top of page

Bonas Histórias

O Bonas Histórias é o blog de literatura, cultura, arte e entretenimento criado por Ricardo Bonacorci em 2014. Com um conteúdo multicultural (literatura, cinema, música, dança, teatro, exposição, pintura e gastronomia), o Blog Bonas Histórias analisa as boas histórias contadas no Brasil e no mundo.

bonashistorias.com.br

Ricardo Bonacorci

Nascido na cidade de São Paulo, Ricardo Bonacorci tem 43 anos, mora em Buenos Aires e trabalha como publicitário, produtor de conteúdo, crítico literário e cultural, editor, escritor e pesquisador acadêmico. Ricardo é especialista em Administração de Empresas, pós-graduado em Gestão da Inovação, bacharel em Comunicação Social, licenciando em Letras-Português e pós-graduando em Formação de Escritores.  

  • Foto do escritorRicardo Bonacorci

Mercado Editorial: As ficções literárias mais vendidas no Brasil em 2023

Veja o ranking dos 30 livros ficcionais mais comprados pelos leitores brasileiros no ano passado segundo o PublishNews.


Mercado Editorial: Os livros de ficção mais vendidos no Brasil em 2023

No início de fevereiro, dei uma passada na coluna Mercado Editorial para apresentar os 20 livros mais vendidos no Brasil em 2023. Afinal, é tradição do Bonas Histórias apontar anualmente o ranking dos best-sellers em nossas livrarias. Acredite se quiser: faço esse levantamento desde que o blog começou em dezembro de 2014. Tão logo a folhinha de 2015 entrou em ação, apresentei os títulos mais adquiridos pelos leitores nacionais em 2014. Desde então, tenho cumprido religiosamente com o meu dever cívico de informar o que mais tem agradado ao paladar do peculiar público brasileiro. Para aqueles que possam duvidar de mim, aí estão os posts anteriores: livros mais vendidos no Brasil em 2022, livros mais vendidos no Brasil em 2021, livros mais vendidos no Brasil em 2020, livros mais vendidos no Brasil em 2019, livros mais vendidos no Brasil em 2018, livros mais vendidos no Brasil em 2017, livros mais vendidos no Brasil em 2016 e livros mais vendidos no Brasil em 2015.


Confesso que quase sempre fico decepcionado com as publicações que lideram a lista dos títulos mais comercializados no país. Por quê? Porque sou apaixonado pela ficção literária (conforme comprovado pela linha editorial da coluna Livros – Crítica Literária) e, invariavelmente, esse gênero é preterido pelos meus conterrâneos. Perto das obras de autoajuda, de religião, de biografia e de não ficção que são adquiridas e consumidas à rodo, os romances, as novelas e as coletâneas de contos acabam comendo poeira em qualquer comparação. Ao invés de cortar os pulsos ou choramingar pelo leite derramado, resolvi esse problema de um jeito bem simples: uma vez apresentado o ranking geral dos exemplares de maior sucesso nas livrarias nacionais, volto à coluna Mercado Editorial e divulgo apenas as obras ficcionais mais vendidas no Brasil. Pronto! Questão resolvida.


Por isso, estou novamente no Bonas Histórias para trazer um recorte mais divertido da listagem de fevereiro. A ideia hoje é só falar de ficção literária. E, a partir dessa nova perspectiva, o que podemos concluir das obras que estão no top 30 das mais comercializadas em nosso país, hein?!


A primeira constatação é que temos uma overdose de livros infantojuvenis. Dos 30 títulos ficcionais da nossa lista de 2023, temos nada mais, nada menos do que 15 obras voltadas originalmente para o público adolescente. Ou seja, esse segmento representa metade (50%) do ranking ficcional. Ao verificar que esse fato tem se mantido intocado há anos, penso em duas possibilidades: ou a juventude brasileira está lendo muito mais ficção do que os adultos ou os leitores adultos têm paladar infantojuvenil. Nem queira saber qual das duas hipóteses eu acredito, tá?


Ranking dos livros de ficção mais vendidos no Brasil – Parte I – 1º ao 10º lugar

De qualquer maneira, a informação objetiva é que a literatura infantojuvenil (ou Young Adult, conforme as definições mercadológicas mais modernas do mercado editorial mundial) continua bombando por aqui. Prova maior desse êxito é que a norte-americana Colleen Hoover manteve o posto de escritora mais vendida do Brasil (status adquirido em 2022 e que se perpetuou em 2023). Ela é dona de cinco livros do nosso top 30 da ficção: “É Assim que Acaba” (Galera), no 1º lugar da lista ficcional, “É Assim que Começa” (Galera), na 2ª colocação, “Verity” (Galera), 7ª posição, “Todas As Suas (Im)Perfeições” (Galera), no 13º lugar, e “O Lado Feio do Amor” (Galera), na 26ª posição. Ao todo, Hoover vendeu mais de 250 mil livros no Brasil no ano passado. 


É curioso notar que, entre os 15 exemplares mais vendidos da literatura infantojuvenil (desculpem-me, mas não consigo mesmo falar Young Adult por mais que tente), todos são autores estrangeiros. Aí a literatura norte-americana e a literatura britânica dominam completamente a lista. As exceções (que só comprovam a regra da enorme liderança do idioma inglês na ficção juvenil) são a italiana Ali Hazelwood com “A Hipótese do Amor” (Arqueiro) e o japonês Eiichiro Oda com “One Piece – Volume 1” (Panini). Autor brasileiro nessa prateleira? Esquece!


Meus compatriotas aparecem bem quando o assunto é literatura infantil. No top 30 da ficção, temos 7 exemplares desse gênero (23%). O norte-americano Jeff Kinney permanece sendo a referência nesse segmento com a espetacular coleção “Diário de Um Banana” (VR Editora). Porém, ele não está mais sozinho. A dupla brasileira formada por Gabriel Dearo e Manu Digilio conseguiu emplacar a interessante série “As Aventuras de Mike” (Outro Planeta). Os quatro livros dessa saga venderam pouco mais de 80 mil unidades no ano passado e se consolidaram como um dos maiores sucessos da literatura brasileira no século XXI. Seguindo os passos de Dearo & Digilio, Maidy Lacerda vem logo atrás com os dois volumes da coletânea “O Diário de Uma Princesa Desastrada” (Outro Planeta) – apesar do segundo título dessa série ter ficado fora da lista das 30 ficções mais vendidas em 2023.


Quando o assunto é ficção literária adulta (o termo “adulto” aqui não é no sentido de literatura erótica e sim para designar obras para o público com mentalidade mais crescidinha, tá?), os leitores brasileiros se dividem entre a literatura brasileira contemporânea e a literatura internacional clássica. São 8 obras (27%) nessa prateleira. Os autores nacionais de destaque são Ilko Minev, com “Onde Estão as Flores” (Buzz), 3ª ficção mais vendida no Brasil no ano passado, Carla Madeira, com o espetacular “Tudo é Rio” (Record), 5º lugar na nossa lista, e Itamar Vieira Junior, com o multipremiado “Torto Arado” (Todavia), na 9ª posição. Admito que fiquei muito feliz de ter visto três escritores brasileiros de enorme talento e com obras magníficas no alto do ranking. Há muito tempo não via a junção do binômio qualidade literária e êxito comercial com tanta consistência no ranking do Bonas Histórias.


Ranking dos livros de ficção mais vendidos no Brasil – Parte II – 11º ao 20º lugar

Na seção da ficção internacional, os brasileiros continuam levando para casa os autores e os títulos clássicos. O inglês George Orwell, com “A Revolução dos Bichos” (Companhia das Letras) e “1984” (Companhia das Letras), a norte-americana Clarissa Pinkola Estés, com “Mulheres que Correm com os Lobos” (Rocco), e o inglês Torquemada/Edward Powys Mathers, com o intrigante (e indecifrável!) “A Mandíbula de Caim” (Intrínseca), apresentaram ótimas vendas.


O único livro ficcional adulto que parece ter fugido da polarização entre literatura brasileira contemporânea e literatura estrangeira clássica foi “Antes que o Café Esfrie” (Valentina), do japonês Toshikazu Kawaguchi. Esse romance publicado em 2015 é um típico exemplar da literatura internacional contemporânea que se tornou best-seller internacional. Em nosso país, ele chegou pelas mãos da Editora Valentina, pequena casa editorial carioca, e se converteu em um dos principais sucessos do mercado editorial nacional no ano passado.  


Feito esse longo raio-X do setor, até poderíamos ir diretamente para o ranking das ficções mais vendidas em 2023 no Brasil. Porém, acho legal dizer antes que para construir essa lista recorri aos dados do PublishNews, a fonte da indústria brasileira do livro mais confiável na atualidade. Uso recorrentemente as informações e as estatísticas do PublishNews nos posts do Bonas Histórias e da coluna Mercado Editorial porque elas são obtidas pelos sistemas da venda física e online das maiores redes de livrarias do Brasil.


Pronto! Agora já podemos ir ao que interessa, senhoras e senhores. Sem mais enrolação, confira a seguir o ranking completo dos livros de ficção mais vendidos no Brasil em 2023 em ordem decrescente segundo os dados do PublishNews:


Ranking dos livros de ficção mais vendidos no Brasil – Parte III – 21º ao 30º lugar

1º “É Assim que Acaba” (2016) – Colleen Hoover (Estados Unidos) – Literatura Infantojuvenil Estrangeira – Galera – 83,1 mil unidades.


2º “É Assim que Começa” (2022) – Colleen Hoover (Estados Unidos) – Literatura Infantojuvenil Estrangeira – Galera – 80,7 mil unidades.


3º “Onde Estão as Flores” (2013) – Ilko Minev (Brasil/Bulgária) – Literatura Ficcional Brasileira – Buzz – 78,9 mil unidades.


“A Biblioteca da Meia-noite” (2020) – Matt Haig (Inglaterra) – Literatura Infantojuvenil Estrangeira – Bertrand Brasil – 60,3 mil unidades.


5º “Tudo é Rio” (2014) – Carla Madeira (Brasil) – Literatura Ficcional Brasileira – Record – 48,5 mil unidades.


6º “Mulheres que Correm com os Lobos” (1992) – Clarissa Pinkola Estés (Estados Unidos) – Literatura Ficcional Estrangeira – Rocco – 35,4 mil unidades.


7º “Verity” (2018) – Colleen Hoover (Estados Unidos) – Literatura Infantojuvenil Estrangeira – Galera – 33,1 mil unidades.


8º “Diário de Um Banana – Um Romance em Quadrinhos” (2007) – Jeff Kinney (Estados Unidos) – Literatura Infantil Estrangeira – VR Editora – 32,3 mil unidades.


9º “Torto Arado” (2019) – Itamar Vieira Junior (Brasil) – Literatura Ficcional Brasileira – Todavia – 31,0 mil unidades.


10º “A Mandíbula de Caim” (1934) – Torquemada/Edward Powys Mathers (Inglaterra) – Literatura Ficcional Estrangeira – Intrínseca – 27,8 mil unidades.


11º “Os Sete Maridos de Evelyn Hugo” (2017) – Taylor Jenkins Reid (Estados Unidos) – Literatura Infantojuvenil Estrangeira – Paralela – 25,6 mil unidades.


12º “A Revolução dos Bichos” (1945) – George Orwell (Inglaterra) – Literatura Ficcional Estrangeira – Companhia das Letras – 24,9 mil unidades.


13º “Todas As Suas (Im)Perfeições” (2018) – Colleen Hoover (Estados Unidos) – Literatura Infantojuvenil Estrangeira – Galera – 24,7 mil unidades.


14º “As Aventuras de Mike” (2019) – Gabriel Dearo e Manu Digilio (Brasil) – Literatura Infantil Nacional – Outro Planeta – 24,4 mil unidades.


15º “As Aventuras de Mike 3 – Mudando de Casa” (2022) – Gabriel Dearo e Manu Digilio (Brasil) – Literatura Infantil Nacional – Outro Planeta – 24,4 mil unidades.


16º “Coraline” (2002) – Neil Gaiman (Inglaterra) – Literatura Infantojuvenil Estrangeira – Intrínseca – 21,6 mil unidades.


17º “A Garota do Lago” (2016) – Charlie Donlea (Estados Unidos) – Literatura Infantojuvenil Estrangeira – Faro Editorial – 19,6 mil unidades.


18º “O Diário de Uma Princesa Desastrada” (2022) – Maidy Lacerda (Brasil) – Literatura Infantil Nacional – Outro Planeta – 18,6 mil unidades.


19º “A Hipótese do Amor” (2021) – Ali Hazelwood (Itália) – Literatura Infantojuvenil Estrangeira – Arqueiro – 17,6 mil unidades.


20º “Harry Potter e a Pedra Filosofal – Edição Comemorativa de 20 anos” (1997) – J. K. Rowling (Inglaterra) – Literatura Infantojuvenil Estrangeira – Rocco – 17,4 mil unidades.


21º “Os Últimos Jovens da Terra” (2015) – Max Brallier (Estados Unidos) – Literatura Infantojuvenil Estrangeira – Milk Shakespeare – 17,3 mil unidades.


22º “Eu e Esse Meu Coração” (2018) – C. C. Hunter (Estados Unidos) – Literatura Infantojuvenil Estrangeira – Jangada – 16,7 mil unidades.


23º “As Aventuras de Mike 4 – A Origem de Robson” (2023) – Gabriel Dearo e Manu Digilio (Brasil) – Literatura Infantil Nacional – Outro Planeta – 16,6 mil unidades.


24º “Amor & Gelato” (2016) – Jenna Evans Welch (Estados Unidos) – Literatura Infantojuvenil Estrangeira – Intrínseca – 16,2 mil unidades.


25º “As Aventuras de Mike 2 – O Bebê Chegou” (2019) – Gabriel Dearo e Manu Digilio (Brasil) – Literatura Infantil Nacional – Outro Planeta – 15,9 mil unidades.


26º “O Lado Feio do Amor” (2014) – Colleen Hoover (Estados Unidos) – Literatura Infantojuvenil Estrangeira – Galera – 14,9 mil unidades.


27º “1984” (1949) – George Orwell (Inglaterra) – Literatura Ficcional Estrangeira – Companhia das Letras – 13,7 mil unidades.


28º “Diário de Um Banana – Rodrick é o Cara” (2008) – Jeff Kinney (Estados Unidos) – Literatura Infantil Estrangeira – VR Editora – 13,5 mil unidades.


29º “One Piece – Volume 1” (1997) – Eiichiro Oda (Japão) – Literatura Infantojuvenil Estrangeira – Panini – 12,9 mil unidades.


30º “Antes que o Café Esfrie” (2015) – Toshikazu Kawaguchi (Japão) – Literatura Ficcional Estrangeira – Valentina – 11,7 mil unidades.


Acho que isso é tudo, pessoal. Até a próxima!


Gostou deste post e do conteúdo do Blog Bonas Histórias? Se você se interessa por informações do mercado editorial, deixe aqui seu comentário. Para acessar outras notícias dessa área, clique em Mercado Editorial. E aproveite para nos acompanhar nas redes sociais – Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn.

Comments


A Epifania Comunicação Integrada é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Dança & Expressão é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Mandarina é a livraria diferenciada que está localizada em Pinheiros, na cidade de São Paulo
Eduardo Villela é Eduardo Villela é book advisor e parceiro do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
bottom of page