top of page

Bonas Histórias

O Bonas Histórias é o blog de literatura, cultura, arte e entretenimento criado por Ricardo Bonacorci em 2014. Com um conteúdo multicultural (literatura, cinema, música, dança, teatro, exposição, pintura e gastronomia), o Blog Bonas Histórias analisa as boas histórias contadas no Brasil e no mundo.

bonashistorias.com.br

Ricardo Bonacorci

Nascido na cidade de São Paulo, Ricardo Bonacorci tem 42 anos, mora em Buenos Aires e trabalha como publicitário, produtor de conteúdo, crítico literário e cultural, editor, escritor e pesquisador acadêmico. Ricardo é especialista em Administração de Empresas, pós-graduado em Gestão da Inovação, bacharel em Comunicação Social, licenciando em Letras-Português e pós-graduando em Formação de Escritores.  

  • Foto do escritorRicardo Bonacorci

Melhores Músicas Ruins: Premiação de 2023

Exatamente no dia de Natal, foram divulgados os vencedores da nona edição do prêmio com as melhores canções brasileiras ruins do ano. Confira os ganhadores desta temporada do tradicional evento musical promovido pelo Bonas Histórias.

Prêmio Melhores Músicas Ruins de 2023: Nona edição do evento exclusivo e tradicional do Bonas Histórias

É Natal! Feliz Natal para você e sua família, caro(a) leitor(a) assíduo(a) ou ocasional do Bonas Histórias. E como presente natalino ao melhor estilo Frank Cross, personagem memorável interpretado por Bill Murray em “Os Fantasmas Contra-atacam” (Scrooged: 1988), trazemos neste 25 de dezembro de 2023 a nona edição do Prêmio Melhores Músicas Ruins. Já adianto que a divulgação dos novos vencedores do renomado e exclusivíssimo evento musical do blog em uma data tão emblemática (pelo menos para a parcela cristã do planeta) não teve o objetivo de macular as celebrações de ninguém. Juro!


O que aconteceu neste ano foi uma mera coincidência de calendários (ou teria sido do destino?!). Nossos posts saem às segundas-feiras (conforme tradição que remonta ao Período Jurássico), justamente o dia escolhido por Papai Noel (acho que é isso o que define o Natal, não é?!) para visitar em 2023 os lares daqueles que se comportaram nos últimos doze meses (ou, se preferir, as residências da parcela mais abastada da população). Por isso, se você estiver lendo essas linhas tão logo elas forem publicadas e perder o espírito natalino (se é que já não o tenha perdido nessa altura do campeonato!), não temos nada a ver com suas frustrações, querido(a) e salve-salve leitor(a). Quem mandou descobrir as novidades do Prêmio Melhores Músicas Ruins no meio das festas, hein?!


Feitos esses esclarecimentos iniciais, vamos logo para os ganhadores desta temporada. Segundo o corpo técnico do SOSAMOR (pronuncia-se SOS AMOOOOOOOOOOR), a Sociedade Orelhuda Secreta dos Adoradores das Músicas Orgulhosamente Ruins (se você não sabe o que é isso, basta ter em mente que é a organização responsável pelo prêmio), o Orelhão de Ouro (1º lugar), o Orelhão de Prata (2ª colocação), e o Orelhão de Bronze (3º posto) de 2023 foram, respectivamente, para “Solteiro Forçado” de Ana Castela, “Vai Novinha, Ah, Ah, Ah” de DJ Dyamante e Mano Walter e “Tá OK” de Dennis e MC Kevin O Chris.


Dessa forma, o delicioso e romântico “Solteiro Forçado” entra para os cânones da Música Verdadeiramente Popular Brasileira (MVPB) ao lado de “Tá Na Hora do Jair Ir Embora” (Orelhão de Ouro na Premiação das Melhores Músicas Ruins de 2022), “Tapão na Raba” (campeão do Prêmio Melhores Músicas Ruins de 2021), “Três Batidas” (1º lugar no Melhores Músicas Ruins de 2020), “Todo Mundo Vai Sofrer” (1ª posição no Melhores Músicas Ruins de 2019), “Dona Maria” (campeã do Melhores Músicas Ruins de 2018), “Fazer Falta” (Orelhão de Ouro no Melhores Músicas Ruins em 2017), “Essa Mina é Louca” (primeiro lugar do Melhores Músicas Ruins de 2016) e “Meu Amor é Dez” (vencedor no longínquo Melhores Músicas Ruins de 2015).


Vale a pena ressaltar que Ana Castela não apenas ficou com o primeiro lugar do Melhores Músicas Ruins de 2023 como colecionou sucessos na lista dos Orelhões de Lata (canções da 4ª posição à 23ª colocação em nossa premiação). A jovem e carismática musa do agronejo, uma versão piorada do sertanejo (sim, isso é possível!), enfileirou um hit solo no ranking deste ano, “Nosso Quadro” (7ª posição), e outros três hits com diferentes parceiros musicais, “Bombonzinho” com Israel & Rodolfo (4º colocado), “Canudinho” com Gusttavo Lima (9º lugar) e “Palhaça” com Naiara Azevedo (15ª posição).

Ana Castela, vencedora do Orelhão de Ouro, principal troféu do Prêmio Melhores Músicas Ruins de 2023

Indiscutivelmente, 2023 foi o ano da Boiadeira. Que Paula Fernandes me desculpe, mas o rincão do Brasil tem uma nova rainha. Não apenas a qualidade das músicas de Ana Castela chama a atenção do público como a quantidade de sucessos que ela apresentou em doze meses é digno de nota. Pela primeira vez na história do Bonas Histórias, um(a) artista teve cinco faixas selecionadas em uma edição do Melhores Músicas Ruins. O recorde pertencia até então a Marília Mendonça, que em 2019 teve três canções premiadas (“Todo Mundo Vai Sofrer”, “Supera” e “Some que Ele Vem Atrás”), e Marcynho Sensação, que em 2021 teve três hits laureados (“Rolê”, “Revoada no Colchão” e “Parada Louca”).


As presenças de “Vai Novinha, Ah, Ah, Ah” (que inspirou a torcida do Botafogo a criar o contagiante “Segovinha, Ah, Ah, Ah”) e “Tá OK” no alto do pódio do Melhores Músicas Ruins de 2023 mostram que o funk continua em ótima fase em nosso país. O gênero (e seu subgênero com mais eletrônica) emplacaram cinco sucessos na edição deste ano do Melhores Músicas Ruins. Destaques para a parceria entre Luan Pereira e MC Ryan SP (“Ela Pirou na Dodge RAM” e “Dentro da Hilux”) e para MC Kevin O Chris (“Tá OK” e “Faz um Vuk Vuk”), com duas faixas premiadas cada um.


Para desespero dos esquerdistas mais raivosos, o ritmo musical mais popular do Brasil continua sendo o sertanejo. Não por acaso, ele foi o campeão em número total de faixas premiadas nessa edição do Melhores Músicas Ruins. Se computarmos as duas músicas solos de Ana Castela como sendo versões sertanejas, são ao todo 10 hits desse gênero (43%) em nossa lista. Se entendermos que o agronejo é um ritmo independente (coisa que eu duvido), aí são oito canções sertanejas premiadas (35%). A dupla Israel & Rodolfo (“Bombonzinho” e “Seu Brilho Sumiu”), Simone Mendes (“Erro Gostoso” e “Daqui pra Frente”) e Gusttavo Lima (“Canudinho” e “Desejo Imortal”) emplacaram dois sucessos cada entre os Orelhões de Lata.


Para ninguém acusar o evento desse ano de não ter contemplado os demais gêneros musicais, aviso desde já que entre os premiados em 2023 há duas músicas de pagode, duas de arrocha, duas de pop romântico, um baião e um tecno-brega. É a pluralidade e a riqueza da música brasileira, senhoras e senhores!


Depois de discutirmos um pouco o perfil dos vencedores, vamos agora à lista completa dos ganhadores do Prêmio Melhores Músicas Ruins de 2023:


23ª posição: “Desejo Imortal” – Gusttavo Lima – Sertanejo


22ª posição: “Dentro da Hilux” – Luan Pereira e MC Ryan SP – Funk


21º posição: “Leão” – Marília Mendonça – Sertanejo


20ª posição: “Posta Aí” – Nadson Ferinha – Arrocha


19ª posição: “Ela Pirou na Dodge RAM” – Luan Pereira e MC Ryan SP – Funk


18ª posição: “Ela” – Sorriso Maroto e Ferrugem – Pagode


17ª posição: “Cadê Seu Namorado, Moça” – Nadson Ferinha e Thales Iessa – Arrocha


16ª posição: “Daqui pra Frente” – Manu Bahtidão e Simone Mendes – Tecno-brega


15ª posição: “Palhaça” – Naiara Azevedo e Ana Castela – Sertanejo


14ª posição: “Chico” – Luísa Sonza – Pop romântico


13ª posição: “Seu Brilho Sumiu” – Israel & Rodolfo e Mari Fernandes – Sertanejo


12ª posição: “Faz um Vuk Vuk” – MC Kevin O Chris e DJ Nk da Serra – Funk


11ª posição: “Lapada Dela” – Menos é Mais e Matheus Fernandes – Pagode


10ª posição: “Mulher Segura” – Luan Santana – Pop romântico


9a posição: “Canudinho” – Gusttavo Lima e Ana Castela – Sertanejo


8ª posição: “Sinto Muito, Mas Não Sinto Nada” – Nave Som – Baião


7ª posição: “Nosso Quadro” – Ana Castela – Agronejo


6ª posição: “Erro Gostoso” – Simone Mendes – Sertanejo


5ª posição: “Desandei” – Lauana Prado e Guilherme & Benuto – Sertanejo


4ª posição: “Bombonzinho” – Israel & Rodolfo e Ana Castela – Sertanejo


3ª posição: “Tá OK” – Dennis e MC Kevin O Chris – Funk


2ª posição: “Vai Novinha, Ah, Ah, Ah” – DJ Dyamante e Mano Walter – Funk


1ª posição: “Solteiro Forçado” – Ana Castela – Agronejo


Parabéns aos campeões de 2023! Daqui doze meses, voltaremos com mais pérolas da Música Popular Brasileira. Não percam, portanto, o próximo Melhores Músicas Ruins. Tenho certeza de que em 2024 ele será ainda melhor. E para quem ainda tem estômago, dá para voltar para os sempre divertidos e emocionantes eventos natalinos desse ano. Feliz Natal, amiguinhos do Bonas Histórias!


Gostou deste post e do conteúdo do Bonas Histórias? Se você é fã de canções boas de verdade, acesse a coluna Músicas. Para ver as demais edições deste prêmio, clique em Melhores Músicas Ruins. E não esqueça de nos acompanhar nas redes sociais – Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn.

A Epifania Comunicação Integrada é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Dança & Expressão é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Mandarina é a livraria diferenciada que está localizada em Pinheiros, na cidade de São Paulo
Eduardo Villela é Eduardo Villela é book advisor e parceiro do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
bottom of page