Teoria Literária - MAER - Onze Elementos Constituintes

Em junho, apresentamos, na coluna Teoria Literária, a matriz completa do Modelo de Análise Estilística de Romances (MAER). Criado em 2018, o MAER é uma ferramenta objetiva e prática de pesquisa acadêmica que permite ao analista literário estudar, segundo os conceitos da Teoria Literária, os estilos dos romancistas. A partir desse mês, vamos debater, no Bonas Histórias, as diferentes partes da engrenagem desse modelo. No post de hoje, iniciaremos a discussão pelos Elementos Constituintes do MAER.  

 

O Modelo de Análise Estilística de Romances está integralmente ancorado nos Onze Elementos da Narrativa. Essa relação é tão intrínseca que se optou por chamar os elementos da narrativa de elementos constituintes do MAER. Portanto, dá na mesma se referir aos elementos da narrativa e aos elementos constituintes da matriz analítica (eles são termos sinônimos).

 

Os Onze Elementos Constituintes do Modelo de Análise Estilística de Romances são: (1) o enredo, (2) as personagens, (3) o espaço narrativo, (4) o tempo narrativo, (5) a ambientação, (6) a realidade ficcional, (7) o narrador, (8) a linguagem, (9) o discurso, (10) a textualidade e (11) a tipologia. Veja, na figura a seguir, a representação visual destes componentes:

Apesar de não integrar o cerne do modelo de análise, os elementos da narrativa são utilizados intensamente nas etapas derradeiras da pesquisa estilística (etapas 3, 4 e 5). Não é errado, portanto, enxergar os Onze Elementos Constituintes do MAER como componentes que orbitam a matriz, influenciando diretamente em seus resultados.   

 

Por tudo isso, é impossível um analista literário optar pela utilização do MAER e não ter amplo domínio conceitual de todos os Elementos da Narrativa. De certa maneira, todos os romancistas trabalham com o mesmo leque de opções narrativas. O que irá conferir distinção ao estilo de cada autor é o jeito particular com que cada um deles calibra os diferentes ingredientes narrativos em seus textos artísticos.

 

Em suma, o primeiro passo para o acadêmico que deseja trabalhar com o Modelo de Análise Estilística de Romances é estudar a fundo as características dos onze elementos da narrativa. Em linhas gerais, podemos defini-los da seguinte forma:

 

1) Enredo: conjunto de fatos (conflitos e ações) ocorridos ao longo da narrativa ficcional;

 

2) Personagens: pessoas ou figuras envolvidas na trama ficcional;  

3) Espaço Narrativo: locais ou planos onde se realizam a narrativa ficcional;

 

4) Tempo Narrativo: período ou época em que a trama ficcional acontece;

 

5) Ambientação: clima psicológico, social, econômico, religioso e/ou moral que permeia a realização de uma narrativa ficcional;

 

6) Realidade Ficcional: tipo de realidade construída pelo autor para alicerçar sua trama ficcional;

 

7) Narrador: ponto de vista de quem conta a história ficcional;

 

8) Linguagem: idiomas, níveis de sentido, variações linguísticas, termos e palavras utilizados para a construção textual;  

 

9) Discurso: representação e/ou o registro das falas das personagens no contexto ficcional;

 

10) Textualidade: conjunto de orações, frases e palavras que dá sentido, lógica e unidade ao texto;

 

11) Tipologia: categoria, gênero narrativo ou tipo de romance que uma trama ficcional pertence influenciam diretamente em suas características.   

Obviamente, essas definições são extremamente sintéticas e estão longe de esclarecer seus conceitos. Quem tiver interesse em se aprofundar em cada um desses temas, relembro que a temporada passada da coluna Teoria Literária foi dedicada exclusivamente aos Elementos da Narrativa. Todos os posts sobre esse tema estão disponíveis no Bonas Histórias. Quem ainda não conferiu esse conteúdo, vale a pena dar uma boa olhada antes de prosseguir no estudo do Modelo de Análise Estilística de Romances.

 

Uma vez entendido cada um dos Elementos Constituintes do MAER, podemos avançar para as fases da construção da matriz de pesquisa. Sua primeira etapa é a da Identificação do Tipo de Estudo. Porém, esse será o assunto para o próximo post da coluna Teoria Literária. Em agosto, retorno ao blog para aprofundar os debates sobre o Modelo de Análise Estilística de Romances.

 

Que tal este post? Gostou do Blog Bonas Histórias? Seja o(a) primeiro(a) a deixar um comentário aqui. Para saber mais sobre esse tema, clique em Teoria Literária. E não deixe de nos acompanhar nas redes sociais – Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn.

Please reload

A Editora Pomelo é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Dança & Expressão é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Eduardo Villela é Eduardo Villela é book advisor e parceiro do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
BonaBelle Design & Organização é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Epifania Conteúdo Inteligente é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Keli Quitutes
Bonas Histórias | blog de literatura, cultura e entretenimento | bonashistorias.com.br

Blog de literatura, cultura e entretenimento