem sido os bons treinos de Zizao. O asiático parece ter ganhado confiança maior após a estreia e tem arrebentado nos treinamentos. Na segunda-feira da semana passada, ele surpreendeu e fez três gols na atividade em campo reduzido. Na quarta-feira seguinte, fez mais um. Agora, mais solto e arriscando jogadas mais difíceis, fez novo gol no coletivo. O ótimo momento do gringo despertou comentários dos companheiros. "No início houve esse pensamento que ele veio por causa do Marketing, mas vimos que ele tem sim valor. Ele tem evoluído bastante e está provando nos treinos", elogiou Fábio Santos.


Infelizmente, Zizao não foi mais relacionado para as partidas. A preferência do técnico Tite para completar o limite de três estrangeiros tem recaído ao peruano Ramirez, que é quem tem ficado no banco de reservas corintiano. Martínez e Guerrero são agora titulares. Mesmo assim, o interesse chinês pelo jovem atacante de seu país não diminui. Na semana passada, uma equipe da TV estatal China Central Television esteve em São Paulo para acompanhar os passos de Zizao.


Outro que parece muito feliz nas últimas semanas é o meia-armador Douglas. O Maestro corintiano tem jogado muito bem desde a saída de Alex e conseguiu agarrar a oportunidade recebida. É hoje titular absoluto de Tite. A maior alegria nos últimos tempos do camisa 10, entretanto, foi o fim da novela das nove da Rede Globo, Avenida Brasil. “Graças a Deus essa novela acabou”, declarou Douglas na última entrevista coletiva. Seu apelido entre os jogadores do elenco do Timão era Tufão, personagem interpretado por Murilo Benício, um ex-jogador gordo e fora de forma. Ambos eram fisicamente muito parecidos. Com o fim da trama global, o jogador espera pelo fim das brincadeiras dos companheiros.


Se antigamente Douglas parecia Tufão, o mesmo não pode ser dito agora. Ele está mais magro, rápido e ágil em campo. Além de armar as jogadas, o camisa 10 também tem marcado e ajudado bastante a defesa. Trata-se de outro Douglas, muito diferente daquele do começo do ano que só andava em campo. “Aqui entre os jogadores tudo bem (me chamarem de Tufão), mas se alguém me chama assim na rua é diferente. O cara nem tem intimidade comigo e vai me chamar assim por quê? Já não via a hora dessa novela acabar. Vamos esquecer esse papo, pelo amor de Deus!”, clamou o camisa 10 corintiano aos jornalistas.


Ouviram? Por favor, parem de chamar o Tufão de Douglas. Ele não gosta!


31 de outubro de 2012 - quarta-feira


O Ano que Esperávamos Há Anos aborda essencialmente os desafios, as particularidades, os desempenhos, as conquistas e as características dos jogadores corintianos. Afinal, são eles os grandes protagonistas das vitórias do Timão ao longo desta temporada mágica. Nada mais justo do que eu dedicar várias páginas desta obra a eles, né? Porém, não podemos nos esquecer que parte do êxito de uma equipe também é conseguido fora de campo. E quando falamos dos dirigentes do Corinthians, precisamos citar necessariamente Edu Gaspar, o gerente de futebol.


Aos 34 anos, Eduardo César Daud Gaspar é natural da cidade de São Paulo. O gerente é o chefe imediato de Tite e dos demais integrantes da comissão técnica (auxiliares técnicos, preparadores físicos, pessoal da base, departamento médico, fisioterapeutas, pessoal da rouparia, massagistas, nutricionistas etc.). Ele é o responsável por administrar o dia a dia do futebol (das contratações ao cronograma de treinos), além de cuidar da logística da equipe (viagens, hospedagens e calendário de jogos) e de intermediar a relação entre os jogadores e os diretores alvinegros.


Edu começou a carreira de jogador nas categorias de base do Timão, onde foi capitão e campeão da Copa São Paulo de Futebol Júnior de 1998. Na equipe profissional do Parque São Jorge, o habilidoso volante ficou por três temporadas e meia, de 1998 a 2001. No início, ele era reserva de Vampeta e Rincón, os dois meio-campistas defensivos. Com a saída do colombiano após o Mundial de 2000, o garoto da base assumiu a posição. No Corinthians, Edu foi bicampeão brasileiro (1998 e 1999), campeão paulista (1999) e campeão mundial (2000).


Em 2001, o meio-campista foi vendido ao Arsenal por 9 milhões de euros. No time londrino, as conquistas prosseguiram: bicampeonato inglês (2001-2002 e 2003-2004) e tri da FA Cup (2001-2002, 2002-2003 e 2004-2005). O volante foi convocado algumas vezes para a Seleção Brasileira, sendo campeão da Copa América (2004) e da Copa das Confederações (2005). Edu Gaspar permaneceu no futebol europeu por oito anos (ainda jogou pelo Valência da Espanha, ganhando uma Copa do Rey), quando em julho de 2009 acertou o retorno ao Corinthians.


A volta ao time em que foi revelado gerou alta expectativa. Edu era um dos grandes nomes da equipe montada para o centenário do Timão, celebrado em 2010. Infelizmente, a segunda passagem no Coringão foi marcada por contusões e poucas atuações. Sem conseguir jogar, o atleta decidiu encerrar a carreira em março de 2011. Foi aí que ele, pela experiência internacional, pelo jeito ponderado e pela competência, foi convidado para continuar trabalhando no clube, agora como gerente de futebol.


No cargo de dirigente, Edu Gaspar rapidamente se tornou referência no Corinthians. Nos quase dois anos como funcionário administrativo, ele virou voz ativa no Parque São Jorge e é respeitado tanto pelos jogadores quanto pela diretoria, comissão técnica e torcedores. A calma e a tranquilidade reinante no ambiente do clube são frutos do trabalho honesto, transparente e de qualidade de Edu.


-----------


Oitava série narrativa da coluna Contos & Crônicas, “O Ano que Esperávamos Há Anos” é o testemunho dos doze meses de 2012. Este relato é uma espécie de diário feito no calor das emoções por um fanático torcedor corintiano. Ele previu as conquistas de seu time do coração naquela temporada que se tornaria mágica. Nessa coletânea de crônicas é possível acompanhar os jogos do Corinthians, relembrar as decisões do técnico, entrar nos bastidores do Parque São Jorge e conhecer a vida dos principais jogadores alvinegros. O leitor também sofrerá com as angústias dos torcedores do Timão, poderá acompanhar o desenrolar dos campeonatos e, principalmente, irá se emocionar com as maiores conquistas futebolísticas desse clube centenário.


Gostou deste post e do conteúdo do Bonas Histórias? Compartilhe sua opinião conosco. Para acessar outras narrativas do blog, clique em Contos & Crônicas. E não deixe de nos acompanhar nas redes sociais – Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn.

Comments


A Epifania Comunicação Integrada é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Dança & Expressão é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Mandarina é a livraria diferenciada que está localizada em Pinheiros, na cidade de São Paulo
Eduardo Villela é Eduardo Villela é book advisor e parceiro do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
bottom of page