• Ricardo Bonacorci

Teoria Literária: Análise Literária - Conclusão


Ao longo deste ano, discutimos, aqui na coluna Teoria Literária, muitas questões relativas à Análise Literária. Tratamos dos seguintes temas: o que é uma Análise Literária; tipos de Análise Literária; como se faz uma Análise Literária; fundamentos e extensão da Análise Literária; modelo padrão da Análise Literária; definição do Estilo Literário; e identificação do Estilo Autoral. Quem gosta e literatura deve ter se esbaldado com esses posts do Bonas Histórias.

Contudo, não me preocupei de explicar alguns pontos sobre a Teoria Literária e sobre a maneira de se trabalhar segundo seus princípios. Como uma investigação de bases científicas, há a exigência do embasamento metodológico dos procedimentos aqui realizados (SOUZA et al, 2011, p. 11). O fato de o campo de estudo ser a literatura, popularmente associada à subjetividade analítica quando veiculada como crítica literária (MOISÉS, 2014, p. 18-24), não altera em nada o quadro procedimental. A pesquisa científica, seja ela da área literária ou de qualquer outro ramo do conhecimento humano, não pode nem deve estar ancorada na relatividade conceitual, no julgamento de valores, na crítica pessoal e/ou na falta de objetividade metodológica. Se isso correr, não se pode caracterizar o trabalho, por melhor que seja, como sendo científico (KAUS, 2011, p. 19-33).

Apesar de alguns percalços ao longo da história, os estudos literários têm sido cada vez mais encarados como um campo das ciências humanas (TODOROV, 2013, p. 9). A análise da narrativa, especificamente, é um dos campos mais bem desenvolvidos dentro deste ramo de estudo (BARTHES, 2009, p. 12), estando associada muitas vezes aos conceitos da linguística (BORBA, 2002). Vale a pena adiantar que o próximo tema de estudo da coluna Teoria Literária será justamente os Elementos da Narrativa (BONACORCI: 2019). No ano que vem, vamos discutir detalhadamente cada um dos onze componentes de uma trama ficcional.

Portanto, sempre que a análise literária é feita seguindo as técnicas epistemológicas e as argumentações da teoria literária, preceitos estes científicos e/ou filosóficos de interpretação textual, o trabalho adquire relevância metodológica e pode ser visto como um estudo científico (MOISÉS, 2014, p. 18-24).

A pesquisa científica não é nada mais do que uma investigação minuciosa e sistematizada com o objetivo de se averiguar a realidade. A partir da comprovação procedimental de fatos mensuráveis e de dados concretos é possível interpretar de forma fidedigna determinado contexto natural ou experiência humana (TOZONI-REIS, 2008 apud KAUS, 2011, p. 9). Em outras palavras, a ciência é um conjunto de conhecimentos obtidos metódica e sistematicamente que apresentam como resultados finais informações/dados verificáveis, precisos e estáveis (LAKATOS & MARCONI, 2000 p. 19).

Em suma, é possível realizar sim um trabalho científico tendo como campo de estudo temas da ciência humana. A literatura é uma das áreas que podem (e devem) ser investigadas segundo essa forma de pesquisa. É esse o compromisso da coluna Teoria Literária. Por isso, a necessidade da explanação metodológica do seu trabalho. Não perca, no ano que vem, nossa segunda temporada. Até lá!

Bibliografia:

BARTHES, Roland et al. Análise Estrutural da Narrativa. 6a ed. Petrópolis: Vozes, 2009.

BONACORCI, Ricardo. Análise Literária dos Romances de Rubem Fonseca - Investigando a Nova Literatura Brasileira. Projeto de Iniciação Científica. Varginha: Centro Universitário do Sul de Minas (UNIS-MG), 2019.

BORBA, Maria Antonieta Jordão de Oliveira. Literatura e Linguística - Limites Interdisciplinares. Anais do VI Congresso Nacional de Lingüística e Filologia. Rio de Janeiro: UFRJ, Ago. 2002. Link disponível em: http://www.filologia.org.br/vicnlf/anais/caderno04-08.html

KAUS, Rebeca Nogueira Lourenço. Guia de Estudo Introdução ao Pensamento Científico - Unidades 2, 3 e 4. Varginha: GEaD do Centro Universitário do Sul de Minas (UNIS/MG), 2011.

LAKATOS, Eva Maria & MARCONI, Maria de Andrade. Metodologia Científica. 3a ed. São Paulo: Atlas, 2000.

MOISÉS, Massaud. A Análise Literária. 19a ed. São Paulo: Cultrix, 2014.

SOUZA, Gleicione A. D. Bagne de (Org) et al. Técnicas para Elaboração de Trabalhos Acadêmicos. Varginha: Grupo Unis, 2012.

TODOROV, Tzvetan. As Estruturas Narrativas. 5a ed., Coleção Debates, São Paulo: Perspectiva, 2013.

Que tal este post? Gostou do Blog Bonas Histórias? Seja o(a) primeiro(a) a deixar um comentário aqui. Para saber mais sobre esse tema, clique em Teoria Literária. E não se esqueça de curtir a página do Bonas Histórias no Facebook.

#TeoriaLiterária #AnáliseLiterária

A Editora Pomelo é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Dança & Expressão é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Eduardo Villela é Eduardo Villela é book advisor e parceiro do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
BonaBelle Design & Organização é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Epifania Conteúdo Inteligente é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Keli Quitutes

Bonas Histórias

O Bonas Histórias é o blog de literatura, cultura e entretenimento desenvolvido por Ricardo Bonacorci desde 2014. Com um conteúdo multicultural (literatura, cinema, música, teatro, exposição e gastronomia), o Blog Bonas Histórias analisa as boas histórias contadas no Brasil e no mundo.

bonashistorias.com.br

Ricardo Bonacorci

Nascido na cidade de São Paulo, Ricardo Bonacorci tem 39 anos e trabalha como publicitário, produtor de conteúdo, crítico literário e cultural, editor, escritor e pesquisador acadêmico. Ricardo é especialista em Administração de Empresas, pós-graduado em Gestão da Inovação, bacharel em Comunicação Social, licenciando em Letras-Português e pós-graduando em Formação de Escritores.  

Bonas Histórias | blog de literatura, cultura e entretenimento | bonashistorias.com.br

Blog de literatura, cultura e entretenimento