• Paulo Sousa

Miliádios Literários: julho/2021

No mês dos Jogos Olímpicos de Tóquio, Paulo Sousa sua a caneta e entrega uma coluna medalha de ouro na categoria efemérides literárias.

Miliádios Literários: julho de 2021 - Paulo Sousa

Atletas do mundo inteiro, uni-vos para o maior espetáculo literário da Terra: as Olimpíadas Miliádicas do Bonas Histórias! Já estamos acostumados a frequentar academias para a mente; nesse mês, em especial, vamos malhar o corpo também, numa homenagem aos Jogos Olímpicos de Tóquio.


Vamos começar esses Miliádios Literários lembrando de William Shakespeare, cuja morte aconteceu há 148 mil dias, completos no dia 9. Shakespeare revolucionou o teatro com peças como “O Rei Lear”, “Hamlet” e “Romeu e Julieta” (Penguin). Uma menção tão clássica nos remete a um dos esportes mais antigos, a corrida, que deriva do ímpeto natural do “quem chegar primeiro ganha”.


Chimamanda Ngozi Adichie, autora de “No Seu Pescoço”, “Hibisco Roxo” e “Americanah” (Companhia das Letras), deu um salto na literatura africana, levando-a para o mundo inteiro ao escrever em inglês. Seu movimento lembra Chioma Ajunwa, primeira campeã olímpica nigeriana no salto em distância (um pleonasmo, pois todo salto é em distância. Caso contrário, seria um simples pulo).


A chinesa Xinran, como não poderia deixar de ser, faz um delicado e assertivo ping-pong entre Oriente e Ocidente. Seus livros são escritos, na maioria, em mandarim, mas são traduzidos pelo mundo inteiro, incluindo o Brasil, como “Enterro Celestial” (Companhia das Letras), “As Boas Mulheres da China” (Companhia de Bolso) e “Compre-me o Céu” (Companhia das Letras). Nas Olimpíadas, o ping-pong ganha o dessalinizado nome de tênis de mesa, o que não tira o mérito de Xinran, que faz 23 miliversários no dia 8.


Essa coluna miliádica, sempre tão patriota, torce incessantemente para atletas e autores brasileiros, e foca agora na literatura nacional citando seu maior expoente (pelo menos para os presidentes dos Estados Unidos): Paulo Coelho, que nasceu há 27 miliádios completados no dia 26.


Paulo é um visionário, foi um bruxo antes de virar moda teen, inspirou e emocionou antes do boom da autoajuda, foi best-seller quando ainda se vendia livros no país. O autor de “O Alquimista” (Planeta), “O Diário de um Mago” (Rocco) e “Veronika Decide Morrer” (Objetiva) tem o refinado hábito de praticar tiro com arco, demonstrando que a filosofia zen e a concentração sempre fizeram parte de sua vida. Nessas Olimpíadas, o Brasil será representado no tiro com arco pela atleta Ane Marcelle.


É impossível falar de Olimpíadas sem falar de vôlei, cuja primeira medalha de ouro foi em 1992. Éramos seis guerreiros em quadra na cidade de Barcelona. Vôlei que é muito praticado nas aulas de educação física, o que nos remete à escola, o que nos remete às leituras infantojuvenis, o que nos remete a Maria José Dupré, que completaria 45 miliádios no dia 15.


Ela é autora de clássicos das primeiras décadas de nossas vidas, como “A Ilha Perdida”, “O Cachorrinho Samba” e “A Mina de Ouro” (Ática). Além de tantas histórias que encantaram crianças e adolescentes, Maria José também emocionou adultos com... “Éramos Seis” (Ática), fazendo assim um retorno ao vôlei e fechando seu parágrafo com poesia e graça.


No hipismo, o Brasil ganhou uma medalha de ouro com Rodrigo Pessoa e seu cavalo Baloubet du Rouet, em Atenas, em 2004. Talvez esse seja o esporte mais parnasiano que existe, o que combina com Guilherme de Almeida. Romancista vencedor do Prêmio Jabuti, intelectual que escrevia em várias línguas e um dos maiores haicaístas do Brasil, Guilherme é autor de “A Dança das Horas” (Companhia Nacional), “Messidor” (Círculo do Livro) e “Melhores Poemas” (Global). Seu falecimento completa 19 miliádios no dia 18.


Finalizamos a coluna miliádica com Mário Quintana, cujos poemas são um dos mais leves, graciosos e delicados da língua portuguesa. Ele escrevia como uma ginasta rítmica a fazer malabarismos com a fita, mesmerizando a todos. Mário, cujo nascimento aconteceu há 42 miliádios completados no dia 26, é autor de “Esconderijos do Tempo” (Alfaguara), “Eu Passarinho” (Ática) e “O Batalhão das Letras” (Companhia das Letrinhas). E pasmem, ele é medalhista! Em 1976, ganhou a Medalha Negrinho do Pastoreio, condecoração do Rio Grande do Sul.


E que venham os Jogos Olímpicos! Que venham mais Miliádios Literários! Até mês que vem!


Parabéns pelo Miliversário...


... Edney Silvestre, autor de “Se Eu Fechar os Olhos Agora” (Record) e “Vidas Provisórias” (Intrínseca), cujo nascimento ocorreu há 26 miliádios, completados no dia 3.


... Luisa Geisler, autora de “Luzes de Emergência se Acenderão Automaticamente” e “De Espaços Abandonados” (Alfaguara), cujo nascimento faz 11 miliádios no dia 29.


... Botho Strauss, autor da “Trilogia do Reencontro” (Temporal), que faz 28 miliversários no dia 31.


Em memória de...


... Alexandre Dumas Filho, autor de “A Dama das Camélias” (Martin Claret), cujo falecimento faz 13 miliádios no dia 1º.


... Graciliano Ramos, autor de “Vidas Secas” e “São Bernardo” (Record), que faria 47 miliversários no dia 3.


... Soeiro Pereira Gomes, autor de “Esteiros” (Europa América), que faria 41 miliádios no dia 15.


... João Melquíades Ferreira da Silva, o cantor de “Borborema”, autor de inúmeros cordéis, cujo falecimento completa 32 miliádios no dia 21.


... Aluísio Azevedo, autor de “Casa de Pensão” (Martin Claret) e “O Cortiço” (Principis), cujo nascimento completa 60 miliádios no dia 23.


... José Cardoso Pires, autor de “Jogos de Azar” e “Balada da Praia dos Cães” (Bertrand Brasil), que faria 35 miliádios no dia 30.


Miliádios Literários é a coluna de Paulo Sousa, autor do romance “A Peste das Batatas” (Pomelo) e da novela “Histórias de Macambúzios”, que apresenta mensalmente no Bonas Histórias as principais efemérides da literatura. Para ler os demais posts dessa seção, clique em Miliádios Literários. E não deixe de nos acompanhar nas redes sociais – Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn.

A Editora Pomelo é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Dança & Expressão é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
Eduardo Villela é Eduardo Villela é book advisor e parceiro do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento

Bonas Histórias

O Bonas Histórias é o blog de literatura, cultura e entretenimento desenvolvido por Ricardo Bonacorci desde 2014. Com um conteúdo multicultural (literatura, cinema, música, teatro, exposição e gastronomia), o Blog Bonas Histórias analisa as boas histórias contadas no Brasil e no mundo.

bonashistorias.com.br

Ricardo Bonacorci

Nascido na cidade de São Paulo, Ricardo Bonacorci tem 39 anos e trabalha como publicitário, produtor de conteúdo, crítico literário e cultural, editor, escritor e pesquisador acadêmico. Ricardo é especialista em Administração de Empresas, pós-graduado em Gestão da Inovação, bacharel em Comunicação Social, licenciando em Letras-Português e pós-graduando em Formação de Escritores.  

Mandarina é a livraria diferenciada que está localizada em Pinheiros, na cidade de São Paulo
BonaBelle Design & Organização é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento
A Epifania Comunicação Integrada é parceira do Bonas Histórias, blog de literatura, cultura e entretenimento