• Ricardo Bonacorci

Gastronomia: Brassi Pizzaria - O pizza-bar da Vila Romana


Quem é de família italiana ou é um paulistano da gema sabe: final de semana só é final de semana de verdade se tiver pizza à mesa! Há quem estabeleça a sexta-feira à noite como o momento sagrado da redonda (estou nesse grupo!). Há quem a prefira aos sábados (minha família inteira). E há o grupo que não abra mão de degustá-la aos domingos (muitos dos meus amigos). Independentemente da opção do caboclo, uma coisa é certa. Pizza, pizza, pizza! Ela sempre cai bem e vem para alegrar a noite dos gulosos de plantão.

Sou do tipo que não teme as variações na rotina dos meus conhecidos. Ninguém é gordinho à toa, né? Encaro numa boa o cardápio ítalo-paulistano no final de semana inteiro. Prova disso é que fui a três pizzarias nos últimos dias. E o estabelecimento que chamou mais minha atenção foi o visitado no último sábado à noite. Nessa data, estive na Brassi Pizzaria, uma tradicional casa da Vila Romana.

A Brassi Pizzaria enquadra-se no gênero pizza-bar. Ao invés do estilo despojado e informal da maioria dos estabelecimentos desse tipo, o que temos ali é uma pegada mais classuda e chique. Ou seja, a Brassi está muito mais para um Primo Basílico do que para uma Pizza Hut. Com um ambiente que alia a decoração rústica (mesas e cadeiras de madeira e paredes sem acabamento aparente) ao clima refinado (decoração moderna e itens de primeira qualidade), a pizzaria da Vila Romana atrai um público selecionado da zona oeste da cidade de São Paulo. A pizza, o motivo principal da peregrinação dos consumidores, é de massa fina, tem pouco recheio e apresenta algumas combinações interessantes. Admito que gostei muito do que vi e, principalmente, do que provei por lá.

A primeira coisa que chama a atenção na Brassi Pizzaria é a distinção de seus ambientes. O salão é dividido em duas partes: o interno e o externo. O interno é recomendado para famílias, grupos de amigos e casais que querem um pouco mais de privacidade, silêncio e tranquilidade para degustar suas refeições. Não por acaso, este é o espaço mais sóbrio, elegante e refinado da casa. Já a parte externa, chamada de Boteco Brassi, é para quem deseja conversar animadamente, paquerar e se divertir. Esta ala é indicada para amigos e familiares que estão ali para risadas ruidosas e bate papos calorosos enquanto provam petiscos e drinks. Por consequência, este é o espaço mais informal e descolado da casa. Mesmo assim, sua decoração mantém parte do requinte e da sofisticação do ambiente ao lado (não se iluda com o nome Boteco Brassi). Com televisores acoplados à parede, é possível também acompanhar as partidas de futebol.

Escolhido o espaço mais adequado para seu gosto e necessidade, você será atendido por uma equipe simpática e solícita, mas um tanto lenta. Se os garçons e funcionários da Brassi pecam pela falta de agilidade (sim, esse é o maior problema da pizzaria – qualquer pedido, até o mais simples e corriqueiro, demora muuuuuuito, mesmo quando não há grande movimento), por outro lado eles contornam as saias-justas com bom humor e muita simpatia. Eu pessoalmente gosto de um atendimento mais próximo e leve como este. E isso é uma marca da casa e não apenas da área externa. Pelo que pude entender, observando a dinâmica de trabalho do lugar, o problema da lentidão está na equipe de produção (tanto nas bebidas quanto na preparação das pizzas e dos petiscos). Com o atraso ali, os garçons não podem fazer nada além de se virarem com sorrisos e pedidos sinceros de desculpas.

Quem prefere massas finas e pizzas leves, sem o excesso de recheio, na certa irá gostar do cardápio da Brassi. As redondas da pizzaria não pesam no estômago e são ideais para quem não gosta de se sentir estufado à noite (um mal das massas grossas e/ou com excesso de recheio). O mais interessante, na minha opinião, é a seleção de combinações pouco usuais e extremamente de bom gosto das pizzas. A Brassi tem sim em seu cardápio as pizzas clássicas: Muçarela, Calabresa, Atum, etc. Porém, ela apresenta também combinações exclusivas. Minhas prediletas são a Grega (Calabresa moída com muçarela, Catupiry, gorgonzola e manjericão), a Portuguesa Light (Muçarela de búfala, peito de peru, ovos, cebola e azeitonas pretas), a Vegetariana (Palmito, brócolis, cebola, ervilhas e muçarela de búfala salpicada) e a Siciliana (Muçarela, champignon ao molho Brassi, bacon e manjericão). Quem gosta de calzones encontrará algumas opções nesse sentido. Nenhuma pizza (aberta ou fechada) sai por menos do que R$ 60,00 (um preço um tanto salgadinho, admito).

Confesso que não sou muito fã de pizza doce. Entretanto, gostei muito da massa deste tipo de pizza da Brassi. As massas das doces são diferentes das massas das pizzas salgadas (algo que parece lógico, mas que raramente encontramos por aí). As massas das versões doces são feitas com cevada, o que dá uma crocancia maior às redondas. Quando elas não vêm queimadas (um erro comum em uma massa de preparo mais rápido), as pizzas doces são sensacionais! Vale a pena prová-las. Minha favorita é a Prestígio (Chocolate, coco ralado e cereja), a menos enjoativa para o meu paladar.

Da parte do cardápio voltada mais para o bar do que para a pizzaria, temos também bruschettas, cornicciones, pão recheado com linguiça, calabresa ao forno servida com pão caseiro e antepastos. De aperitivos, as opções são: porções de coxinhas, pastéis, bolinhos de carne, batatas fritas, polentas fritas, provolones à milanesa e frangos fritos. A seção de bebidas não costuma decepcionar. Talvez os amantes inveterados dos vinhos possam reclamar um pouco da carta limitada desse item para uma pizzaria com uma proposta tão refinada. Contudo, isso é facilmente contornado com uma boa variedade de outros drinks que a casa oferece. Afinal, não podemos nos esquecer que estamos em uma pizza-bar.

Fundada em 2009, a Brassi Pizzaria está completando 10 anos de vida. Localizada na Rua Espártaco, na Lapa/Vila Romana, ela abre de terça a domingo à noite. Curiosamente, o estabelecimento também opera de segunda a domingo na hora do almoço (a partir do meio dia). Confesso que nunca fui lá com o sol à pino para saber o que é servido (Comida? Aperitivos? Buffet?). Para mim, a Brassi é só pizzaria (ok, pizza-bar!) e nisso eu posso garantir que ela não decepciona. E aí, o que você vai fazer no próximo final de semana, hein?!

Que tal este post e o conteúdo do Bonas Histórias? Compartilhe sua opinião conosco. Para conhecer as demais críticas gastronômicas do blog, clique na coluna Gastronomia. E não se esqueça de curtir a página do blog no Facebook.

#restaurante #Pizzaria #Pizzabar #Pizza #Bar #SãoPaulo #Gastronomia

A Editora Pomelo é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Dança & Expressão é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Eduardo Villela é Eduardo Villela é book advisor e parceiro do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
BonaBelle Design & Organização é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Epifania Conteúdo Inteligente é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Keli Quitutes

Bonas Histórias

O Bonas Histórias é o blog de literatura, cultura e entretenimento desenvolvido por Ricardo Bonacorci desde 2014. Com um conteúdo multicultural (literatura, cinema, música, teatro, exposição e gastronomia), o Blog Bonas Histórias analisa as boas histórias contadas no Brasil e no mundo.

bonashistorias.com.br

Ricardo Bonacorci

Nascido na cidade de São Paulo, Ricardo Bonacorci tem 39 anos e trabalha como publicitário, produtor de conteúdo, crítico literário e cultural, editor, escritor e pesquisador acadêmico. Ricardo é especialista em Administração de Empresas, pós-graduado em Gestão da Inovação, bacharel em Comunicação Social, licenciando em Letras-Português e pós-graduando em Formação de Escritores.  

Bonas Histórias | blog de literatura, cultura e entretenimento | bonashistorias.com.br

Blog de literatura, cultura e entretenimento