Bonas Histórias

O Bonas Histórias é o blog de literatura, cultura e entretenimento desenvolvido por Ricardo Bonacorci desde 2014. Com um conteúdo multicultural (literatura, cinema, música, teatro, exposição e gastronomia), o Blog Bonas Histórias analisa as boas histórias contadas no Brasil e no mundo.

bonashistorias.com.br

Ricardo Bonacorci

Nascido na cidade de São Paulo, Ricardo Bonacorci tem 40 anos e trabalha como publicitário, produtor de conteúdo, crítico literário e cultural, editor, escritor e pesquisador acadêmico. Ricardo é especialista em Administração de Empresas, pós-graduado em Gestão da Inovação, bacharel em Comunicação Social, licenciando em Letras-Português e pós-graduando em Formação de Escritores.  

  • Ricardo Bonacorci

Mercado Editorial: Os livros infantojuvenis mais vendidos em 2021

Confira os dezesseis títulos da literatura infantojuvenil mais comercializados no Brasil no ano passado.

Mercado Editorial: Os livros infantojuvenis mais vendidos no Brasil em 2021

O ano de 2022 já caminha para a segunda metade e eu ainda apresentando no Bonas Histórias o ranking dos livros mais vendidos em 2021. Fazer o quê? Como prometi detalhar os best-sellers do ano passado na coluna Mercado Editorial, agora (parodiando o verso de uma canção antiga de Chico Buarque, famosa na voz de Ney Matogrosso) vou até o fim. Vou até o fim!


Depois de apresentar as listas com os livros mais vendidos no Brasil em 2021 (post de janeiro), as obras ficcionais mais adquiridas pelos brasileiros no ano passado (post de março) e os títulos ficcionais brasileiros mais comprados na última temporada (post de maio), trago dessa vez as publicações da literatura infantojuvenil mais comercializadas nas livrarias nacionais em 2021. Adentremos, portanto, no mundo mágico e sempre contagiante dos livros para crianças e adolescentes!


Em todos esses levantamentos, utilizei como base os dados do PublishNews, a principal e a mais confiável fonte do mercado editorial brasileiro na atualidade. A pesquisa amostral dos livros mais vendidos do PublishNews é feita a partir dos números coletados pelas maiores redes de livrarias do país. Ou seja, temos aqui a vendagem realizada tanto pelas operações online quanto pelas operações físicas dos mais importantes varejistas do setor livreiro. Se esses não são os números consolidados das vendas das publicações em solo brasileiro (afinal, trata-se de um levantamento amostral, né?), ao menos podemos considerá-los como informações fidedignas e criteriosas – sendo um excelente ponto de partida para nossas análises mercadológicas.


Como vem ocorrendo nos últimos anos tanto na lista das obras mais vendidas no Brasil quanto na lista dos títulos ficcionais de maior sucesso por aqui, o ranking das publicações infantojuvenis mais procuradas nas livrarias nacionais é constituído quase que essencialmente por produções estrangeiras – no caso, pela literatura norte-americana e pela literatura inglesa. Infelizmente, a literatura brasileira tem uma atuação de mera coadjuvante entre os leitores compatriotas. Dos 16 maiores best-sellers infantojuvenis de 2021, 11 livros são originários dos Estados Unidos, três da Inglaterra e apenas dois do Brasil.

Mercado Editorial - Literatura Infantojuvenil – Livros infantojuvenis mais vendidos no Brasil em 2021

Nas três primeiras posições, temos três títulos norte-americanos. Na primeira colocação dos best-sellers, encontramos “Vermelho, Branco e Sangue Azul” (Seguinte), grande sucesso de Casey McQuiston. Lançado em 2019, esse romance gira em torno da relação polêmica entre o filho do presidente dos Estados Unidos e o príncipe do Reino Unido. Unir relacionamento homoafetivo, política, estilo de vida extravagante da família real e diferenças culturais nunca se mostrou tão acertado como aqui – foram mais de 56 mil unidades vendidas no Brasil e centenas de milhares de unidades vendidas mundão à fora.


No segundo lugar, temos o já conhecido “A Garota do Lago” (Faro Editorial), thriller policial de Charlie Donlea. Digo que esse livro é um velho conhecido nosso pois tem figurado na lista dos mais vendidos no Brasil há alguns anos. Ele encabeçou, por exemplo, a listagem das ficções mais vendidas por aqui em 2019 e ficou em segundo lugar na categoria ficcional em 2020. Seu enredo enfoca o assassinato de uma universitária e a investigação realizada por uma destemida repórter. Publicado em 2016 e com pouco mais de 56 mil exemplares vendidos em nossas livrarias em 2021, “A Garota do Lago” teve desempenho comercial muito próximo a “Vermelho, Branco e Sangue Azul” – perdeu o primeiro lugar em nosso país por pouco (muito pouco mesmo!). Apesar de muita gente não classificar a literatura de Donlea como sendo infantojuvenil, eu a vejo dessa maneira – por isso a inclusão dessa obra na lista da literatura infantojuvenil – chamada também de Literatura Jovem Adulto (e Young Adult) pelo mercado editorial.


A terceira posição é de “Mentirosos” (Seguinte), suspense psicológico de E. Lockhart, com 50 mil unidades vendidas nas livrarias brasileiras. Lançado em 2014, esse romance só se tornou efetivamente um best-seller depois que viralizou no TikTok no ano retrasado, o que fez despertar a atenção dos jovens leitores nos Estados Unidos, e na sequência, nos demais países. “Mentirosos” narra a rotina dos Sinclair, família tradicional e endinheirada. Nem mesmo o conforto material e a abundância financeira conseguem livrar Cadence, a protagonista do romance, de problemas cada vez mais sérios e angustiantes.


Quem conseguiu quebrar um pouco a hegemonia norte-americana na literatura infantojuvenil em 2021 foi, claro, ela: J. K. Rowling. A autora inglesa mais vendida no último quarto de século continua sendo um enorme sucesso entre as crianças e os adolescentes brasileiros. Além de emplacar a venda de 40 mil unidades do “Box Harry Potter” (Rocco), o que coloca essa coleção como o quarto título mais comercializado em nosso país em 2021, J. K. Rowling viu “Harry Potter e a Pedra Filosofal” (Rocco), romance de 1997, atingir 17 mil unidades vendidas (12ª posição entre os best-sellers no Brasil no ano passado). Ou seja, a saga fantástica do bruxinho mais carismático da literatura contemporânea continua arrebatando mais e mais leitores.

Literatura Infantojuvenil – Mercado Editorial – Livros infantojuvenis mais vendidos no Brasil em 2021

Os únicos autores brasileiros na listagem dos best-sellers infantojuvenis em 2021 são Gabriel Dearo e Manu Digilio. A dupla é responsável pela bem-sucedida série “As Aventuras de Mike”. Enquanto “As Aventuras de Mike 2 – O Bebê Chegou” (Outro Planeta), publicado em2020, alcançou vendagem de 18 mil unidades (11ª colocação), “As Aventuras de Mike” (Outro Planeta), obra que iniciou a saga em 2019, teve 11 mil exemplares comercializados (16ª posição).


A seguir, apresento o ranking consolidado do PublishNews com os 16 livros infantojuvenis de maior sucesso nas livrarias nacionais em 2021:


1º “Vermelho, Branco e Sangue Azul” (2019) – Casey McQuiston (Estados Unidos) – Literatura Infantojuvenil Estrangeira – Seguinte – 56 mil unidades.


2º “A Garota do Lago” (2016) – Charlie Donlea (Estados Unidos) – Literatura Infantojuvenil Estrangeira – Faro Editorial – 56 mil unidades.


3º “Mentirosos” (2014) – E. Lockhart (Estados Unidos) – Literatura Infantojuvenil Estrangeira – Seguinte – 50 mil unidades.


4º “Box Harry Potter” (1997 - 2007) – J. K. Rowling (Inglaterra) – Literatura Infantojuvenil Estrangeira – Rocco – 40 mil unidades.


5º “Corte de Espinhos e Rosas” (2015) – Sarah J. Maas (Estados Unidos) – Literatura Infantojuvenil Estrangeira – Galera Record – 40 mil unidades.


6º “A Rainha Vermelha” (2015) – Victoria Aveyard (Estados Unidos) – Literatura Infantojuvenil Estrangeira – Seguinte – 37 mil unidades.


7º “A Seleção” (2012) – Kiera Cass (Estados Unidos) – Literatura Infantojuvenil Estrangeira – Seguinte – 32 mil unidades.


8º “Um de Nós Está Mentindo” (2017) – Karen McManus (Estados Unidos) – Literatura Infantojuvenil Estrangeira – Galera Record – 27 mil unidades.


9º “Coraline” (2002) – Neil Gaiman (Inglaterra) – Literatura Infantojuvenil Estrangeira – Intrínseca – 22 mil unidades.


10º “O Príncipe Cruel” (2018) – Holly Black (Estados Unidos) – Literatura Infantojuvenil Estrangeira – Galera Record – 22 mil unidades.


11º “As Aventuras de Mike 2 – O Bebê Chegou” (2020) – Gabriel Dearo e Manu Digilio (Brasil) – Literatura Infantojuvenil Nacional – Outro Planeta – 18 mil unidades.


12º “Harry Potter e a Pedra Filosofal” (1997) – J. K. Rowling (Inglaterra) – Literatura Infantojuvenil Estrangeira – Rocco – 17 mil unidades.


13º “O Diário Perdido de Gravity Falls” (2016) – Alex Hirsch (Estados Unidos) – Literatura Infantojuvenil Estrangeira – Universo dos Livros – 16 mil unidades.


14º “A Elite” (2013) – Kiera Cass (Estados Unidos) – Literatura Infantojuvenil Estrangeira – Seguinte – 12 mil unidades.


15º “Corte de Chamas Prateadas” (2021) – Sarah J. Maas (Estados Unidos) – Literatura Infantojuvenil Estrangeira – Galera Record – 11 mil unidades.


16º “As Aventuras de Mike” (2019) – Gabriel Dearo e Manu Digilio (Brasil) – Literatura Infantojuvenil Nacional – Outro Planeta – 11 mil unidades.


E por hoje é só, pessoal!


Gostou deste post e do conteúdo do Blog Bonas Histórias? Se você se interessa por informações do mercado editorial, deixe aqui seu comentário. Para acessar outras notícias dessa área, clique em Mercado Editorial. E aproveite para nos acompanhar nas redes sociais – Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn.

A Epifania Comunicação Integrada é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Dança & Expressão é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Mandarina é a livraria diferenciada que está localizada em Pinheiros, na cidade de São Paulo
Eduardo Villela é Eduardo Villela é book advisor e parceiro do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento