• Ricardo Bonacorci

Mercado Editorial: Livros - Lançamentos em maio e junho de 2021

Confira as 60 principais obras ficcionais e poéticas que chegaram às livrarias brasileiras no terceiro bimestre desse ano.

Livros lançados em maio e junho de 2021 no Brasil

Trago boas novas nessa edição da coluna Mercado Editorial. Depois de o segundo bimestre de 2021 apresentar pouquíssimos lançamentos de livros de ficção nacional, conforme vimos no post do mês retrasado, em maio e junho tivemos uma inversão de prioridade nas principais editoras brasileiras. Elas acabaram publicando mais títulos de autores do nosso país do que de escritores de fora. Ou seja, o problema que chamou nossa atenção no bimestre anterior (excesso de obras gringas e escassez de publicações brasileiras) pareceu ser meramente pontual ou sazonal. Sim, a literatura brasileira ainda pulsa! E não apenas a quantidade de livros de nosso país foi satisfatória como também a qualidade delas merece nossos elogios. Por isso, temos algumas novidades interessantíssimas para comentar no post de hoje do Bonas Histórias.


Quem gosta de romance precisa dar uma olhada com atenção a três lançamentos: “O Último Gozo do Mundo – Uma Fábula” (Companhia das Letras), de Bernardo Carvalho, “Mobiliário Para Uma Fuga em Março” (Dublinense), de Marana Borges, e “O Riso dos Ratos” (Todavia), de Joca Reiners Terron.


“O Último Gozo do Mundo – Uma Fábula” é a 12ª narrativa longa de Bernardo Carvalho, autor de “O Filho da Mãe” (Companhia das Letras). Nessa nova trama, um homem adquire poderes premonitórios após se curar de uma perigosa infecção viral. “Mobiliário Para Uma Fuga em Março” é o primeiro romance de Marana Borges. Até então, a escritora paulista que coleciona alguns importantes prêmios literários só havia lançado coletâneas de contos. Essa sua nova publicação, uma espécie de prosa poética, conquistou o Prêmio Minas Gerais de Literatura como melhor romance. E “O Riso dos Ratos”, o novo livro de Joca Reiners Terron (seu oitavo romance), é um thriller policial com pegada de narrativa de terror. O protagonista dessa obra quer vingança. Ele quer pegar o sujeito que fez uma barbaridade com sua filha. O problema é que o pai zeloso tem uma doença fatal, além de não saber do paradeiro nem da filha nem do criminoso.


Ainda dentro da literatura brasileira, mas agora na categoria coletânea de contos e crônicas, temos outras três novidades: “Doramar ou a Odisseia – Histórias” (Todavia), de Itamar Vieira Junior, “A Cicatriz e Outras Histórias” (Alameda), de Bernardo Kucinski, e “A Lua na Caixa D´Água” (Malê), de Marcelo Moutinho.

Mercado Editorial - Livros lançados no Brasil em maio e junho de 2021

Depois do sucesso estonteante de “Torto Arado” (Todavia), romance vencedor do Prêmio Jabuti de 2020 e livro de ficção mais vendido no Brasil em 2021, é natural o maior interesse do público e do mercado editorial por novas obras de Itamar Vieira Junior. Nesse sentido, “Doramar ou a Odisseia – Histórias”, uma coletânea de contos, vem atender a esse desejo dos leitores. Misturando tramas inéditas e pequenas histórias lançadas anteriormente, Vieira Junior mostra o porquê é um dos principais autores da literatura brasileira contemporânea. Por sua vez, “A Cicatriz e Outras Histórias” é a reunião de todos os contos de Bernardo Kucinski, uma das vozes mais originais e contundentes da nossa literatura. Como sou fã das narrativas de Kucinski, autor de “K - Relato de Uma Busca” (Cosac Naify), serei obrigado a adquirir esse título. E “A Lua na Caixa D´Água” é a nova coletânea de crônicas de Marcelo Moutinho, autor de “Ferrugem” (Record). Nessa sua nova obra, o autor carioca narra sua infância no subúrbio carioca e faz uma homenagem à cultura brasileira, principalmente ao samba e à literatura.


Para os amantes da Teoria Literária e da poesia, temos duas publicações de autores nacionais com o poder de encantar os leitores mais exigentes: “Romance – História de uma Ideia” (Companhia das Letras), ensaios literários de Julián Fuks, e “Acinte 2020” (Pomelo), antologia poética de Paulo Sousa.


Em “Romance – História de uma Ideia”, Fuks, um dos principais estudiosos brasileiros da literatura e um importante escritor da atualidade, analisa criticamente a trajetória da arte do romance ao longo dos últimos quatro séculos. Usando exemplos clássicos da ficção internacional, ele comenta as características, a evolução e os desafios desse gênero narrativo. Já “Acinte 2020” é a coletânea de haicais de Paulo Sousa, autor do romance “A Peste das Batatas” (Pomelo) e colunista do Bonas Histórias (ele escreve os Miliádios Literários). Nessa primeira obra poética, o escritor paulista versa de maneira inteligente e divertida sobre os acontecimentos do famigerado (e desde já histórico) ano de 2020. “Acinte 2020” foi lançado no começo desse mês em versão eletrônica (já está disponível na Loja Kindle) e terá a edição impressa nos próximos meses.


Para não dizer que não falei dos autores estrangeiros, esse bimestre reserva duas publicações imperdíveis: “A Metade Perdida” (Intrínseca), romance da norte-americana Brit Bennett, e “A Nossa Alegria Chegou” (Companhia das Letras), romance da portuguesa Alexandra Lucas Coelho.

Principais livros de ficção e de poesia lançados no Brasil em maio e junho de 2021

“A Metade Perdida” é o novo livro da best-seller Brit Bennett. Nessa obra, assistimos ao drama de duas irmãs gêmeas do sul dos Estados Unidos que são separadas na adolescência. Além de carregar traumas familiares, elas precisam encarar o racismo e os preconceitos de seus conterrâneos. Em “A Nossa Alegria Chegou”, a quarta narrativa longa de Alexandra Lucas Coelho, acompanhamos um thriller político ambientado em Alendabar, uma nação tropical fictícia. Nessa distopia, um grupo de jovens idealistas tenta derrubar do poder o ditador sanguinário. Para quem possa achar que se trata de uma reconstrução da realidade brasileira (seria o Brasil de hoje a Alendabar da autora portuguesa?!), vale a pena dizer que esse romance foi lançado em Portugal em 2018. Portanto, ele foi escrito antes de Bolsonaro se tornar uma ameaça por aqui (alguém aí gritou genocida?).


Os mais relevantes lançamentos do mercado editorial brasileiro nesse terceiro bimestre de 2021 estão listados abaixo. Nesse levantamento, o Bonas Histórias se concentrou nos títulos ficcionais (romances, novelas, coletâneas de contos e de crônicas, ensaios e literatura infantojuvenil) e nas coletâneas poéticas. Confira a lista com os 60 principais livros publicados em maio e junho nas livrarias de nosso país:


FICÇÃO BRASILEIRA:


“O Último Gozo do Mundo – Uma Fábula” (Companhia das Letras) – Bernardo Carvalho – Romance – 144 páginas.


“Mobiliário Para Uma Fuga em Março” (Dublinense) – Marana Borges – Romance – 502 páginas.


“O Riso dos Ratos” (Todavia) – Joca Reiners Terron – Romance – 210 páginas.


“Nada Vai Acontecer com Você” (Companhia das Letras) – Simone Campos – Romance – 192 páginas.


“Elas Marchavam Sob o Sol” (Dublinense) – Cristina Judar – Romance – 160 páginas.


“Pequena Coreografia do Adeus” (Companhia das Letras) – Aline Bei – Romance – 288 páginas.


“Escobar” (Moinhos) – Márwio Câmara – Romance – 128 páginas.


“As Mulheres de Tijucopapo” (Ubu) – Marilene Felinto – Romance – 240 páginas.


“A Horta” (Incompleta) – Henrique Barreto – Romance – 144 páginas.


“Nebulosa” (Patuá) – André Cáceres – Romance – 334 páginas.


“O Silêncio que a Chuva Traz” (Malê) – Marlon Souza – Romance – 188 páginas.


“Doramar ou a Odisseia – Histórias” (Todavia) – Itamar Vieira Junior – Coletânea de Contos – 160 páginas.


“A Cicatriz e Outras Histórias” (Alameda) – Bernardo Kucinski – Coletânea de Contos – 452 páginas.


“Dedos Impermitidos” (Iluminuras) – Luci Collin – Coletânea de Contos – 120 páginas.


“Tramas de Meninos” (Alfaguara) – João Anzanello Carrascoza – Coletânea de Contos – 120 páginas.


“Pequena Enciclopédia de Seres Comuns” (Todavia) – Maria Esther Maciel – Coletânea de Contos – 112 páginas.


“Descanso” (Penalux) – Rafaela Riera – Coletânea de Contos – 180 páginas.


“Você Não Vai Dizer Nada” (Nós) – Julia Codo – Coletânea de Contos – 160 páginas.


“A Lua na Caixa D´Água” (Malê) – Marcelo Moutinho – Coletânea de Crônicas – 160 páginas.


“Na Barriga do Lobo” (Arquipélago) – Luís Henrique Pellanda – Coletânea de Crônicas – 240 páginas.


“O Espalhador de Passarinhos” (Arquipélago) – Humberto Werneck – Coletânea de Crônicas – 176 páginas.


“O Conto Não Existe” (Cepe) – Sérgio Sant´Anna – Coletânea de Contos, Crônicas e Ensaios – 226 páginas.


“Romance – História de uma Ideia” (Companhia das Letras) – Julián Fuks – Ensaios Literários – 216 páginas.


“Edith e a Velha Sentada” (Pallas) – Lázaro Ramos – Literatura Infantojuvenil – 64 páginas.


“A Mancha” (FTD) – Guilherme Gontijo Flores & Daniel Kondo – Literatura Infantojuvenil – 56 páginas.


“Menino Menina” (Pequena Zahar) – Joana Estrela – Literatura Infantojuvenil – 48 páginas.


“Gaspar e o Rio” (Aletria) – Flávia Azevedo – Literatura Infantojuvenil – 44 páginas.


“Homem-bicho, Bicho-homem” (Caixote) – Itamar Assumpção – Literatura Infantojuvenil – 32 páginas.


“De Passinho em Passinho” (Companhia das Letrinhas) – Otávio Júnior – Literatura Infantojuvenil – 32 páginas.


“Altos e Baixos” (Leiturinha) – Giovana Madalosso & Ionit Zilberman – Literatura Infantojuvenil – 32 páginas.


FICÇÃO INTERNACIONAL:


“A Metade Perdida” (Intrínseca) – Brit Bennett (Estados Unidos) – Romance – 336 páginas.


“A Nossa Alegria Chegou” (Companhia das Letras) – Alexandra Lucas Coelho (Portugal) – Romance – 176 páginas.


“Tungstênio” (Iluminuras) – César Vallejo (Peru) – Romance – 168 páginas.


“Nascimento e Morte da Dona de Casa” (Instante) – Paola Masino (Itália) – Romance – 256 páginas.


“O Silêncio” (Companhia das Letras) – Don DeLillo (Estados Unidos) – Romance – 112 páginas.


“A Liberdade Total” (DBA) – Pablo Katchadjian (Argentina) – Romance – 160 páginas.


“Atos Humanos” (Todavia) – Han Kang (Coreia do Sul) – Romance – 192 páginas.


“A Boneca de Kokoschka” (Dublinense) – Afonso Cruz (Portugal) – Romance – 288 páginas.


“Anna Kariênina” (Editora 34) – Liev Tolstói (Rússia) – Romance – 864 páginas.


“Sonatas – Memórias do Marquês de Brandomín” (7Letras) – Ramón María Del Valle-Inclán (Espanha) – Romance – 356 páginas.


“Crianças da Guerra – A História Sobre o Trem Italiano da Felicidade” (Faro) – Viola Ardone (Itália) –Romance – 240 páginas.


“O Ano do Pensamento Mágico” (HarperCollins) – Joan Didion (Estados Unidos) – Romance – 240 páginas.


“Butcher Boy – Infância Sangrenta” (Darkside) – Patrick McCabe (Irlanda) – Romance – 208 páginas.


“A História do Senhor Sommer” (Editora 34) – Patrick Süskind (Alemanha) – Novela – 96 páginas.


“Os da Minha Rua” (Pallas) – Ondjaki (Angola) – Coletânea de Contos – 128 páginas.


“A Estrada Enluarada e Outras Histórias” (Arquipélago) – Ambrose Bierce (Estados Unidos) – Coletânea de Contos – 224 páginas.


“Rinha de Galos” (Moinhos) – María Fernanda Ampuero (Equador) – Coletânea de Contos – 112 páginas.


“Diários: 1909-1923” (Todavia) – Franz Kafka (República Tcheca) – Diários – 576 páginas.


“Marie Curie – No País da Ciência” (SM) – Irène Cohen-Janca (Tunísia) & Claudia Palmarucci (Itália) –

Literatura Infantojuvenil – 96 páginas.


“Excursão para a Lua” (Raposa Vermelha) – John Hare (Estados Unidos) – Literatura Infantojuvenil – 40 páginas.


POESIA BRASILEIRA:


“Acinte 2020” (Pomelo) – Paulo Sousa – 192 páginas.


“Alguém que Dorme na Plateia Vazia” (7Letras) – Annita Costa Malufe – 152 páginas.


“Impressão Sua” (Companhia das Letras) – André Dahmer – 120 páginas.


“Mainha” (Patuá) – Tiago D. Oliveira – 124 páginas.


“Da Língua e dos Dentes” (Urutau) – Edith Derdyk – 64 páginas.


“Malangue Malanga” (Iluminuras) – Wilson Alves-Bezerra – 72 páginas.


“Aquela que Não é Mãe” (Buzz) – Jaqueline Vargas – 112 páginas.


“Me Faz Um Corre Aí” (7Letras) – Piero Eyben – 180 páginas.


“A Cadeia Quântica dos Nefelibatas em Contraponto ao Labirinto Semântico dos Lotófagos do Sul” (Urutau) – Márcio Aquiles – 72 páginas.


POESIA INTERNACIONAL:


“A Rosa de Ninguém” (Editora 34) – Paul Celan (Romênia) – 192 páginas.


Em agosto, voltarei à coluna Mercado Editorial para apresentar os lançamentos do quarto bimestre de 2021. Até lá, siga acompanhando as novidades dos setores livreiro e editorial no Bonas Histórias. E boa leitura a todos!


Gostou deste post e do conteúdo do Blog Bonas Histórias? Se você se interessa por informações do mercado editorial, deixe aqui seu comentário. Para acessar outras notícias dessa área, clique em Mercado Editorial. E aproveite para nos acompanhar nas redes sociais – Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn.

A Editora Pomelo é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Dança & Expressão é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Eduardo Villela é Eduardo Villela é book advisor e parceiro do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento

Bonas Histórias

O Bonas Histórias é o blog de literatura, cultura e entretenimento desenvolvido por Ricardo Bonacorci desde 2014. Com um conteúdo multicultural (literatura, cinema, música, teatro, exposição e gastronomia), o Blog Bonas Histórias analisa as boas histórias contadas no Brasil e no mundo.

bonashistorias.com.br

Ricardo Bonacorci

Nascido na cidade de São Paulo, Ricardo Bonacorci tem 39 anos e trabalha como publicitário, produtor de conteúdo, crítico literário e cultural, editor, escritor e pesquisador acadêmico. Ricardo é especialista em Administração de Empresas, pós-graduado em Gestão da Inovação, bacharel em Comunicação Social, licenciando em Letras-Português e pós-graduando em Formação de Escritores.  

Mandarina é a livraria diferenciada que está localizada em Pinheiros, na cidade de São Paulo
BonaBelle Design & Organização é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Epifania Comunicação Integrada é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento