• Ricardo Bonacorci

Livros: AvóDezanove e o Segredo do Soviético - O prêmio Jabuti de Ondjaki


Minha leitura dessa semana foi "AvóDezanove e o Segredo do Soviético" (Seguinte), terceiro romance da carreira de Ondjaki. Como já sabem os leitores regulares do Blog Bonas Histórias, o escritor angolano é o foco do Desafio Literário desse mês. Nessa obra, Ondjaki retoma sua abordagem sobre a infância e a Luanda da década de 1980 (principal temática da sua literatura). Usando muitas personagens já apresentadas em livros anteriores, o autor constrói uma narrativa ficcional em cima de elementos reais do seu passado. Vejamos o que ele fala sobre esse livro: "(...) Convoco memórias distorcidas para inventar estórias, exerço o direito de atribuir falas aos sonhos - mesmo os que não tenham sido bem assim, porque eu sou este que crê em gritos azuis, em explosões de papagaios-pipa a esvoaçarem numa noite escura de Luanda".

Publicado em 2008, "AvóDezanove e o Segredo do Soviético" é o livro que sucede "E Se Amanhã o Medo" (Língua Geral), de 2005, e "Os Da Minha Rua" (Língua Geral), de 2007, ambas coletâneas de contos. Para nós brasileiros, é interessante notar que "AvóDezanove e o Segredo do Soviético" é o primeiro trabalho do angolano após ele ter se mudado para o Rio de Janeiro, cidade onde mora até hoje.

Essa obra é uma das mais premiadas da carreira de Ondjaki. "AvóDezanove e o Segredo do Soviético" conquistou dois importantes prêmios no Brasil em 2010: o Prêmio FNLIJ (Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil) na categoria "Literatura em Língua Portuguesa" e, o mais relevante de todos, o Prêmio Jabuti na categoria "Obra Literária Juvenil". Além disso, o livro foi finalista, ainda em 2010, de duas concorridas premiações nacionais: o Prêmio São Paulo de Literatura e o Prêmio Portugal Telecom.

O romance se passa na PraiaDoBispo, em Luanda, em algum momento da década de 1980. Nessa época, Angola vivia em Guerra Civil, conflito que explodiu após a independência do país. Governado por comunistas, a nação africana era influenciada diretamente por soviéticos e cubanos e tinha aversão a tudo o que era capitalista. Afinal, eram tempos de Guerra Fria, fazer o quê? A falta de água e a interrupção da energia elétrica eram constantes no país, assim como a violência e a pobreza.

Quando a história ficcional se passa, o grande acontecimento no bairro da PraiaDoBispo era a construção de um mausoléu para a colocação definitiva do corpo embalsamado do ex-presidente angolano AgostinhoNeto. No comando da obra estavam os soviéticos, responsáveis tanto pelo projeto quanto pela sua execução. O problema para a comunidade local é que uma vez concluída a construção da obra faraônica, as casas no entorno do mausoléu seriam destruídas. O bairro seria transformado em uma grande atração turística.

O protagonista do enredo é um menino que vive, naquele local, com suas duas avós, chamadas de AvóAgnette, apelidada de AvóDezanove (daí parte do título da obra), e de AvóCatarina (essa é irmã de AvóAgnette). É o garoto quem narra a história em primeira pessoa. Na casa da família ainda trabalha Madalena Kamussekete. Várias outras personagens povoam o ambiente infantil da trama: os amiguinhos inseparáveis do protagonista (Pinduca e Charlita), a vizinha bisbilhoteira (DonaLibânia), o vizinho valentão (SenhorTuarles), o maluco da praia (EspumaDoMAr), o funcionário do posto de gasolina local (VendedorDeGasolina), e um pescador da praia (VelhoPescador). Além deles, temos os funcionários soviéticos do mausoléu. O principal deles é o oficial Bilhardov, chamado jocosamente pelas crianças de Camarada-Botardov.

O conflito do romance acontece quando os soviéticos precisam expulsar os moradores locais do bairro para o prosseguimento das obras no entorno do monumento em memória de AgostinhoNeto. Enquanto os adultos se rebelam apenas gritando e xingando impropérios contra os estrangeiros e o governo central do seu país, a criançada decide agir efetivamente. A meninada não deixará que sua comunidade seja expulsa tão facilmente do bairro pelos "lagostas azuis", como os soviéticos são chamados na PraiaDoBispo.

"AvóDezanove e o Segredo do Soviético" é um romance curto, tem apenas 192 páginas. Eu o li em duas noites, mas é possível lê-lo em um único dia (manhã e tarde, por exemplo). Novamente, Ondjaki nos apresenta uma narrativa saborosa. O universo infantil é retratado com maestria pelo escritor. Sua trama é sensível, pura e poética, como é normalmente a infância. Juntamente com as peripécias da criançada, nos deparados com a difícil realidade de um país ainda em formação, os conflitos políticos e ideológicos da Guerra Fria, a beleza da natureza do país africano, a dura rotina de moradores humildes e com o sobrenatural. Muitas vezes, os mundos dos vivos e dos mortos se misturam, trazendo gratas surpresas aos leitores.

O mais legal desse livro é o humor leve e inteligente de Ondjaki. O autor sabe que as crianças são inventivas e muito imaginativas. Assim, o protagonista-narrador do romance tem liberdade para nos contar uma trama com muitos lances pouco críveis. Contudo, esse não é um livro tão cômico quanto "Bom Dia, Camaradas" (Companhia das Letras). Mesmo assim, há cenas bem engraçadas. As melhores são quando o neto traduz para a avó a consulta realizada por um médico cubano, quando a avó faz uma festa de despedida para seu dedo do pé que será amputado e quando o menino é sucessivamente reprovado em redação na escola (Juro que fiquei imaginando o quão hilário seria a professara do ensino básico criticando os textos de Ondjaki!).

Os pontos negativos de "AvóDezanove e o Segredo do Soviético" ficam a cargo do seu desfecho previsível e pela repetição de cenários, ambientes e personagens (quando analisado os demais livros do autor). A conclusão da história é muito lógica. Um leitor minimamente experiente poderá deduzir o fim da trama já na metade do livro. Ou me tornei um adivinho à la Mãe Dinah ou os romances de Ondjaki são muito, mas muitos previsíveis.

Quanto à repetição, a sensação que tenho é que o autor angolano só escreve sobre sua infância em Luanda. Quase todos os seus livros giram em torno dessa temática. Como ele usa os nomes verídicos dos seus amigos, familiares e conhecidos, os enredos possuem sempre as mesmas personagens e os mesmos episódios. Como já visto em "Bom Dia, Camaradas" e "Os Da Minha Rua", temos aqui outra vez os óculos feios e profundos de Charlita, as comilanças de manga com sal de Madalena, as sátiras contra os soviéticos, a piscina de Coca-Cola do Tio Victor, o jeito truculento do SenhorTuarles, as maluquices de Pi e as referências às novelas brasileiras... A impressão que tenho é que "AvóDezanove e o Segredo do Soviético" não seja apenas uma continuação de "Bom Dia, Camaradas", mas também uma repetição de "Os Da Minha Rua".

Para tentar fugir desses personagens, desses episódios e desses ambientes que se repetem eternamente na literatura de Ondjaki, parto agora para uma nova leitura de seu portfólio artístico. Dando sequência ao Desafio Literária, mergulho dessa vez em "A Bicicleta que Tinha Bigodes" (Pallas), livro do angolano destinado ao público infantil. Será que dessa vez teremos algo efetivamente novo? Prometo postar, aqui no Blog Bonas Histórias, a resposta para essa minha dúvida na próxima terça-feira, dia 21. Até mais!

Gostou da seleção de autores e de obras do Desafio Literário? Que tal o Blog Bonas Histórias? Seja o(a) primeiro(a) a deixar um comentário aqui. Para saber mais sobre as Análises Literárias do blog, clique em Desafio Literário. E não deixe de curtir a página do Bonas Histórias no Facebook.

#Ondjaki #LiteraturaAngolana #Romance

A Editora Pomelo é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Dança & Expressão é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Eduardo Villela é Eduardo Villela é book advisor e parceiro do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
BonaBelle Design & Organização é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Epifania Conteúdo Inteligente é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Keli Quitutes

Bonas Histórias

O Bonas Histórias é o blog de literatura, cultura e entretenimento desenvolvido por Ricardo Bonacorci desde 2014. Com um conteúdo multicultural (literatura, cinema, música, teatro, exposição e gastronomia), o Blog Bonas Histórias analisa as boas histórias contadas no Brasil e no mundo.

bonashistorias.com.br

Ricardo Bonacorci

Nascido na cidade de São Paulo, Ricardo Bonacorci tem 39 anos e trabalha como publicitário, produtor de conteúdo, crítico literário e cultural, editor, escritor e pesquisador acadêmico. Ricardo é especialista em Administração de Empresas, pós-graduado em Gestão da Inovação, bacharel em Comunicação Social, licenciando em Letras-Português e pós-graduando em Formação de Escritores.  

Bonas Histórias | blog de literatura, cultura e entretenimento | bonashistorias.com.br

Blog de literatura, cultura e entretenimento